Poesias

       HOME        POESIAS        EVENTOS      DESENHOS   LEITORES     BLOG     E-MAIL     ANIVERSARIANTES

 

Clique aqui para enviar sua poesia 

 

Truanices
Robério Pereira Barreto

No entardecer vários plurais
Manifestam-se a me convencer
De que à soma dos singulares
Que há em mim é maior
Do que a vontade de você.

Sou particular para o mundo
Porém, na maneira de amar-te
Pluralizou-me em mil facetas.

Em cada uma delas,
Flui de mim algo
Que se exaspera
Em fazer-te feliz.

Na ausência de ti
Resta-me a cada truanice
Meu eu dividir
E fazê-lo sozinho sorrir.

Bramido...
Robério Pereira Barreto

Muito falo, mas nada digo...
Milhões me vêem como fosse
Um encosto em suas medíocres vidas...

Ao precisarem o melhor de mim
Evocar uma entidade:
Credo e cruz valham-me a santidade;
Gramática!

Sou cheia de nós
È certo que sim...
Mas não tenho maldade.

Embora já tenha mil idades
Sinto-me ainda criança
Que aos pouquinhos espero
Chegar à alteridade.

Sou ainda dependente...
Precisando de caridade;
Crianças e velhos cuidem de mim
Mostrem sua generosidade
Doem uma parte de si,
Para eu construir minha identidade.

Com isso recomponho-me à solidão
Das páginas dos livros
Escritos com dureza e sofreguidão
Por aqueles que a mim declaram
Seu carinho e devoção...

Ali me mantenho solitária
Entre palavras ditas e bem ditas,
E também as não ditas juntam-se às malditas...
Embora a cada instante esteja
Em bocas e mãos malditas
Sigo o curso do meu destino:
Ser amada por poucos
E vilipendiada pelos seres ignóbeis
E indignos de me usarem;
Gigolôs profanadores da pureza da palavra.

No inferno silencioso de bibliotecas
Às vezes almas pagãs tiram-me para dançar
No salão branco da folha de papel
Junto me a caneta e formo um belo par.

Não dura muito esta alegria
Logo estou em bocas e mãos
Que sentem prazer em me maltratar.

Sabedoria popular
Poeta Irajá


Meu pai sempre dizia-me
Que um dia eu ia ver,
Uma roda grande entrando
Na pequena sem caber.
Então ficava pensando...
Meu pai não está caducando,
O que ele quer dizer.

Meu pai apenas repetia
As palavras do antecessor,
Esta antiga profecia
Que a muita gente encucou.
A roda grande é o mundo,
Que em fração de segundo
Entra em um computador.

Os antigos não sabiam,
Como isso ía acontecer.
A sabedoria popular
Tem dom de tudo prever.
Mesmo sem conhecimento
Quando chega o momento,
Não tem para onde correr.