MOMENTO SAÚDE & FISIOTERAPIA


ESTE SITE TEM O OBJETIVO DE LEVAR INFORMAÇÕES SOBRE PATOLOGIAS QUE SE RESUMEM NO NOSSO DIA A DIA, ENTENDENDO MAIS A FUNDO O PORQUE, AS   CAUSAS, PREVENÇÕES E AS FORMAS DE TRATAMENTO, ALÉM DA IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NA REABILITAÇÃO DESTAS DOENÇAS .                                                                                                                                                                                                 





Artigo Recentemente Postado


  • NÃO DEIXEM DE CONFERIR O MOMENTO SAÚDE INFORMATIVO, LOGO MAIS A ESQUERDA NO MENU. NESTE TÓPICO, CONTÉM VÁRIAS MATÉRIAS INTERESSANTES SOBRE SAÚDE PÚBLICA.


 




TENDÃO CALCÂNEO OU TENDÃO AQUILES

images3.jpg

SEGUNDO A MITOLOGIA GREGA, O HERÓI AQUILES TINHA UM ÚNICO PONTO VULNERÁVEL EM SEU CORPO. UM PONTO FRACO HERDADO PELA HUMANIDADE AO BATIZAR O TENDÃO DE AQUILES. TENDÃO É UM TECIDO FIBROSO, COMPOSTO PRIMEIRAMENTE POR COLÁGENO, QUE CONECTA O MÚSCULO AO OSSO, SENDO RESPONSÁVEL PELA TRANSFERÊNCIA DE FORÇA ENTRE OS DOIS GERANDO O MOVIMENTO DA ARTICULAÇÃO. O TENDÃO DE AQUILES É O MAIS RESISTENTE DO CORPO HUMANO, E O MAIS SUSCETÍVEL QUE CRUZA DUAS ARTICULAÇÕES: O JOELHO E O TORNOZELO.


 

 

TENDÃO AQUILES

O que é a tendinite do calcâneo (lesão do tendão de Aquiles)?

O Tendão Calcâneo, antes conhecido por tendão de Aquiles, é uma faixa de tecido que conecta o osso do calcanhar ao músculo da panturrilha. Esse tendão é o mais potente do corpo humano.

A lesão ao tendão pode causar inflamação ou ruptura. 

Tendinite de Calcâneo é o termo usado quando o tendão fica inflamado, isso causa dor na parte posterior da perna, perto do calcanhar. 

O rompimento do tendão é chamado ruptura e também causa dor perto do calcanhar.

√ Foto ilustrativa de um Tendão de Aquiles rompido

Ruptura total – 100% rompido

images.jpg

 

 

 

 

 

images2.jpg

 

 

 

 

 

Como ocorre ?

Tendinite de Calcâneo pode ser causada por:

• Uso excessivo do tendão Calcâneo.

• Tensão dos músculos da panturrilha ou do tendão Calcâneo.

• Aumento da quantidade ou da intensidade de treinos esportivos.

• Retorno intenso dos treinos após um período de folga.

• Treino de corrida em subida.

• Alteração de local ou acessórios no treino.

• Pronação excessiva, um problema onde os pés rodam para dentro e achatam-se mais que o normal.

• Usar sapatos de salto alto para trabalhar e trocá-los por sapatos com salto baixo para exercitar-se.

O tendão calcâneo pode romper-se durante atividades repentinas. Por exemplo: O tendão pode romper-se no salto ou no início de uma corrida em alta velocidade.

Quais são os sintomas ?

A tendinite do Calcâneo causa dor e pode causar edema no tendão. A dor será mais intensa após o exercício ao levantar os dedos do pé e ao alongar o tendão.

Ao acordar é comum sentir rigidez na região do tendão. A amplitude de movimento do tornozelo poder á ficar limitada.

Quando o tendão se rompe, é normal ouvir e sentir um estalo. Nos casos de ruptura completa, será impossível levantar o calcanhar do chão e apontar com os dedos do pé para baixo.

Como é diagnosticada?

O médico examinará a perna, procurando por sensibilidade e por edema. Ele olhará os pés enquanto o paciente caminha ou corre, para perceber se existe excesso de pronação.

 

Como é tratada ?

Tratamento Fisioterapêutico

A Fisoterapia tem um papel fundamental nesse procedimento de Tendinites/Rupturas, uma vez que a eletroterapia é indispensável. (Ultra-som, Laser, Microondas (quando não se tem fixação por ãncoras ou fios de kirschner) e Ondas Curtas (quando não se tem fixação por ãncoras ou fios de kirschner). Todos tem o objetivo de aumentas a nutrição tecidual (vasodilatação), efeitos analgésicos, antiinflamatórios e principalmente regenerativos no local da lesão. Trabalho de força muscular e treinamento propioceptivo (equilíbrio) devem ser realizados numa segunda fase do tratamento, uma vez que o paciente deve estar sem dor pra realizar, e apto a desenvolver corretamente. A terceira fase do tratamento, consiste em trabalho de hipertrofia que deve ser desenvolvido em academias e ainda ser supervisionado por um Personal Trainer ou até mesmo por um Fisioterapeuta.

Todo tratamento é elaborado numa avaliação inicial e não deve se aplicar os mesmos exercícios (cinesioterapia) e os mesmos aparelhos da eletroterapia (Tônus diferentes, diabéticos, Pós vascularizados, doenças circulatórias, potência de aparelhos, protocolos de tratamento) para todas as pessoas.

O tratamento fisioterapêutico, pós avaliação detalhada do paciente, exige um protocolo individual e não deve se aplicar todos os métodos com os mesmos pacientes.

Algumas recomendações:

• Aplicação de compressas de gelo sobre o calcanhar por 8 minutos, seguidos de 3 minutos sem gelo, repetindo até completar o ciclo total de 30 minutos, por 3 ou 4 dias ou até que a dor desapareça.

• Elevação da perna sobre um travesseiro, quando estiver deitado.

• Uso de medicamentos antiinflamatórios, prescritos pelo médico.

• Uso de suplemento nos sapatos para levantar os calcanhares, se prescrito pelo médico. A suspensão previne alongamento adicional do tendão Calcâneo.

• Fisioterapia.

• Em casos severos de tendinite de Calcâneo, pode ser necessário o uso de aparelho gessado por algumas semanas.

• A ruptura do tendão pode necessitar de cirurgia ou apenas do aparelho gessado por até 10 semanas.

Durante a recuperação o esporte ou atividade, praticados anteriormente, podem precisar ser substituídas por outras que não piorem a condição. Por exemplo: Nadar ao invés de correr.

Logo mais abaixo temos alguns exercícios que estes sim podemos considerar globais e que numa fase mais avançada do tratamento (sem sentir dor) você pode desenvolver sem problemas.

Quando retornar ao esporte à atividade ?

O objetivo da reabilitação é que o retorno do paciente ao esporte ou à atividade aconteça o mais breve e seguramente possível. O retorno precoce poderá agravar a lesão, o que pode levar a um dano permanente.

Todos se recuperam de lesões em velocidades diferentes e, por isso, para retornar ao esporte ou à atividade, não existe um tempo exato, mas quanto antes o médico for consultado, melhor.

O retorno ao esporte acontecerá, seguramente, quando o paciente:

• Possuir total alcance de movimento da perna lesionada, em comparação a não lesionada.

• Possuir total força da perna lesionada, em comparação a não lesionada.

• Correr em linha reta, sem sentir dor ou mancar.

• Correr a toda velocidade em linha reta, sem sentir dor ou mancar.

• Fazer viradas bruscas a 45º, inicialmente a meia velocidade e, posteriormente, a total velocidade.

• Fazer o “8” com 18 metros, inicialmente a meia velocidade e, posteriormente, a total velocidade.

• Fazer viradas bruscas a 90º, inicialmente a meia velocidade e, posteriormente, a total velocidade.

• Fazer o “8” com 9 metros, inicialmente a meia velocidade e posteriormente a total velocidade.

• Pular com ambas as pernas e depois somente com a perna lesionada, sem sentir dor.

Como preveni-la ?

A melhor maneira de prevenir essa lesão é fazendo um bom alongamento dos músculos das panturrilhas e tendões Calcâneos antes e depois do exercício.

Quando esses tendões ou esses músculos estão tensos, deve-se fazer o alongamento duas vezes ao dia.

Se houver tendência a desenvolver tendinite no local, deve-se evitar exagerar nas corridas ascendentes (em subida).

Exercícios de reabilitação para a Tendinite do Calcâneo:

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve fazer a reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado.

A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir os objetivos, como: analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito sem a supervisão de um profissional.

1 – Alongamento Com a Toalha:

Sentar sobre uma superfície firme, com a perna lesionada estendida à frente do corpo.  

Laçar o pé com uma toalha e puxá-la, suavemente, em direção ao corpo, mantendo os joelhos estendidos.  

Manter essa posição por 30 segundos e repetir 3 vezes. 

Para um bom alongamento, é necessário sentir, apenas, um desconforto, não devendo permitir uma dor aguda.  

Quando esse alongamento for muito fácil, deve-se iniciar o alongamento da panturrilha em pé.

 

2 – Alongamento em Pé da Panturrilha:

Ficar de pé, com os braços estendidos para frente e as mãos espalmadas e apoiadas em uma parede na altura do peito.

A perna do lado lesionado deve estar, aproximadamente, 40 cm atrás da perna do lado são.

Manter o lado lesionado estendido, com o calcanhar no chão, e inclinar-se contra a parede.

Flexionar o joelho da frente até sentir o alongamento da parte de trás do músculo da panturrilha, do lado lesionado.

Manter essa posição de 30 a 60 segundos e repetir 3 vezes.

3 – Alongamento do Músculo Soleo:

Em pé, de frente para parede com as mãos na altura do peito, com os joelhos levemente dobrados e o pé lesionado para trás, gentilmente apoiar na parede até sentir alongar a parte inferior da panturrilha.  

Virar o pé lesionado levemente para dentro e manter o calcanhar no chão. 

Manter essa posição por 30 segundos e repetir 3 vezes.

4 – Alongamento da Aponevrose Plantar:

Em pé, com o ante pé lesionado na borda de um degrau e o médio pé e calcanhar sem apoiar em nada, tentar alcançar o fundo do degrau com o calcanhar até sentir o alongamento do arco do pé.

Manter por 30 segundos.

Relaxar e repetir 3 vezes.

5 – Elevação Dos Dedos do Pé:

Tirar os dedos do chão.

No início pode-se balançar para trás sobre os calcanhares, de maneira que os dedos dos pés saiam do chão, para facilitar o exercício.

Manter essa posição por 5 segundos e fazer 3 séries de 10.

6 – Elevação Dos Calcanhares:

Segurar em uma cadeira e suspender o corpo sobre os dedos dos pés, tirando os calcanhares do chão, ficando nas pontas dos pés.

Manter esta posição por 3 segundos e, lentamente, voltar à posição inicial.

Repetir 10 vezes e fazer 3 séries.

À medida que o exercício ficar fácil, levantar, apenas, o lado lesionado.


Sintan-se a vontade para questionar ou fazer perguntas sobre o tema hoje abordado.

Abraços

 

Bibliografia

√ Diego M. Izumi

√ Clinicadeckers.com.br

√ www.tuasaude.com

√ Fisionet.com.br

 

7 – Equilíbrio Sobre Uma Perna:

Ficar em pé, sem apoiar em nada e tentar equilibrar-se sobre a perna lesionada. Não deixar que o arco do pé aplaine-se, nem que os dedos do pé se dobrem.

Começar com os olhos abertos e, posteriormente, tentar fazer o exercício com os olhos fechados.

Manter a posição sobre uma única perna por 30 segundos.

Repetir 3 vezes.