Produtos Químicos e Segurança

Escola Tecnológica do Litoral Alentejano



Ficha Informativa da disciplina de Física e Química

Produtos Químicos e Segurança

Alguns produtos químicos são perigosos e requerem cuidados especiais quer durante a armazenagem e manipulação, quer na eliminação dos resíduos.

 

 Para garantir a segurança de pessoas, equipamento, instalações e meio ambiente, torna-se necessário o conhecimento dos potenciais perigos, bem como o modo de minimizar os riscos de acidente.

O objectivo deste texto é fornecer informações de carácter geral no domínio da segurança em química, e dar a conhecer um certo número de regras e procedimentos considerados básicos.

Os produtos químicos são classificados em função do tipo de perigo que podem oferecer. Para dar uma informação rápida sobre o tipo de perigo que uma substância pode oferecer usam-se símbolos e códigos, que são obrigatoriamente impressos nos rótulos dos frascos. Estes símbolos são definidos por normas internacionais. 

 

Símbolo

Descrição / Cuidados

Exemplos

 

 

Reagentes inflamáveis – são todos aqueles cuja temperatura de incandescência é inferior à temperatura ambiente.

 

Deve evitar-se o uso de recipientes de vidro para os guardar e devem ser colocados em armários metálicos resistentes ao fogo e à explosão.

 

 - Acetona;

- Ácido acético;

- Álcool etílico;

- Éter.

 

 

 

Reagentes tóxicos são os que oferecem um elevado risco de envenenamento por inalação, absorção ou ingestão.

O seu armazenamento deve ser separado do dos reagentes inflamáveis. Reagentes que formem compostos tóxicos em contacto com a humidade devem ser protegidos desta. Devem ser armazenados longe dos ácidos os reagentes que em contacto com eles formem substâncias tóxicas.

 

 

- Benzeno;

- Mercúrio;

- Tetracloreto de carbono;

- Cloro;

- Hidróxido de bário;

- Sais de chumbo, prata, manganês, cobalto e bário.

 

 

 

Reagentes explosivos – são os que, devido ao choque, impacto ou à exposição ao calor, podem explodir.

 

O armazenamento destes reagentes deve ser feito em local isolado das restantes áreas.

 

- Perclorato de magnésio;

- Dicromato de amónio;

- Peróxidos;

- Clorato de potássio;

- Nitrato de amónio.

 

 

 

Reagentes oxidantes – são os que podem iniciar uma reacção de combustão.

 

Não devem ser armazenados junto de reagentes combustíveis.

 

- Óxidos; Peróxidos;

- Nitratos; Cloratos;

- Percloratos;

- Cromatos;

- Dicromatos;

- Permanganatos.

 

 

Reagentes corrosivos – são os que destroem os tecidos vivos.

 

O seu armazenamento deve ser feito em local fresco.

 

- Ácidos e bases

- concentrados;

- Peróxido de hidrogénio.

 

 

 

Reagentes irritantes / nocivos – são as que oferecem um menor risco de envenenamento que as tóxicas.

 

 

- Dióxido de azoto e de enxofre;

- Amoníaco;

- Iodo.

 

 

Reagentes sensíveis à água – são os que reagem com a água, libertando gases e calor.

 

Estes reagentes devem ser armazenados em local seco.

 

- Sódio;

- Potássio;

- Hidretos metálicos.

 

 

Gases comprimidos – são gases não liquefeitos sob pressão, e gases liquefeitos ou dissolvidos sob pressão.

 

Os recipientes que os contêm devem estar fora do laboratório, assentes em suportes próprios ou fixos à parede ou bancada com cadeados. A sua deslocação deve ser feita em carrinhos adequados ao efeito.

 

 

- Oxigénio;

- Azoto;

- Propano;

- Acetileno (etino).

 

 

 

Substâncias carcinogénicas – substâncias susceptíveis de provocar o cancro.

 

Todas as operações com estas substâncias devem efectuar-se em câmara exaustora (hotte), devendo o operador usar luvas, máscara e óculos de protecção, evitando assim todo o contacto com a pele e a inalação de vapores e poeiras.

 

- Sais de crómio (VI);

- Sais de níquel;

- Benzeno.

 

 

De acordo com as normas internacionais, os símbolos gráficos de aviso devem ser encimados pela seguinte simbologia:

 

 

Reagentes Incompatíveis

 

REAGENTE

 

INCOMPATÍVEL COM...

 

 

Acetileno (etino)

 

 

Cloro, bromo, prata e mercúrio

 

Ácido acético (A. Etanóico)

 

 

Óxido de crómio (VI), ácido nítrico, álcoois, peróxidos e permanganatos

 

Ácido nítrico concentrado

 

 

Ácido acético, anilina, óxido de crómio (VI), líquidos e gases inflamáveis

 

Ácido oxálico (A. Etanodióico)

 

 

Prata e mercúrio

 

Ácido sulfúrico

 

 

Clorato de potássio e permanganato de potássio

 

Amoníaco

 

 

Mercúrio, cloro, hipoclorito de cálcio, iodo, bromo e sais de prata

 

Anilina

 

Ácido nítrico e peróxido de hidrogénio

 

 

Cloratos

 

Sais de amónio, ácidos, metais finamente divididos, enxofre e substâncias inflamáveis

 

 

Cloro, bromo e iodo

 

 

Amoníaco, acetileno, butadieno, butano, metano, propano e hidrogénio

 

Cobre

 

 

Acetileno e peróxido de hidrogénio

 

Hidrocarbonetos

 

 

Flúor, cloro, bromo, óxido de crómio (VI) e peróxido de sódio

 

Hidróxido de sódio e hidróxido de potássio

 

 

Ácidos e água

 

Líquidos inflamáveis

 

Nitrato de amónio, óxido de crómio (VI), peróxido de hidrogénio, ácido nítrico, peróxido de sódio halogéneos

 

 

Metais alcalinos

 

 

Água, tetracloreto de carbono e dióxido de carbono

 

Nitrato de amónio

 

 

Ácidos, líquidos inflamáveis e enxofre

 

Óxido de crómio (VI)

 

 

Ácido acético, naftaleno, cânfora, glicerina (1,2,3 – propanotriol), álcoois e líquidos inflamáveis

 

Permanganato de potássio

 

 

Glicerina e ácido sulfúrico

 

Peróxido de hidrogénio

 

Cobre, crómio, ferro, metais e sais metálicos, álcoois, anilina e substâncias inflamáveis

 

Substâncias Comuns Mais Perigosas

É da máxima importância para a prevenção de acidentes conhecer os perigos das substâncias com que se trabalha.

Na tabela seguinte constam os perigos envolvidos na manipulação de alguns produtos químicos existentes no laboratório.

 

NOME

 

PERIGOS ENVOLVIDOS NA SUA MANIPULAÇÃO

 

 

ACETONA

(propanona)

 

Líquido muito inflamável. Evitar o contacto com a pele. Inalação de vapor ou ingestão de líquido podem provocar tonturas.

 

 

ÁCIDO ACÉTICO

(ácido etanóico)

 

 

Líquido inflamável. Evitar a inalação do vapor e o contacto com a pele e com os olhos devido ao perigo de queimaduras.

 

ÁCIDO CLORÍDRICO

 

Líquido muito corrosivo. Causa queimaduras nos olhos e na pele. O gás, cloreto de hidrogénio, que se liberta rapidamente do ácido concentrado, é tóxico e irritante.

 

ÁCIDO FOSFÓRICO

 

 

Produz queimaduras graves nos olhos e na pele.

 

ÁCIDO NÍTRICO

(ácido azótico)

 

 

Líquido fumante extremamente corrosivo. Liberta fumos muito tóxicos que afectam os olhos e as vias respiratórias.

 

ÁCIDO OXÁLICO

(ácido etanodióico)

 

 

As partículas do sólido irritam as vias respiratórias. Tanto o sólido como as suas soluções irritam os olhos.

 

ÁCIDO SULFÚRICO

 

 

O ácido concentrado produz queimaduras graves nos olhos e na pele. O ácido diluído irrita os olhos e a pele.

 

 

ÁLCOOL ETÍLICO

(etanol)

 

 

Líquido muito inflamável.

 

 

ÁLCOOL METÍLICO

(metanol)

 

 

Líquido muito inflamável. A inalação do vapor pode causar tonturas. O vapor e o líquido são nocivos para os olhos podendo provocar a cegueira.

 

AMONÍACO E AMÓNIA

 

 

O gás tem um cheiro desagradável que irrita muito os olhos e as vias respiratórias. A solução aquosa (amónia) pode provocar queimaduras nos olhos e na pele além de libertar amoníaco.

 

 

ANILINA

 

 

Líquido volátil e facilmente absorvido através da pele. A inalação do vapor ou a absorção cutânea podem provocar dores de cabeça e sonolência.

 

 

BENZENO

 

 

Líquido extremamente inflamável. A absorção do líquido através da pele pode provocar envenenamento. O vapor é tóxico, irritante para os olhos e para as mucosas. É cancerígeno.

 

 

CHUMBO E DERIVADOS

 

A inalação de poeiras ou a ingestão de sais de chumbo pode causar severas lesões internas acompanhadas de vómitos, diarreias e colapsos.

 

 

CLOROFÓRMIO

(triclorometano)

 

 

Liberta um vapor venenoso com propriedades anestésicas, cuja inalação causa tonturas, dores de cabeça, vómitos e perda de sentidos. O vapor e o líquido irritam os olhos.

 

 

CROMATOS E DICROMATOS

 

 

As suas partículas irritam a pele, os olhos e as vias respiratórias. O contacto prolongado com a pele produz úlceras . É cancerígeno.

 

 

DIÓXIDO DE AZOTO

 

 

Vapores muito tóxicos que se formam em reacção com o ácido nítrico, que atacam os olhos, a pele e as vias respiratórias.

 

 

HIDRÓXIDO DE SÓDIO, HIDRÓXIDO DE POTÁSSIO E ÓXIDO DE CÁLCIO

 

 

Tanto os sólidos como as soluções produzem queimaduras na pele e nos olhos. Libertam calor ao entrarem em contacto com a água.

 

IODO

 

 

Sólido que queima a pele, libertando vapores nocivos que irritam os olhos e as vias respiratórias.

 

NITRATO DE PRATA

 

 

Sólido ou em solução aquosa provoca irritação nos olhos e queimaduras na pele.

 

SULFURETO DE CARBONO

 

 

Líquido extremamente inflamável. O líquido e o vapor irritam os olhos.

 

TETRACLORETO DE CARBONO

(tetraclorometano)

 

 

Liberta vapores venenosos que quando inalados podem causar dores de cabeça, náuseas, vómitos e coma. É cancerígeno.

 

TOLUENO

 

 

Líquido muito inflamável. Liberta vapores nocivos cuja inalação provoca tonturas, dores de cabeça e náuseas. O vapor e o líquido irritam os olhos e as mucosas.

 

 

 

Comments