Gênero: Hippeastrum

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes populares: Lírio-do-mato, açucenaNome científico: Hippeastrum glaucescens (Mart.) Herb.SinônimosAmaryllis iguazuana RavennaAmaryllis paradisiaca RavennaAmaryllis caiaponica RavennaAmaryllis curitibana RavennaAmaryllis glaucescens Mart. ex Schult. & Schult.f.Amaryllis hemographes RavennaAmaryllis illustris Vell.Amaryllis kromeri WorsleyAmaryllis maracasa TraubAmaryllis restingensis RavennaHippeastrum aviflorum (Ravenna) DutilhHippeastrum illustre (Vell.) DutilhHippeastrum paradisiacum (Ravenna) MeerowFamília: AmaryllidaceaeTipo: Nativa, não endêmica do Brasil.Descrição: Ervas 55-60 cm. Bulbo 6 cm diam., superficial, globoso a ovado; colo 10-11 cm compr. Folhas presentes na floração, senescente, sésseis, loriformes a falcadas 20-28(60)x2-2,5(4) cm, base canaliculada, com ápice agudo. Inflorescência 2-flora; escapo cilíndrico 42-52x2,1 cm glauco ou não, brácteas 5-8,1x1,5 cm lanceoladas, bractéolas ca. 5 cm compr., em geral uma por flor. Flores alaranjadas a vermelhas com reticulação vinácea no terço superior das tépalas, fauce esverdeada a amarelada, pediceladas 5,1-8,2 cm, campanuladas; tépala superior externa longa e mais larga 12,3-14x4-5 cm, a tépala inferior interna curta e mais estreita, 11,5-13x2-2,5 cm, as tépalas laterais inferiores externas falcadas com o ápice voltado uma para a outra, amarelo esverdeado na base com retículos de coloração vinácea; tubo nectarífero 2-2,5 cm compr.; corona em película denteada esbranquiçada; estames inclusos, filetes 11-12 cm base esverdeada, ápice avermelhado, mais curto ou do mesmo tamanho das tépalas, fortemente ascendente a partir do terço médio; anteras ca. 4 mm compr.; estigma trífido, lobos 1-3 mm compr., estilete 12,5-13 cm incluso ou levemente exserto fortemente ascendente a partir do terço médio, base esverdeada, ápice avermelhado; ovário 1,5-2 cm compr. Fruto não observado. (CANDIDO, 2014).CaracterísticaFloração / frutificaçãoDispersãoHabitat: Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, em Formações Campestres.Distribuição geográfica: Nordeste (Bahia), Centro-Oeste (Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina) (DUTILH, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomia: Planta utilizada como ornamental.InjúriaComentáriosBibliografiaCANDIDO, R. S.; GOLÇALVES-ESTEVES, V.; LOPES, R.C. Hippeastrum (Amaryllidoideae - Amaryllidaceae) das restingas do Estado do Rio de Janeiro: Flora e conservação. PESQUISAS, BOTÂNICA N°65:49/65. Instituto Anchietano de Pesquisas. São Leopoldo, RS. 2014.Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 1 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 875 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol1.pdf>.DUTILH, J.H.A. 2010. Amaryllidaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB004360).PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes populares: AçucenaNome científico: Hippeastrum iguazuanum (Ravenna) T.R.Dudley & M.WilliamsSinônimos: Amaryllis iguazuana RavennaFamília: AmaryllidaceaeTipo: Nativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoCaracterísticaFloração / frutificação: Encontrada florescendo em novembro.DispersãoHabitat: Mata AtlânticaDistribuição geográfica: Paraná e Santa CatarinaEtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaDUTILH, J.H.A., Oliveira, R.S. 2011. Amaryllidaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB033497).