AEE

Leis que regulamentam o Atendimento Educacional Especializado

DECRETO Nº 6.571, DE 17 DE SETEMBRO DE 2008.

Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto no 6.253, de 13 de novembro de 2007.

                                                                                                                           
ALUNOS APRENDENDO LIBRAS NO AEE
SALA DO AEE / LIBRAS
            
 
 
                 ALFABETO EM LIBRAS                     Professora do AEE e alunos surdos ensinando Libras para alunos do 1º ano
 
 

Aqui estão algumas atividades e pesquisas de campo realizadas pela Professora Mariluci Rosa Pedrosa na Especialização em Atendimento Educacional Especializado referentes ao município de
Mirante da Serra.

ENTREVISTAS

Agradecimentos


        Nesse espaço, estarão registradas as análises dos questionários aplicados para a diretora, Vânia Garcia Vaz, a professora da sala comum ,Marta da Cunha Louzada e a professora do AEE, Geni Aparecida de Oliveira Freitas,  da Escola Municipal Professor Edson Duarte Lopes. 

        Também estará o questionário aplicado ao Coordenador Pedagógico de Mirante da Serra, Wáliton Henrique de Oliveira, em substituição ao Coordenador de Educação Especial porque não temos atualmente em nosso município.

       Nossos agradecimentos pela importante contribuição para a Especialização no Atendimento Educacional Especializado, através da UFC - Universidade Federal do Ceará e o MEC/SEESP.

 Mariluci Rosa Pedrosa

 

DIREÇÃO

DADOS DA IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO AEE

NAS REDES PÚBLICAS DE ENSINO

Direção da Escola

 

Município: Mirante da Serra

Escola: Municipal Professor Edson Duarte Lopes

Nome do(a) Diretor(a): Vânia Garcia Vaz

Data da entrevista: 22 de Março de 2010

Integrantes do Grupo de Pesquisa: Mariluci Rosa Pedrosa

 

Resumo dos dados Qualitativos e Quantitativos do Questionário

 

         Na Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Professor Edson Duarte Lopes, a diretora Vânia Garcia Vaz tem conhecimento do AEE como um novo serviço da educação especial na Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Segundo a diretora entre as ações da educação especial desenvolvidas pela escola, estão: o Atendimento Educacional Especializado; a formação continuada de professores do AEE; o acesso nos espaços e materiais escolares; a orientação às famílias. Ela compreende que a forma diferenciada de trabalhar, e os grupos menores de alunos no atendimento, são atributos que distingue o trabalho do AEE daqueles realizados pelos professores na sala comum. Referente ao Projeto Político Pedagógico, relata que o AEE ainda não está inserido no mesmo e que desconhece tal projeto. Ressalta que houve impacto na aprendizagem dos alunos da educação especial após o início do AEE, porém não forneceu maiores esclarecimentos a respeito. A senhora Vânia registra que  AEE atende o total de 23 alunos; sendo 22 da Escola Edson e apenas 01 da Escola Duque de Caxias, localizada na zona rural de Mirante da Serra. Ainda afirma que estabelece diálogo com o professor do AEE: “Sempre dialogamos sobre as necessidades da Educação Especial a importância de manter a sala do AEE”. Como sugestão para o aprimoramento desse serviço em relação aos seus professores, visa que todos possam ser capacitados e ainda argumenta que seu desejo é que o MEC forneça materiais específicos, ou melhor, implante uma Sala de Recursos Multifuncionais na Escola que está sob sua direção. É consciente que a escola não tem adequações físicas suficientes para os alunos com deficiência, mas afirma que serão realizadas adequações de banheiros, haja visto que nesta escola tem alunos com deficiência física. Desconhece o fato de que os profissionais que projetaram as adequações físicas da Escola Edson obedeceram a NBR 9050, que dispõe das normas técnicas de acessibilidade, até porque a referida escola é antiga e ela passou a ser diretora da mesma no ano de 2009.

 

SALA DE AULA

DADOS DA IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO AEE

NAS REDES PÚBLICAS DE ENSINO

Professor da Sala de Aula Comum

 

Município: Mirante da Serra

Escola: Professor Edson Duarte Lopes

Nome do Professor: Marta da Cunha Louzada

Data da entrevista: 25 de  Março de 2010

Integrantes do Grupo de Pesquisa: Mariluci Rosa Pedrosa

 

Resumo dos dados Qualitativos e Quantitativos do Questionário

 

A professora Marta leciona no 3º ano do Ensino Fundamental e tem em sua turma uma aluna com deficiência física, a qual utiliza para se locomover uma cadeira de rodas. Ela freqüenta o AEE na mesma escola. A professora diz ter conhecimento do AEE como um novo serviço da educação especial definido na Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, até mesmo porque já fez um curso de capacitação nessa área e hoje além de trabalhar na sala comum ainda trabalha como intérprete no 4ª ano do Ensino Fundamental. Ela explica que o AEE se destina a apoiar o aluno com deficiência de forma que ele consiga se desenvolver melhor na classe comum do ensino regular. Em relação a existência e conhecimento da Sala de Recursos Multifuncionais na Escola em que trabalha, explica que “A Escola Edson tem uma sala que foi adequada com alguns recursos confeccionados pelas professoras do AEE, que fazem o Atendimento Educacional Especializado, mas ainda não tem a Sala de Recursos Multifuncionais enviada pelo MEC”. Ainda relata que entre as ações desenvolvidas por meio do AEE em sua sala de aula, estão orientações da postura corporal de sua aluna com deficiência física e da importância da participação dessa aluna na educação física, a partir de brincadeiras e atividades adequadas a sua especificidade. Afirma que o AEE tem proporcionado significativos avanços para sua aluna em relação à coordenação motora, desenvolvimento cognitivo e auto-estima. Faz questão de citar que se aluna falta em poucos atendimentos especializados, já se nota acentuar sua dificuldade motora, por se esse o ponto-chave de sua especificidade.  A professora Marta sempre busca orientações junto a professora do AEE quando surge situações inusitadas envolvendo a referida aluna e sempre procura saber e compartilhar com ela, o desempenho, relacionados aos avanços e dificuldades encontradas por sua aluna nos dois ambientes escolares: Sala comum e AEE. Compreende que há distinção entre o AEE e sua sala de aula, e esclarece com suas palavras: “No AEE, busca-se desenvolver as habilidades, como coordenação motora, por exemplo, para que na sala de aula ela vença os obstáculos. Na sala de aula eu trabalho os conteúdos curriculares. É claro tentando diversificar e adequar o máximo para que essa aluna participe de todas as atividades”. Ela ainda relata que até hoje não houve nenhum recurso disponibilizado pela Sala de Recursos Multifuncionais para sua aluna e faz questão de frisar que teve diferença em sua maneira de ensinar depois que se iniciou o AEE, afirmando: “Aprendi a observar mais os meus alunos. Quando aplico alguma atividade em que algum aluno sente dificuldade em realizar, busco identificar à causa de tal dificuldade” A sugestão que deixa para o aprimoramento do serviço do AEE é que o MEC possa estar enviando materiais específicos para trabalhar as diversas deficiências através da implantação de uma Sala de Recursos Multifuncionais na escola em que trabalha e que a Secretaria Municipal de Educação crie um setor responsável pela Educação Especial onde o seu Coordenador busque parcerias com os setores da Saúde e Assistência Social, bem como junto a outros órgãos competentes na criação de políticas públicas municipais para alavancar a inclusão escolar em nosso município visando apoiar amplamente os alunos com deficiência que estão devidamente matriculado e frequentando a escola regular e também o AEE.   


SALA SRM

DADOS DA IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO AEE

NAS REDES PÚBLICAS DE ENSINO

Professor da Sala de Recursos Multifuncionais (SRM)

 

Município: Mirante da Serra

Escola: Professor Edson Duarte Lopes

Nome do Professor de AEE: Geni Aparecida de Oliveira Freitas

Data da entrevista: 23 de Março de 2010

Integrantes do Grupo de Pesquisa: Mariluci Rosa Pedrosa

 

Resumo dos dados Qualitativos e Quantitativos do Questionário

A professora Geni trabalha na Escola Edson, especificamente com o AEE. Embora na referida escola não tenha a Sala de Recursos Multifuncional, mas tem um ambiente disponibilizado para tal atendimento. Ela organiza seu Plano de Atendimento Educacional Especializado, em primeiro lugar fazendo um diagnóstico para identificar as dificuldades e habilidades do aluno com deficiência, para que possa elaborar os objetivos que venha ao encontro de minimizar as dificuldades encontradas por ele e no intuito de ajudá-lo busca diversificados recursos para atendê-lo em sua especificidade. No final de cada atendimento descreve o trabalho minuciosamente através de relatório expondo o conteúdo trabalhado, as dificuldades e os avanços encontrados pelo aluno a partir das atividades propostas, se referindo também sobre sua tomada ou não de iniciativa, a conquista ou não de autonomia e em relação a sua baixa ou auto-estima. A professora ainda relata que a participação da família no AEE, acontece na maioria das vezes quando solicitado pelos professores do AEE e que alguns pais levam seus filhos ao atendimento, mas raramente procura saber do seu desenvolvimento, precisando que ela tome sempre a iniciativa de participar aos pais sobre o desempenho de seu filho. O AEE acontece, segundo a professora Geni no período oposto ao de sua aula na classe comum, porém ás vezes precisa ocorrer no mesmo período da sala de aula, porque tem alunos que moram na zona rural, ficando impossibilitados de voltar a escola contra turno por falta de transporte. Ela relata ainda que, é no atendimento com o aluno que dispende mais tempo do que em outras atividades de responsabilidade do professor do AEE, como: produção de materiais; articulação com o professor da sala de aula; planejamento de AEE; atendimento as famílias, entre outros. Esse atendimento de acordo com a professora Geni é oferecido a 23 alunos, incluindo 4 alunos com surdez que é atendido por uma outra professora, pelo motivo da aquisição de Libras/Língua Portuguesa necessitar de um tempo maior, por isso são atendidos todos os dias contra turno. Ainda especifica que atende 11 alunos que pertencem a escola que atua e 1 aluno que pertence a uma escola da zona rural, a qual não oferece esse AEE. Ainda acrescenta que as deficiências atendidas por ela, são: mental/intelectual; auditiva; física; transtorno global do desenvolvimento; psicose infantil; Adrenoleucodistrofia. Para encaminhar o aluno ao AEE, o professor da Classe comum faz um relatório do aluno apresentando suas características e dificuldades e encaminha à supervisora, que faz uma avaliação pedagógica; se achar necessária o aluno é encaminhado por ela ao AEE para uma nova avaliação. Raras vezes essa iniciativa parte da família. A senhora geni coloca as diferenças do trabalho desenvolvido no AEE, com o da sala comum, da seguinte forma: “No AEE trabalhamos atividades lúdicas e concretas visando a autonomia, segurança, auto-estima e desenvolvimento de habilidades com objetivo de um crescimento global e a sala comum tem um currículo a seguir que visa mais os conteúdos programáticos e o desenvolvimento intelectual do aluno”. Ela sempre trabalhou em escola comum e sua formação é Pedagogia, pós-graduada em Gestão Educacional e Psicopedagogia, mas acredita que o professor do AEE precisa ter uma Especialização em Educação Especial. Dos recursos específicos para trabalhar no AEE, ela conhece poucos e dispõe de menos ainda, entendo que falta mais apoio nesse sentido. Dos recursos de tecnologia assistiva apresentados, os únicos existentes em sua sala e que também utiliza com freqüência, são: Alfabeto móvel em vários tamanhos e materiais e Sistema FM. Embora conheça outros, não existe a disponibilidade na escola. Segue análise quantitativa apresentada pela professora do AEE.


ALUNOS QUE FREQUENTAM A SALA DO AEE NA ESCOLA EDSON


DEFICIÊNCIA

QUANTIDADES

ESCOLA EDSON

OUTRA ESCOLA

mental/intelectual

11

10

01

auditiva

01

01

-

surdez

04

04

-

física

02

02

-

transtorno global do desenvolvimento

03

03

-

psicose infantil

01

01

-

adrenoleucodistrofia

01

01

-

 

DADOS DA IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO AEE

NAS REDES PÚBLICAS DE ENSINO

Coordenação de Educação Especial

 

Município: Mirante da Serra

Nome do(a) Coordenador(a): Wáliton Henrique de Oliveira (Coordenador Pedagógico)

Data da entrevista: 24 de Março de 2009

Tutor(es): Márcia Pereira de Souza

 

Resumo dos dados Qualitativos e Quantitativos do Questionário

 

O Coordenador Pedagógico Wáliton Henrique de Oliveira, foi quem assinou o Termo de Compromisso e respondeu o questionário no lugar do Coordenador da Educação Especial, pois ainda não temos em nosso município na Secretaria Municipal de Educação, um setor responsável pela Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Em Mirante da Serra existe somente (01) uma Sala de Recursos Multifuncionais na E.M.E.I.E.F Arquimedes Fernandes, mas na E.M.E.I.E.F. Professor Edson Duarte Lopes foi disponibilizado um espaço físico, com matérias didáticos confeccionados pelas professoras do AEE para realizar o referido atendimento aos alunos com deficiência, pois a única SRM existente, não é suficiente para atender a demanda atual de 33 alunos. Diante disso ainda faltam implantar (04) quatro Salas de Recursos Multifuncionais. A SRM existente atende (11) alunos, ou seja, todos os tipos de deficiências que os alunos da referida escola apresenta: mental/intelectual; baixa visão; física. O que define esse atendimento realizado por (01) uma professora é a demanda de alunos. Segundo o Coordenador Pedagógico o equipamento que a referida SRM precisaria adquirir era o CCTV para os alunos com baixa visão e mobiliários adequados (mesa e cadeira) para aqueles que têm deficiência física. Ainda ressalta que “Até hoje não foi disponibilizado nenhum equipamento para a Sala de Recursos Multifuncionais, visando sua complementação. Enquanto a materiais didáticos, a Secretaria disponibilizava através da Coordenadora da Educação Especial quando tinha no município; hoje como não se tem mais Coordenação, são disponibilizados pela própria escola Arquimedes”. Ele ainda confirma que é através do PAR que se pode participar dos Programas de Formação Continuada de Professores para o AEE na modalidade a distância oferecida do MEC e que a formação mínima exigida para os professores que atuam nas salas de recursos multifuncionais de Mirante da Serra, é o Magistério, pois desde 2007 quando foi implantada a SRM as professoras que lá atuavam tinham somente o Magistério, concluindo no ano de 2009 a formação superior em Pedagogia e até hoje a professora atual da SRM não tem nenhuma capacitação na área da Educação Especial e no AEE. Ressalta que, em Mirante da Serra não existe nenhum programa de formação continuada para os professores das salas de recursos multifuncionais promovido pelo próprio Município e que também não foram realizadas nenhuma adequação física na rede escolar. Em relação aos recursos de Tecnologias Assistivas, no município existem pouquíssimos e menos ainda e o conhecimento de tais recursos pelo coordenador. Seguem os gráficos demonstrativos dos dados Qualitativos e Quantitativos do Questionário aplicado.

 

OBS: Estas respostas são referentes somente a Sala de Recursos existente em nosso município, mas na Escola Edson Duarte Lopes, são atendidos também outras deficiências como pode comprovar pelo questionário aplicado à professora que trabalha com o AEE, que já se encontra no site https://sites.google.com/site/aeeescolaedson/home.

  




Anexos (1)

AEE_Questionario_Professor_da_SRM.doc - em 04/04/2010 00:07 por MARILUCI ROSA PEDROSA (versão 3/versões anteriores) Remover

Anexos (1)

Anexos (1)

AEE_Questionario_Direcao_da_Escola.doc - em 04/04/2010 00:07 por MARILUCI ROSA PEDROSA (versão
Ċ
Mariluci ROSA PEDROSA,
8 de mai de 2010 14:25
ĉ
Mariluci ROSA PEDROSA,
8 de mai de 2010 14:16
Comments