filmes & videos evangelicos


Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Vídeo do YouTube

Julgados pelo STF                                                                                                             
Este site pertence ao Missionario Afonso

Louvor, Ontem e Hoje

       Em dois mil anos de cristianismo, a igreja, provavelmente, nunca cantou tanto como na segunda metade do século XX e no início deste século XXI. A quantidade de cânticos e hinos que se tem produzido, publicado, gravado e tocado em rádios e TVs certamente não encontra paralelo na história. Muitos advogam que este é o "tempo do louvor", que a missão primordial da igreja é a adoração a Deus, que o resumo da vida cristã é o culto celebrativo, é a louvação ao Senhor.
       Creio que há um equívoco nesta afirmação, pois biblicamente não encontramos base para afirmar que a missão principal da igreja é a adoração. Como a missão da igreja é uma extensão de missão de Jesus (cf. Jo 20.21b ) logo, a tarefa da igreja é direcionada também à evangelização, ao ensino e à ação social (cf. Mt 4.23; 9.35; 14.16; 28.19,20; Mc 1.14,21,34; Lc 4.15,18,19,44; 7.21,22 etc.). Foi isto, basicamente, o que Jesus fez durante seu ministério.
        O louvor é também uma tarefa da igreja, que vem desde os dias do Antigo Testamento. A igreja primitiva prestava culto ao Senhor. Paulo, por exemplo, recomenda aos irmãos que louvem a Deus por meio de "salmos, hinos e cânticos espirituais" (Cl 3.16). Jesus louvou o Pai. Entretanto, não podemos partir para um exclusivismo a ponto de reduzir a missão da igreja à área de adoração.
       Acredito que uma das razões de muitas igrejas hoje tornarem o louvor sua mais importante atuação resida no fato de que, para cumprir as outras tarefas (evangelização, ensino, ação social), é necessário ter desprendimento e disposição para trabalhar em favor do outro. Estas partes da missão da igreja nos fazem sair do imobilismo e vencer o individualismo, ao passo que a adoração - principalmente a que temos atualmente - favorece a perspectiva individualista da sociedade corrente, pois sendo o louvor algo entre o adorador e Deus,  o maior "abençoado" é o próprio cultuante. Nas outras áreas da missão da igreja, o principal abençoado é sempre o outro, o que combina perfeitamente com toda a ética de Jesus e a sua missão (Mt 22.39; Jo 13.34,35).
       Além disso, a igreja canta muito atualmente, como já foi dito, mas talvez ela nunca tenha cantado tão mal em toda sua história. Do ponto de vista tecnológico, da variedade de instrumentos e de ritmos, houve um crescimento e um enriquecimento monumental. Isto é ótimo. Do ponto de vista da qualidade poética e mesmo musical, não se pode afirmar o mesmo. Há hinos e cânticos maravilhosos, com poesia bíblica, ensino e qualidade musical excelentes. Mas, a maioria (creio eu), são cânticos de pobre qualidade musical e teológica, quando não, biblicamente errados.

Louvor e Adoração


       Louvor e adoração são duas coisas distintas, e objeto de uma confusão tremenda no meio evangélico. Como sempre coloco, há uma ignorância muito grande acerca de Deus na Igreja. Os participantes de nossas igrejas (inclusive muitos Obreiros e cooperadores) têm pouco conhecimento acerca do Deus a quem dizem servir (não que eu tenha muito). Daí porque há um grande número de Obreiros consagrados que acabam por abandonar a Obra ou a Casa do Senhor.
       O Louvor foi elevado a condição de MINISTÉRIO, juntamente com a Adoração. O(a) amado(a) leitor(a) já ouviu falar do Ministério de Louvor e Adoração? É tratado como se fosse uma coisa autônoma e independente dentro da Igreja. Isto não corresponde, a meu ver, à melhor interpretação das Sagradas Escrituras.
       Comecemos pelo CONCEITO de louvor. O que é LOUVOR? Normalmente o louvor é associado a cânticos, músicas, melodias. Assim, é comum que os "Ministros de Louvor" sejam os músicos, os cantores, os instrumentistas. Estes, normalmente, acreditam que o louvor (isto é, a parte musical) é a parte mais importante do culto, e reclamam do pouco tempo e importância que a ele se dá. Mais: acreditam que o louvor seria o mais importante pilar de uma igreja.
       O louvor, o sacrifício de louvor, de acordo com a própria Bíblia, é o fruto dos lábios que confessam o nome de Jesus (Heb.13:15).
       A música sempre teve um papel importantíssimo na cultura humana. E, reconheça-se, ela tem o poder de mudar o estado de espírito de uma pessoa. Isto é, uma pessoa triste pode ficar alegre cantando. E esta tem sido, infelizmente, a forma como o louvor tem sido encarado e praticado em nossas igrejas. Não que isso seja uma coisa ruim. Em absoluto. Mas esta não é a finalidade bíblica e espiritual do louvor, enquanto música e canto.
       Em Tiago 5:13 lemos: 
"está aflito alguém entre vós? Ore. Está alguém contente? Cante louvores".  Tiago 5.13
       Isto é, o louvor é produto, é resultado, é conseqüência. E não fundamento, origem, pilar, base, esteio.
       Lendo-se o livro de Salmos, vemos que os louvores têm sempre um FUNDAMENTO, uma CAUSA. Tipo:
"Rendei graças ao Senhor PORQUE Ele é bom"  (Sl.136:1)
ou o cântico de Moisés e o povo em Êxodo 15 (recomendaria que lesse).

         Não sei, como sempre, se estou conseguindo ser claro o suficiente....
       O louvor precisa vir do interior, da alma do cristão. Quando as pessoas começam a cantar hinos e cânticos de louvor que foram gravados por outrem, que viveu experiências fortes e marcantes com o Senhor, mas sem que isso venha do interior, da alma, está se utilizando da música, da melodia, da expressão cantada da mesma forma como os ímpios se utilizam da música nos bares, nas boates, nas festas e nas casas de dança. Em outras palavras: quando as pessoas tristes, magoadas, angustiadas vão às igrejas, e se alegram com os cânticos, e se deixam conduzir pelas emoções produzidas pelos louvores, SEM antes consertar o altar (I Reis 18:30), o louvor cantado estará tendo a mesma serventia da música nos bares para quem estava triste. Seu efeito é passageiro, transitório. O louvor tem que fluir de dentro para fora, e não o contrário.
       Repita-se: o louvor é fruto, é produto, é conseqüência do que o Senhor Deus fez (e faz) por nós. E não o fundamento de uma vida cristã.
       O Senhor tem feito maravilhas na vida do(a) amado(a) leitor(a)? Então cante louvores. Se não tem, então, primeiro, conserte o altar (Atos 15:16). E então o seu louvor será puro e verdadeiro (Isaías 30).

Parte 2       Estamos falando (escrevendo) sobre louvor e adoração. Na primeira parte, lamentavelmente, fizemos apenas algumas pequenas considerações sobre o louvor. Na presente, lamentavelmente, pretendemos fazer apenas mais algumas pequenas considerações sobre a adoração. Não posso falar (escrever) muito, sob pena de não ter leitores.

       Dito isto, podemos prosseguir.
       A palavra "adorar" tem diferentes significados e sentidos, de acordo com o contexto em que são colocadas. Tipo: "adoro peixe defumado"; "Rodolfo Valentino foi um ídolo adorado"; ou
"Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal; sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." (Apo.19:10).
       Vamos tentar falar sobre adoração, no sentido bíblico, e não no sentido coloquial ou gramatical da palavra.
       Adoração, conforme já colocado, não se confunde com louvor. São duas coisas distintas, muito embora essa distinção não seja do conhecimento da maioria dos participantes da igreja. Enquanto que o louvor é
"fruto de lábios que confessam o nome de Jesus" (Heb.13:15)
a adoração não precisa de motivos.

       Vou ver se consigo ser mais compreensível. Não existe amor à primeira vista. Existe paixão à primeira vista. Precisamos aprender a amar as pessoas. Elas precisam cativar nosso amor. Nós precisamos cativar seu amor. Mas há certas pessoas que não precisam fazer nada para que as amemos. Nós as amamos simplesmente pelo que elas são: nossos filhos. Nossos filhos não fizeram nada para que os amássemos. E nós os amamos pelo simples fato de serem nossos filhos. Quem tem filhos e os ama entende o que quero dizer.
       Por que amamos nossos filhos desde antes de nascerem? Não sei. Não há explicação. Ao contrario das demais pessoas que precisam cativar nosso amor, o amor pelos filhos nasce com eles. Aliás, já existe antes mesmo que nasçam (mas nós temos que cativar o amor de nossos filhos).
       Assim também deve ser a adoração. Não precisa de motivos, de fundamentos. Deus não precisa fazer nada para que O adoremos. Senão não é adoração. É louvor.
       Para que um cristão comece a ADORAR a Deus, precisa ter comunhão, conhecimento, contato, ligação com Deus. Se assim não for, estaremos na mesma adoração dos habitantes de Atenas (Atos 17).
       Adorar a Deus é reconhecer e confessar a sua glória, o seu poder, a sua majestade, a sua magnifência, não importando o que Ele faça ou deixe de fazer. A adoração é pelo que Deus é.
       Na adoração, nos humilhamos diante de Deus, reconhecemos e exaltamos a glória, majestade e poder. Às vezes mesmo sem palavras.
       Na adoração nada se pede, nada se reivindica, nada se agradece. Apenas se exalta, se glorifica ao Senhor nosso Deus. Apenas... se adora, e se alegra pela simples presença de Deus.
"Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é minha força, ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos." (Hab.3:17-19)

O Lugar do Adorador

"Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores". João 4.23
         Ao lermos este versículo, entendemos claramente a afirmativa que diz que "o Pai procura adoradores". Quantas vezes já não ouvimos este versículo? Ele tem sido tema de inúmeras meditações e até mesmo de canções devido a sua relevante mensagem. Mas será que diante dele já nos perguntamos: O que eu procuro "de" ou "em" Deus?

  • Procuro as mãos de Jesus - (Lugar de Bênçãos)

        O Senhor é Deus abençoador, que tem prazer em nos abençoar!  
"Do SENHOR é a salvação, e sobre o teu povo, a tua bênção".  Salmos 3:8
         Devemos buscar as suas mãos sempre que em situação de dificuldade. Não é errado! O errado é nos interessarmos apenas pelas mãos abençoadoras, e não pelo abençoador.
        Exemplo: Nos Evangelhos vemos o povo Judeu, durante o ministério de Jesus que foi por ele curado, liberto e perdoado. Este mesmo povo que andava às "multidões" atrás de Jesus, foi o mesmo povo que perante Pilatos, diziam sobre Jesus: "Crucifica-o"! (Mc 15.13; Lc 23.21; Jo 19.6)
         Este povo só queria as Bênçãos! Lamentável!
         O Adorador "em Espírito e em verdade" é uma pessoa que procura além das mãos de Jesus.

  • Procuro a companhia de Jesus - (Estar ao lado, Lugar de amizade) 

o"Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simã Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros.Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas?. João 21.15-17
         Esta passagem mostra bem como Pedro gostava da companhia, da amizade de Jesus. Cada vez que Jesus perguntava a Pedro: - Tu me amas (agapao)? Pedro respondia: - Sim, Senhor, tu sabes que te amo (phileo).
         (agapao, ágape) - amor de Deus, amor extremado por.
         (phileo) - sentimento fraternal, amizade
         Ou seja, Jesus perguntava se Pedro o "amava" e Pedro respondia que "gostava" de Jesus.
         Ter a amizade de Jesus é maravilhoso, mas o adorador quer mais!
         Temos deixado Jesus participar de nossas vidas plenamente, ou dizemos para o Senhor: - Jesus, eu deixo você trabalhar na minha vida até este ponto. Não vá além! Deste ponto em diante quem manda sou EU! Quem manda no meu dinheiro sou EU! Quem manda na minha amorosa pecaminosa sou EU! Você é um bom amigo, Jesus. Nada além disto!?

  • Procuro a face de Jesus - Lugar de Intimidade

"Tal é a geração dos que o buscam, dos que buscam a face do Deus de Jacó".  Salmos 24:6         Devemos desejar muito, termos intimidade com o Senhor. Assim como um casal, como um filho e seu pai que carinhosamente se tocam na face. Este relacionamento é ímpar.
         Este tipo de relacionamento com Deus não é para qualquer um. É somente para aqueles que são nascidos de novo."Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre".  1 Pe 1.23          O Senhor deseja relacionar-se conosco no mais alto nível de intimidade.
         Ter uma vida de intimidade com Deus não é algo que acontece uma vez por semana quando participamos de um culto de adoração. É muito mais! Assim como ser um adorador é um estilo de vida, a intimidade com Deus é algo diário. Mas ainda assim haverá momentos em que seremos por ELE tirados da "Face" e levados para outro lugar...

  • Procuro os pés de Jesus - Lugar de ouvir a voz do Senhor, humilhação, sujeição, sacrifício e adoração.

       Lucas 10.41 - Conta a história de Marta e sua Maria. Marta preocupava-se em preparar uma refeição para Jesus. Enquanto Maria, ouvia Jesus, sentada aos seus pés.
        João 12.23 - Fala de Maria que tomou um vaso de alabastro cheio de precioso ungüento e ungiu os pés de Jesus enxugando-os com seus cabelos. Isto é adoração extravagante! Ela não mediu esforços para adorar o Mestre. Jogou-se aos seus pés não importando quem estava ao redor e adorou, adorou e adorou... Não pediu nada... Não determinou nada... Apenas se prostrou aos pés de Jesus, e o adorou!
         Aos pés de Jesus é lugar onde todas nossas preocupações, anseios e frustrações devem ficar. Quando lanço tudo aos pés de Jesus de forma humilde e em sujeição, ouço a sua voz, recebo orientação, consolo, renovação e vitória!
         Mas há ainda um desafio a mais quando chegamos aos pés de Jesus. É o de permanecermos lá. E isto em todos os momentos da nossa vida!
         Quando permanecemos aos pés do Senhor, não temos tempo de ficarmos olhando o defeito dos outros (julgando), ou de nos preocuparmos e falarmos da vida alheia (crítica, fofoca). Estamos ocupados! Quando estamos aos pés do Mestre não temos tempo de ficarmos reparando ou desejando o que o irmão tem ou deixa de ter (inveja). Estamos aos pés de Jesus! E lá é lugar de submetermos nossos sentimentos a Ele, sejam eles quais forem! Aos pés de Jesus, lá é o nosso lugar!
         Lugar também de permanecermos muitas vezes em silêncio com o coração contrito e rendido ao Senhor. Apenas adorando!

Senhor, leva-me aos teus pés!
 


Comments