Ipomoea purpurea - Campainha

Nomes populares

Campainha, bom-dia, bons-dias, corda-de-viola, corriola, glória-da-manhã, jetirana

Nome científico

Ipomoea purpurea (L.) Roth.

Voucher

332 Schwirkowski (MBM)

Sinônimos

Convolvulus purpureus L.

Convolvulus superbus H. B. K.

Convolvulus sanguineus Willd.

Convolvulus intermedius Loidel.

Ipomoea glandulifera Ruiz & Pav.

Ipomoea intermedia Schult.

Pharbitis híspida Choisy.

Família

Convolvulaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Trepadeira herbácea, volúvel. Ramos hirsutos, tricomas translúcidos. Folhas simples, alternas, inteiras ou 3-lobadas; lâmina 5-6 × 5,5-6,5 cm, largamente cordada, pubescente em ambas as faces, ápice agudo; base cordada; venação actinódroma. Inflorescências em cimeiras axilares, 2-5 flores; flores 5-meras; sépalas oblongo-lanceoladas, tricomas bulbosos na porção basal; corola infundibuliforme, purpúrea, azul, rósea ou alva, 3-6 cm compr.; anteras rimosas. (VILLAGRA, 2011).

Característica

Pode ser reconhecida pelo indumento hirsuto e pelas sépalas agudas. As espécies mais próximas são I. nil, que possui sépalas acuminadas e I. indica que possui indumento seríceo. (FERREIRA, 2009).

Floração / frutificação

Dispersão

Habitat

Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Mista, Floresta Ombrófila Densa e Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Norte (Amazonas, Acre), Nordeste (Bahia), Centro-Oeste (Goiás, Distrito Federal), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (BIANCHINI, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Planta ornamental utilizada para revestir cercas, pérgolas e muros.

Injúria

É considerada uma das piores plantas daninhas infestante de lavouras, pois seus ramos volúveis são capazes de envolver completamente a plantas cultivadas, comprometendo seu desenvolvimento e colheita.

Comentários

Bibliografia

BIANCHINI, R.S., Ferreira, P.P.A. 2010. Convolvulaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB007055).

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FERREIRA, P. P. A.; MIOTTO, S. T. S. Sinopse das espécies de Ipomoea L. (Convolvulaceae) ocorrentes no Rio Grande do Sul, Brasil. R. bras. Bioci., Porto Alegre, v. 7, n. 4, p. 440-453, out./dez. 2009

LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SCHULTZ, A. R. Botânica Sistemática. 3ª ed. Editora Globo. Porto Alegre, 1963. 428p. il. v. 2.

TOGNON, G. B. Potencial Ornamental, Propagação, Rendimento de Óleos Essenciais e Resposta à Deficiência Hídrica de Ipoméias. Tese de mestrado. Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo, 2010. 146p. il. Disponível em: <http://www.upf.br/ppgagro/download/grasielatognon.pdf>.

VILLAGRA, B. L. P.; NETO, S. R. Plantas trepadeiras do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil). Hoehnea 38(3): 325-384, 46 fig., 2011.