Filósofos‎ > ‎

Max Weber - sociólogo

................................................................................................................
Este Website foi COPIADO INTEGRALMENTE na internet - confira AQUI 

.

BIOGRAFIA RESUMIDA

Max Weber (1864-1920) foi sociólogo e economista alemão. Escreveu o livro “A ética Protestante e o Espírito do Capitalismo”.

Nasceu em Erfurt, Turíngia, Alemanha, no dia 21 de abril de 1864. Foi nomeado professor de economia da Universidade de Heidelberg. Entre 1900 e 1918, ficou afastado do magistério em consequência de um colapso nervoso. No período que ficou afastado, colaborou em diversos jornais alemães e realizou diversas pesquisas.

Max Weber é considerado um dos fundadores da sociologia moderna, ao lado de Conte, Marx e Durkheim. Suas obras principais são “Economia e Sociedade” e “A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo”. Nesse último livro, o sociólogo realizou importante estudo sobre como a religião, especialmente o protestantismo nos EUA, foi um fator importante para a consolidação do capitalismo. Em contrapartida, Weber achava que o catolicismo tradicional poderia ser um fator impeditivo para o desenvolvimento e prosperidade econômica de países que praticavam aquela religião. Isso se devia ao fato do ideário católico pregar a condenação do lucro. Já a religião protestante possuía maior identificação com a produção de riquezas, justamente, por valorizar o mérito pessoal e o trabalho como meios de valorização espiritual.

Max Weber possui muitos seguidores, entre eles o sociólogo francês Raymond Aron, o ensaísta brasileiro José Guilherme Merquior e o escritor Sérgio Buarque de Holanda.

Faleceu em Munique, vítima de pneumonia, no dia 14 de junho de 1920.

Fonte: Local original da biografia


Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

Max Weber viveu no período em que as primeiras disputas sobre a metodologia das ciências sociais começavam a surgir na Europa, sobretudo em seu país, a Alemanha. Filho de uma família de classe média alta, com o pai advogado, Weber encontrou em sua casa uma atmosfera intelectualmente estimulante. Ainda era criança quando se mudaram para Berlim. Em 1882 foi para a Faculdade de Direito de Heidelberg. Um ano depois transferiu-se para Estrasburgo, onde prestou o serviço militar.

Em 1884 reiniciou os estudos universitários, em Göttingen e Berlim, dedicando-se as áreas de economia, história, filosofia e direito. Trabalhou na Universidade de Berlim como livre-docente, ao mesmo tempo em que era assessor do governo. Cinco anos depois, escreveu sua tese de doutoramento sobre a história das companhias de comércio durante a Idade Média. A seguir escreveu a tese "A História das Instituições Agrárias". Casou-se, em 1893, com Marianne Schnitger e, no ano seguinte, tornou-se professor de economia na Universidade de Freiburg, transferindo-se, em 1896, para a de Heidelberg.

Depois disso, passou por um período de perturbações nervosas que o levaram a deixar o trabalho. Só voltou à atividade em 1903, participando da direção de uma das mais destacadas publicações de ciências sociais da Alemanha. No ano seguinte publicou ensaios sobre a objetividade nas ciências sociais e a primeira parte de "A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo", que se tornaria sua obra mais conhecida e é de fato fundamental para a reflexão sociológica.

Em 1906 redigiu dois ensaios sobre a Rússia: "A Situação da Democracia Burguesa na Rússia" e "A Transição da Rússia para o Constitucionalismo de Fachada". No início da Primeira Guerra Mundial, Weber, no posto de capitão, foi encarregado de administrar nove hospitais em Heidelberg.

Quando a guerra terminou, mudou-se para Viena, onde deu o curso "Uma Crítica Positiva da Concepção Materialista da História". Em 1919 pronunciou conferências em Munique, publicadas sob o título de "História Econômica Geral". No ano seguinte faleceu em consequência de uma pneumonia aguda.

Local original do artigo

Na visão de Max Weber, a função do sociólogo é compreender o sentido das chamadas ações sociais, e fazê-lo é encontrar os nexos causais que as determinam. Entende-se que ações imitativas, nas quais não se confere um sentido para o agir, não são ditas ações sociais. Mas o objeto da Sociologia é uma realidade infinita e para analisá-la é preciso construir tipos ideais, que não existem de fato, mas que norteiam a referida análise.

Os tipos ideais servem como modelos e a partir deles a citada infinidade pode ser resumida em quatro ações fundamentais, a saber:

1. Ação social racional com relação a fins, na qual a ação é estritamente racional. Toma-se um fim e este é, então, racionalmente buscado. Há a escolha dos melhores meios para se realizar um fim;

2. Ação social racional com relação a valores, na qual não é o fim que orienta a ação, mas o valor, seja este ético, religioso, político ou estético;

3. Ação social afetiva, em que a conduta é movida por sentimentos, tais como orgulho, vingança, loucura, paixão, inveja, medo, etc., e

4. Ação social tradicional, que tem como fonte motivadora os costumes ou hábitos arraigados. (Observe que as duas últimas são irracionais).

Para Weber, a ação social é aquela que é orientada ao outro. No entanto, há algumas atitudes coletivas que não podem ser consideradas sociais. No que se refere ao método sociológico, Weber difere de Durkheim (que tem como método a observação e a experimentação, sendo que esta se dá a partir da análise comparativa, isto é, faz-se a análise das diversas sociedades as quais devem ser comparadas entre si posteriormente). Ao tratar os fatos sociais como coisas, Durkheim queria mostrar que o cientista precisa romper com qualquer pré-noção, ou seja, é necessário, desde o começo da pesquisa sobre a sociedade, o abandono dos juízos de valores que são próprios ao sociólogo (neutralidade), uma total separação entre o sujeito que estuda e o objeto estudado, que também pretendem as ciências naturais. No entanto, para Weber, na medida em que a realidade é infinita, e quem a estuda faz nela apenas um recorte a fim de explicá-la, o recorte feito é prova de uma escolha de alguém por estudar isto ou aquilo neste ou naquele momento. Nesse sentido, não há, como queria Durkheim, uma completa objetividade. Os juízos de valor aparecem no momento da definição do tema de estudo.

Assim foi o seu conviver com a doutrina protestante que influenciou Weber na escrita de “A ética protestante e o espírito do capitalismo”. Para esse teórico, é apenas após a definição do tema, quando se vai partir rumo à pesquisa em si, que se faz possível ser objetivo e imparcial.

Compare-se Durkheim e Weber, agora do ponto de vista do objeto de estudo sociológico. O primeiro dirá que a Sociologia deve estudar os fatos sociais, que precisam ser: gerais, exteriores e coercitivos, além de objetivos, para esta ser chamada corretamente de “ciência”. Enquanto o segundo optará pelo estudo da ação social que, como descrita acima, é dividida em tipologias. Ademais, diferentemente de Durkheim, Weber não se apoia nas ciências naturais a fim de construir seus métodos de análises e nem mesmo acredita ser possível encontrar leis gerais que expliquem a totalidade do mundo social. O seu interesse não é, portanto, descobrir regras universais para fenômenos sociais. Mas quando rejeita as pesquisas que se resumem a uma mera descrição dos fatos, ele, por seu turno, caminha em busca de leis causais, as quais são suscetíveis de entendimento a partir da racionalidade científica.

Por João Francisco P. Cabral

Colaborador Brasil Escola

Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Mestrando em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Local original do artigo



1. A SOCIOLOGIA DE MAX WEBER (1864 - 1920)

2. “ cada sociedade é um conjunto de individualidade sociocultural formada de componentes historicamente agrupados” Max Weber entendia que o objeto de estudo é apenas um fragmento finito da realidade. Assim, concorda com a impossibilidade de entender os fenômenos sociais em sua totalidade. Assim, Weber desenvolveu uma ferramenta de investigação chamada TIPO IDEAL. Escolha, por parte do cientista, de elementos considerados mais relevantes.  Estatística e História tem grandeà valor. Relação Social: “probabilidade que uma determinada conduta tenha seu sentido compartilhado por diversos agentes” .

3. O pensamento alemão surge contraste ao positivismo: Idealismo: possui um caráter observativo de cada formação social. Externa Max Weber Critica a proposta de “coisificação” Coercitiva (1864-1920) da sociedade. Generalizada é resultado de uma enorme e inesgotável interação entre os indivíduos. O Ponto central da sociologia de Weber é a ação social. Significado da ação se encontra em suas conseqüências Ação Social: todo comportamento cuja origem depende da reação ou expectativa de outras partes envolvidas. È o indivíduo que, por meio dos valores sociais e sua motivação, produz o sentido da ação social.


4. Tipologia das ações sociais. Ação racional com relação valores: Está associada à fidelidade aos valores individuais (ético/religioso), aos princípios do indivíduo.Ação emocional/afetiva: é definida por uma reação emocional ou humor do sujeito.Ação Tradicional: aquele estabelecido pela crença nos hábitos e/ou costumes.Ação racional com relação a fins:determinada pelo calculo racional previamente definido; objetivo.

5. EXEMPLOS: [Relaxar ao Domingos. Ação Tradicional]  [A utilização de talheres Comemorar a vitória de um time Ação Afetiva]  [Mãe maltrata seu filho ao corrigi-lo Ação Racional]  [Ir a Igreja com Relação a A escolha de um partido político valores Ação Racional]  [Transações econômicas com relação a Buscar uma aprovação em um concurso Fins]


6. AS AÇÕES PODEM SER COMPLEXAS AÇÃO COM PROFESSOR AÇÃO AFETIVARELAÇÃO A FINS. Prazer em ensinar Receber um seus alunos Salário AÇÃO AÇÃO RELACIONADA A TRADICIONAL VALORES Presença de um A importância grande número atribuída a de professores Educação. na família.

7. WEBER E A POLÍTICA Weber buscou a separação entre ciência e ideologia. POLÍTICA A esfera política é irracional. CIÊNCIA A ciência é racional e influenciada pela paixão.imparcial. O cientista busca a É a luta pelo poder dentro do Estado.verdade e se mantém fiel a Capacidade de impor sua vontade aela. Deve-se buscar a ciência como outros grupos vocação.


8. SOCIOLOGIA POLÍTICA Para Weber a finalidade ideal da ação política é a instituição e perpetuação do PODER “Probabilidade de impor a própria vontade dentro de uma relação social” DOMINAÇÃO “Probabilidade de encontrar obediência dentro de um grupo a um certo mandato” Dominação Obediência relacionada a suas qualidades virtuosas, carisma. carismática  Mahatma Gandhi / Napoleão Dominação Prevalece através da tradição: “Senhor ordena e súditos obedecem” tradicional  Monarquia / direito divino do tronoà Legitimada através de um estatuto (constituição / leis) que confere Dominação poder ao dominador. legal  Eleições presidenciaisà

9. A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO. Nesta obra Weber investigou as conexões existentes ente o protestantismo e o comportamento de seus adeptos em relação ao capitalismo moderno. Protestantes Católicos• Propensão ao trabalho • “alheamento” material• Poupança • Vida voltada ao sacrifício• Ensino voltado para o lucro • Fatores decisivos sobre os indivíduosàrenúncia da vida prática. Resultam na não acumulação de bens Weber mostra que a moral (hábitos/costumes/valores) é determinante no mundo capitalista,  a procura racional do lucro.


FONTE: http://www.slideshare.net/alisonunes/a-sociologia-de-max-weber




Comments