* Yoga‎ > ‎

Artigos


              
                

Caminhos para a Meditação




“Uma mente ansiosa, distraída, desfocada, não consegue meditar. Para a meditação você precisa eliminar as tensões da mente, das emoções, do corpo físico. (…) Para meditar seu corpo precisa estar totalmente no presente.” 

Swami Satyasangananda Saraswati (Paramahansa – Gran Mestra Yogue- da linhagem de Swami Satyananda Saraswati


A prática do Yoga em todos os seus passos, compilados por Patãnjali, podem ser um excelente caminho para você conquistar a meditação. Este estado se estabelece, quando sua consciência está focada em um único ponto, o momento presente.

Para tanto, as práticas de Asanas (posturas), contribuem fundamentalmente para que você conduza a sua mente para seu corpo físico, instância básica que traz você para o aqui e agora. Segundo Swami Satyasangananda Saraswati, não se  medita abandonando o corpo físico, esse estado acontece quando você estabelece um corpo saudável, sem tensões que possam distrair a sua mente ou interromper seu fluxo natural de energia.

A prática de Pranayamas (controle da respiração para a expansão do Prana), facilita a consciência e expansão da energia pelo corpo físico e na mente. Gastamos muita energia nas atribulações do dia a dia e uma mente cansada e confusa, não tem energia para o foco ou estabilidade.

Lembremo-nos de que de acordo com o Yoga, nosso corpo energético -Pranamayakosha- é que liga nosso corpo físico ao mental, assim devemos ter consciência dele para uma melhor integração de nós mesmos.

“O Prana é o combustível que move nosso corpo e nossa mente em equilíbrio”

Swami Satyasangananda Saraswati


Quando você se sente bem, seu corpo está confortável, sem tensões nas articulações, na coluna e, sua respiração está fluida e consciente, você dá um passo fundamental para que a meditação possa acontecer.

“A meditação se inicia somente quando você está em estado de relaxamento. Este estado não é um resultado da meditação. O relaxamento é um pré-requisito para a meditação.”

Swami Satyasangananda Saraswati


A mente é constantemente chamada pelos nossos sentidos, ao mundo externo. Para caminhar em direção ao foco e à meditação, é necessário aquietar esses sentidos, trazendo-os para percepções internas. Nesse momento, estabelecemos Pratyahara, a introspecção dos sentidos e somos então, capazes de relaxar de modo consciente.

Várias técnicas de Yoga contribuem para este passo. 

O Yoga Nidra, o relaxamento consciente e profundo, é uma prática que favorece o equilíbrio do corpo em várias instâncias, a partir deste movimento de introspecção, que se inicia no corpo físico: dos sentidos externos para os internos. Esta técnica desenvolvida por Swami Satyananda Saraswati (Bihar School of Yoga – India), produz este estado de Pratyahara, propiciando ao praticante ferramentas para que ele crie sua consciência no presente, trazendo bem estar, saúde ao corpo físico, energético e mental. Neste estado de consciência, segundo Swami Satyananda, nosso corpo em todas as instâncias se transforma em um campo fértil para que instauremos uma nova percepção sobre nós mesmos, mais positiva e criativa, dentre outros benefícios.

A técnica de Ajapa Japa, traz nossa consciência para a nossa respiração, de modo a tranquilizar nossa mente e estabelecer um bom fluxo e de energia que favorece a concentração. Esta técnica pode ser trabalhada como forma de relaxamento consciente e também como técnica de concentração ou Dharana, um novo passo para que a meditação aconteça.

Antar Mouna, o silêncio interior, é uma técnica que faz a reconecção com seu universo interior, acionando Pratyahara e relaxando a mente. Swami Satyananda Saraswati desenvolveu estágios para esta prática, de modo a ensinar o praticante a usar esta técnica para a introspecção da mente, em seguida para a percepção da natureza de seus pensamentos, liberação dos excessos da mente e então, a concentração. Mais uma possibilidade de estabelecer a partir daí, a meditação.

A prática de Mantras, sons carregados de vibrações internas e positivas, é uma ferramenta bastante adequada para a tranquilização da mente. Trabalhar o mantra Om, por exemplo, com o foco na respiração, ou na produção deste som de forma prolongada, podem ser técnicas simples e eficazes de equilíbrio da mente. 

São muitos os caminhos para se meditar, mas devemos lembrar que é fundamental trilhá-los com consciência e constância, para que você encontre nesta prática, benefícios fantásticos para a sua vida. 


Cristiani Matsuoka Praneshwari

Professora do Chidananda Yoga


 •                                                         


DHYANA - Meditação


A meditação no Yoga, ou Dhyana é uma evolução pessoal das práticas de abstração dos sentidos e concentração - Pratyahara e Dharana, segundo os passos do Yoga compilados por Patãnjali.

Existem várias técnicas do Yoga que favorecem o estado meditativo, propondo o aquietamento da mente e o foco específico. Nas práticas, para criar este estado, devemos construir desde o corpo físico, possibilidades de entrega, bem estar, firmeza, para que a meditação aconteça.

O Asana (postura) meditativo deve ser preparado pelo praticante, desde os desbloqueios em partes específicas do corpo, como tornozelos, joelhos e quadris, até o refinamento da consciência sobre a coluna vertebral.

"Quanto mais estável você se torna em seu Asana, maior será a sua capacidade de concentração com uma mente unidirecionada."

Swami Satyananda Saraswati

Quanto mais você pratica a estabilidade do corpo e da mente com consciência, mas facilmente você encontra sustentação na meditação.

Esta estabilidade vai desde a escolha da sua alimentação até o tempo que você pode dedicar às suas práticas, de modo tranquilo.

O Yoga propõe sempre, através de suas técnicas, a consciência sobre você em vários níveis de percepção.

As técnicas que favorecem a meditação propiciam ao praticante a escolha de caminhos que o auxilie a ampliar a sua visão pessoal, do mundo a sua volta e de seu Eu Interior.

Lembre-se de que você não para de pensar, mas pode refinar o tipo de pensamento e direcioná-lo da melhor forma. Esta pode ser uma boa prática de meditação.

 

Dharana - O passo do yoga que leva à concentração

 


Concentrar-se em um objetivo para poder concretizá-lo é sempre uma meta que buscamos na nossa vida.

Exercitar o foco de modo tranquilo e eficaz é uma prática prevista no Yoga, um estágio que deve ser exercitado diariamente para liberar nossa mente de excessos e favorecer a sensação de dever cumprido.

Quando praticamos a concentração em um ponto, nossa mente se prepara para deixar em stand by várias atividades periféricas que instigam nosso cérebro e conseguimos concluir com naturalidade vários propósitos para o dia e para a vida. Tranquilizamos com maior facilidade nossa mente e a liberamos de impressões contínuas que podem nos dispersar com facilidade.

Na prática regular de Yoga, a concentração é sempre uma etapa da aula, levando o aluno a educar a sua mente para esse fim. Assim que corpo e mente estão mais relaxados e a energia flui naturalmente entre essas duas instâncias, todo o corpo está mais predisposto para a prática de DHARANA, a concentração. O praticante nesta fase já preparou sua musculatura, sua coluna e sua mente para a estabilidade, que é pré requisito para a concentração.

"Quanto mais estável você se torna em seu Asana, maior será sua capacidade de concentração com a mente unidirecionada." Swami Satyananda Saraswati

Lembre-se sempre de que Dharara é o caminho para Dhyana – a meditação.

 


Pratyahara


O Sábio Patãnjali nos favoreceu compilando conceitos sobre a Filosofia do Yoga. Nos indica oito passos básicos para que esta filosofia possa ser vivida de forma consciente.

Iniciamos conhecendo os Yamas e Niyamas, as regras de convívio com nós mesmos e com aqueles a nossa volta. Conhecemos os benefícios e a função das práticas dos Asanas, as posições que fazemos com o corpo para desbloquear pontos de tensão, os Pranayamas, a expansão da energia através do controle da respiração e, finalmente, o quinto passo, conhecido como PRATYAHARA, a abstração dos sentidos externos do corpo.

Entrar no estado de Pratyahara é permitir minimizar as agitações da mente. É liberar nosso corpo dos excessos gerados pelo contínuo uso dos sentidos externos.

Somos continuamente levados a nos conectar com nossos sentidos: visão, audição, tato, paladar e olfato, para nos relacionar com o mundo externo. Quando então precisamos olhar para nós mesmos, muitas vezes não conhecemos o caminho de volta, o da introspecção, do relaxamento, da consciência sobre nós mesmos.

Relaxar, não é somente dormir. Muitas vezes “cumprimos” as oito horas de sono sugeridas pelo senso comum, mas não nos sentimos descansados, revitalizados.

As práticas que fazem uso deste estado de Pratyahara, nos deixam entre o sono e a vigília, liberando tensões acumuladas especialmente no plano mental e emocional. Deste modo pensamos melhor, agimos mais tranquilamente e temos uma melhor qualidade de sono, dentre outros benefícios.

A receptividade da mente em Pratyahara é enorme. É como um solo fértil pronto para transformar padrões internos” Swami Satyananda Saraswati

As técnicas de abstração dos sentidos, como Yoga nidra- o sono do Yogi, Antar Mauna - o silêncio interior, e muitas outras que a prática do Yoga estimula, indicam caminhos para nossa ligação interna, para nosso silêncio. Nos permitem o foco para o que realmente buscamos. Nos favorecem na construção da concentração que pode nos conduzir a nossa essência. É um caminho fundamental para a meditação.

 


Pranayamas




Pranayama em Sânscrito significa a expansão da energia vital. No Yoga, podemos fazer esta ação através da consciência e controle da respiração.

São muitas técnicas de respiração para vários fins. O importante no entanto é estarmos sempre conscientes desta fonte especial de energia, que é a respiração. Nosso potencial inesgotável de trazer uma energia renovada a cada ato respiratório.

As técnicas desenvolvidas com os pranayamas ativam e regularizam a energia vital no nosso corpo. Muitas vezes não nos falta energia, precisamos reconduzir seu caminho, equilibrando assim, nosso corpo energético - PRANAMAYAKOSHA.

Tranquilizar a mente é um dos especiais benefícios das técnicas respiratórias. Lembremos que dispendemos muita energia nas nossas agitações mentais. Deste modo, ao minimizarmos os excessos da mente, poupamos e redirecionamos nossa energia para um foco a nossa escolha.

Respire melhor e perceba que sua concentração aumenta e seu desgaste mental diminui.

As técnicas que o Yoga oferece para esta finalidade são um importante instrumento para o seu bem estar físico, mental e energético.

Ainda que o conceito e a prática de Pranayamas seja amplo e com muitas propostas de consciência, faça o que é possível para você, na aula e na vida...



Asanas - Posturas do Yoga




De acordo com os passos do Yoga compilados pelo sábio Patãnjali, a prática do Yoga segue a partir de uma conduta mental e postural diante da vida, guiada pelos Yamas e Niyamas- Conceitos éticos e morais.

Os asanas ou posições do Yoga, seria a terceira etapa ou passo, segundo Patãnjali.

Inicialmente, refere-se à posição sentada, com firmeza e conforto que propicie uma maior consciência das instâncias mais sutis do praticante. A expansão da ideia de posições ou asanas do Yoga é para gerar esta estabilidade no corpo e na mente. Deste modo, praticamos asanas, para estarmos presentes em nós mesmos, desbloqueando pontos de desconforto, para mantermos nossa saúde física e para que nossa mente se tranquilize e possa se concentrar no objeto do nosso foco.

Buscamos, através da prática de asanas, criar a consciência da estabilidade e bem estar do corpo físico e expandir essa ideia ou sensação a nossa mente. Deste modo somos capazes de gerar equilíbrio a partir da relação com o físico. Segundo Swami satyananda Saraswati, reconhecido Mestre de Yoga, "(...)Tanto o corpo quanto a mente acumulam bloqueios e tensões. Todo bloqueio mental tem um correspondente físico, uma tensão muscular e vice e versa. O objetivo dos asanas é relaxar estes bloqueios (...), liberando tensões mentais, lidando com elas no nível físico, atuando somato psiquicamente, ou seja, do corpo para a mente."

Perceber então nossos limites, construindo e desfazendo as posições; nossas tensões, buscando liberá-las, é como guiar nosso cérebro à percepção das vicissitudes da vida. Estamos continuamente construindo, recriando e processando ideias e sensações.

Assim, quando você praticar Asanas na aula de Yoga esteja presente em cada momento desta prática, em cada estágio da sua realização. Lembre-se de que cada dia você está mais preparado para uma determinada prática. Não exija deste modo resultados ou faça comparações entre a sua prática e a do outro. Respeite seus limites sempre, reconhecendo-os em cada postura e adequando o Asana a você, com a consciência do bem estar e da estabilidade.

 

Yoga: Pratique esta ideia de modo consciente!

Cristiani Matsuoka (Praneshwari) 

 
                                                                                   
 

YAMAS E NIYAMAS

Preceitos de observância da sua conduta consigo e com o outro


O sábio Patãnjali compilou uma série de diretrizes que ajudaram a formatar e elevar o Yoga como uma Escola Filosófica reconhecida e respeitada, há milhares de anos.

São os Yoga Sutras de Patãnjali. Funcionam como um fio condutor para aquele que busca se aprofundar nos conhecimentos do Yoga.

Não são fáceis de serem compreendidos por aqueles não não estudam com afinco o Yoga, mas os Yamas e Niyamas são como uma base de conduta de vida. Quanto mais os estudamos, mais os compreendemos e os aplicamos nas aulas e na vida diária. Estes conceitos nos auxiliam a praticar o Yoga integralmente.


Sugerimos nesta sequencia de textos, algumas ideias e interpretações dos 5 Yamas – o auto-controle

 

  • YAMAS

 

• AHINSA


Um dos preceitos é Ahimsa – a não violência. Um modo de olhar para este Yama é buscar iniciar o dia observando os seus limites e os do outro, cultivando a respiração e a consciência sobre seus atos e pensamentos. Cultive coisas boas no seu dia e pratique o respeito. Isso deve refletir nas suas relações.



 

SATYA


Um outro ensinamento importante, dado pelo sábio Patãnjali, é Satya, o compromisso com a verdade. A ruptura maior é quando não somos verdadeiros com nós mesmos, quando não podemos confiar nas nossas metas, na nossa palavra, no nosso compromisso com a nossa verdade, com o nosso propósito interior.


É importante que você busque integridade nas suas ideias e possa sempre confiar em você mesmo. Sempre é tempo de reatar este compromisso interior e vibrar em auto confiança!



 

• ASTEYA


Dando continuidade aos passos do Yoga, sabiamente compilados por Patanjali, vamos observar o nosso compromisso com a Honestidade – Asteya – Muitas vezes as nossas necessidades de conquistas pessoais nos fazem esquecer este princípio.


Alguma vez você já fez coisas, como mudar radicalmente o visual para ser parecido com alguém que você admira?


Respeitar, valorizar, admirar alguém pelas suas qualidades é muito importante, mudar o visual também é bom e prazeroso. Lembre-se, no entanto, de não descaracterizar quem você é, ultrapassando os limites dessa adoração e perdendo a sua identidade maior: a sua essência, o seu eu interior. Seja sempre o SEU melhor!


Esta é uma das interpretações deste compromisso tão especial : Honestidade!


Na prática do Yoga sugerimos que você observe com atenção e respeite os seus limites pessoais, fazendo o seu melhor naquele momento. É uma forma de estabelecer um compromisso honesto com você e com o seu corpo.



 

• BRAHMACHARYA

 

 

Continuando a compartilhar o conhecimento sobre os preceitos do Yoga, vamos ressaltar, o Yama (observância da relação com o outro) - Brahmacharya . Este passo nos indica a atenção ao controle da energia sexual.


Estarmos sempre voltados ao belo externo, a pensamentos que nos conduzam continuamente a esta energia, pode gerar o desperdício do nosso potencial criativo. Redirecionar essa energia na nossa vida, em vários momentos, pode ser uma boa escolha. Lembre-se de que quimicamente no nosso corpo, a energia sexual nos conduz a fertilidade, prazer, procriação, imaginação... o que é fantástico! Se conduzirmos então esta força para várias situações da nossa vida, teremos um campo fértil e criativo em várias instâncias. É como conduzir a correnteza de um poderoso rio, canalizar a água de uma fonte de bem estar!


 

 

• APARIGRAHA


O Yama que corresponde ao desapego.


Possuir é algo que entendemos bem e sabemos no senso comum que quando não controlamos nossos impulsos pela posse de coisas materiais, podemos nos tornar egoístas.

Será que já paramos para pensar que muitas vezes somos apegados às nossas emoções (ainda que negativas)? Somos apegados como um “disco riscado” a pensamentos e cadeias deles que nos tiram o tempo, a energia, a paz de espírito.

Fique atento aos apegos pré estabelecidos na sua mente!


 


  • Niyamas


Caminhos para a auto observância

 

Os niyamas constituem um código de conduta ética com você mesmo.

É um modo de organizar-se internamente para viver melhor consigo mesmo. São cinco passos dentro destas diretrizes traçadas pelo sábio Patãnjali.


 

• SAUCHA

 

O primeiro é o Saucha, que nos sugere a limpeza. Este é um passo básico para nos mantermos bem com nós mesmos. Manter o corpo e a mente saudáveis, exige limpeza, liberação de toxinas do corpo físico, das emoções e da mente, que pode ser feita de várias formas dentro da busca do autoconhecimento.

A prática do yoga que propõe atenção ao corpo em várias instâncias favorece a percepção de como mantemos o nosso corpo consciente das toxinas que produzimos e absorvemos diariamente. Nos ajuda a eliminá-las aos poucos, conforme a prática e a disciplina.




 

 
SANTOSHA
 

O estado natural de contentamento.

Santosha é a busca, o contato com um estado de satisfação natural. É a alegria interna que reflete no externo.

Quando somos capazes de apreciar com simplicidade um lindo dia de sol, uma árvore florida, um bom dia... somos capazes de ter um contato com nosso estado de Santosha.

O praticante de Yoga busca este estado desde uma respiração consciente, uma visualização interna, até o exercício da meditação.

Procure apreciar mais as coisas simples a sua volta. Visualize a beleza natural dentro de você e a sua volta, exercitando um contentamento espontâneo. Faça esta apreciação diariamente e observe os reflexos desta prática na sua vida.



TAPAS

 

Esforço sobre si mesmo

 

O Tapas é o 3º Niyama (código pessoal de ética) que Patãnjali nos descreve nos passos do Yoga.

È o esforço, a auto superação. Em Yoga trata-se, de uma forma geral, de técnicas que ajudam a construir a resistência física e psíquica.

Nas práticas regulares de Yoga podemos pensar em permanecer mais tempo em uma postura, conscientes do corpo e da respiração; podemos pensar em estarmos atentos o tempo todo em nós durante a prática, sem deixarmos a nossa mente tentar “resolver problemas” fora da sala de aula, enfim, podemos pensar em vários níveis de esforço que nos leve a um aprendizado e à construção de um corpo físico, mental e emocional mais estável.



 

• SVADHYAYA

 

O auto-estudo

 

A busca do auto conhecimento é sempre uma constante para quem quer mergulhar em si mesmo e estar em contato com a sua essência.

Nesta etapa da auto observância proposta por Patãnjali, através do estudo, da observância de si mesmo, conseguimos a união com nossa divindade pessoal, ou seja, nos integramos com nossa essência.

Nas aulas de Yoga acessamos o corpo físico, energético e mental, para entrarmos a cada prática em contato com essas instância e outras mais sutis e aprimorarmos a percepção sobre nós mesmos.



ISHVARAPRANIDHANA


 

O princípio da entrega às leis do Universo


Darmos poder a nossa confiança em algo maior que conduz o Universo é sermos capazes de confiar na perfeita condução das coisas. Delegar o controle e permitir que as coisas sigam o seu curso natural é um modo de exercitar de forma consciente este princípio.

Busque relaxar na perfeição da natureza e acredite na condução natural de todas as forças do Universo.

Respire profundamente trazendo uma sensação de bem estar e confiança na inspiração e deixe partir o que não cabe a você controlar, na exalação. Entregue e confie! Exercite esta confiança, este positivismo em você!


Yoga: pratique esta ideia!
Cristiani Matsuoka (praneshwari)

 
                                                                                                 
 

 

A Energia das deusas


                                    Sri Yantra


O Devi Navaratri, a comemoração das nove noites que revelam a força do aspecto feminino, é uma forma de entrarmos em contato com essa energia em nós. 

Trazer a relação com a força da Terra, a criatividade, a sustentação que ela representa associada ao equilíbrio, independente das transformações, é fantástico.

Durga, Parvati e Kali, são as facetas femininas ligadas a Shiva, o Senhor das transformações.


Durga traz a sabedoria da proteção da mãe Terra, do auto cuidado, que podemos expandir para a ideia da boa alimentação, da nutrição em várias instâncias do nosso corpo, das várias ferramentas que temos para nos manter em contato com nós mesmos. Ela traz como ferramenta a ideia da quietude, da plenitude, da força, da superação.

Parvati é o retrato da harmonia. Ela pode nos mostrar o caminho para o bom relacionamento do feminino e do masculino em nós: o equilíbrio do lado esquerdo e direito, da Lua e do Sol. Da energia da Terra e da consciência que vem do cosmos.

Kali é própria energia de transformação atuando. Quando não queremos olhar para as mudanças que acontecem o tempo todo em nós e na nossa vida, vibrando na estagnação, a ação avassaladora de Kali é uma bênção. Talvez não olhemos desta forma no início, mas com o tempo, o aprendizado da necessidade de nos permitir o fluxo de movimento consciente deve  acontecer. Facilita quando  estamos abertos a essa consciência. 

Deste modo, nas mudanças, em tudo na nossa vida, a energia de Durga, que também é Parvati e Kali, nos permeia.


Lakshmi é a representação da beleza, da plenitude, da abundância. É a consorte de Vishnu, o senhor que mantém a estabilidade do Universo. Lembre-se de que o movimento faz parte da vida, mas temos de ter um ponto de sustentação, de manutenção consciente. O seu universo pessoal precisa desta referência.

Lakshmi é a representação da prosperidade em todas as instâncias, material, energética... Também representa essa relação com a beleza de dentro para fora, reunindo em si, todo o potencial feminino.

Uma representação muito forte na India é o Sri Yantra, uma imagem anterior à Mandala que faz inferência a essa deidade e representa por si só toda essa relação de prosperidade de conexão de dentro para fora, do mundo pessoal para o Universo a sua volta. É um símbolo de proteção e prosperidade energética.


Saraswati é a deusa da sabedoria, das artes, da música, da espontaneidade, da conexão com o conhecimento criativo.  É consorte de Brahma, o criador. Tudo se transforma e se mantém em torno da criação com sabedoria e criatividade. Ela carrega consigo os Vedas, manual de conduta dos seres humanos. Um texto pequeno em suas mãos para nos comunicar sabiamente que se seguirmos alguns preceitos simples, teremos uma relação saudável com nossa vida.


Esse universo de deidades é muito vasto e pode nos ajudar a compreender facetas em nós e a criar mecanismos de bem estar e positivismo, para que nossa mente esteja mais aberta a possibilidades e mais preparada para buscar o equilíbrio natural.


Yoga: Pratique esta ideia sempre!


Cristiani Matsuoka Praneshwari 


 

                                                    •


                                                             

                                                   

Vinyasa


                                  

 

Na prática do Yoga, vinyasa significa movimento associado a respiração. Através desta técnica, que associa ritmo e fluidez à respiração e também as nossas ações, criamos harmonia para o corpo e tranquilizamos a nossa mente.

Experimente praticar diariamente exercícios baseados nesta técnica, através de movimentos simples e fluidos.

Coloque-se de pé com a coluna ereta, os pés firmes no chão e mãos ao longo do corpo. Inspire elevando os braços até unir as mãos no alto da cabeça. Exale descendo-os até o ponto inicial. Repita esta prática por algumas respirações.

Yoga, pratique esta ideia! Ative a sua energia!


Cris Matsuoka (Praneshwari)


 

                                                     •

A Busca do bem-estar através do Yoga


Todos nós sempre buscamos nos sentir bem com nós mesmos e com o mundo a nossa volta. Muitas vezes nos vemos envoltos em problemas, estados mentais de agitação, cansaço, rigidez do corpo e da mente.

A filosofia do Yoga nos sugere flexibilizarmos nossa mente e o nosso corpo, trazendo mais alegria e positividade à nossa vida, quebrando padrões de pensamentos limitantes ou negativos e liberando nosso corpo de toxinas. É a busca da energia do bem estar.

Para acionarmos esse potencial energético em nós é importante valorizarmos o que está a nossa volta e observarmos a nossa capacidade de estarmos atentos a nós mesmos.

Buscar observar uma respiração fluida é permitir que essa sensação de fluidez se expanda pelo nosso corpo, liberando toxinas do físico e da mente. É como se estivéssemos conscientes de que o modo como respiramos é uma forma de nos alimentamos de energia, de Prana.

Se buscarmos também o contentamento através da valorização da natureza a nossa volta, das pequenas conquistas que fizemos a cada dia, começamos a nos liberar da necessidade de resultados  pré estabelecidos pela nossa mente que deseja incessantemente algo a mais...

Na prática do Yoga, quando exercitamos o desprendimento de atingir uma postura e nos conectamos com a respiração fluida e a consciência no que estamos praticando naquele momento, podemos conquistar um estado mental mais tranquilo e focado. Estamos desta forma liberando a mente e o corpo dos excessos, das cobranças demasiadas que muitas vezes já fazemos no dia a dia. A facilidade de acessarmos nosso desejado “bem estar” é maior.

Buscar um estado de harmonia interno é gerar equilíbrio a nossa volta. Refletimos a forma como pensamos, como respiramos...

O bem estar pode estar no exercício da flexibilidade em visualizar os problemas e soluções de modo mais simples, em não acumularmos as tensões que estão na agitação do dia a dia no nosso corpo, em estar atentos a nós mesmos, conscientes de que o tempo futuro só existirá com boas escolhas presentes. O equilíbrio que você constrói a cada momento poderá então se refletir em tudo a sua volta.

Yoga: Pratique esta ideia!

Cristiani Matsuoka (Praneshwari) 










O Yoga aplicado na vida diária


O Yoga, mais do que praticar asanas e pranayamas, deve ser aplicado na vida.”

Swami Satyasangananda Saraswati


Todas as técnicas que aprendemos para equilibrar o corpo, nossa energia e nossa mente devem ser aplicadas não somente na sala de práticas, mas na vida diária.

O Yoga nos sugere um processo de transformação interno que pode ser visualizado além do nosso corpo físico, na nossa vida.

A conexão com o Yoga e sua filosofia nos leva a perceber que devemos ter a flexibilidade não somente no nosso corpo, mas nas nossas atitudes. Devemos também desenvolver a firmeza na escolha das ideias e de objetivos de vida. É importante então buscarmos transformar nosso modo de olhar as coisas a nossa volta, talvez a partir de nós mesmos.

Deste modo, uma visão mais focada diante de uma dificuldade que estejamos passando, uma forma maleável de lidar com tais situações, uma respiração mais disposta e tranquila diante da rotina, são possibilidades que a prática estendida do Yoga pode nos propiciar no dia a dia, dentre outros benefícios.


Yoga: Pratique esta ideia!

Cristiani Matsuoka Praneshwari





 








Surya Namascara (Saudação ao Sol)


    O Surya Namascara clássico consiste em uma série de doze posições físicas que proporcionam um alongamento profundo que libera tensões e toxinas no nível físico e psico emocional. Através da sincronicidade com a respiração na prática desses movimentos estudados por sábios yogues, esta sequência gera uma consciência sobre vária partes do corpo que se torna mais maleável e resistente; deixa também a mente presente e integrada com o corpo. Assim, ambos ficam mais flexíveis e abertos para um conhecimento mais profundo.
    Segundo Swami Satyananda, sábio indiano contemporâneo, “ o Surya Namascara ocupa a esfera de uma nova dimensão quando nos tornamos cientes dos efeitos do sol nas nossas vidas, podemos então, compreender quão importante era para nossos ancestrais. Ao mesmo tempo, ao despertar as nossas próprias forças solares inerentes através desta prática integrada, podemos nos sintonizar com a natureza cósmica e revitalizar nossas vidas.” Lembrando que esta prática e outras muitas que fazem reverência ao Sol e seu energia revitalizadora, aparecem bem antes dos tempos védicos (o inícios do Yoga), em várias culturas milenares.
    Apresentaremos a sequência do Surya Namascara clássico e uma variante conhecida como Surya Namascara A . Ambos aquecem o corpo e soltam a musculatura, conferindo resistência e vitalidade. Esta prática estimula todos os sistemas: respiratório, endócrino, circulatório, digestório, etc. Propicia o equilíbrio e uma percepção melhor do corpo energético. Com a consciência na respiração associada aos movimentos percebemos as transformações sutis de nosso corpo e de nossa mente, tornando-nos mais maleáveis, bem dispostos física e psicologicamente e mais estáveis em todas as instâncias de nossa vida.
    É importante lembrar que a prática deve ser prazerosa, confortável, evitando tensões demasiadas para atingir a postura que você imagina que seu corpo executa em um primeiro momento. Permita que seu corpo seja fluido como a sua respiração e perceba a sua soltura acontecer aos poucos.
Busque também, aprender as posturas uma a uma antes de iniciar a sequência. Cada um dos asanas (posturas) carrega uma série de valiosas informações que ajudarão você a se perceber e se aprimorar.
    É como se o Sol iluminasse a sua mente diariamente, purificando, energizando, deixando a sua vida mais saudável e plena.


    Yoga, pratique essa ideia!


   Apresentaremos especificidades sobre cada postura para que você possa refinar a sua prática. Siga-nos na nossa página do Facebook - Chidananda Yoga

Professora Cristiani Matsuoka (Praneshwari)

 

 

Comments