As Flautas de Jean-Pierre Rampal 
(Louis Lot e Haynes)


Talvez a grande “marca registrada” de Rampal tenha sido sua famosa flauta Louis Lot de ouro de 18 quilates, com a qual se apresentava, ficando logo conhecido do público como o "flautista da flauta de ouro", do "som dourado". Isto certamente ajudou sua carreira, ainda mais numa época em que pouquíssimos flautistas se davam ao luxo de possuir uma flauta de ouro. Rampal mais uma vez contou com a sorte para encontrar este verdadeiro tesouro: em 1948, alertado por um amigo, encontrou esta raríssima flauta de 1869 num antiquário, confirmando então boatos de que Louis Lot, o famoso construtor francês do século 19, havia produzido certa vez uma flauta de ouro que havia sido enviada à China. Mas era o pós-guerra, todos lutavam para sobreviver, e a flauta de ouro estava desmontada e pronta para ser derretida. Rampal só consegui salvá-la após prometer ao dono do antiquário o equivalente ao seu peso em ouro, o que conseguiu com a ajuda de seu sogro e juntando jóias de toda a família. Rampal levou a flauta para casa ainda em pedaços dentro de uma sacola, sem saber se havia feito bom negócio e se a flauta estava completa com todas as partes. Seu pai ficou eufórico quando viu a flauta, e após trabalhar durante toda a madrugada na sua montagem, pela manhã a flauta já estava pronta e tocando.¹

Flauta Louis Lot Gold de 1869 - Jean Pierre Rampal
A famosa Louis (1869 d. C) foi a única flauta de ouro francesa de que se tem notícia: trata-se da famosa Louis Lot no.1375, feita pelo ilustre artesão Louis Esprit Lot. Nela está inscrito: "Homage des membres de la Societé Philharmonique de Shangai à M. Rémusat".  O flautista Claude Rémusat (1896-1982), que posteriormente tomou posse da mesma, pertencia a uma família de músicos – seu pai fora um flautista de renome, Jean Rémusat, fundador da Orquestra Sinfônica de Shangai e assíduo frequentador das salas de concerto parisienses.  Mais tarde, em 1948, este fantástico instrumento viria a ser adquirido por Jean-Pierre Rampal casualmente em um antiquário em Paris. Estava totalmente desmontado, mas felizmente completo. Encontra-se hoje muito bem guardado pela família Rampal num cofre parisiense.²

Clique na foto para Ampliar
Fotos da Flauta Louis Lot Gold de 1869 de Jean Pierre Rampal.

Ouça o som da Louis Lot Gold de 1869 de Jean Pierre Rampal 

André Jolivet, Incantation Nº 3. Jean-Pierre Rampal


Rampal usou sua Louis Lot de ouro por 11 anos, e só a “aposentou” quando recebeu uma flauta de ouro da firma americana William S. Haynes, em 1958. Costumava viajar levando ambas, até que em 1985, quando viajava de Los Angeles para Boston, sua valise foi roubada em Los Angeles. Rampal fazia o “check in” no aeroporto e colocou momentaneamente sua valise no chão enquanto dava a passagem para a atendente, quando se distraiu alguém passou e levou sua valise com as flautas. A polícia foi acionada imediatamente e iniciou as buscas pelo aeroporto, mas Rampal tinha um concerto no dia seguinte em Boston e não pôde esperar que a polícia encontrasse suas flautas. Ligou para seu amigo Lewis Deveau dono da fabrica William S. Haynes e conseguiu uma flauta de ouro emprestada, que eles estavam terminando de fazer para um cliente. Na madrugada do dia seguinte, a polícia ligou avisando que havia encontrado sua valise e pedia para que Rampal confirmasse se havia em sua valise um estojo com seis pedaços de “canos” dourados. Rampal, mesmo aliviado pela notícia, teve de usar para o concerto daquela noite a flauta recém terminada pela Haynes, a qual acabou comprando. (Rampal tinha ao todo quatro flautas Haynes de ouro, com pé em dó, pé em si e com afinações diferentes: 440, 442 e 445). Depois deste susto e certo de que sua Louis Lot de ouro seria insubstituível, Rampal passou a deixá-la guardada em um cofre em Paris. Uma de suas últimas gravações com esta flauta foi no Concerto de Brandemburgo Nº5 de J. S. Bach com a Academy of St. Martin-in-the-Fields, sob a regência de Sir Neville Marriner.

Flauta Haynes de ouro de Jean Pierre Rampal
Veja abaixo foto da Flauta de ouro de Jean-Pierre Rampal e no fundo o livro de registro da Haynes indicando o número da flauta (29.333) e a data de fabricação.

Clique na foto para Ampliar
Flauta Haynes de ouro de Jean Pierre Rampal

Ouça o som da Haynes Gold de 1958 de Jean Pierre Rampal:

Bach, Sarabande - BWV 1013. Jean-Pierre Rampal



Veja vídeos sobre a fabricação das Flautas Haynes:

Por onde as flautas de Rampal?
As famosas flautas Haynes de ouro que pertenceram a Jean-Pierre Rampal foram vendidas ao flautista Claudi Arimany amigo da família do mestre francês. Arimany é catalão, nascido em Granollers, perto de Barcelona.  Dedica-se a uma carreira solo. Foi aluno de Alain Marion e Rampal, com o qual gravou um CD com a Orquestra Franz Liszt, de Budapest. Já a célebre Louis Lot de ouro 18K, que também pertenceu a Rampal, permanece guardada pelos parentes em um cofre em Paris.³


Fonte: 
¹ JEAN-PIERRE RAMPAL (1922-2000) por Marcos Kiehl
² Revista Pattapio, Ano XII - No 26 - Julho de 2006, pg 4.
³ Revista Pattapio, AnoXII, No 26, Julho de 2006