TEXTOS‎ > ‎

TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES-03





01- ONDA DE SUICÍDIOS NO JAPÃO

Tóquio - Japão (Terça-feira, 28-03-2017, Gaudium Press) Mais de 30 mil pessoas se suicidam anualmente no Japão. As taxas referem-se a um estudo realizado em um período compreendido entre 1998 e 2010.

Uma recente pesquisa governamental ainda aponta como sendo de 20% os suicídios praticados por motivos econômicas e que 60% deles são atribuídos a motivos relacionados com a saúde física e à depressão.
Cinco vezes mais suicídios que mortes no trânsito




Em um artigo divulgado pela Agencia Asianews, Dom Isao Kikuchi trata desse assunto.

O Bispo japonês, mostra que "no decorrer dos últimos anos, no Japão, mais de 30 mil pessoas se suicidaram a cada ano". Diz o Bispo que um estudo informa que "Tudo começou em 1998, quando diversos bancos japoneses declararam falência, a economia do país entrou em recessão e o tradicional "sistema de emprego definitivo" começou a ruir".

Dom Isao Kikuchi descreve que até 2010, por 12 anos seguidos, mais de 30 mil pessoas sentiram-se motivadas a tirar a vida neste rico, moderno e avançado país.

Este alarmante número é cinco vezes maior que o número anual de mortes provocadas por acidentes nas rodovias.

Riquezas, técnicas e vazio de alma

Rodeados por riquezas terrenas de todo tipo, por bens materiais os mais diversos, os japoneses tiveram dificuldades em encontrar esperança para o próprio futuro, perderam esperança para continuar vivendo, diz o Bispo japonês.

Uma pequena mudança foi registrada por ocasião do enorme desastre de 2011, durante o qual o número de suicídios caiu um pouco. Em 2010 foi de 31.690. Em 2011 foi de 30.651. Em 2012, 27.858. Em 2013, 27.283. A razão deste declínio ainda não é conhecida, mas se presume que seja devido à reflexão sobre o significado da vida iniciado após o colossal desastre que levou embora a vida de muitos japoneses sem uma razão plausível.

Segundo uma recente pesquisa governamental, somente 20% dos suicídios foram cometidos por motivos econômicos. 60% foram devido a motivos ligados à saúde física e à depressão, informou Dom Isao.

Motivos para um suicídio

Para Dom Isao Kikushi, os motivos que estão por trás destes casos de suicídio são realmente muito complexos e não é fácil apontar uma única causa para todos os suicídios.

Contudo, diz o Bispo, é correto afirmar que uma das razões deste fenômeno é a falta de religião na vida cotidiana das pessoas no Japão.

Para ele, uma abundância de riquezas terrenas e bens materiais somados a um desenvolvimento tecnológico extraordinário não podem conduzem a um desenvolvimento espiritual, a um enriquecimento de alma.

Pelo contrário, salienta o Prelado, estas circunstâncias alimentam o vazio nos corações de muitos. Enquanto a sociedade continuou a buscar o desenvolvimento material, a espiritualidade religiosa perdeu o seu lugar na sociedade e nas comunidades locais e até foi destruída: as pessoas se isolaram e as almas ficaram vazias.

E é sabido que o isolamento e o vazio de alma são duas das principais causas que levam as pessoas ao desespero último de colocar fim à própria vida.

Ação da Igreja Católica

A Igreja Católica no Japão trabalhou nesta questão por muito tempo.

Em duas mensagens aos fiéis japoneses, os bispos católicos do Japão fizeram alertas.

Em 2001 a mensagem do episcopado denominada "Reverência pela vida" e posteriormente uma outra versão dessa mensagem reelaborada foi divulgada em janeiro de 2017.

Os Bispos ali tratam deste problema do suicídio e a propósito dele, um apelo foi lançado à população em geral: cuidar de ter uma atenção ao caso do ‘isolamento" das pessoas. (JSG)

údo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86270#ixzz4ciyFciYx


02- N. SENHORA PEDE NOSSA CONVERSÃO!

Todos os seis videntes juntos para uma aparição em 1981, quando seus encontros com a Virgem Maria começou uma onda de conversão entre as pessoas e em torno de Medjugorje

A conversão é o principal objetivo global das aparições da Nossa Senhora em Medjugorje. E por isto, suas mensagens sobre o tema da conversão também revelam as respostas a várias questões-chave sobre Medjugorje, em primeiro lugar: o âmbito destas aparições.

Um olhar mais atento às mensagens sobre “conversão” é tudo o que preciso para ver por que essas aparições, para aqueles que acreditam, são a história do mundo por escrito. Pois quando Nossa Senhora fala sobre conversão – deixando para trás o pecado e o egoísmo para uma vida centrada em Deus, pacífica e de oração – não é em pequena escala. No segundo aniversário da primeira aparição, ela disse:

“Agradeço às pessoas que rezaram e jejuaram. Perseverem e me ajudem a converter o mundo “. (24 de junho de 1983)

“Converter o mundo“. Esse é o propósito dessas aparições, nada menos. Mas, em vez de entrar em detalhes de como este evento (quando se acredita) irá realmente mudar o mundo para uma conversão global a Jesus por Maria, Nossa Senhora volta os olhos para o fiel individualmente. Todo o tempo explicando que ela vem como Mãe espiritual de cada alma humana, no dia do mesmo aniversário, ela também disse:

“A única coisa que eu gostaria de dizer a vocês é que se convertam. Tornem isso conhecido a todos os meus filhos o mais rápido possível “. (24 de junho de 1983)

Um chamado materno por colaboração

Esta é a dualidade do chamado da Nossa Senhora à conversão: O objetivo geral da conversão do mundo será trazido pelas conversões de homens e mulheres, meninos e meninas desta época, individualmente. Para cada ser humano, a cada um de seus filhos Nossa Senhora estende a mão e oferece sua liderança através do amor enquanto o mundo se move em dores do parto da nova era claramente anunciada pela Virgem, também conhecida e honrada como Rainha dos Profetas.

“Queridos filhos, quero levar vocês para o caminho da conversão e eu gostaria que vocês convertessem o mundo, que sua vida seja conversão para os outros “. (24 de junho de 1987)

O chamado de Nossa Senhora, em Medjugorje, é um chamado para a colaboração. Depois de já ter afirmado que ela foi enviada por Deus, com pouco menos de três anos de aparições, Nossa Senhora descreveu a estrutura adicional de colaboração ordenada para trazer todo o mundo à conversão a Jesus, sem dúvida: Para vidas verdadeiramente autênticas, verdadeiramente espirituais, cristãs, pacíficas vividas por todos, em toda parte.

“Filhinhos, eu também gostaria que todos vocês se tornassem ativos durante este tempo que está, através de mim, ligado ao Céu de uma maneira especial. Orem para compreender que todos vocês, através de sua vida e seu exemplo, devem colaborar na obra da salvação. Filhinhos, desejo que todas as pessoas se convertam e vejam, a mim e a meu Filho, Jesus, em vocês. Vou interceder por vocês e ajudá-los a tornar-se a luz. Em ajudando o outro, sua alma também vai encontrar a salvação “. (25 de maio de 1996)

Para todos aqueles que gostariam de colaborar com ela, o chamado da Nossa Senhora de Medjugorje é antes de tudo um chamado à oração. Para cada alma humana, a oração é o pré-requisito número um para alcançar a salvação. Para Nossa Senhora, a oração é o “combustível” ou “munição” que ela precisa para conduzir a humanidade ao longo deste período histórico no tempo:

“Peço-lhes que rezem pela conversão de todos. Para isso, eu preciso de suas orações “. (08 de abril de 1984)

“Queridos filhos! Eu gostaria que o mundo começasse a converter-se por conta própria. Façam agora tudo o que puderem para que o mundo possa ser convertido “. (01 de junho de 1983)

Estes tempos: batalha intensificada entre o bem e o mal


Desde o oitavo dia das aparições, a oração comunitária do Rosário precede a missa vespertina em Medjugorje. Garantindo a proteção da Nossa Senhora, altamente eficaz em extirpar vício e pecado e sempre conhecido por cultivar o amor de Deus, o Rosário é o mais seguro, o mais curto caminho para o porto seguro dos Corações de Jesus e Maria – uma arma poderosa na guerra espiritual anunciada e liderada por Nossa Senhora.

Tendo logo anunciado que “Uma grande batalha está prestes a acontecer – uma batalha entre o meu Filho e Satanás. Almas humanas estão em jogo ” (02 de agosto de 1981), Nossa Senhora logo passou a falar sobre o estado do mundo, na verdade de todos os seres humanos – à luz da objetividade por meio da qual ela vê a vida terrena se desdobrar para todos seus filhos, cada pessoa na Terra.

No final de 1984, ainda havia um longo caminho a percorrer. A imagem estava confusa, mas no diagnóstico de saúde espiritual da humanidade, Nossa Senhora também deu um remédio principal. A oração do Rosário, dado pela própria Virgem e desde então elogiado pelos santos, papas e fiéis comuns aos milhões – uma bela oração e uma ferramenta fundamental contra o mal:

“Queridos filhos, todas as orações que vocês fazem à noite em suas casas, dediquem à conversão dos pecadores, porque o mundo está imerso em uma grande decadência moral. Rezem o Rosário todas as noites “. (8 de outubro de 1984)

Tendo destacado a imoralidade como um sintoma generalizado da força atual de Satanás, um obstáculo muito comum no caminho da conversão, em mensagens posteriores a Nossa Senhora advertiu sobre o materialismo, também, como tendo o potencial de atrair as pessoas para longe de Deus, da fé e conversão. Esta mensagem é apenas uma das várias que Nossa Senhora tem sobre este tema:

“Crianças, reina a escuridão ao redor do mundo todo. As pessoas são atraídas por muitas coisas e se esquecem do mais importante “. (30 de julho de 1987)

Os Dez Mandamentos são válidos, estabelecem o padrão

As expressões são diferentes, mas o autor era e é o mesmo: Ao longo dos anos, muitas mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje foram lembretes e avisos de não só da existência de Satanás, mas mais especialmente, que o inimigo de Deus e da humanidade é extraordinariamente forte neste nosso tempo.

Também um desses avisos, a mensagem a seguir é central por outra razão, também: Estabelece os Dez Mandamentos como padrão a ser adotado para quem quer segurar a mão de Maria no caminho da conversão. Medir os próprios comportamentos e ações à luz dos Mandamentos é vital para permanecer e crescer neste caminho. Mas sempre haverá oposição:

“Satanás quer destruir tudo o que eu e meu Filho, Jesus, estamos construindo. De maneira especial, ele deseja destruir as suas almas. Ele deseja guiá-los o mais longe possível da vida cristã, bem como dos Mandamentos, aos quais a Igreja está chamando vocês a vivê-los. Satanás quer destruir tudo o que é sagrado em vocês e ao seu redor “. (25 de setembro de 1992)

Muito se pode concluir a partir desta mensagem:

(1) Jesus e da Nossa Senhora estão construindo muitas coisas no nosso tempo – só em Medjugorje cerca de 1,5 milhão de peregrinos eram esperados em 2011 – porque a Virgem diz que Satanás quer destruir “tudo o que ela e seu filho estão construindo “. Isto acontece porque as aparições em Medjugorje vão acabar com a influência de Satanás na humanidade e lançar uma era de paz.


Beato João Paulo II – um fervoroso defensor dos Dez Mandamentos e um crente forte, embora não publicamente declarado, das aparições da Nossa Senhora em Medjugorje. Enquanto sua encíclica de 1993 “Veritatis Splendor” assume Os Dez Mandamentos, o Papa fez uso de declarações particulares aos videntes, bispos e padres para, mais discretamente, sinalizar o seu apoio a Medjugorje. Após o seu nascimento para o Céu em 2005, o que acabou por ser o grande afeto de João Paulo II por Medjugorje ficou documentado em suas cartas escritas à mão para os amigos na Polônia.

(2) Uma vida cristã autêntica, incluindo um cumprimento respeitoso dos Dez Mandamentos é fundamental para estar com Jesus e a Nossa Senhora em sua grande batalha com Satanás, e estes dois foram apontados como principais alvos de Satanás. Por último e não menos importante, nomeadamente:

(3) Viver uma vida cristã autêntica no respeito pelos Mandamentos nos torna santos.

Na verdade, é através das conversões em curso e da santidade crescente de ainda mais pessoas, ainda mais de seus filhos, é que Nossa Senhora tem a intenção de fazer acontecer a conversão do mundo. Para que isso seja possível, mais e mais em suas mensagens, ela chama todos à conversão pessoal, que é: tentativas diárias de substituição de uma vida auto-centrada, pecadora, por uma vida santa, centrada em Deus, pedida por Nossa Senhora.

Para que isso seja possível, todas as influências e repercussões de Satanás devem ser erradicadas da vida do fiel. Porque:

“Eu quero que cada um de vocês viva uma nova vida sem a morte de tudo o que Deus produz em você e está lhe dando“. (25 de Março de 1987)

A conversão é o trabalho e atenção diários

Apesar de estar em um lugar como Medjugorje como peregrino poder iniciar uma conversão em uma pessoa – e de fato tem feito exatamente isso com milhões de pessoas – a conversão não é uma experiência única. Como a conversão é a purificação gradual e santificação da alma, ela deve ocorrer todos os dias para ser um verdadeiro processo de conversão no sentido que Nossa Senhora está falando:

“Vocês não podem dizer que são convertidos, porque a sua vida deve tornar-se uma conversão diária. A fim de entender o que vocês tem que fazer, rezem e Deus lhes dirá o que vocês tem a fazer concretamente, e onde vocês tem que mudar. Eu estou com vocês e os coloco sob meu manto “. (25 de fevereiro de 1993)

A oração é fundamental para permanecer no caminho da conversão. Onde não há oração, não haverá conversão, porque sem oração não há encontro com Deus, e sem esta reunião nenhuma conversão ocorrerá:

Uma moradora local respondendo ao chamado da Nossa Senhora à oração.

“Queridos filhos, hoje eu convido vocês a decidir a dar tempo pacientemente para a oração. Filhinhos, vocês não podem dizer que são meus e que vocês se converteram através de minhas mensagens, se vocês não estão prontos para dar tempo a Deus todos os dias “. (25 de julho de 1994).


Uma moradora local respondendo ao chamado da Nossa Senhora à oração.

“Filhinhos, convido-os novamente para decidir pela oração, porque com oração vocês serão capaz de viver a conversão“. (25 de julho de 1996)

Se a conversão será fácil ou difícil é determinado a partir da atitude de cada pessoa que percorre o caminho da conversão. Após seis anos e meio de aparições, Nossa Senhora disse:

“Queridos filhos! Hoje novamente eu estou chamando vocês à completa conversão, o que é difícil para aqueles que não têm escolhido a Deus “. (25 de Janeiro de 1988)

Considerando que, dois anos antes, a Virgem disse, em uma nota positiva:

“A conversão será fácil para todos os que desejam aceitá-la“. (23 de janeiro de 1986)

A conversão à luz dos segredos

A Nossa Senhora nunca disse quando a conversão por ela profetizada, em todo o mundo, a Cristo vai acontecer. Mas a Virgem tem ligado a próxima derrota de Satanás aos chamados segredos que ela confiou a todos os videntes de Medjugorje – na primeira frase desta mensagem muito rica e informativa:

“Este século está sob o poder do diabo, mas quando os segredos confidenciados a vocês acontecerem, o seu poder será destruído. Mesmo agora, ele está começando a perder o seu poder e tornou-se agressivo. Ele está destruindo os casamentos, criando divisões entre os padres e é responsável por obsessões e assassinatos. Vocês devem se proteger contra essas coisas por meio do jejum e da oração, especialmente a oração comunitária. Carreguem objetos bentos com vocês. Coloque-os em sua casa, e restaurem o uso da água benta “. (Data desconhecida; relatado por Mirjana em 5 de novembro de 1983)

Colina das aparições em Medjugorje, o local onde a primeira aparição ocorreu. De acordo com os videntes, este é o lugar onde o chamado Sinal Permanente irá emergir como estímulo para a conversão de muitas pessoas. Ainda assim, a Nossa Senhora disse: “Apressem sua conversão. Não esperem pelo sinal.”

Conforme os videntes, a chegada do chamado Sinal Permanente irá inspirar muitas pessoas a se converterem. A surgir milagrosamente na Colina das Aparições, o sinal será maravilhoso, bonito, indestrutível – e inegavelmente enviado por Deus, disseram os videntes sobre o sinal, o único segredo que Nossa Senhora permitiu-lhes falar até um determinado ponto. De acordo com os videntes, eles irão receber 10 segredos da Virgem. Mirjana, Ivanka e Jakov informaram ter recebido todos os dez segredos (e por isso não têm mais aparições diárias), enquanto Marija, Ivan e Vicka conhecem nove segredos (e assim, ainda tem aparições diárias).

De acordo com Mirjana o Sinal Permanente na Colina das Aparições é o terceiro dos segredos que lhe foram confiados. Mas, embora o Sinal Permanente vá levar muitos a se converterem, a Nossa Senhora expressamente advertiu contra o fato de se atrasar a própria conversão até o sinal aparecer na colina em Medjugorje:

“Apressem sua conversão. Não esperem o sinal que foi anunciado para aqueles que não acreditam; será tarde demais. Vocês que acreditam, convertam-se e aprofundem a sua conversão “. (Início de 1983, desconhecida a data exata).

Mirjana Dragicevic na época em que Nossa Senhora mostrou as imagens do primeiro segredo, e emitiu um apelo urgente de conversão enquanto ainda há tempo.


Quando tinha 20 anos Mirjana teve uma aparição intensa durante a qual Nossa Senhora lhe mostrou imagens do primeiro segredo”, como se estivesse em um filme”, ​​Mirjana retransmitiu. Uma vez mais relacionando a necessidade da conversão individual aos segredos de Medjugorje, Nossa Senhora disse, de acordo com Mirjana:

“Agora vocês tem um tempo de graça e conversão. É necessário usá-lo bem “. (25 de outubro de 1985).

Desde aquele dia, em 1985, Nossa Senhora o chamou nosso tempo “um tempo de graça” em pelo menos 33 ocasiões documentadas. Entre as maiores graças, se não a maior de todas, estão suas aparições diárias em Medjugorje, durante as quais ela abençoa o mundo e todas as pessoas – e convida a todos a estarem abertos ao seu amor materno, um ponto de partida de milhões e milhões de conversões:

“Queridos filhos, hoje eu gostaria de te dizer que eu amo vocês. Eu amo vocês com meu amor maternal e peço-lhes para abrir-se completamente a mim, para que através de cada um de vocês eu possa ser capaz de converter e salvar o mundo, onde há muito pecado e muitas coisas que são más “. (25 de agosto de 1992).

No entanto, seguir Maria nunca termina com Maria. Historicamente e em Medjugorje, também, seguir Maria conduz a Deus. A mensagem continua:

“Portanto, meus queridos filhinhos, abram-se completamente a mim, para que eu possa ser capaz de levá-los mais e mais para o maravilhoso amor de Deus, o Criador, que se revela a vocês dia a dia. Eu estou a seu lado e gostaria de revelar a vocês e mostrar-lhes Deus que os ama. Obrigada por terem respondido ao meu chamado “. (25 de agosto de 1992)

A alegria da conversão
Poucos, se houver, em Medjugorje expressam a alegria da conversão mais animadamente do que a vidente Vicka Ivankovic-Mijatovic. Esta foto remonta a meados dos anos 1980, mas sorriso de Vicka tem sido o mesmo ao longo dos anos das aparições.

A conversão não é para ser apenas trabalho duro. Também é feita para ser alegre, vivida por milhões de peregrinos em Medjugorje. Experimentar esse novo tipo de alegria no coração está ligado a viver o que Nossa Senhora chama de conversão “completa”:

“Eu desejo, queridos filhos, chamar todos vocês a uma conversão total para que a alegria possa estar em seus corações“. (25 de junho de 1990)

Colocar Deus em primeiro lugar na vida traz alegria e conversão da mesma forma, a Virgem disse. A expressão e a prática de “colocar Deus em primeiro lugar” tornou-se comum em Medjugorje, e para milhões de visitantes que começaram a viver a mensagem de Medjugorje. Os videntes, particularmente Vicka e Mirjana, muitas vezes, incluem o conceito de “dar a Deus o primeiro lugar” em suas palestras.

“Filhinhos, quando Deus está em primeiro lugar, vocês irão, em tudo o que fizerem, buscar a vontade de Deus. Desta forma, sua conversão diária será mais fácil. Filhinhos, busquem com humildade o que não está em ordem em seus corações. A conversão vai se tornar um dever diário que vocês farão com alegria “. (25 de abril de 1996)

Sempre que um processo de conversão está indo adiante sendo mais profundo e ainda mais orante, o render-se à vontade de Deus ocorrerá em algum ponto ao longo do caminho. Em outra mensagem muito rica e informativa Nossa Senhora inclui um chamado à entrega, entre uma dúzia de outras declarações notáveis:

“Queridos filhos! Hoje eu quero envolver todos no meu manto e levá-los ao longo do caminho da salvação. Queridos filhos, peço-lhes, entreguem ao Senhor todo o seu passado, todo o mal que se acumulou nos seus corações. Eu quero que cada um de vocês seja feliz, mas em pecado ninguém pode ser feliz. Por isso, queridos filhos, rezem, e em oração vocês devem perceber uma nova forma de alegria. A alegria se manifestará em seus corações e, assim, vocês serão testemunhas alegres do que eu e meu filho queremos de cada um de vocês. Estou abençoando vocês. Obrigada por terem respondido ao meu chamado “. (25 de fevereiro de 1987)

Considerando que a fé é a centelha inicial ou impulso que leva o homem a começar a descobrir Deus e Seu amor, o processo de conversão é a fé em ação, a fé posta em prática. Com tudo o que isso implica, a conversão nutre e fortalece a relação do homem com Deus. Aos poucos, cada pessoa que recebe o dom e compromete-se no caminho de conversão será dada a perceber e experimentar a Deus ainda mais claramente, e começar a confiar em Deus ainda mais completamente.

Isto, por sua vez, fortalece ainda mais a fé e também produz os primeiros frutos do processo, sendo um deles a alegria da qual Nossa Senhora está falando. Outro é o fruto do amor. E ainda outro é o fruto da paz.

Começar a colher esses frutos leva algum trabalho, como faz qualquer colheita. Mas, como com o trabalho terrestre, o trabalho de conversão deve ser alegre. Isto é particularmente verdadeiro para o hábito de oração diária que as mensagens da Nossa Senhora repetidamente pleiteiam a todos para começar a nutrir. A oração é um processo de conversão como é a água para uma árvore: Ela vai florescer e dar frutos quando tem o suficiente – mas também vai definhar e morrer quando não tem.

Matéria original: http://www.medjugorjetoday.tv/background-7/marys-basic-message/conversion/

Leia mais em: http://www.medjugorje.com.br/conversao/#ixzz4eKEXTp1x



03- MENSAGEM DE STA. CATARINA


MENSAGEM DE STA. CATARINA

 

Santa Catarina de Sena escreveu esta carta em março de 1377 ao papa Gregório XI. E você ainda diz que os dias de hoje estão maus!

 

Até parece que o demônio está governando o mundo pessoalmente. O demônio nada pode, mas nós o autorizamos. Para qualquer lado me volte, só vejo que cada pessoa usa seu livre-arbítrio com vontade pervertida. Leigos, religiosos e clérigos, cheios de soberba correm atrás de prazeres, altas posições sociais, riqueza material, impureza e

miséria. Mas acima de todos esses males, eu vejo que é abominável a Deus o fato de que as flores plantadas no jardim da Igreja, que deveriam ser rosas perfumadas e espelhos de virtude, zelosos promotores da glória divina e da salvação das almas, emitem o mau cheiro do pecado, são egoístas, unem seus defeitos aos dos outros, sobretudo na perseguição à esposa de Cristo e à vossa santidade. Ai de mim, caímos no exílio da morte, entramos na guerra contra Deus. 



04- SOBRE O ABORTO - CNBB


CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL

Presidência

P - No. 0209/17 NOTA DA CNBB PELA VIDA, CONTRA O ABORTO


“Não matarás, mediante o aborto, o fruto do seu seio” (Didaquê, século I)


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, através da sua Presidência, reitera sua posição em defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural 1. Condena, assim, todas e quaisquer iniciativas que pretendam legalizar o aborto no Brasil.

O direito à vida é incondicional. Deve ser respeitado e defendido, em qualquer etapa ou condição em que se encontre a pessoa humana. O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu. Na realidade, desde quando o óvulo é fecundado, encontra-se inaugurada uma nova vida, que não é nem a do pai, nem a da mãe, mas a de um novo ser humano. Contém em si a singularidade e o dinamismo da pessoa humana: um ser que recebe a tarefa de vir- a-ser. Ele não viria jamais a tornar-se humano, se não o fosse desde início2. Esta verdade é de caráter antropológico, ético e científico. Não se restringe à argumentação de cunho teológico ou religioso.


A defesa incondicional da vida, fundamentada na razão e na natureza da pessoa humana, encontra o seu sentido mais profundo e a sua comprovação à luz da fé. A tradição judaico- cristã defende incondicionalmente a vida humana. A sapiência3 e o arcabouço moral4 do Povo Eleito, com relação à vida, encontram sua plenitude em Jesus Cristo5. As primeiras comunidades cristãs e a Tradição da Igreja consolidaram esses valores6. O Concílio Vaticano II assim sintetiza a postura cristã, transmitida pela Igreja, ao longo dos séculos, e proclamada ao nosso tempo: “A vida deve ser defendida com extremos cuidados, desde a concepção: o aborto e o infanticídio são crimes abomináveis”7.


O respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto. O aborto jamais pode ser considerado um direito da mulher ou do homem, sobre a vida do nascituro. A ninguém pode ser dado o direito de eliminar outra pessoa. A sociedade é devedora da mulher, particularmente quando ela exerce a maternidade. O Papa Francisco afirma que “as mães são o antídoto mais forte para a propagação do individualismo


1 Cf. CONSTITUIÇÃO FEDERAL, art. 1°, III; 3°, IV e 5°, caput. 2 CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ, Declaração sobre o aborto provocado, in AAS 66 (1974) 730-747, 12. 3 Sb 1,13: “Deus não fez a morte, nem se alegra com a perdição dos vivos”. 4 Ex 20,13: “Não cometerás homicídio”. 5 Jo 10,10: “Eu vim para que tenham a vida, e a tenham em abundância”. 6 TERTULLIANO, Apologeticum, IX, 8: “É um homicídio antecipado impedir alguém de nascer... É já um homem aquele que o virá a ser”. 7 VATICANO II, Gaudium et spes, n. 51.


.egoísta. ‘Indivíduo’ quer dizer ‘que não se pode dividir’. As mães, em vez disso, se ‘dividem’ a partir de quando hospedam um filho para dá-lo ao mundo e fazê-lo crescer”8. Neste tempo de grave crise política e econômica, a CNBB tem se empenhado na defesa dos mais vulneráveis da sociedade, particularmente dos empobrecidos. A vida do nascituro está entre as mais indefesas e necessitadas de proteção. Com o mesmo ímpeto e compromisso ético-cristão, repudiamos atitudes antidemocráticas que, atropelando o Congresso Nacional, exigem do Supremo Tribunal Federal-STF uma função que não lhe cabe, que é legislar.


O direito à vida é o mais fundamental dos direitos e, por isso, mais do que qualquer outro, deve ser protegido. Ele é um direito intrínseco à condição humana e não uma concessão do Estado. Os Poderes da República têm obrigação de garanti-lo e defendê-lo. O Projeto de Lei 478/2007 - “Estatuto do Nascituro”, em tramitação no Congresso Nacional, que garante o direito à vida desde a concepção, deve ser urgentemente apreciado, aprovado e aplicado. Não compete a nenhuma autoridade pública reconhecer seletivamente o direito à vida, assegurando-o a alguns e negando-o a outros.


Essa discriminação é iníqua e excludente; “causa horror só o pensar que haja crianças que não poderão jamais ver a luz, vítimas do aborto”9. São imorais leis que imponham aos profissionais da saúde a obrigação de agir contra a sua consciência, cooperando, direta ou indiretamente, na prática do aborto.

É um grave equívoco pretender resolver problemas, como o das precárias condições sanitárias, através da descriminalização do aborto. Urge combater as causas do aborto, através da implementação e do aprimoramento de políticas públicas que atendam eficazmente as mulheres, nos campos da saúde, segurança, educação sexual, entre outros, especialmente nas localidades mais pobres do Brasil. Espera-se do Estado maior investimento e atuação eficaz no cuidado das gestantes e das crianças.


É preciso assegurar às mulheres pobres o direito de ter seus filhos. Ao invés de aborto seguro, o Sistema Público de Saúde deve garantir o direito ao parto seguro e à saúde das mães e de seus filhos. Conclamamos nossas comunidades a unirem-se em oração e a se mobilizarem, promovendo atividades pelo respeito da dignidade integral da vida humana. Neste Ano Mariano Nacional, confiamos a Maria, Mãe de Jesus, o povo brasileiro, pedindo as bênçãos de Deus para as nossas famílias, especialmente para as mães e os nascituros.


Brasília-DF, 11 de abril de 2017.


Cardeal Sergio da Rocha Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ Arcebispo de Brasília Arcebispo de São Salvador Presidente da CNBB Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo U. Steiner, OFM Bispo Auxiliar de Brasília Secretário-Geral da CNBB

8 PAPA FRANCISCO, Catequese, 7/01/2015. 9 PAPA FRANCISCO, Discurso aos membros do corpo diplomático acreditado junto a Santa Sé, 13/01/2014.




5- A AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO


     

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 22-05-2017, Gaudium Press) Na Santa Missa que celebrada na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco salientou em sua homilia que somente o Espírito Santo nos ensina a dizer: "Jesus é o Senhor".


É por isso que devemos abrir o coração para ouvir o Espírito Santo e, assim, poder testemunhar Jesus Cristo, afirmou Francisco.


O Papa desenvolveu sua homilia com base nas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo Jesus Cristo aos discípulos na Última Ceia.

E sua escolha foi de falar mais sobre o Espírito Santo, o Paráclito. Aquele que, disse Francisco, nos acompanha e "nos dá a segurança de sermos salvos por Jesus": o Espírito Santo é o Defensor enviado por Jesus para nos defender diante do Pai.


Espírito Santo nos conduz à plena verdade

"Sem o Espírito, nenhum de nós é capaz de dizer, ouvir e viver Jesus. Em outras partes deste longo discurso, Jesus diz do Espírito: ‘Ele os conduzirá à plena Verdade', nos acompanhará rumo à plena Verdade. ‘Ele lhes fará lembrar de todas as coisas que eu disse; lhes ensinará tudo'. Isto é, o Espírito Santo é o companheiro de caminhada de todo cristão, é o também o companheiro de caminhada da Igreja. E este é o dom que Jesus nos dá". Francisco ainda lembrou que é o Espírito Santo que nos ensina a dizer: ‘Jesus é o Senhor".

O Espírito Santo, disse, é "um dom: o grande dom de Jesus", "aquele que não nos deixa errar". Mas onde mora o Espírito?, perguntou o Papa.

Senhor, abra-me o coração para que entre o Espírito

Recordando a Primeira Leitura do dia, extraída dos Atos dos Apóstolos, quando se menciona a figura de Lídia, "comerciante de púrpura", que "sabia fazer as coisas", e a quem "o Senhor abriu o coração para aderir à Palavra de Deus", o Papa comentou que "o Senhor abriu o seu coração para que o Espírito Santo entrasse e ela se tornasse discípula. É justamente no coração que levamos o Espírito Santo. A Igreja o chama como ‘o doce hóspede do coração': está aqui. Porém, em um coração fechado ele não pode entrar. ‘Ah, então onde se compram as chaves para abrir o coração?'.

Não: também este é um dom. É um dom de Deus. ‘Senhor, abra-me o coração para que entre o Espírito e me faça entender que Jesus é o Senhor'".


O Papa acentuou que esta é uma oração que devemos fazer nesses dias: "Senhor, abra-me o coração para que eu possa entender aquilo que Tu nos ensinaste. Para que eu possa recordar as Tuas palavras. Para que eu chegue à plena verdade".


Coração aberto "para que o Espírito entre, e nós ouçamos o Espírito"


Francisco disse que, das Leituras do dia podem ser extraídas duas perguntas.


A primeira delas deveria ser: "eu peço ao Senhor a graça de ter um coração aberto? ". E a segunda pergunta seria: "eu busco ouvir o Espírito Santo, as suas inspirações, as coisas que Ele diz ao meu coração para que eu prossiga na vida cristã, e possa testemunhar também eu que Jesus é o Senhor? ".


Por fim, ainda o Papa recomendou:

"Pensem nessas duas coisas hoje: o meu coração está aberto e eu faço o esforço de ouvir o que o Espírito de me diz. E assim iremos avante na vida cristã e daremos também nós testemunho de Jesus Cristo. " (JSG)




Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.
Comments