Páginas diárias do romance (primeiro tomo) da obra O ESPAÇO e a Procedência do Movimento.


 (Página inicial do Romance (1º tomo) da obra O ESPAÇO e a Procedência do Movimento .. reescrita dos rascunhos que sobraram da obra tirada do autor Haddammann Veron Sinn-Klyss - 2017; Angra dos Reis)


 … Ali era uma colina afastada, o arvoredo, o entretenimento dos pássaros, os galhos que levemente balançavam, os frisos transparentes do sol entre os ramos, as sombras separadas na grama .. sentia-se ali o desejo de amar ..

Entre aquela deliciosa paisagem estavam Deam e Halina. Amantes. Amavam-se, amavam a Natureza; amantes da Vida. A aura daquele lugar estava neles.

Num dos intervalos que seus corpos se amainaram, Deam sentiu Halina sentir mais que o leve farfalhar das folhas que se acariciavam. Ela voltou a esplêndida beleza de seus olhos para Deam e perguntou:

-- Deam, o que nós somos? O que é o ESPAÇO?

Deam fitou-a. Olhou ao redor a Natureza próxima, e seus olhos foram pra longe … quando tornaram, trouxeram quase num sopro a importãncia do assunto.

-- Perguntas assim não são para ser como se fossem breves pipocas em uma sala de cinema, uma ligeira curiosidade …

Naquele instante a pergunta refletia na paisagem. Em um relance lembrou anos atarefados que levara para apenas começar um pensamento sobre a Vida, o ser humano, e o ESPAÇO. E mesmo que a fragrância da juventude e reflexão aflorasse em Halina, ele preferia não precipitar nenhuma resposta.

Alguma coisa mais (talvez por capricho) a vida unia; mais que corpos e sentimentos; poderia ser um propósito que ambos tinham.

  • .. ..

     


    (página 2)


      Eles ficaram por ali, haviam chegado cedo, a manhã ainda pincelava a tintura azul-clarinha do dia, lancharam, se divertiram …

      E à tardezinha, enquanto trocavam uma e outra conversa, o walkman começou a tocar It Must Have Been Love, a vocal do Roxette gemia enquanto cantava …

      Halina se distraiu; roçava mansamente a mão pelo capim, percebeu então o que Deam dissera pela manhã, e completou: … perguntas assim apresentam um tanto, um merecimento …

      .. ..



    (página 3)






      ... Foi um período de dias quentes nas cidades,

      um calor irritante, gotejante .. marcava o ritmo

      do barulho, o ritmo dos passos. O sol averme-

      lhava a pele e insistia sobre os anúncios de re-

      frigerantes. Em cada uma de tantas cabeças

      passava um pensamento, uma esperança, uma

      excitação, um sofrimento, um desejo. Parecia

      que nunca conseguiriam pensar que seus pas-

      sos levavam a muito mais longe do que imagi-

      navam que íam, que seu propósito, por mais à

      toa, por mais preocupadas que estivessem,

      era realizar a mais espetacular façanha da inte-

      ligência consciente, a conquista da Vida … na

      extensão Infinita …








(página 4)



Deam tomou sua mão (como se assentisse que assim era a maneira de ser das coisas que tinham serventia).

    Naquela hora eu não subestimava nem teu interesse, nem tua inteligência, Halina. Nas linhas de tua beleza há bem mais que aparência … se não fosse assim jamais me entenderia, nem sequer terias me conhecido. Essas perguntas acompanham nossa vida, em tantos conhecimentos que vamos encontrando … É melhor irmos de pouquinho em pouquinho …

    Halina tocou-lhe os cabelos e tomou uma paralela:

    --Tem dias que fico olhando para os tons que embelezam o céu … olhe!

    Ela apontou para o horizonte .., o sol ía acentuando e definindo a tarde, parecendo dizer que fizera o melhor para um dia feliz.

    -- Às vezes a Natureza toma conta de mim, Deam; e sinto um desejo de saber mais sobre nós, sobre a Vida .., Acho que preciso mais que um rápido sanduíche, mais que pipocas como respostas.

    Deam perguntou que horas eram, ela respondeu que eram seis .., quase sete daquela tarde com horário de verão. Ele resolveu ircom ela até uma estrada que conhecia; onde pessoas amigas, que se importavam com a Vida se encontravam. Acrescentou que lá tinha coisas gostosíssimas. Ela abriu um sorriso. Folgava com a maneira dele falar; com o contorno que dava às palavras. A geração line-fly (dos Anos 80) mais que nunca estava preparada para brincar com as letras, as falas. As músicas estavam repletas de triplo sentido.

    Ah, Deam! Amo esse seu jeito de unir o que quero com o que preciso. Vamos lá! …

    Hei! Oooh! … 'Péra aí! … Aonde você vai com essa precipitação?

    Ela deu um salto de onde estava e foi puxando Deam pelo braço. Ele tinha de rir, e ria com ela. E saíram correndo juntos; com suas brincadeiras às vezes pareciam crianças ...






Comentário:

Este é um livro para filhos e filhas, para uma mulher, para um homem. E mesmo sendo adolescente (ou pré-adulto – na margem daquela responsabilidade que vem nas nossas costas, na época do quartel, de se formar em uma universidde),se você for, ou tiver uma emoção de estudante ainda aquecendo seu coração, vai entender o que parece só para desfrute de líderes, ou daquelas pessoas sagazes, e cientistas. Ele tem lugar em cima de um edredom, numa mesa de trabalho, ao lado de uma rede nas suas férias …

Seja como for, o que você entender é mesmo pra você, ou senão, será para outra fase de sua vida, e talvez quando sua curiosidade lhe mostrar o alcance do assunto abordado .. porque foi feito para aqueles que estão começando uma vida, uma carreira, um sonho; para que possam justificar uma reflexão, que se resuma em poder viver bela e máxima e esplendidamente suas vidas, a Vida.

Na virada de uma folha você pode se ver frente a segredos que alcançam dentro em seu íntimo e até um Sentimento-Maior (pela Humanidade), e se sentir próxima/próximo de conceitos procurados como se fossem diamantes – alguns com séculos de importãncia em diversos estudos – nesses momentos será como se estivesse excursionando por lugares fascinantes, imprevistos, como estar provando o sabor de um fruto natural, apanhado em um pomar onde os frutos mais aprazíveis e deliciosos nascem.

Assim, tome-o com a atenção que você merece dar a si mesmo/a. Na sua ingenuidade pretenda ver na ingênua sabedoria que este livro contém, que ele pretende servir a quem está atento para querer o melhor da vida; pois é para uma ou um que seja, ou tantos que, desejam compreensão da proveniência da Justiça, e da gene conceitual do ser-humano, e da procedência de um propósito .. .. em todo o Movimento da Vida.








A Natureza indica que não é próprio da competência,

nem do caminho que mantém o prestígio, desprezar o

mérito que nosso nome constrói; porque a competência

muda o rumo (dos que não respondem ao mérito que

portam), e a Natureza desloca o prestígio.





Em todos os tempos, há que se mostrar aos

imponentes as jóias para resplandescer suas inteli-

gências, e, aos símplices o contorno da sabedoria.




O que é que torna a vida de uma pessoa mais ou menos gostosa de ser vivida?

É o pensameno que ela tem. O pensamento atua sobre suas ações. Os pensa-

mentos bem feitos são elaborados como arte. O pensamento é a pessoa (é o que a difere de todas as outras personas). O pensamento se bem elaborado com conceitos escolhidíssimos fará a pessoa agir certeiramente em tudo que fizer, e até quando estiver em devaneios, e se divertindo, a pessoa estará enri-

quecendo-se do que há de melhor para ela.







Deam olhava para os olhos de Halina; poucas jóias brilhavam como eles; sentia a vida pulsar em si quando os admirava; levou aos lábios dela um pedacinho de queijo-minas .. quentinho, temperado com um leve gostinho de St Remy, e falou:

  • Propósito é uma importância essencial para a vida de uma pessoa, a imaginação-major, que justifica a atividade de uma vida consciente.

  • Imaginação-maior, Deam? Que é isso?

  • Aquela que reúne o inteiro bem-estar da pessoa; a que dirige a inteireza de vocações, alternativas, sonhos …

  • a proposição de vida da pessoa …

  • Isso .. .. O propósito de uma vida precisa ser uma imaginação preparada e continuável. Uma obra que madura desde a adolescência, construída com os desejos mais caros, os gostos mais agradáveis da pessoa .. .. O propósito precisa incluir cada aspecto da Vida: o romântico, o profissional, o educativo … para não se amargar frustrações tardias e desabadoras .. e algumas obstinações infelizes.

    Mas por que se tem de ter um propósito? Não se pode viver sem um?

    Talvez … Uma pessoa pensa ser mais que um animal. Uma pessoa extrapola padrões e procedimentos definidos. Atente para um bezourinho subindo uma parede. Ele vai subindo, subindo. P'ra onde? P'ra quê? Sua diretriz imposta pela Natureza é restritíssima. Já uma persona tem virtude para determinar a vida. Uma pessoa com propósito interfere na História. O propósito de uma pessoa dá à ela um tom na música do Universo. Ela opta entre o caos, um “tanto faz”, e a coordenação, a preparação de uma vida com sabor.







O tomo em que está este romance tem o título A Sabedoria da Física Sem Fio; o romance  foi nomeado como: O Movimento e a Vida;
contudo, poderia 
ser simplesmente:
Deam & Halina

Comments