Exame Nacional - Conteúdos




Conteúdos

MÓDULO II – A AÇÃO HUMANA E OS VALORES

Unidade 1. A ação humana — análise e compreensão do agir

1.1. A rede conceptual da ação

– a distinção entre ação e acontecimento;

a distinção entre voluntário e involuntário;

a articulação entre deliberação e decisão racional.

Vale a pena consultar este resumo:


1.2. Determinismo e liberdade na ação humana

discussão das posições fundamentais de resposta ao problema da relação entre determinismo

e livre-arbítrio: o determinismo radical, o determinismo moderado e o libertismo.

Unidade 2. Os valores — análise e compreensão da experiência valorativa

2.1. Valores e valoração — a questão dos critérios valorativos

a distinção entre juízo de facto e juízo de valor;

discussão das perspetivas seguintes: a subjetividade, a relatividade e a objetividade dos

juízos de valor.

Consultar:

https://sites.google.com/site/filosofarliberta/teste-intermedio/valores01.png

http://filosofarliberta.blogspot.pt/2015/02/o-problema-da-natureza-dos-valores.html


Unidade 3. Dimensões da ação humana e dos valores

3.1. A dimensão ético-política — Análise e compreensão da experiência convivencial

3.1.3. A necessidade de fundamentação da moral: análise comparativa de duas perspetivas filosóficas



A ética deontológica de I. Kanto dever e a lei moral; a boa vontade; máxima;  imperativo hipotético e imperativo categórico;  heteronomia e autonomia da vontade;  agir em conformidade com o dever e agir por dever;  o critério de moralidade segundo Kant;  a dignidade da pessoa segundo Kant;  críticas à ética de Kant.

- A ética utilitarista de J. S. Mill: intenção e consequências; o critério de moralidade segundo J. S. Mill: o princípio da utilidade; a felicidade; prazeres inferiores e prazeres superiores; a ausência de regras morais absolutas; críticas à ética de J. S. Mill

Kant e Stuart Mill: qual o critério de moralidade? 

Atividades: 

A Ética Deontológica de Kant  

Kant - Ficha Formativa

Ficha Formativa: o Utilitarismo de J. Stuart Mill

Questões de Exame: Kant e Stuart Mill

3.1.4. Ética, direito e política – liberdade e justiça social; igualdade e diferenças; justiça e equidade

- A articulação entre ética e direito;

O Problema da Justiça

- O problema da relação entre liberdade política e justiça social:

A teoria da justiça de Rawlsa posição original e o véu de ignorância; a justiça como equidade; os princípios da justiça; a regra maximin; o contratualismo e a rejeição do utilitarismo;

As críticas à teoria de Rawls.

Atividades: 

A Teoria da Justiça de Rawls - ficha de exploração

Teste Modelo:

O utilitarismo/ Confronto Kant - Stuart Mill/ A Política e o Direito/ A teoria da Justiça de Rawls


Opção por 3.2. ou por 3.3.


3.2. A dimensão estética — análise e compreensão da experiência estética

3.2.1. A experiência e os juízos estéticos

discussão do carácter subjetivo ou objetivo dos juízos estéticos.

3.2.2. A criação artística e a obra de arte

o problema da definição de arte;

discussão das teorias da imitação, expressivista e formalista.


3.3. A dimensão religiosa — análise e compreensão da experiência religiosa

3.3.1. A religião e o sentido da existência — a experiência da finitude e a abertura à transcendência

– a resposta religiosa à questão do sentido da existência;

– perspetivas não religiosas sobre o sentido da existência.

3.3.3. Religião, razão e fé — tarefas e desafios da tolerância

– uma das provas da existência de Deus;

– uma das críticas à perspetiva religiosa.


MÓDULO III - RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA

Unidade 1. Argumentação e lógica formal

1.1. Distinção validade - verdade

- A lógica como estudo da validade dos argumentos;

- Noções de proposição, argumento, premissa, conclusão e argumento válido e argumento sólido.

Opção pelo Percurso A ou pelo Percurso B

PERCURSO A — Lógica Aristotélica

1.2. Formas de inferência válida

- Caracterização da linguagem da lógica silogística com as suas quatro formas;

- Definição e estrutura do silogismo categóricotermos maior, menor e médio e premissas maior e menor;

- Classificação dos silogismos categóricos em figuras e modos;

- Distribuição dos termos nas proposições categóricas;

- Regras de validade do silogismo categórico.

1.3. Principais falácias (Falácias formais e Falácias informais)

- Falácias formais: falácia do termo não distribuído, ilícita maior e ilícita menor.

Atividades: 

Exercícios - Silogismo (I)

Exercícios - Silogismo (I) - Correção

Exercícios - Silogismo (II)

Exercícios - Silogismo (II) - Correção

Silogismo - Exercícios (III) - (Preparação teste intermédio/exame)

Teste:

Teste - Silogismo

Teste_silogismo_correção.docx

PERCURSO B — Lógica Proposicional

1.2. Formas de inferência válida

- Caraterização da linguagem da lógica proposicional com as cinco conectivas: «não», «e», «ou», «se… então», «se e somente se»;

- Formalização de frases e de argumentos; prática de interpretação de fórmulas;

- Funções de verdade e uso de tabelas de verdade para testar a validade de argumentos;

- Formas de inferência válida: modus ponens, modus tollens, contraposição, silogismo disjuntivo, silogismo hipotético e leis de De Morgan.

1.3. Principais falácias

- falácias formais: afirmação da consequente e negação da antecedente.

 

Unidade 2. Argumentação e retórica

2.1. O domínio do discurso argumentativo — a procura de adesão do auditório

- A distinção entre demonstração e argumentação;

- A relação necessária ao auditório no discurso argumentativo.

A distinção entre Ethos, Pathos e Logos

Documento-Síntese sobre a Lógica Informal

2.2. O discurso argumentativo — principais tipos de argumentos e de falácias informais

- Critérios para avaliar argumentos indutivos, por analogia e de autoridade;

- Falácias informais: petição de princípio, falso dilema, apelo à ignorância, ad hominem, derrapagem (ou bola de neve) e boneco de palha (ou espantalho).

Unidade 3. Argumentação e Filosofia

3.1. Filosofia, retórica e democracia

- A retórica no contexto da democracia ateniense: o confronto entre a perspetiva dos sofistas e a de Platão.

3.2. Persuasão e manipulação ou os dois usos da retórica

- A crítica filosófica aos usos da retórica. O bom uso e o mau uso da Retórica e  a ética argumentativa.

3.3. Argumentação, verdade e ser

- A argumentação filosófica e o seu vínculo à procura da verdade.

 

Módulo IV - O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

Unidade 1. Descrição e interpretação da atividade cognoscitiva

1.1. Estrutura do ato de conhecer

- O conhecimento como relação entre um sujeito e um objeto;

- Discussão da definição tradicional deconhecimento como crença verdadeira justificada.

1.2. Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento

- a distinção entre conhecimento a priori e conhecimento a posteriori

- O racionalismo de Descartesa dúvida metódica; o cogito; como Descartes ultrapassa o cepticismo; a clareza e a distinção das ideias como critério de verdade; o papel da existência de Deus; críticas a Descartes.

- O empirismo de D. Hume impressões e ideias; questões de facto e relações de ideias; a relação causa-efeito; conjunção constante, conexão necessária e hábito; o problema da indução; críticas a Hume.

Atividades: 

Ficha Formativa - Descartes (Escolha múltipla)

Teste:

Teste 2014


Unidade 2. Estatuto do conhecimento científico

2.1. Conhecimento vulgar e conhecimento científico

- A relação entre o senso comum e a ciência – discussão do valor do senso comum e da ciência como formas de conhecimento.

Senso comum e conhecimento científico

2.2. Ciência e construção – validade e verificabilidade das hipóteses

- As conceções indutivista e falsificacionista do método científico:

   O indutivismo clássicoo papel da observação e da experimentação; verificação e verificabilidade; a confirmação de teorias;

   O falsificacionismo de Popperposição perante o problema da indução; falsificação e falsificabilidade; conjeturas e refutações; a corroboração de teorias. O Método Hipotético-Dedutivo

2.3. A racionalidade científica e a questão da objetividade

- As perspetivas de Popper e de Kuhn sobre a evolução e a objetividade do conhecimento científico:

   A perspetiva de Poppereliminação do erro e seleção das teorias mais aptas; progresso do conhecimento e aproximação à verdade; críticas a Popper;

A Falsificabilidade como Critério de Demarcação

  A perspetiva de Kuhnciência normal e ciência extraordinária; revolução científica; a teseda incomensurabilidade dos paradigmas; a escolha de teorias; críticas a Kuhn.



Atividades: 

 Filosofia da Ciência - Ficha Formativa

Os conteúdos e as capacidades relativos ao módulo inicial do Programa, nomeadamente à subunidade «A dimensão discursiva do trabalho filosófico», embora não incluídos nas Orientações, poderão, dada a sua natureza transversal, ser mobilizados em articulação com os que são relativos aos módulos sujeitos a avaliação.



Comments