Síndrome de Brown-Sequard
Reabilitação do Lesado Medular

Voltar

 

Sindrome de Brown-SequardBrown-Sequard Syndrome

  

INTRODUÇÃO

Definição:

A Sindrome de Brown-Sequard é uma lesão medular incompleta caracterizada por um quadro clínico que reflete a hemi seção da medula. É frequentemente encontrada em lesões da região cervical. A sindrome pura de Brown-Sequard pura não é muito frequente. É mais comum encontrarmos um quadro onde estão presentes fragmentos da sindrome ou sinais clínicos de uma hemi seção da medula associado a outros sinais e sintomas.

 

CLÍNICA

História:

A sindrome de Brown-Sequard pode decorrer de uma lesão penetrante na medula mas, outras doenças também tem sido descritas como causadoras da sindrome. A hemi seção completa causando a manifestação clássica e pura da sindrome de Brown-Sequard é muito rara. O que acontece, mais frequentemente, é uma hemi seção incompleta causando parte da sindrome de Brown-Sequard associada a mais outros sinais e sintomas.

Exame Físico:

 

- A sindrome de Brown-Sequard pura é caracterizada por:

  • Interrupção do trato corticospinhal lateral
  • Paralisia espástica do mesmo lado e abaixo do nível da lesão
  • Sinal da Babinski do mesmo lado da lesão
  • Reflexos anormais e sinal de Babinski podem não estar presentes na fase aguda da lesão
  • Interrupção da coluna branca posterior
  • Perca do mesmo lado da lesão da percepção tátil, vibratória e da posição de sentido abaixo do nível da lesão
  • Interrupção do trato spinotalâmico lateral
  • Perca do lado contrário da lesão da sensação da dor e da temperatura, que normalmente ocorre 2-3 segmentos abaixo do nível da lesão

 

- A sindrome parcial de Brown-Sequard é caracterizada por:

  • Perca da sensibilidade assimétrica com diminuição mais acentuada da perca da sensibilidade para dor, do lado menos parético

Causas:

  • Tumores medular, primitivos ou metastáticos
  • Trauma, penetrante ou cego
  • Doenças degenerativas como hérnias de disco ou espodilose cervical
  • Isquemia
  • Causas infecciosas/inflamatórias como meningite, empiema, herpes zoster, herpes simples, mielites, tuberculose, sífilis e esclerose múltipla
  • Hemorragia inclusive a subdural/epidural and hematomielia

 

DIAGNÓSTICO TÉCNICO

Laboratório Clínico:

  • O diagnóstico da sindrome de Brown-Sequard é clínico, baseado apenas na história e exame físico do paciente. O laboratório clínico não é necessário para avaliar a condição inicial mas pode ser útil para ajudar a acompanhar o curso da evolução clínica do paciente. O estudo laboratorial também pode ser útil para identificar a etiologia da sindrome, quando ela não for traumática; de outro modo, os estudos laboratoriais não contribuem para o diagnóstico.

Estudo de Imagens:

  • Raio X simples:

    Mostram lesões ósseas e se o trauma é penetrantes ou cego. Ao lado das lesões cegas podem ocorrer fraturas em regiões vizinhas que podem causar a sindrome de Brown-Sequard.

  • MRI:

    Define a extensão de uma lesão medular sendo útil para fazer diagnóstico diferencial entre as etiologias não traumáticas que levam a sindrome.

  • Mielograma:

    Pode ser útil quando o MRI está contra indicado.

Procedimentos:

  • Patientes com sindrome de Brown-Sequard traumática ser avaliados para a possibilidade de apresentarem outras lesões, como qualquer vítima de trauma. Estes procedimentos incluem:
    • Cateterização da bexiga devido aos diferentes graus de disfunção que o paciente pode apresentar nesta área.
    • Imobilização imediata.
  • Sondagem Nasogástrica:

    A sondagem com subsequente drenagem do conteído gástrico previne a aspiração. Nesta fase aguda, estes pacientes estão mais suscetívies a desenvolver um íleo paralítico.

  • Imobilização da coluna cervical:

    Por razões óbvias, a imobilização da coluna cervical ou da coluna dorsal é requerida no caso de haver suspeita de instabilidade da coluna. Isto pode requerer o uso do colar cervical para imobilização ou a colocação do aro de Gardner, se a fratura cervical tiver sido identificada.

  • Investigação de lesão intra abdominal:

    Patientes com sindrome de Brown-Sequard apresentarão diferentes níveis de perca da sensibilidade tornando-se obrigatória a investigação de lesão intra abdominal através de lavagem peritoneal ou Raio X de abdomen.

     

TRATAMENTO

Cuidados Antes do Hospital: A chave do sucesso no manuseio de um paciente com Brown-Sequard está no suspeitar precocemente de lesão medular cervical ou outra qualquer e tomar as providencias adequadas para a imobilização do paciente.

Cuidados na Sala de Emergência:

  • Uma avaliação cuidadosa deve ser a preocupação na sala de emergência inclusive um exame neurológico detalhado para verificar o nível da lesão. Imobilização cervical e dorsal devem ser arranjadas se for o caso, com a eliminação total da movimentação do pescoço.
  • A natureza da perca da sensibilidade nestes pacientes faz a investigação de outras lesões mais difíceis. Nestes casos é mandatório que o paciente passe por exame físico completo com investigação baseada em exames suplementares bastante acurados.

Pareceres Médicos:

  • O parecer médico de um neurocirurgião ou ortopedista é necessário. A prática diária deve determinar qual o melhor procedimento a ser tomado.

 

ACOMPANHAMENTO

Transferência:

  • É apropriado transferir o paciente para um Centro Especializado em Traumas onde ele poderá ser melhor assistido por especialistas em Lesão Medular. Entretanto, a transferência só deverá ser seguida após um exame clínico criterioso, inclusive buscando a possibilidade de haver outras lesões no corpo.

Complicações:

  • Todas aquelas associadas a Lesão Medular.

Prognóstico:

  • O prognóstico da sindrome de Brown-Sequard é pobre e depende muito da causa da sindrome. O tratamento precoce com altas doses de corticosteróides tem mostrado ser benéfico para pacientes portadores de Lesão Medular.

 

BIBLIOGRAFIA
  • Finelli PF, Leopold N, Tarras S: Brown-Sequard syndrome and herniated cervical disc . Spine 1992; 17(5): 598-600.
  • Hancock JB, Field EM, Gadam R: Spinal epidural hematoma progressing to Brown-Sequard syndrome: Report of a case . J Emerg Med 1997; 15(3): 309-312.
  • Kraus JA, Stuper BK, Berlit P: Multiple sclerosis presenting with a Brown-Sequard syndrome . J Neurol Sci 1998; 156(1): 112-113.
  • Stephen AB, Stevens K, Craigen MA: Brown-Sequard syndrome due to traumatic brachial plexus root avulsion . Injury 1997; 28(8): 557-558.

 

Dra. Flavia Fernandes, M.D.

 

Voltar