Exame Nacional - Conteúdos


I. ABORDAGEM INTRODUTÓRIA À FILOSOFIA E AO FILOSOFAR 
Racionalidade argumentativa da Filosofia e a dimensão discursiva do trabalho filosófico.
 
O que é a filosofia? Caracterizar a filosofia como uma atividade conceptual crítica. 

Vídeo do YouTube


A natureza da filosofia



As questões da filosofia Clarificar a natureza dos problemas filosóficos. 


Tese, argumento, validade, verdade e solidez.

Explicitar os conceitos de tese, argumento, validade, verdade e solidez. 
Operacionalizar os conceitos de tese, argumento, validade, verdade e solidez, usando-os como instrumentos críticos da filosofia. 




Quadrado da oposição. 
Aplicar o quadrado da oposição à negação de teses. 

Introdução à Lógica



Formas de inferência válida 
Explicitar em que consistem as conectivas proposicionais de conjunção, disjunção (inclusiva e exclusiva), condicional, bicondicional e negação. 
Aplicar tabelas de verdade na validação de formas argumentativas. Aplicar as regras de inferência do Modus Ponens, do Modus Tollens, do silogismo hipotético, das Leis de De Morgan, da negação dupla, da contraposição e do silogismo disjuntivo para validar argumentos.

Apresentação: Lógica Proposicional


Principais falácias formais.
Identificar e justificar as falácias formais da afirmação do consequente e da negação do antecedente.

O discurso argumentativo e principais tipos de argumentos e falácias informais.
Clarificar as noções de argumento não-dedutivo, por indução, por analogia e por autoridade. 
Construir argumentos por indução, por analogia e por autoridade. 
Identificar, justificando, as falácias informais da generalização precipitada, amostra não representativa, falsa analogia, apelo à autoridade, petição de princípio, falso dilema, falsa relação causal, ad hominem, ad populum, apelo à ignorância, boneco de palha e derrapagem.

a) Petição de princípio;
b) falso dilema;
c) apelo à ignorância.
d) ad hominem; 
e) derrapagem (ou “bola de neve”);
f) boneco de palha. 


II. A AÇÃO HUMANA E OS VALORES
A ação humana — análise e compreensão do agir

Determinismo e liberdade na ação humana [Metafísica].
Formular o problema do livre-arbítrio, justificando a sua pertinência filosófica.
Enunciar as teses do determinismo radical, determinismo moderado e libertismo enquanto respostas ao problema
do livre-arbítrio.
Discutir criticamente as posições do determinismo radical, do determinismo moderado e do libertismo e respetivos argumentos.

https://sites.google.com/view/livre-arbitrio/o-problema-do-livre-arb%C3%ADtrio?pli=1


A dimensão ético-política - análise e compreensão da experiência convivencial [Ética].
A dimensão pessoal e social da ética

Enunciar o problema da natureza dos juízos morais, justificando a sua relevância filosófica.
Caracterizar o conceito de juízo moral enquanto juízo de valor.
Clarificar as teses e os argumentos do subjetivismo, do relativismo e do objetivismo enquanto posições filosóficas sobre a natureza dos juízos morais.

A necessidade de fundamentação da moral - análise comparativa de duas perspetivas filosóficas.
O problema do critério ético da moralidade de uma ação.

Introdução à Ética



A  ética deontológica de Kant:
  • O dever e a lei moral;
  • A boa vontade;
  • Máxima, imperativo hipotético e
  • imperativo categórico; Heteronomia e
  • autonomia da vontade;
  • Agir em conformidade com o dever e agir
  • por dever; 
  • Críticas à ética de Kant.

A ética utilitarista de Mill:

  • A intenção e consequências; 
  • o princípio da utilidade;
  • A felicidade; prazeres inferiores e prazeres superiores;
  • A inexistência de regras morais absolutas;
  • Críticas à ética de Mill.

Teorias éticas





Ética, direito e política — liberdade e justiça social.

O problema da organização de uma sociedade justa.

A teoria da justiça de John Rawls:

  • A posição original e o véu de ignorância; 
  • A justiça como equidade;
  • Os princípios da justiça;
  • A regra maximin; o contratualismo e a rejeição do utilitarismo;
  • As críticas comunitarista (Michael Sandel) e libertarista (Robert Nozick) a Rawls.

Justiça_simplificado.pptx


Teoria da Justiça de Rawls


Vídeo do YouTube


Vídeo do YouTube






Módulo IV — O conhecimento e a racionalidade científica e tecnológica.
Descrição e interpretação da atividade cognoscitiva [Filosofia do Conhecimento]


Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento

Formular o problema da justificação do conhecimento, fundamentando a sua pertinência filosófica.




O problema da possibilidade do conhecimento: o desafio cético.


Descartes, a resposta racionalista.
  • a dúvida metódica; 
  • o cogito (a priori); 
  • a clareza e
  • a distinção das ideias como critério de verdade; 
  • papel da existência de Deus.

Descartes




Hume, a resposta empirista.
  • impressões e ideias (a posteriori); 
  • questões de facto e relações de ideias; 
  • a relação causa-efeito;
  • conjunção constante, conexão necessária e hábito;
  • o problema da indução.
https://sites.google.com/view/ateoriadedavidhume/p%C3%A1gina-inicial





O estatuto do conhecimento científico [Filosofia da Ciência]

Ciência e construção — validade e verificabilidade das hipóteses 

O problema da demarcação do conhecimento científico. 
Distinção entre teorias científicas e não científicas. 
O problema da verificação das hipóteses científicas.


https://sites.google.com/view/aepistemologia/p%C3%A1gina-inicial


O papel da indução no método científico.
O papel da observação e da experimentação; verificação e verificabilidade; a confirmação de teorias.
Popper e o problema da justificação da indução.
O falsificacionismo e o método de conjeturas e refutações.
Posição perante o problema da indução; falsificação e falsificabilidade; conjeturas e refutações; a corroboração de teorias.

Vídeo do YouTube


Vídeo do YouTube



Vídeo do YouTube




A racionalidade científica e a questão da objetividade.
O problema da evolução da ciência e da objetividade do conhecimento: as perspetivas de Popper e Kuhn.

A perspetiva de Popper — eliminação do erro e seleção das teorias mais aptas; progresso do conhecimento e aproximação à verdade;

A perspetiva de Kuhn — ciência normal e ciência extraordinária; 
Revolução científica; 
A tese da incomensurabilidade dos paradigmas; 
A escolha de teorias.


https://sites.google.com/view/a-epistemologia-karl-popper/p%C3%A1gina-inicial


Vídeo do YouTube



A perspetiva de Kuhn — ciência normal e ciência extraordinária; 
Revolução científica; 
A tese da incomensurabilidade dos paradigmas; 
A escolha de teorias.




A dimensão estética — análise e compreensão da experiência estética [Filosofia da Arte]

Teorias não essencialistas: a teoria institucional e a teoria histórica.
Formular o problema da definição de arte, justificando a sua importância filosófica.
Avaliar a ideia de que a arte é definível e as propostas de definição apresentadas.
Identificar e classificar como essencialistas ou não essencialistas diferentes posições sobre a definição de
arte.
Clarificar os conceitos nucleares, as teses e os argumentos das teorias da arte como representação, arte como expressão, arte como forma, teoria institucional e teoria histórica.
Analisar criticamente cada uma destas propostas de definição de arte.

Vídeo do YouTube


https://www.slideshare.net/espanto.info/teorias-esteticas-48482718


As teorias não essencialistas:



A dimensão religiosa — análise e compreensão da experiência religiosa [Filosofia da Religião]
Religião, razão e fé 

O problema da existência de Deus. 
O conceito teísta de Deus. 
Argumentos sobre a existência de Deus: cosmológico e teleológico (Tomás de Aquino); 
O argumento ontológico (Anselmo). 
O fideísmo de Pascal. 
O argumento do mal para a discussão da existência de Deus (Leibniz).

https://sites.google.com/view/filosofia-da-religio/p%C3%A1gina-inicial?pli=1




Comments