Artigos‎ > ‎

Figuras de linguagem na Bíblia

 Por:Adriano Ribeiro dos Santos

 

Resumo do capítulo 7 do livro “A Interpretação Bíblica” de Roy B. Zuck com o título  “As figuras de linguagem”[1].

 

O que é uma figura de linguagem?

Uma figura é meramente uma palavra ou frase colocada de forma diferente de seu emprego ou sentido original e simples.

Por que se utilizam figuras de linguagem?

As figuras de linguagem acrescentam cor e vida.

As figuras de linguagem chamam a atenção.

As figuras de linguagem tornam os conceitos abstratos ou intelectuais mais concretos.

As figuras de linguagem ficam mais bem registradas na memória.

As figuras de linguagem sintetizam uma idéia.

As figuras de linguagem estimulam a reflexão.

 

Como saber se uma expressão apresenta sentido figurado ou literal?

A palavra está em sentido figurado quando destoa do assunto ou quando difere dos fatos, da experiência ou da oservação.

Regras para identificar figuras de linguagem:

1.                 Adote sempre o sentido literal de uma passagem, a menos que haja boas razões para não fazê-lo (Ap 7.9).

2.                 O sentido é o figurado se o literal implicar uma impossibilidade (Jr 1.18).

3.                 O sentido é o figurado se o literal for absurdo (Is 55.2).

4.                 Adote sentido figurado se o literal sugerir imoralidade (Jo 6.53-58).

5.                 Repare se uma expressão figurada vem acompanhada de uma explicação literal (1 Ts 4.13-16).

6.                 Às vezes uma figura é ressaltada por um adjetivo qualificativo (Mt 6.14; Jo 6.32).

 

A linguagem figurada é o oposto da interpretação literal?

Não, apenas pode-se narrar um fato literal no sentido normal ou no estilo figurado.

 

Figuras de linguagem que encerram comparação

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Símile

É uma comparação em que uma coisa lembra outra explicitamente (assim como, tal qual, tal como, como).

“...toda carne é como a erva...” (1 Pe 1.24).

Metáfora

É uma comparação em que um elemento é, imita ou representa outro (sendo que os dois são essencialmente diferentes). Os verbos “ser” e “estar” sempre são empregados.

“Toda a carne é erva” (Is 40.6).

Hipocatástase

Faz uma comparação em que a semelhança é indicada diretamente.

“...Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21.17).

 

 

Figuras de linguagem que encerram substituição

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Metonímia

Substituir uma palavra por outra.

Causa em lugar do efeito: “...Vinde, firamo-lo com a língua...” (Jr 18.18).

O efeito em lugar da causa: “Eu te amo, ó Senhor, força minha” (Sl 18.1).

O objeto é empregado em lugar de outro semelhante: “Não podeis beber o cálice do Senhor...” (1 Co 10.21).

Sinédoque

É a substituição da parte pelo todo ou do todo pela parte.

“...os seus pés correm para o mal...” (Pv 1.16).

Merisma

É um tipo de sinédoque em que a totalidade ou o todo é substituído por duas partes contrastantes ou opostas.

“Sabes quando me assento e quando me levanto...” (Sl 139.2).

Hendíade

É a substituição de um conceito por dois termos coordenados (ligados por “e”) em que um dos elementos define o outro.

Quando os apóstolos falaram deste “ministério e apostolado”, estavam referindo-se a este “ministério apostólico” (At 1.25).

Personificação

Atribuição de características ou ações humanas a objetos inanimados, a conceitos ou animais.

“O deserto e a terra se alegrarão...” (Is 35.1).

Antropomorfismo

Atribuição de qualidades ou ações humanas a Deus.

“Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos...” (Sl 8.3)

Antropopatia

Atribui emoções humanas a Deus.

“...Tenho grandes zelos de Sião” (Zc 8.2).

Zoomorfismo

Atribui características de animais a Deus.

[Deus] Cobrir-te-á com suas penas, sob suas asas estará seguro...” (Sl 91.4).

Apóstrofe

Referência direta a um objeto como se fosse uma pessoa, ou a uma pessoa ausente ou imaginária como se estivesse presente.

“Que tens, ó mar, que assim foges?...” (Sl 114.5).

Eufemismo

Substituição de uma expressão desagradável ou injuriosa por outra inócua ou suave.

“...os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.” (1Ts 4.15)

 

Figuras de linguagem que encerram omissão ou supressão

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Elipse

Omissão de uma palavra ou palavras cuja falta deixa incompleta a estrutura gramatical.

“Os doze” representa “os doze apóstolos” (1 Co 15.5).

Zeugma

Associação de dois substantivos a um mesmo verbo, quando pela lógica o verbo só pede um substantivo.

“Sua boca se abriu e sua língua” (Tradução literal de Lucas 1.64).

Reticência

Interrupção repentina do discurso, como se o orador não tivesse podido terminá-lo.

“Por esta razão, eu, Paulo, o prisioneiro de Cristo por amor de vós, os gentios...Certamente sabeis da dispensação da graça... (Ef 3.1, 2).

Pergunta retórica

Não exige resposta; seu objetivo é forçar o leitor a respondê-la mentalmente e avaliar suas implicações.

“Acaso para Deus há cousa demasiadamente difícil?... (Gn 18.14).

 

Figuras de linguagem que encerram exageros ou atenuações

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Hipérbole

Afirmação exagerada em que se diz mais do que o significado literal com o objetivo de ênfase.

“...as cidades são grandes e fortificadas até aos céus...” (Dt 1.28).

Litotes

Frase suavizada ou negativa para expressar uma afirmação. É o oposto da hipérbole.

“...Eu sou judeu, natural de Tarso, cidade não insignificante...” (At 21.39).

Ironia

É uma forma de ridicularizar indiretamente sob a forma de elogio.

“porque, sendo vós sensatos, de boa mente tolerais os insensatos” (2 Co 11.19). Essas palavras eram ridicularização e crítica.

Pleonasmo

Repetição de palavras ou acréscimo de palavras semelhantes, que em nossa língua parecem redundantes.

“Com o ouvir dos meu ouvidos ouvi” (Jó 42.5, ARC).

 

Figuras de linguagem que encerram incoerências

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Oxímoro

Combinação de termos opostos ou contraditórios.

“dores de parto da morte (grego literal de At 2.24).

“Sacrifícios vivos”. (Rm 12.1).

Paradoxo

Afirmação aparentemente absurda ou contraditória ao bom senso. Não é uma contradição; é algo que parece ser o oposto do que em geral se sabe.

“...quem perder a vida por causa de mim e do evangelho, salvá-la-á” (Mc 8.35).

 

 

Figuras de linguagem que encerram sonoridade

Figura

Definição

Exemplo Bíblico

Paronomásia

Emprego das mesmas palavras ou de palavras de sons semelhantes para produzir sentidos diferentes.

“...Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos” (Mt 8.22).

Onomatopéia

Palavra cuja pronúncia imita o som da coisa significada.

O verbo lançar em Jó 9.26 é û no hebraico, cuja pronuncia é como o som da águia (ou do falcão peregrino) quando se lança sobre a presa a uma velocidade elevadíssima.

 

Como devemos interpretar as figuras de linguagem?

Descobrir se existe alguma figura de linguagem.

Descobrir a imagem e o objeto na figura de linguagem.

Especificar o elemento de comparação.

Não presumir que a figura sempre signifique a mesma coisa.

Sujeitar as figuras a limites ou controles legítimos por meio dos princípios da lógica e da comunicação.

 

Em que uma expressão idiomática se diferencia de uma figura de linguagem?

Expressão idiomática é “um encadeamento de palavras cujo sentido difere do significado que cada uma delas tem isoladamente”. Uma expressão idiomática em nosso país pode ter o significado completamente diferente em outra cultura. Ex: “Ele tem coração duro”. No Brasil significa uma pessoa indiferente, mas no dialeto shipibo do Peru significa que uma pessoa é valente.

 



[1] ZUCK, Roy B.. A Interpretação Bíblica. São Paulo: Vida Nova, 1994. págs. 167-196.

 

Comments