Os sofistas


 

Fonte: mundo dos filósofos (site).

 

-      Século IV a.C.

-      O segundo período da história do pensamento grego é o chamado período sistemático.

-      Com efeito, nesse período realiza-se a sua grande e lógica sistematização, culminando em Aristóteles, através de Sócrates e Platão.

-            Estudaremos os sofistas e Sócrates.

 

A Sofística

 

            A época de ouro da sofística foi - pode-se dizer - a segunda metade do século V a.C. O centro foi Atenas, a Atenas de Péricles, capital democrática de um grande império marítimo e cultural.

 

Os sofistas maiores foram quatro. Os menores foram uma plêiade, continuando até depois de Sócrates, embora sem importância filosófica. Protágoras foi o maior de todos, chefe de escola e teórico da sofística.

 

Em coerência com o ceticismo teórico, destruidor da ciência, a sofística sustenta o relativismo prático, destruidor da moral.

 

Górgias declara plena indiferença para com todo moralismo: ensina ele a seus discípulos unicamente a arte de vencer os adversários; que a causa seja justa ou não, não lhe interessa.

 

Os sofistas estabelecem uma oposição especial entre natureza e lei (política e moral).

A lei: é arbitrária, interessada, mortificadora, uma pura convenção.

A natureza: não é a natureza humana racional, mas a natureza humana sensível, animal, instintiva.

 

Os sofistas achavam, grosso modo, que o conceito de justiça e de injustiça variava de cidade-estado para cidade-estado e de geração para geração. A questão da justiça e da injustiça seria, portanto, algo "fluido".

 

Não é verdade - dizem - que a submissão à lei torne os homens felizes, pois grandes malvados, mediante graves crimes, têm freqüentemente conseguido grande êxito no mundo e, aliás, a experiência ensina que para triunfar no mundo, não é mister justiça e retidão, mas prudência e habilidade.

A realização da humanidade perfeita, segundo o ideal dos sofistas, não está na ação ética e ascética, no domínio de si mesmo, na justiça para com os outros, mas no engrandecimento ilimitado da própria personalidade, no prazer e no domínio violento dos homens.

Seria um prejuízo, segundo os sofistas, a igualdade moral entre os fortes e os fracos, pois a verdadeira justiça conforme à natureza material, exige que o forte, o poderoso, oprima o fraco em seu proveito.

Quanto ao direito e à religião, a posição da sofística é extremista também, como na epistemologia e na moral.

A sofística move uma justa crítica, contra o direito positivo, muitas vezes arbitrário, contingente, tirânico, em nome do direito natural (lei da natureza).

 

Protágoras de Abdera

 

- Protágoras nasceu em Abdera - pátria de Demócrito , cuja escola conheceu - pelo ano 480.

- Viajou por toda a Grécia, ensinando na sua cidade natal, na Magna Grécia, e especialmente em Atenas, onde teve grande êxito, sobretudo entre os jovens, e foi honrado e procurado por Péricles e Eurípedes.

- Acusado de ateísmo, teve de fugir de Atenas, onde foi processado e condenado por impiedade, e a sua obra sobre os deuses foi queimada em praça pública.

- Refugiou-se então na Sicília, onde morreu com setenta anos (410 a.C.).

- Protágoras defendeu a relatividade do conhecimento.

- O homem é a medida de todas as coisas.

- Subjetivismo, relativismo e sensualismo são as notas características do seu sistema de ceticismo parcial.

 

Górgias de Leôncio

 

- Górgias nasceu em Abdera, na Sicília, em 480-375 a.C - correlacionado com Empédocles - representa a maior expressão prática da sofística, mediante o ensinamento da retórica; teoricamente, porém, foi um filósofo ocasional, exagerador dos artifícios da dialética eleática.

- Em 427 foi embaixador de sua pátria em Atenas, para pedir auxílio contra os siracusanos.

- Ensinou na Sicília, em Atenas, em outras cidades da Grécia, até estabelecer-se em Larissa na Tessália, onde teria morrido com 109 anos de idade.

- Partiu dos princípios da escola eleata e concluiu pela absoluta impossibilidade do saber.

- É autor duma obra intitulada  "Do não ser", na qual desenvolve as três teses: Nada existe; se alguma coisa existisse não a poderíamos conhecer; se a conhecêssemos não a poderíamos manifestar aos outros.

 

Questões sobre os sofistas

 

1) Como é chamado o segundo período da história do pensamento grego?

 

2) O que foi a sofística e em que período ela está situada?

 

3) O que os sofistas pensavam sobre as leis?

 

4) O que os sofistas pensavam sobre a relação entre os fortes e os fracos?

 

5) Cite o nome de dois grandes sofistas.

 

6) Em que cidade e em que ano protágoras nasceu?

 

7) Explique o seguinte trecho atribuido à Górgias:

 

Nada existe; se alguma coisa existisse não a poderíamos conhecer; se a conhecêssemos não a poderíamos manifestar aos outros.


Atenas

 

Fonte: O mundo de Sofia

            Wikipedia

 

- Ágora: Ágora era a praça principal na constituição da pólis, a cidade grega da Antigüidade clássica. Normalmente era um espaço livre de edificações, configurada pela presença de mercados e feiras livres em seus limites, assim como por edifícios de caráter público. Enquanto elemento de constituição do espaço urbano, a ágora manifesta-se como a expressão máxima da esfera pública na urbanística grega, sendo o espaço público por excelência. É nela que o cidadão grego convive com o outro, onde ocorrem as discussóes políticas e os tribunais populares: é, portanto, o espaço da cidadania. Por este motivo, a ágora (juntamente da pnyx, o espaço de realização das assembléias) era considerada um símbolo da democracia direta, e, em especial, da democracia ateniense, na qual todos os cidadãos tinham igual voz e direito a voto. A de Atenas, por este motivo, também é a mais conhecida de todas as ágoras nas polei da antiguidade.

- Acrópole: Significa fortaleza, ou mais especificamente “cidade na colina”.

- Partenon: “Morada das virgens”. Foi construído em honra da deusa “Atena”, a deusa protetora de Atenas. Esta grande obra de mármore não apresenta nenhuma linha reta, todos os lados apresentam uma ligeira curvatura. A única coisa que havia no interior deste enorme edifício era uma estátua de Atena, com doze metros de altura. O mármore branco, que estava pintado de cores vivas, foi retirado de uma montanha a dezesseis quilômetros de distância...

- O antigo teatro de Dioniso: É provavelmente o teatro mais antigo da Europa. Neste teatro foram representadas as peças dos grandes dramaturgos “Ésquilo, Sófocles” e “Eurípides”, ainda no período em que Sócrates viveu. A tragédia Édipo Rei de Sófocles estreou neste teatro. A parede de pedra em que os atores entravam em cena. Chamava-se “skenê”, e dela deriva a nossa palavra "cena". A palavra grega “teatro” deriva de um termo grego antigo que significava "ver".

- Areópago: Ficava numa colina e era onde funcionava o supremo tribunal de Atenas. Neste tribunal eram tratados os casos de Homicídio. Vários séculos mais tarde, esteve neste lugar o apóstolo Paulo e falou aos atenienses sobre Jesus e o cristianismo.

- Na primeira metade do sec. V a. C. Houve uma guerra sangrenta contra os persas e em 480 a. C. Xerxes mandou saquear Atenas e atear fogo em todas as construções de madeira. No ano seguinte os persas foram derrotados e então começou a época áurea de Atenas.

 

Comments