- Dançando os Florais de Bach

                           

DANÇANDO OS FLORAIS DE BACH

COREOGRAFIAS DE ANASTASIA GENG

38 danças em 4 módulos

 

"Quando você tem problemas seus fluxos de energia estão bloqueados. Dance, de preferência com outras pessoas, e, com suas energias fluindo novamente, você resolverá as suas dificuldades." (Anastasia Geng)

 

Este curso promove a vivência e o aprendizado das Danças dos Florais de Bach coreografadas por Anastasia Geng, sua aplicação individual e nos grupos, trazendo as qualidades harmonizantes da natureza para inundar nossas vidas.

 

Além das danças, introduz o participante no “Sistema das Flores” desenvolvido por Dr Edward Bach e através de informações práticas, ensina a utilização dos Florais nas situações diárias.

 

Estes dois sistemas vêm sendo utilizados para trabalharmos harmoniosamente nossos corpos físico, mental, emocional e espiritual, beneficiando a nós mesmos e aos círculos dos quais fazemos parte: família, trabalho e comunidade.

 

DINÂMICA:   4 módulos aos sábados das 9:00 às 13:00 e 14:30 às 18:30

                        Datas: 17/março; 12/maio; 11/agosto; 20/outubro de 2018

Carga horária: 8 horas por módulo (total 32 horas)

 

CONTEÚDO:

- Histórico do Dr. Bach

- Anastasia Geng e as danças

- Sistema das Flores:           Exposição dos florais

                                               Características das plantas

                                               Conteúdo simbólico

                                               Danças (origem, formação, figuras geométricas)

 

MÓDULO I

MÓDULO II

MÓDULO III

MÓDULO IV

MEDITAÇÃO PARA A FLOR

MEDITAÇÃO PARA A FLOR

MEDITAÇÃO PARA A FLOR

MEDITAÇÃO PARA A FLOR

CERATO *

CHESTNUT BUD

ASPEN

WATER VIOLET *

HORNBEAM

AGRIMONY *

HONEYSUCKLE *

WHITE CHESTNUT

SCLERANTHUS

GORSE

GENTIAN

RED CHESTNUT

CHERRY PLUM *

PINE

OAK

SWEET CHESTNUT *

STAR OF BETHLEHEM

IMPATIENS

WILD OAT

LARCH

VINE *

OLIVE

WILD ROSE

CENTAURY

ROCK ROSE

CHICORY

CLEMATIS *

VERVAIN

MIMULUS

WALNUT

HEATHER

CRAB APPLE *

BEECH

HOLLY *

ROCK WATER

ELM

 

WILLOW

MUSTARD

 

*tem variação

 

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: com Cristiani pelo e-mail espacochidananda@gmail.com

LOCAL: Espaço Chidananda Yoga - Rua Dr Mario Cardim, 486 (travessa da Av. Sena Madureira - Vila Mariana)

 

FOCALIZADORAS:

ESTELA GUIDI PEREIRA GOMES: estilista, trabalhou com moda por mais de 20 anos. Estuda os Florais de Bach desde 1995, recebeu o certificado do “Bach Internacional Education Programe” em 2003, São Paulo. Dançante desde 1999 com focalizadores brasileiros e internacionais (Renata Ramos, Mônica Goberstein, Laura Shanon, Andy Bettis dentre outros), formou-se como focalizadora pela TRIOM com Renata Ramos em 2005. Oferece formação nas Danças dos Florais de Bach desde 2001 em parceria com a TRIOM. É professora convidada dos cursos de formação em Danças Circulares Sagradas da Renata Ramos. E-mail: estelaguidi@uol.com.br

 

ESTELA MARIA GUIDI PEREIRA GOMES - fonoaudióloga e educadora ambiental docente na Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz - UMAPAZ/SVMA/PMSP. Coordenadora de projetos vinculados às Danças Circulares Sagradas e Metodologias Integrativas na UMAPAZ. Conheceu as Danças Circulares Sagradas em 1995 e desde então começou a utilizá-las como recurso terapêutico em grupos. Participou do Festival das Danças Circulares em Findhorn Foundation em 1996 (Escócia). Focalizadora de Danças Circulares Sagradas incluindo formação com focalizadores brasileiros e internacionais (Renata Ramos, Mônica Goberstein, Cristiana Menezes, Kaká Werá, Laura Shanon, Bárbara Swetina, Gabrielle Wosien, Peter Vallance, Friedel Kloke, Nanni Kloke, Mandy de Winter entre outros). Ministra cursos de formação em Danças dos Florais de Bach em parceria com a TRIOM desde 2001 (Natal, Belém, Santo André, São Paulo), é professora convidada dos cursos de formação em Danças Circulares Sagradas da Renata Ramos. Focaliza grupos no Espaço Chidananda Yoga, salão Santa Justina e na UMAPAZ. Facebook Estela Gomes; página no facebook Dançando a natureza_Estela Gomes e Tecendo Luz; e-mail: estelagpgomes@gmail.com

 

COORDENAÇÃO: CRISTIANI MATSUOKA – ESPAÇO CHIDANANDA YOGA

SITE www.chidanandayoga.com.br

FACEBOOK https://www.facebook.com/chidananda.yoga.5/?ref=ts&fref=ts

 

APOIO: TRIOM EDITORA E CENTRO DE ESTUDOS

 

 

        



DANÇAS DOS FLORAIS DE BACH

Por Estela Gomes, inverno 2016

O calor do sol abre todas as flores
e o amor abre todos os corações.
Qual flor sem perfume,
assim é o coração sem amor.
E o amor, à maneira de jardins,
há de se cultivar cada dia, todos os dias.
Amor que diariamente não se manifesta,
diariamente vai morrendo.
Todo amor que se semeia
cedo ou tarde florescerá.
Para que nosso caminhar não seja inútil,
vamos semear flores por toda parte.

KHALIL GIBRAN

 

Cada flor carrega em si uma vocação assim como cada presença aqui na terra. A música possui um padrão vibratório que quanto mais elevado pode nos afinar com as energias mais elevadas e as qualidades mais sutis. Em conexão com passos, movimentos e gestos dançamos as músicas buscando encontrar harmonia no momento presente juntamente com o grupo que dança os mesmos padrões que nós.

Podemos resumir nossa dança circular sagrada a padrões de energia, de harmonia, beleza e alegria que elevam as vibrações individuais e do grupo que trabalha junto unido no amor e na luz.

Dançar inspirada nas forças simples da natureza expressa nas flores, nos movimentos do sol e da lua, na mudança dos ciclos e das estações, nos círculos, espirais, portais e lemniscatas foi o trabalho que a alemã Anastasia Geng desenvolveu a partir de suas pesquisas da cultura letã, da grande conexão e amor que tinha pela natureza e da compreensão da alma humana.

Anastasia viveu parte de sua infância na Letônia na casa de seus avós e muito tempo depois, quando seus filhos já estavam crescidos, tornou-se guia de viagens e desta forma retornou muitas vezes à Letônia aproximando-se novamente da cultura, do modo de ser daquele povo, da importância e valor que davam aos ciclos, às estações e à observação da natureza. Durante muitos anos trabalhou no serviço de aconselhamento pelo telefone e pôde desenvolver a escuta amorosa das dores e sofrimentos humanos. Sua sabedoria e profundidade transmitidos em seus ensinamentos e adquiridos por suas experiências de vida transparecem em suas coreografias das Danças dos Florais de Bach. Cada movimento um convite, cada gesto uma reflexão, cada dança uma realização.

Afinando nosso corpo pelo exercício da dança realizada em grupo, as energias são mobilizadas e passam a fluir, se alguma pessoa apresenta um campo energético mais frágil, naturalmente é beneficiado pelas energias amorosas do grupo que dança em comum. Como Dr Bach dizia que ao tomarmos um floral a doença derretia como neve ao sol, Anastasia também observava que ao dançarmos os fluxos energéticos se restabeleciam e a cura podia ocorrer de um modo muito especial.

Todo caminhar da dança circular sagrada é uma jornada no autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, é uma lapidação do indivíduo para transformar sua pedra bruta num cristal lapidado radiante, é um processo de reencontro com nosso centro interior a partir do trabalho com o instrumento-corpo, da vibração da música e pelos passos da dança.

Podemos usar a dança floral quando estamos precisando harmonizar alguma emoção ou pensamento que se encontra em desequilíbrio tanto em nós mesmos como num grupo, ou quando queremos trabalhar alguma qualidade em especial numa certa ocasião. Também podemos somente escutar a música e dançar em nossos pensamentos.

Observo o contentamento interno ao acessarmos as qualidades da tolerância de BEECH, do respeito ao nosso tempo e do outro de IMPATIENS, do entusiasmo de VERVAIN, da esperança de GORSE, da coragem de MIMULUS, da intuição de CERATO, do aprendizado de CHESTNUT BUD...são tantas possibilidades vivenciadas a cada dança que podemos fazer nosso próprio buquê florido para dançarmos a cada período de vida. Como se fossem remédios, as danças podem auxiliar nosso processo de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal nos equilibrando e curando. Portanto vamos dançar!

      

*

PARA OS TERAPEUTAS QUE ATUAM COM OS FLORAIS DE BACH
Por Estela Gomes, inverno 2016


Você que conhece os Florais de Bach e o maravilhoso poder restaurador da natureza para estados emocionais e mentais em desequilíbrio, já imaginou que essas propriedades curativas podem ser vivenciadas em movimentos corporais organizados em forma de danças?

Este trabalho foi elaborado por Anastasia Geng, dançante alemã que coreografou cada um dos 38 florais inspirando-se na sabedoria dos povos da Letônia, Lituânia e Estônia, onde viveram seus ancestrais, amantes da natureza como o Dr Bach. Tendo passado parte de sua infância na casa de seus avós na Letônia e muito tempo depois, quando seus filhos já estavam crescidos, tornando-se guia de viagens, pôde retornar muitas vezes à região aproximando-se novamente da cultura, do modo de ser daquele povo, da importância e valor que davam aos ciclos, às estações e à observação da natureza. Durante muitos anos trabalhou no serviço de aconselhamento pelo telefone e pôde desenvolver a escuta amorosa das dores e sofrimentos humanos. Sua sabedoria e profundidade transmitidos em seus ensinamentos e adquiridos por suas experiências de vida transparecem em suas coreografias das Danças dos Florais de Bach. Cada movimento um convite, cada gesto uma reflexão, cada dança uma realização.

As Danças dos Florais de Bach fazem parte de um movimento maior conhecido como Danças Circulares Sagradas (DCS), iniciado por Bernhard Wosien, bailarino alemão-polonês que em 1976 levou para a Comunidade de Findhorn, na Escócia, uma série de danças tradicionais dos povos que buscavam a união, o amor e a meditação em movimento. Nestes anos as DCS difundiram-se pelo mundo como um dos caminhos de autoconhecimento beneficiando indivíduos e vários grupos.

Dançando os Florais de Bach desde 2000, eu, Estela Gomes e minha mãe, Estela Guidi, temos experenciado com alegria uma nova possibilidade de encontro com as qualidades harmonizantes das flores através da beleza do movimento, do gesto amoroso e das formas simbólicas que dançamos.

Através dos gestos, passos, ritmos e músicas, podemos superar medos, preocupações e conflitos. De mãos dadas em círculo, apoiando e sendo apoiado, trocando de lugar com o outro, elevando-nos nas pontas dos pés para ampliar nossa visão do mundo e atravessando portais construídos pelas nossas mãos dadas, resgatamos as qualidades propostas pelas gotas de luz dos Florais de Bach.

Afinando nosso corpo pelo exercício da dança realizado em grupo, as energias são mobilizadas e passam a fluir, se alguma pessoa apresenta um campo energético mais frágil, naturalmente é beneficiado pelas energias amorosas do grupo que dança em comum. Como Dr Bach dizia que ao tomarmos um floral a doença derretia como neve ao sol, Anastasia também observava que ao dançarmos os fluxos energéticos se restabeleciam e a cura podia ocorrer de um modo muito especial.

Convido você que é terapeuta floral para ampliar sua visão e experiência através da prática das Danças Circulares dos Florais de Bach. Iniciando a vivência consigo mesmo, você poderá posteriormente compartilhá-la com clientes, grupos terapêuticos e alunos ampliando sua atuação e observando os resultados!

Maiores informações: https://sites.google.com/site/espacochidananda/programacao-de-atividades-especiais-1/--dancando-os-florais-de-bach

   

                                                                                                                                   *



DANÇAS DOS FLORAIS DE BACH

 

As Danças dos Florais de Bach resgatam o trabalho de duas pessoas que se inspiraram na sabedoria da natureza para buscar harmonia, saúde e o compartilhar do cuidado nas relações com a vida.

Dr Edward Bach foi o médico herbalista que descobriu que as flores carregavam energias sutis que harmonizavam pensamentos e sentimentos em desequilíbrio tais como medo, insegurança, pensamentos negativos recorrentes e baixa auto-estima. Ele percebeu que a energia das flores poderia tratar nossas feridas de uma forma leve e delicada pela ingestão de gotas que ele chamou de sistema das flores ou de caminho do coração. Deste modo, ao tomar gotas que traziam a energia elevada da virtude percebida por ele contida em certas flores, o indivíduo era banhado em luz e poderia contatar as forças que elevavam suas vibrações e o conectavam com a fonte e a cura de seus males.

Anastasia Geng, dançante alemã que já atuava com as Danças Circulares Sagradas e já conhecia o poder das danças realizadas em círculo como caminho de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, entrou em contato com o trabalho desenvolvido por Dr Bach e imaginou que naturalmente existiriam 38 danças que trabalhassem através do movimento e do gesto simbólico as qualidades das 38 flores de Bach. Ela saiu à procura destas danças resgatando passos e movimentos dos povos da Letônia, Lituânia e Estônia que faziam parte de sua tradição familiar e tinham profundo contato com a natureza revelado em suas danças que representavam as fases da Lua, o movimento do Sol, a beleza das árvores e os simbolismos presentes na natureza.

Desta somatória deixada por estes dois mestres e os discípulos que trilharam seus passos, este lindo e profundo trabalho chegou até mim e minha mãe pelo caminhar de duas queridas amigas e dançantes, Renata Ramos e Mônica Goberstein. Estas duas focalizadoras de Danças Sagradas nos ensinaram as Danças dos Florais inspirando sensibilidade, simplicidade e cuidado que foram a base sólida para nosso aprofundamento neste caminho. O material que adquirimos com a Renata foi revisado a partir do encontro dela com uma discípula direta de Anastasia, a Martinne de Winington que gentilmente cedeu suas apostilas. Bem mais tarde pudemos aprofundar nossos conhecimentos participando durante um ano e meio da tradução do livro escrito em alemão por Anastasia pela querida amiga Magda Bisinger juntamente com um pequeno grupo de amigas. Posteriormente coordenamos juntamente com a Renata Ramos um grupo de estudos de amigas que dançavam semanalmente comigo e estudamos todas as danças de acordo com o livro e as imagens do DVD de Marianne Von Schwichow no qual nos baseamos para dançar hoje os 38 florais. E foi dançando a partir desta vivência que podemos a cada dia reconhecer em nós que estas danças podem trazer luz à nossa consciência revelando os símbolos que geram autoconhecimento e maior harmonia no dia-a-dia.

Ao dançarmos FB CERATO reconhecemos inicialmente a sabedoria da bela mãe natureza que nos acolhe e do pai céu que nos inspira e reverenciamos a fonte da vida inclinando levemente nosso corpo para a Terra. Vamos então em direção ao centro do círculo e com as mãos voltadas ao céu na altura do coração nos conectamos à intuição. Após este gesto voltamos ao grande círculo dançante e saímos para nossos pequenos círculos, cada um desenhando sua própria pétala da grande flor maior, levando a qualidade da intuição para ser colocada a serviço de nossas vidas e da comunidade que fazemos parte. Notamos que esta dança revela intensa conexão com a fonte, sabedoria de todas as coisas, de onde tudo vem e para onde tudo retorna e além de nos trazer um sentido de pertencimento à vida nos revela que através do sagrado silêncio em nosso coração podemos escutar nossa alma e seus recados preciosos de que caminho seguir deixando de perguntar tanto aos outros sua opinião sobre nossas vidas e atitudes e realmente tomando o leme de nosso barco em nossas próprias mãos.

Ao dançarmos FB IMPATIENS escolhemos inicialmente entre duas possibilidades, ficar no círculo interno que pulsa num ritmo lento, mas seguro e preciso ou ficar fora do círculo com a liberdade de cada um seguir seu próprio ritmo, tempo, movimento e direção. Mas a liberdade externa precisa atender ao tempo certo de perceber a abertura do portal – possibilidade esta de mudar o ritmo e entrar ou sair do círculo. Dançando temos a possibilidade de reconhecer tempos diferenciados para viver a vida, fazer a escolha mais assertiva a cada momento e saber que um grupo depende do outro numa relação de respeito e cooperação. A beleza da vida está na diferença de ritmos assim como a riqueza da natureza está em sua diversidade de espécies, cores, formas, tamanhos, aromas e texturas.

Ao dançarmos FB BEECH estamos todos voltados para o centro que nos une num grande círculo de tolerância, pois cada participante tem a chance de ir ao centro e fazer sua dança individual enquanto os outros aguardam tolerantemente sua vez. Posso assistir o que me agrada e o que também me desagrada sabendo que não sou a medida de todas as coisas como diz Anastasia Geng em seu livro. No segundo momento da dança ocupamos papéis diferenciados e  passamos na frente do outro ou ficamos firmes como uma rocha permtindo e auxiliando as passagens. Ao permitirmos que o outro passe por nós, podemos tolerar e enxergar cada um como ele é no momento presente, como ele se expressa com sua face e gestos corporais na dança. Ao passarmos na frente de cada um percebemos diferentes maneiras de sermos auxiliados e apoiados em nossa passagem nos relacionamentos pessoais. E todos os momentos são entremeados pelo passo grapevine, tempo necessário para as reflexões individuais e o entrar em sintonia com todos no círculo, nossa comunidade. Este é um grande exercício de convivência pacífica, pois a dança propõe o respeito às diferenças, a inclusão, a beleza de sermos cada um tal qual é e percebermos o ser humano, sua individualidade e diversidade.

Assim, dançando cada uma das 38 flores de Bach vamos revelando nossa própria natureza, reconhecendo, percebendo e sendo convidados a transformar aqueles pensamentos-sentimentos-comportamentos que não nos servem mais e buscarmos o aprimoramento de nossa natureza a partir da força do grupo que caminha os mesmos passos que nós. Ao sabor das músicas, das vozes, dos instrumentos que vibram em nós, buscamos adequar nossos passos aos passos de tantos outros que já dançaram antes de nós e entramos em profunda conexão com a natureza, seus ritmos, ciclos e movimentos.

De forma leve, alegre e flexível vamos buscando desenvolver nossa humanidade, a profunda religação à natureza e a conexão com a grande teia da vida através do caminho do coração.

Gratidão à mestra Anastasia Geng que nos inspira por seu exemplo de vida, descobertas e pelo precioso legado que nos deixou através das Danças dos Florais de Bach.

Estela Gomes.

Comments