Introdução




(
… ) não somos suficientemente subtis para nos apercebermos do escoamento  provavelmente absoluto do devir; o permanente existe graças aos nossos  órgãos grosseiros que resumem  e reduzem as coisas a planos comuns, quando nada  existe sob essa forma.
A árvore é a cada instante uma coisa nova; nós afirmamos a forma porque  não captamos a subtileza de um movimento absoluto".  

Nietzsche

 



A qualidade de me ser íntima
Quase desde o estado embrionário
Com a cor
Tê-la como física
Quente e texturada
Negando o facto de ser unicamente luz num prisma

Dispô-la                                                                    
Nos diferentes materiais                                
Sempre e de forma instintiva                                    
Por complementares                            
Por contraste
A mesma cor que
Se faz carne de um corpo anónimo
Que o deixa exposto
Que o torna físico
Presente
Ou de um rosto
Polido e enrugado

A mesma cor que
Nos objectos-metáfora
É suturas
Rasgos na carne
Veias vísceras
E adiposo




E que numa fase final
Agrafa
Cose
E
Funde
As massas impares e nervosas de pano

A qualidade de me ser íntima
Quase visceralmente
Com a textura
Do todo
De tudo
E procurar
Desenfreada e persistentemente
O seu registo
Um registo monocromático
Nostálgico

É a qualidade que
Tanto cor como textura
Têm de tornar rica
A mais imperceptível coisa
E é
Em conclusão
O coisificar as sensações que
Essa coisa
Provoca em mim


Filipa Soares
 





 












Comments