.................................................................................................................


página inicial                                                                                      Faça parte deste mundo feito de lenda, verdade, meia-verdade, meia-mentira...

 

Calvin e os Bibiotecários

:: leandro constancio

 - você é repetitivo e literário.
- o que é ser literário?
- às vezes acho que você é um personagem, ou pelo menos acha ser.
usa frases bonitas e corretas qual saídas de livro velho de poesia.

- assim como você agora.
- ah, e essas suas respostas tão diretas e contundentes que parecem
pré-fabricadas, saídas de roteirista para cena antes de um beijo em
banco de praça em filme europeu.

- prefiro hollywood.
- duvido.
- minha vida é filme de catálogo, com descontos na locação e fita embolorada.
- onde se arranja uma fita de vídeo hoje em dia?
- perguntas difíceis não me agradam.
- mas você sempre tem respostas.
- às vezes o silêncio é a melhor delas.

- essa conversa parece livro de contos. ou episódio de seriado romântico
- repetido.

: .mensonge

orádio-relógiodespertaaltopra caralho (até que eu baixe) e pega uma fala do Zé Paulo no Pulo do Gato, 'a Prefeitura alterou a mão da rua do estacionamento do shopping Santa Cruz, entre as ru...', me preparo para o meu mundo, onde tudo é tão mais simples: escovada nos dentes, lentes míopes nos olhos e a primeira camiseta não-futebolística (ou mais ou menos isso) no corpo.

O Zé chama o Milton Neves, atraso sessenta segundos para ouvir uma bobeira esportiva. e então ligo meu próprio rádio, mal sintonizado, sem muitos ouvintes, mas com uma programação particular - uma piada pra contar, uma garota de ipanema pra sonhar ou um sonho a ver de fato.

até a redação são dez minutos, meia dúzia de semáforos religiosamente vermelhos.

o horário é menos comercial que o usual, até que me sinto bem. embaralhado de idéias mal terminadas e outras bem começadas, notícias jogadas ao vento eletrônico e pautas e mais pautas em forma de bloco de notas. no meio tempo me pego pensando nas minha mania de não pensar em nada, olhar fixamente prum ponto e questionar minhas razões de estar ali. auto-crítica constante, mútua, com um eu mesmo que está não sei bem onde.

até o campus, mais uma meia-hora de rádio bandeirantes, o vento já não sopra o cabelo que tratei de aparar. sofro de excessiva nostalgia crônica, e já me recordo do romântico passo anterior como se tivesse sido o último. preciso viver de agora, vinte e seis minutos de mais uma terça amena, novidades poucas, muita água e um comprimido que me faça gritar em overdosede coragem.

: .mensonge

PETROBRÁ$

O aumento de produção decorrente dos investimentos, associado à elevação
do preço internacional do petróleo, levaram o lucro da Petrobras a mais que triplicar.
Foi de R$ 8 bilhões em 2002 para R$ 25,9 bilhões ano passado.
(Agência Brasil)

o Brasil quer entrar para a OPEP.
mas os brasileiros ainda pagam R$ 2,40 o litro da gasolina.
os venezuelanos não gastam mais de vinte centavos pelo mesmo produto.

: .mensonge

a última mentira

me fascinavam os epitáfios.
tua última frase para o mundo.
um recado para o amigo, o parente, o coveiro, o incauto que leia tua tumba.

bukowski, o grande maldito, foi duro e cruel, como em sua prosa seca.
don´t try. nem tente.

o paulistano cláudio colello acertou a mão.

qual seria o seu?

:: .mensonge

.para a Copa de 2014

Sessenta quatro anos depois, a Copa está de volta ao Brasil. Conte aí quatro gerações marcantes de torcedores: os do próprio Maracanazzo; os de Gérson, Rivelino, Tostão, Pelé e Jairzinho; os de Telê, vítimas do italiano Rossi; e os atuais, que viram o surgimento de um novo conceito de Seleção Brasileira após o título de 94 e a explosão dos brasileiros estrangeiros.

O fato é que cabe sim uma empolgação, sem exageros. Afinal, a essência do acontecimento é inegavelmente gigantesca: o maior evento do planeta estará aqui, no seu quintal, daqui oitenta meses. Pense aí no teu emprego, no crescimento do teu filho, na projeção de já ter quitado a casa ou o carro, na possibilidade de estar vivendo na capital.

O principal problema é que os opositores têm sim certa razão, e o futebol paga a conta. A irresponsabilidade fiscal dos governantes, a falta de planejamento nas políticas públicas e a porra da corrupção mancham a beleza e o charme da reunião mundial em volta de um gramado de cento e pouco por quase setenta metros.

A Copa é do Brasil sim, que bom. Primeiro, a arte: é a chance de acompanharmos o esporte mais praticado, uma competição que envolve talento, vontade, amor, raça. Estádios cheios, torcedores de todos os continentes, hinos, camisas e bandeiras parando trabalhos, escritórios e faróis de trânsito.

Agora, o país: fica a esperança de que a Copa traga consequências efetivas para a população. Se os críticos julgam que 'ah, só na Copa para o governo propor reformas', que elas sejam bem feitas e duradouras, justas, bem gerenciadas e dentro do orçamento real.

Infelizmente não há maneira de separar a irresponsabilidade de CBF e Governo com a beleza do jogo. Resta torcer para que o Brasil seja campeão em ambos os campos.

:: .mensonge

Questão Dialética

A vida meu caros,

A vida, o movimento, o logos,
a transformação da matéria potência
ao ato, são grandes temas abordados
desde a antiguidade clássica até nossos
dias – se é que devo concluir desta forma...

Mas sobretudo e sinteticamente,
a vida meus caros amigos, é um verdadeiro jogo de xadrez,
onde cada peça deve ser analisada com cuidado e acima de tudo,
PRECISÃO...

Quando dizem não ás grandes questões da
humanidade, é por que o sim é o seu
contrario inevitável que causa temor aos
beneficiados pelo que já nasceu podre.

Quando dizem não, é por que o sim
deve ser conquistado pela força.

Quando dizem não, é porque
onde está o Diabo está Deus.

O pensamento deve ter precisão.

Lincoln Salles de Souza Costa

:: renan gouveia

geração bolso

A memória contemporânea.

O dela guarda o batom, o registro geral, umas notas avulsas para o flanelinha e o cartão de crédito. No traseiro a aliança de casamento, um anticoncepcional e umas aspirinas, em meio às entradas para o cinema. O dele tem a carteira, socada, e umas moedas do troco do estacionamento. Ainda houve espaço para aquele trevo de quatro folhas, o celular sem bateria e as chaves do carro, de casa.

Me lembro que num passado nem tão distante, tinha medo deles. Tão inseguros, será que resistem ao peso de carregar o mês de trabalho, o número dela ou a senha do banco? O quão responsável são esses de jeans, caros ou de brechó, aqueles de moletom, fundos, de pano, ou então os de bermuda, caídos, leves, eu nunca saberei. O que dizer então da minissaia, tão pequena, tão sensível, tão cheia deles...

Fato é que são companheiros inseparáveis do consumista egocêntrico do novo século. Os repositórios ganharam vida e design - ora são tradicionais ora tão invertidos, traçados, do avesso. Tudo que toma poder ganha glamour, arte, estilo, e não foi diferente com eles.

São retratos da segregação pela qual sempre passou a terra brasilis, tão cheios, tão vazios. São amigos de seus homens, mas traem. São parceiros de trabalho, de estudo, de botequim, mas podem se tornar inimigos. São saudáveis, mas causam dependência.

O que você já fez com o seu hoje?

:: .mensonge

cresci assistindo aos clipes. o canal da música era descolado, era diferente, era um berço de revoluções.

do nirvana às boy bands dos anos 90, chegando às "novas madonnas": britney e etc.
acústico, ao vivo, em estúdio, entrevistas internacionais.
uma parada de sucessos, um programa de rap, um de rock, os piores clipes.
hoje, pouca música, muita besteira, as mesmas caras de sempre.
pitty e as bandas emo/hardcore, sandy, junior, chorão, cicarelli.
o VMB 07 vendeu 30 milhões de reais em cotas de patrocínio.

a mtv mudou ou eu é que cresci?

:: .mensonge

O prefeito andou de ônibus.
E levou até chifrinho.
Um dia de proletário na vida de Gilberto Kassab.

:: .mensonge

Renan Calheiros absolvido.

Parece.
Mas não é .mensonge

:: .mensonge

as segundas-feiras me deprimem pelo retorno à ROTINA diária. difícil é ir dormir em uma noite de domingo. toda brisa e toda LIBERDADE do fim de semana. todos sonhos que ficam adiados.
TANTA COISA POR FAZER. e expedientes e LABUTA nos separam da próxima chance.
ESPERANDO NOSSA HORA E NOSSA VEZ entre horários de almoço reduzidos, tarefas empilhadas nas escrivaninhas e uma ocasional bronca do CHEFE.
assovio baixinho a canção que não toca no rádio.
começa tudo de novo em uma semana SEM FERIADOS.

:: .mensonge

:: abner merchan

cansei(verb.)1-desgaste, cansaço; 2-demonstrar incontentamento; 3- ato político disfarçado de manifestação popular; 4- movimento de socialites que decidem, sem motivo aparente, ir à Cadetral da Sé ao invés da Daslu.

:: rafael nardini| .mensonge

tediosos são os dias no reinado do impublicável.

as horas andam feito marcapasso, o ar condicionado gela os ombros e, mesmo assim, o clima segue abafado.
sigo sentado ereto e cordial feito bovino durante todo período comercial.
na cozinha, é servido o café amargo de sempre e é onde tiro minha senha na delirante fila para requentar as sobras.
os garfos sujos e a louça mal lavada são sinais de toda preguiça alheia.
lá fora, o clube dos fumantes pega fogo. aqui dentro, finjo marcar retorno:
 tela, crachá, telefone, câmera de monitoramento e e-mail vazio.

tediosos são os dias improdutivos.

:: rafael nardini| .mensonge

.simples

pais são heróis.

pais podem peidar à mesa, deixar toalhas na cama.

pais podem te mandar tomar no cú.

pais têm direito de fazer brincadeiras de mal gosto.

pais têm toda razão quando reclamam sem razão.

pais podem odiar a perfeição.

pais podem xingar teu maior ídolo.

pais têm a capacidade de serem racionais na tua emoção.

pais são emotivos quando você não espera.

 

sei lá, nunca pensei em nada especial, só sei que pais são pais.

simplesmente inexplicável.

quem sabe um dia não entenda.

:: paulo silva jr| .mensonge

.poema sobre a labuta

definitivamente o perfeito paradoxo

trabalho e poesia, tão próximos

tão distantes.

 

o suor frio e cansativo, o salário

a arte espontânea e livre, o prazer

à vontade ler, rabiscar, no horário

a submissão diária, o escrever

 

a artificialidade das ações, a agenda

a naturalidade dos versos, ritmados

a intensa labuta dos poemas, horrenda

a relevância mais do mesmo, grafados

 

a relação de água e vinho que estabeleço entre minha vida e minha vida. minha vida de verdade, minha vida de mentira, numa alternância de adjetivos. faço estrofe meus trabalhos em rimas pobres ou ricas, enquanto trabalho meus poemas em serviços de terça-feira. horário comercial dedicado aos estribilhos dos dezenove anos, momentos livres de fuga, concentro-me em reuniões e tarefas. um verdadeiro profissional de pontos, sílabas e palavras, um estagiário de dores e emoções amadoras. me confundo no romantismo das gravatas e na formalidade dos folhetins, ou o contrário.

:: paulo silva jr| .mensonge

-Quando o assunto é droga, sou crack!

-Você diz isso baseado em que?!

-Ah... durante a semana eu fico só o pó.

:: victor davi| .mensonge

Jogos Pan-Americanos de 2007

Que orgulho Brasil, que orgulho.

:: victor davi| .mensonge

Somos uma geração de gente carente.

Filhos da geração onde os pais trabalham fora para sustentar o filho, nos tornamos jovens carentes, talvez pelo déficit de carinho e atenção dos anos anteriores, queremos agora, tirar o atraso e buscar fora de casa o que não tivemos dentro dela.

Nessa busca desenfreada pelo carinho, nasceu o "ficar". Já não basta ter alguém, é preciso ter muito, e muito rápido. Em cada beijo sôfrego, de noites bêbadas e agora rotineiras, levamos, quando muito a lembrança de um beijo, um vulto que esquecemos em semanas e um nome que não lembramos no dia seguinte. Tudo por um beijo, segundos de carinho que tomamos de alguém que nem sabemos quem é, afinal o importante ali é apenas suprir o que não tivemos de atenção anteriormente.

Não quero, de maneira alguma dar lição de moral, tentar ensinar alguma coisa, esfregar nada, na cara de ninguém, afinal eu também faço parte dessa geração criada pela televisão, sabemos mais da história de chaves, do que da história de nossos pais.

:: victor davi| .mensonge

A garoa amanheceu triste.



Às vítimas, que o fogo também tenha sido passageiro. Porque acidentes acontecem, todos cabíveis ao erro humano, à negligência, à combinação de fatores que levam a tais. Os números chocam, sejam por parentes, nomes familiares ou meros companheiros anônimos de sono em cadeira de aeroporto, e, se tudo deixa a tal da lição, é hora de questionarmos ainda mais todo esse sistema aéreo, essa overdose de CPIs e acusações, de greves e mais recessos reivindicadores.

O pulmão do Brasil hoje tosse. A garoa, chora.

:: paulo silva jr| .mensonge

:: abner merchan

Cristo Maravilha.

:: victor davi| .mensonge

Neste espaço nos vemos em pé de igualdade para escrever sobre a satisfação que invade nossas entranhas.

Nem três patetas muito menos triunvirato, juntos, nos permitimos a inovação, a arte pelos flancos, feito mensageiros da mentira.

Num trovadorismo moderno, a ironia, o sarcasmo, e por que não o amor caminham juntos, na metalinguagem como recursos de viver vivendo, criando neologismos repetidos em cada esquina, abreviando sensações, acentuando situações.

Continuará sendo assim pelo período em que for um privilégio acreditar no mínimo de pessoas que se mantêm fiéis ao nosso discurso mentiroso, ácido e provocador, e ao mesmo tempo verídico, comum e angustiante.

Não é um comentário sobre algo pré-moldado, repassado e refeito por inúmeras vezes. Nem será um monólogo, mesmo que esteja ausente de palavras amigas e inimigas.

A afirmação não implícita, a metáfora descarada. Sem a ousadia de rotular sonhos como críticas, pensamentos como teses ou idéias como dogmas. Uma convivência urbana apoiada na literatura, no suor, na inteligência, na poesia concreta, na sensibilidade, em.mensonge

 

Sejamos todos afortunados na Festa de Literatura Internacional de Paraty 2007.

Um brinde ao santo, sei lá qual.

.mensonge

:: paulo silva jr| .mensonge

:: linei marani

"Ministra Marta, quais serão suas ações para o Turismo brasileiro?"

"Relaxar e gozar."

:: rafael nardini| .mensonge

  "Todo mundo quer ir para o céu, mas 
                               
ninguém quer morrer."

Chico Anysio

:: victor davi| .mensonge

Hoje, só hoje

 

-Feliz dia da mentira, amor!

-Feliz dia do consumidor romântico, meu bem!

-Hoje, só hoje, eu vou lhe dar um buquê de flores, uma caixa de bombons e gasto um pouco mais com uma suíte melhor!

-Que lindo querido!!Hoje, só hoje, vou me produzir pra te ver, passar creme no corpo, e vestir calcinha nova!

-Feliz dia da quebra de rotina!

-Feliz dia da fornicação com vontade!

 

...e lá se vão, abraçados e completamente enfeitiçados por uma jogada de marketing, sem lembrar que são namorados nos outros 364 dias senão o 12 de Junho.

:: victor davi| .mensonge

"Com Bush, Blair, Putin e uma caralhada de otários,
ainda sobra para que eu me vista de palhaço..."

:: rafael nardini| .mensonge

:: victor davi| .mensonge

sabe quando sua vó diz que o mundo não
é mais o mesmo?

pois é...

 

http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL44748-5601,00.html

 

Porra! E ainda publicam essa merda!

:: rafael nardini| .mensonge

.Banalização do niilismo moderno

Começo pelo final: sim, esse foi um discurso bem vazio para a grande maioria de leitores ou ouvintes. Isso porque ele vai contra essa necessidade de conceitualização das coisas, essa regulamentação da vida, das atividades que exercem, da continuidade natural, ou tradicional, dos fatos. Vazio por não estabelecer uma evolução conservadora da história de determinado homem: deixe-o pairar entre o homem idéia e o homem trabalho, deixe-o viver na dualidade entre o tornar-se ímpar e o de ser número: credito essas variações à capacidade que os humanos tiveram na distribuição, exploração e povoamento do meio em que vivem, o que ampliou a diversidade de reações, crenças e pontos em comum ou discordantes.

 

Vazio por não se importar na definição física ou prática do lugar. A relativização das coisas nos faz pensar no porquê de existirem medidas, tamanhos e distâncias se tudo se torna tão subjetivo e pessoal.

 

Vazio por confiar na barbárie como algo que nasce na essência do homem, a negação ao estranho, a retenção à diferença, e o surgimento de uma desigualdade primariamente cultural. Não acredito nos deuses, mas assim como respeito na crença coletiva de determinada comunidade ou sociedade, confio em uma devoção individual, na valorização dos princípios e na manutenção de éticas básicas, como o direito ou a educação.

 

Vazio por não conseguir o equilíbrio entre o hedonismo e a socialização dos prazeres e deficiências de um país tão segregador. Vazio por não ter ao certo a noção de cada simples atitude nossa, nem a preocupação da individualização dos sentimentos e sensações. Vazio por permanecer no abismo que questiona o planeta a cada segundo: o porquê de tudo isso.

 

Vazio por rebaixar o homem a uma representação mínima, sem sentido, sem contexto, e ao mesmo tempo crer no paradoxo com a dimensão que cada um deles e nós podemos exercer.

 

Vazio pelo julgamento superficial perante a tecnologia, a imaginação fantasiosa, a representação não-perfeita do natural e puro.

 

Vazio por não se submeter a julgamentos. Por ver arte no dadaísmo, a chamada negação da mesma, no movimento de vanguarda non-sense. E por que não, por ver arte no cubismo, a milimétrica manifestação da geometria como arte.

 

Vazio pelo simples fato de utopicamente repensar o pensamento, folhear livros, vasculhar rabiscos de canto de folha. E para que ao pensar no niilismo, reflita a contradição existente, e pense, e pense, e pense. Para que nesse polissíndeto de teorias mal afinadas, possa chegar à conclusão nenhuma.

 

Vazio por essa elipse das explicações, esse raciocínio do improvável inconseqüente.

 

Termino pelo começo: prepare-se para questionar tudo, mas nem sempre negar-se a pensar em nada.

 

:: paulo silva jr| .mensonge

"Chavéz lança Morales. Morales carrega, passa por um,
por dois e chuta looooonnnge do gol !"

:: rafael nardini| .mensonge

sobre os casos modernos

Coloque seu vestido mais caro,
sua camiseta mais moderna.
Muito perfume
e algum desodorante.
Conte tudo para as amigas:
finja gostar delas.
Escolha a bebida mais cara
e pague aparentando achar legal.
De pernas cruzadas,
puxe a cadeira para a dama.
Sinta vontade de ligar e não ligue:
só ligue sem vontade.
Sorria bastante,
faça muitas piadas.
Diga coisas que não sente
e reprima sua sexualidade.

:: rafael nardini| .mensonge

 BASTA  !
TEM IMPOSTO SAINDO PELO LADRÃO

:: abner merchan

:: abner merchan

Coisas da vida

Compilação da descomplicação da complicação da vida.Entendeu?

 Muita gente que paga 80 reais (320 pãezinhos) pra irem à uma festa cheia de lama, mas se vêem uma poça d'água enorme, suja e de graça(!!), desviam.

 Estava vendo algumas letras dessas bandas que se dizem "EMO", é igual pagode, sertanejo!!Falando da perda de um grande amor. Quer dizer se eu cantar o bom(!?!?) e velho Katinguelê, tocando guitarra e usando franja eu viro "EMO"?

 Telefone Celular, como diz o nome serve para fazer ligações, certo??Hoje em dia tira fotos, toca música, acessa internet, filma vídeo...não seria mais fácil vender uma máquina fotográfica digital que faz e recebe ligações??"-Só um momento por favor, vou atender minha máquina fotográfica..."

 Esses dias vi um jogador de um grande time brasileiro dizer que estava desmotivado, parei indignado e pensei: mas que tipo de motivação ele precisa??Ganha a vida fazendo o que ele e o Brasil inteiro gosta de fazer.Alguém me responde essa motivação??Eu não faço idéia...

 Vendo os protestos das Organizadas corintianas invadindo o Pq. São Jorge protestando aos berros: "ôôô queremos jogador"/"Duaib C*** fora do timão!", fiquei imaginando por que o brasileiro não faz isso em Brasília, invadindo as reuniões gritando:"ôôô queremos Senador"/"Deputado ladrão, porrada é solução!"

:: victor davi| .mensonge

a d e s i v e !

 :: raquel principe

 :: linei marani

 

 

 

" Escondam suas gravatas! "

 

 

 

  

 


 

 

 :: linei marani

Não entendeu? Clique aqui

:: victor davi| .mensonge

A festa e o gol do papa

Acredito na visita do papa pela mesma questão que acredito na Copa do Mundo ou no Carnaval. Não pela essência da coisa em si, pouco me deslumbro com a religião, creio na fé como algo muito mais individual, intuitiva, ímpar. Mas no âmbito do acontecimento representativo para um nação com poucos ideais, muita desigualdade e uma população com quase nenhuma oportunidade, é válido.

Não tenho certeza se uma caravana até a terra da garoa pode mudar a vida de algumas pessoas de Belém, capital do Pará. Mas quem somos nós, metidos à pensadores modernos, para entender o que pode dar rumo à uma comunidade tão apedrejada pelos caminhos da mais-valia prejudicada, dos hospitais públicos com filas de bilheteria em show de banda de rock, ou da educação falha, que investe em recortes e colagens sem fundamento ou preparação para uma cultura aprofundada, ou uma análise crítica de um texto.

Mas eles têm o catolicismo. Têm o pai nosso de cada dia que faz valer o pão que se come antes de tomar o ônibus, têm a eucaristia de cada santo domingo. Quem não foi criado à esses moldes, radicais ou não (não acredito no termo praticante: para mim, o sentimento/ato de confiar em uma religião e seguir certos padrões não condiz à uma classificação de prática mais ou menos eficiente ou regular), concede comentários tecendo pouco caso à visita, confiando em uma supervalorização midiática.

Mas para eles, há sentido em tudo isso. Há sentido em um simples aceno, uma benção, e como contrariá-los? Pelo menos há dois mil anos vive-se com a 'presença' de Jesus Cristo no cotidiano das pessoas. A Bíblia como material impresso (como contrariar a língua, que nos faz escrevê-la com maiúsculas), os crucifixos como amuletos protetorores, a igreja como o local em que os laçoes se estreitam ao máximo.

Não acredito que o 1,5 milhão de pessoas que ovacionaram o Papa na canonização sabem realmente o que significa a crítica aos meios de comunicação. Não consigo imaginar que no século XXI ainda há uma parcela do mundo que crê em cessar o uso de camisinhas, e que condena o sexo antes do casamento, a separação ou o aborto mesmo em casos de risco de saúde.

Mas como explicar para alguém que não gosta de futebol o sentimento de ver o Brasil vencendo a Itália nos pênaltis, voltando com a taça nas mãos depois de vinte e quatro anos e o país em êxtase, e chamando o centroavante de melhor homem do mundo?

Mas como explicar para um doente do pé, daqueles caseiros, que não identifica com as festas populares, a emoção de estar na Sapucaí vendo sua escola do coração desfilando, cantando o samba enredo que por pelo menos uma hora e pouco é o mais bonito do mundo?

Prefiro ficar sem ter a explicação. E que a visita do papa seja tua bola na rede, que o gol do título seja tua marchinha e que o recuo da bateria seja tua benção.

:: paulo silva| .mensonge

"É proibido a entrada de guarda-chuvas no Campo de Marte"

- Corre, porra, a chapinha, caralho! Amém.

:: paulo silva| .mensonge

E dizem que este é um País sério. . .

        Paulo, 28 anos, casado com Sônia, grávida de 4 meses, desempregado há dois meses, sem ter o que comer em casa foi ao rio Piratuaba-SP a 5km de sua casa pescar para ter uma "misturinha" com o arroz e feijão, pegou 900gr de lambari, e sem saber que era proibido a pesca, foi detido por dois dias, levou umas porradas. Um amigo pagou a fiança de R$280,00 para libera-lo e terá que pagar ainda uma multa ao IBAMA de R$724,00. A sua mulher Sônia grávida de 4 meses sem saber o que aconteceu com o marido que supostamente sumiu, ficou nervosa e passou mal, foi para o hospital e teve aborto espontâneo. Ao sair da detenção, Ailton recebe a noticia de que sua esposa estava no hospital e perdeu seu filho, pelos míseros peixes que ficaram apodrecendo no lixo da delegacia. Quem poderá devolver o filho de Sônia e Ailton?

        Henri Philippe Reichstul, de origem estrangeira, Presidente da PETROBRAS.
Responsável pelo derramamento de 1 milhão e 300 mil litros de óleo na Baía da Guanabara. Matando milhares de peixes e pássaros marinhos; responsável pelo derramamento de cerca de 4 milhões de litros de óleo no Rio Iguaçu, destruindo a flora e fauna e comprometendo o abastecimento de água em várias cidades da região. Crime contra a natureza, inafiançável,  encontra-se em liberdade. Pode ser visto jantando nos melhores restaurantes do Rio e de Brasília.


       Esta é uma campanha em favor da  VERGONHA NA CARA.

:: cara desconhecido

E com ele se vai a idéia da bomba atômica.

:: victor davi| .mensonge

Caninha 51

:: abner merchan

Somos jovens demais para...

...saber o que fez Roberto Carlos, para virar rei.

...saber quais foram as guerras de Chacrinha.

...saber se a Rita sempre foi Cadillac.

...saber quais eram as maravilhas da Mara.

...saber quem coroou Xuxa rainha dos baixinhos.

...saber quem deu nome de Terra pro planeta água.

...saber o motivo de tanto amor pelo dinheiro...

...e tanto dinheiro pelo amor.

:: victor davi| .mensonge

.cento e vinte e cinco milhas

abro os olhos com a esperança de ter você nos meusbraços, como naquele cinema em que matamos aula para ficar tão juntos. no nosso filme a película se tornou mera espectadora do primeiro episódio daquelesseriados que você tanto gosta, e terá final feliz: um reencontro ímpar. lembro-me daquele teu sorriso da infância, sincero, e choro o descaso dos treze e poucos anos. cultivo a esperança de receber uma mensagem inusitada e surpreendente, um convite inesperado que soa como um 'quer viajar comigo?'. o domingo é frio, no máximo vinte nublados graus, e você quase duzentos quilômetros daqui. sem você me apóio nos jogos de futebol da televisão, no reggae do rádio ou no jornal por assinatura que me limito a folhear. mas a ansiedade não combina comigo (tento ser frio) e prefiro anestesiar sua ausência com elos passageiros de cachaças servidas em copos americanos, vinhos de cinco reais o litro, ou textos que mal você sabe que tenho escrito - nisso pouco me importo, me espelho nos escritores anônimos, e me sinto bem, próximo à você, com seu cheiro na minha camiseta nova ou com o carinho de suas mãos sobre as minhas, quase cento e vinte e cinco milhas daqui.

:: paulo silva| .mensonge

 Parace mentira . . .

 .

 .

 .

 .

 .

:: abner merchan

:: linei marani

PROTESTE !

:: abner merchan

:: abner merchan

Quais deles é o mais acessado ? 

                         mais de 80 visitas em 2 dias                 X                    alguém tem alguma idéia?

:: abner merchan

Lições do Motorista

Esses dias peguei aqueles microônibus, onde o motorista é o cobrador. Por falta de troco tive que ficar ali na frente, o cara era desses que não tem tempo ruim, conversa com presidente e mendigo, gente fina.

Eu tava com uma cara amarrada, irritado.

Ele vira pra mim e diz:

"- Eu era que nem você, guardava as coisas pra mim, ficava de cara feia, mas mudei..."

Não tava mesmo afim de papo, queria ficar ali de boa, olhando a paisagem, me remoendo.

Foi aí que ele começou a me contar uma história, e me vi quase que obrigado a prestar atenção.

Ele estava no fim do expediente, cinco horas da tarde, aquele inferno de gente entrando e saindo, e se apertando, quando entra uma mulher xingando ele, dizendo que ele era um "preto incompetente, motorista de merda, que tinha atrasado."

(Ai eu quis prestar mais atenção, odeio discriminações, tava esperando a parte que ele saía do volante e ia espancar essa filha da puta.)

Ele sossegado, apenas sorriu.

Depois de uns 20 minutos a infeliz dá um berro de trás da catraca:

"-Ô motorista, onde é o final desse ônibus?"

Rindo muito ele me disse que respondeu:

"-No para-choque traseiro minha senhora!"

Depois que as risadas dos outros passageiros se acalmou ela resolveu insistir:

"-Que ônibus que é esse então?"

De novo com a mesma alegria ele encena pra mim:

"-É um Mercedes."

Respondeu o motorista, pra delírio geral dos passageiros.

Resmungando ela voltou a se sentar.

Mais algum tempo e ainda insistindo em fazer mais perguntas depois da sua entrada triunfal:

"-Esse ônibus sobe o viaduto?"

"-Sobe...mas só até a metade."

"-COMO ASSIM???"

"-Depois ele desce..."

Aí nem precisei imaginar os passageiros daquele ônibus rindo, algumas pessoas sentadas próximas riram uma risada meio presa, meio que com vergonha de também estar prestando atenção na conversa.

Daí em diante foi uma alegria só, uns passageiros começaram a contar causos engraçados, ele contou mais alguns...

Mas antes de eu descer, ele disse pra mim.

"-Não carregue a maldade das pessoas com você, tem que isolar o coração e refletir com sorriso. Vivo muito bem assim graças a Deus."

 

E eu espero saber viver assim também, graças a ele.

:: victor davi| .mensonge

Maria Lenk

92 anos de idade, e fôlego para nadar seu kilômetro e meio por dia.

Fazia o que gostava, sempre o fez.

Madrinha de muitos dos famosos nadadores de hoje, como Gustavo Borges, Mariana Brochado...

A inventora do nado estilo "borboleta", voou ontem para o céu abençoada por uma nação orgulhosa de ter em seu plantel de imortais essa mulher guerreira.

:: victor davi| .mensonge

"-Abre a porta Mariquinha!!!"

"..."

"-Mariquinha??"

"..."

"-Tem alguém aí??"

:: victor davi| .mensonge

Bush, pega aqui caraio. . .

:: abner merchan

Pau Brasil

:: tribunal de justiça/brasília

:: abner merchan