MAURÍCIO BRASILEIRO - YNOSYSTEM ENGENHARIA - ELETRIFICAÇÃO DE CERCAS RURAL

angelo antonio leithold py5aal
 VOLTAR 


>
Manual Cerca Elétrica Rural py5aal.pdf - 260 KB Visualizar Download

 



Figura 1: Aparelho

Descrição geral


Figura 2: Aplicação


(C)py5aal O conceito de cerca eletrificada foi usado pela primeira vez no livro ''Um Ianquee do Connecticut na Corte do Rei Artur'' de Mark Twain, em 1889, usada como arma defensiva. Uma primeira aplicação real de cerca eletrificada foi desenvolvida em 1936-1937 pelo inventor neozelandês William Bill Gallagher que a usou para impedir o seu cavalo de arranhar o seu carro. Em 1962, Doug Phillips, inventou a cerca eletrificada baseada numa descarga do a partir de um eletrificador eletrônico.

(C)py5aal Basicamente uma cerca eletrificada consiste numa barreira que usa o choque elétrico impedir animais ou pessoas de atravessar um limite, demarcado por mourões ligados entre si por fios condutores de energia elétrica. A intensidade da corrente elétrica poderá provocar efeitos que podem ir do desconforto à dor ou mesmo a morte, daí a importância do conceito de ''corrente elétrica''.

(C)py5aal A maioria das cercas eletrificadas é usada, hoje em dia, na atividade pecuária para controlar animais e para reforçar a segurança de áreas sensíveis. Com o tempo e materiais de melhor qualidade, este sistema aumentou, significativamente a abrangência, que passou de algumas centenas de metros a cerca de 100 quilômetros. Isto reduziu os custos de manejo em mais de 80%.

(C)py5aal A melhor eficiência de uma cerca elétrica consiste no uso de isolantes de polietileno, substituindo os de porcelana, melhoramentos do sistema eletrônico dos eletrificadores, introdução de arame de aço de alta resistência mecânica e baixa resistência elétrica e da introdução de redes sintéticas.

(C)py5aal Basicamente, os eletrificadores eletrônicos de cercas e as cercas elétricas são projetadas para criar um circuito elétrico quando tocadas por um animal ou por pessoa. O aparelho eletrônico, ou eletrificador converte a tensão da rede elétrica num breve pulso de tensão muito alta. Este, em geral, tem uma cadência de um segundo e se propaga ao longo de um fio descascado quando um terminal ativo é conectado na linha da cerca. Existe um segundo terminal chamado ''terra'', este é ligado a uma haste metálica que é implantada no solo com a finalidade de fechamento do circuito, caso um animal ou pessoa toquem na linha ''viva''. Assim, a descarga do pulso causa um choque elétrico doloroso. Os efeitos de tal choque dependem da tensão e principalmente da corrente usada e do grau de contacto entre o animal ou pessoa com cerca e o solo. As consequencias podem ir de um efeito quase imperceptível até altamente doloroso. Em caso de eletrificadores construídos sem embasamento técnico, o choque pode ser letal, daí a responsabilidade do projetista e do instalador do conjunto cerca-eletrificador.

(C)py5aal Os primeiros eletrificadores de cerca, utilizavam tensão alternada ( No caso o termo corrente alternada não é coerente) que ao ser conectada a um circuito interruptor mecânico, era pulsada. Os pulsos eram aplicados no primário de um transformador, mas, devida a construção mecânica e de centelhamentos que ocorriam nos contactos da chave do pulsador no momento liga-desliga, nio secundário tornavam-se muito amplos e tanto a tensão, quanto a corrente eram imprevisíveis, gerando assim riscos de picos de tensão e corrente muito altos, que, dependendo da corrente, poderiam ser letais. Pelo fato de ser um mecanismo susceopível à desgastes, após certo tempo de uso começava a falhar e a ficar instável. Os sistemas mais modernos substituem o interruptor por um circuito de estado sólido, isto aumentou substancialmente a durabilidade dos eletrificadores, e principalmente a previsibilidade do ''choque'' de alta tensão, além de um enorme aumento da confiabilidade e controle. Também existem eletrificadores de cercas queimadores de ervas daninhas que emitem um pulsos de maior tensão de tempos em tempos, cuja centelha mata as ervas que crescem muito próximas ao fio. Estes equipamentos são responsáveis por muitos incêndios durante as épocas mais secas e não convém o seu uso sem um controle direto.


Figura 3: Isolador


(c) Py5aal O princípio básico do funcionamento do conjunto eletrificador-cerca é o aumento da tensão elétrica e a redução substancial da corrente, de forma a eliminar a possibilidade de risco de morte de pessoas e animais, pois, a descarga é liberada sobre um transformador de alta qualidade e isolação, que controlado à partir do sistema eletrônico, e com um controle de saída, mantém os pulsos dentro dos limites da potência segura. Uma vez que existe um controle eletrônico de precisão, a largura de pulso é muito estreita, com cerca de 10 microsegundos. Os sistemas modernos podem funcionar inclusive com baterias como fontes de energia principais, ou, dependendo região a ser cercada e da localização ser mais ou menos remota, por um painel solar. O consumo energético de um eletrificador eletrônico é baixo e, assim, uma bateria de automóvel, por exemplo, pode fornecer energia sem ser recarregada durante muitos dias. Existem eletrificadores de menor qualidade que funcionam inclusive a pilha, mas não têm potência suficiente para o uso contínuo, sendo adequados para os chamados ''piquetes escola''.

(c) Py5aal Quanto aos materiais a ser utilizados na construção da cerca eletrificada, o arame de aço macio é o mais frequente, o qual pode ir desde o arame fino usado como uma única linha até ao arame mais espesso de alta resistência. Não é recomendável o arame farpado, pois esta aplicação pode tornar as cercas mais perigosas. As redes de materiais sintéticos atravessados por arames bons condutores - normalmente de aço inoxidável - também são desejáveis, sendo particularmente úteis em zonas que requerem uma visibilidade elevada ou em cercas temporárias.

(c) Py5aal A cerca eletrificada em si, deve ser mantida isolada em relação à terra e a quaisquer materiais que conduzam de eletricidade, que queimem ou que provoquem curtos circuitos. Deve ser evitada a vegetação muito próxima e não pode ser diretamente presa a postes de madeira ou de metal. Normalmente, os postes, mourões, ou piquetes são cravados no solo, sendo-lhes presos isolantes de plástico ou porcelana.

(c) Py5aal As desvantagens das cercas eletrificadas incluem o risco dela ficar inoperante se um dos fios condutores se partir, se existir um curto circuito provocado pelo contacto de um material condutor, se ocorrer uma falha do abastecimento de energia ou se for necessário o corte do abastecimento em virtude de existir risco de incêndio. Outras desvantagens podem ser a falta de visibilidade ou ou choque elétrico potencial num humano que possa tocar acidentalmente na cerca. Na prática, contudo, a partir do momento em que os animais tomam contacto com as consequências desagradáveis, os mesmos tendem a evitá-la durante muito tempo. Também alguns animais evitam o choque elétrico, passando rapidamente pela cerca entre dois pulsos elétricos ou empurrando outros animais contra a cerca. Animais com muito pêlo como as ovelhas, podem forçar as cercas, usando o seu pêlo como isolamento. Alguns aprendem a reconhecer o ligeiro zumbido feito por algumas cercas em funcionamento e assim sentir quando estão desligadas.




Figura 4: Aplicação

(c) py5aal A cerca elétrica rural é pouco conhecida no Brasil, embora fácil de instalar, baixo custo e não oferece risco à criação. É usada para dividir áreas de pastagem e lavoura, por exemplo. Mantém confinados em espaço livre bovinos, bubalinos, suínos, eqüinos, ovinos, caprinos, cães dentre outros animais. Facilita o manejo intensivo de pastagens, é possível reaproveitar cercas antigas através da instalação de isoladores e condutores. Outro uso pouco difundido é como curral móvel, para uso no transporte de animais. Caso seja necessário, é possível construir corredores formados por dois fios flexíveis. Muitos criadores utilizam as cercas para condicionar animais pelo uso de fitas ou sinais reconhecíveis, que uma vez "doutrinados" não há necessidade de eletrificar os fios. No caso de áreas potencialmente perigosas, estas podem ser isoladas dos animais através do seu uso. Existem relatos de eletrificadores utilizados para proteger pomares, hortas e outras plantações de invasão de animais domésticos ou selvagens. No condicionamento de cães, também foram usadas com a finalidade de evitar que comam fora do comedouro ou de urinar nos pneus de automóveis. Uma das maiores vantagens da cerca elétrica sobre a cerca convencional de arame farpado são os custos de implantação e manutenção, a economia chega a 65%.



Cuidados

Desconfie de eletrificadores rurais muito baratos, eles com certeza são fabricados com componentes de baixíssima qualidade. O que pode gerar sérios riscos à sua criação e aos habitantes da sua propriedade. Ao instalar em divisas obter o consentimento dos vizinhos. Não se usa cerca eletrificada rural em locais públicos, onde existe a possibilidade de pessoas tocar. Os eletrificadores de cercas de baixo custo, quando atingidos por quaisquer descargas atmosféricas ou provindas da rede elétrica se danificam, certifique-se que seu aparelho não é "descartável" e que não põe em risco as pessoas e a propriedade, cuidado com equipamentos "muito pequenos e valentes", neste caso, tamanho é documento. O uso de cercas eletrificadas rurais economiza dinheiro e tempo, pois necessita de menos material (fios, mourões) e menos mão de obra. Certifique-se de que o eletrificador possua clamper interno (Pára raios), o não uso deste dispositivo barateia o aparelho, mas põe em risco a sua propriedade, lembre-se, um fio com quilômetros de extensão, certamente atrairá raios, e se o aparelho não tiver uma segurança contra descargas, poderá ocorrer incêndio.

Uso de cercas elétricas rurais:

- Custo inferior ao das cercas convencionais;

- Requer pouca mão de Obra ( aprox. 1 hora/hectare de cerca móvel);

- Manutenção fácil e econômica; mas cuidado com os aparelhos muito baratos, podem pôr em risco a sua criação e os habitantes das áreas onde estão instalados, sempre quando algo que lida com a vida humana é muito barato, deve ser evitado.

- Facilmente modificada, deslocada, removida ou guardadas;

- Fácil instalação em locais acidentados

- Possibilita a montagem de piquetes provisórios em minutos

- Permite o manejo intensivo das pastagens, apenas deslocando a cerca, o que se traduz em baixo custo.

- Permite o manejo intensivo das pastagens, apenas deslocando a cerca, o que se traduz em baixo custo.

- Diminui o número de acidentes. Os animais guardam uma distância e com isso não forçam ou pulam a cerca, evitando úberes dilacerados, pernas quebradas e couro danificado;

- Como todo tipo de cerca, a eletrificada está sujeita a descargas atmosféricas; como os animais ficam afastados dela, o perigo de serem fulminados é menor



 
 
 

 
 
 
UM EXEMPLO DE ELETRIFICADOR DE CERCAS SEGURO E CONFIÁVEL É O YNOSYSTEM MD 100Km  
 
 
Veja pelo próprio manual o porquê de ser usado como exemplo:
 

--PULSOS Tensão: 12 Kv ou 20 Kv (MK1)

--CORRENTE: 0,000.086  A

--CONSUMO  DE ENERGIA MÉDIO: 0,625 W/h  ou 2,0 W/h (MK1).

--ENERGIA DOS PULSOS (JOULES): O,9 J ou 1,8 J (MK1)

Obs: O eletrificador MD100 KM MK1 é indicado para criadores de búfalo, contudo tamb´pem é utilizado para outros animais.

--ALCANCE: 30 Km (De distância - MK1), DEPENDENDO DA QUALIDADE DOS ISOLADORES EMPREGADOS, DA FIAÇÃO UTILIZADA, DOS SISTEMAS DOS *DISPOSITIVOS DE ARMAZENAMENTO DE ENERGIA INSTALADOS AO LONGO DA CERCA E PRINCIPALMENTE DA CONDUTIVIDADE DO SOLO, O ALCANCE PODE CHEGAR ATÉ  100Km.

*Para o MD 100 KM MK1

--POSSUI PÁRA RAIOS INTERNO , PARA EVITAR POSSÍVEIS FUGAS DA ALTA TENSÃO PARA OS ISOLADORES.

--POSSUI  PÁRA-RAIOS DE REDE - EVITANDO DESTA FORMA GRANDE PARTE DOS DANOS NO EQUIPAMENTO CAUSADOS PELA OPERADORA DE ENERGIA ELÉTRICA LOCAL (CONCESSIONÁRIA).

--TEMPO DE PULSO É DIMENSIONADO PARA TOTAL SEGURANÇA À SERES HUMANOS.

--COMPOSTA INTERNAMENTE COM COMPONENTES MODULARES DE ALTA CONFIABILIDADE, A PROVA DE UMIDADE COM ISOLAMENTO TRIPLO. PROTEÇÃO INTERNA CONTRA INFESTAÇÃO DE CUPINS E FORMIGAS.

--POR SER MODULAR SUA MANUTENÇÃO É FACILITADA, O PRÓPRIO USUÁRIO PODE  EXECUTAR A TROCA DE PEÇAS, DESDE  QUE  POSSUA  OS MÓDULOS  DE SUBSTITUIÇÃO, O EQUIPAMENTO NÃO É DESCARTÁVEL, NÃO ENFERRUJA E NÃO APODRECE, MESMO INSTALADO NAS CONDIÇÕES MAIS PRECÁRIAS.

--TECNOLOGIA  DE ÚLTIMA GERAÇÃO.

--MÓDULOS PROTEGIDOS, GARANTINDO, DESTA FORMA TOTAL IMPERMEABILIDADE DE UMIDADE E A CIRCULAÇÃO DE CENTELHAS INTERNAS E ATAQUES DE INSETOS.

--PROTEGIDO CONTRA ELETRICIDADE ESTÁTICA

--ALTA RESISTÊNCIA MECÂNICA A IMPACTOS E QUEDAS.

--FONTE DE ALIMENTAÇÃO PROTEGIDA CONTRA AGENTES QUÍMICOS COMUNS EM AMBIENTES RURAIS (ADUBO, MATERIAIS PULVERIZADOS, ÓLEOS, GASOLINA, ETC).

--MANUSEIO SIMPLES PRÁTICO E RÁPIDO, BASTA LIGAR OS FIOS CERCA, TERRA  E CABO DE FORÇA À TOMADA APERTAR A CHAVE LIGA-DESLIGA, E A CERCA ESTÁ FUNCIONANDO SEM REGULAGENS E COMPLICAÇÕES  DESNECESSÁRIAS.

--MANUTENÇÃO  FÁCIL, INTUITIVA E DESCOMPLICADA

LIGANDO SEU ELETRIFICADOR NA TOMADA DE FORÇA.

IMPORTANTE: OS NOVOS ELETRIFICADORES DE CERCA, À PARTIR DE JANEIRO DE 2011, TÊM SELEÇÃO AUTOMÁTICA DE TENSÃO DE REDE, FUNCIONAM DE 100 À 380 V.

PARA COLOCAR EM FUNCIONAMENTO:

a)Verificar que o cabo de força não esteja na tomada, a chave LIGA esteja PARA BAIXO (DESLIGADA), a lâmpada piloto (LED) não esteja piscando E A LÂMPADA QUE INDICA PRESENÇA DE ALTA TENSÃO LOCALIZADA NO PAINEL TRASEIRO À DIREITA DA PALAVRA “CERCA”  DEVE ESTAR APAGADA.

Tampas traseira e dianteira

 

b) Conectar o fio VERMELHO do aparelho (tampa traseira) marcado CERCA OU (+) na cerca.

c) Conectar o fio PRETO do aparelho (tampa traseira) marcado TERRA OU (-) no aterramento.

d) Colocar o cabo de força na tomada.

e) Ligar a chave LIGA PARA CIMA (no painel frontal).

f) A lâmpada piloto frontal deve começar a piscar com uma freqüência de um pulso por segundo aproximadamente

g) Observar que no painel traseiro ao da saída do fio vermelho, existe uma vigia que indica a condição da cerca de arame ou do aparelho, esta mostra um pequeno flash de luz. Testador inteligente - opcional - Instalação mediante pedido

Painel traseiro

A vigia de teste não pode estar preta, caso esteja, significa que a proteção interna do equipamento captou descarga atmosférica vinda pelo fio de arame e o bloqueou, nestes casos, verifique o fusível de cerca  e o pára-raios de cerca e o de rede.

*Para saber como estão as condições da cerca de fio e seus isoladores, basta verificar o brilho no painel traseiro. Quanto mais forte, melhores as condições do sistema físico, se o brilho for azul esmaecido (Bem fraco). Caso não exista nenhum brilho, verifique pessoalmente vazamentos importantes para o terra, o fio da cerca está com sérios problemas de vazamento de alta tensão.

Veja embaixo uma lista comparativa:

1-Se o brilho da piscada da lâmpada for claro e bem forte, indica que a cerca e seus isoladores estão em ótimas condições.

2- Se o brilho estiver indo para a cor alaranjada, porém com intensidade média, indica que a cerca “ainda está em condições”, porém deve ser feita uma revisão nos isoladores e capim sujeira mato encostando no fio.

3- Se o brilho estiver com um alaranjado bastante forte indica centelha pulando para a terra em algum lugar do fio da cerca.

4- Se o brilho estiver azul-avermelhado bem fraco ou inexistente, indica que a cerca de fio está arrebentada e encostada no chão, ou algo está encostando ao fio da cerca, um metal, uma vegetação verde, etc.

5- Se o LED frontal estiver piscando e o teste não, indica que o circuito de Alta Tensão foi bloqueado ou tem algum problema no fio da cerca, ou o sistema de segurança e proteção interno travou, reinicie o eletrificador. Para desbloqueá-lo, desligue o aparelho da tomada e da cerca de fio, aguarde alguns segundos e religue-o novamente, se não houver resposta leve o equipamento ao revendedor, que estará habilitado para desbloqueá-lo.

CUIDADOS COM ELETRIFICADORES:

a) Sempre conectar  O FIO DA CERCA  e o FIO  TERRA com o EQUIPAMENTO DESLIGADO.

b) Fazer um aterramento: para isto basta enterrar VERTICALMENTE três pedaços de cano galvanizado de um metro na terra a uma distância de aproximadamente dois metros um do outro, interligando-os com fio elétrico descascado ou fio de cobre nu, LIGANDO ao fio TERRA do seu aparelho, NO CASO DE ELETRIFICADORES O FIO PODE SER GALVANIZADO.

c) NUNCA USAR O NEUTRO DA REDE COMO TERRA.

d) Qualquer fio isolado da terra é uma antena que atrai raios, portanto o fio da cerca elétrica atrai descargas atmosféricas, por isso devem ser conectados a este centelhadores, a função destes é descarregar prováveis raios que atinjam à cerca.

e) Sempre que o tempo estiver armando para tempestades (temporal) muito fortes, desconectar seu Eletrificador da rede elétrica e da cerca, deixando-o aterrado. Esta regra vale para qualquer eletrificador, não importando marca, nem modelo.

f) Para proteger o usuário, as pessoas, o rebanho, sua propriedade e o equipamento, usar sempre  centelhadores em sua cerca eletrificada para prevenir possíveis descargas atmosféricas na mesma.

NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA COM ELETRIFICADORES.

a) Conectar sempre o CABO DE FORÇA POR ÚLTIMO e só depois ligar seu eletrificador

b) Instalar sempre em lugar seco, ao abrigo da chuva e umidade, qualquer eletrificador de cerca trabalha com MUITO ALTA TENSÃO (M.A.T.), podendo causar inclusive choque elétrico fatal devido à condição de instalação.

c) INFORMAR, AO LONGO DA LINHA DA CERCA, ATRAVÉS DE PLACAS DE ADVERTÊNCIA A PRESENÇA DA MESMA.

d) Orientar as pessoas para evitar deixar objetos metálicos e não metálicos encostados ou tocando no fio da cerca.

e) Não deixar capim ou mato encostar-se ao fio da cerca, atentar para o risco de incêndios ocasionados pelas centelhas de alta tensão na vegetação seca.

f) Evitar utilizar isoladores de plástico, pois com o passar do tempo perdem a isolação e a eficácia.

g) Utilizar quando possível, isoladores de porcelana , “nylon”, “teflon” ou qualquer polímero de alta densidade.

h) Embora não haja perigo de morte, desde que obedecidas normas de segurança, evitar brincadeiras ou piadas tomando choques elétricos com qualquer eletrificador. Não foi  projetado para este fim.

i) Em eletrificadores de cerca todo cuidado é pouco, se houver qualquer defeito,  procure sempre um técnico habilitado, pois o manuseio por pessoas leigas pode causar sérios acidentes, inclusive fatais.

j)Ligar sempre o fio da cerca em primeiro lugar, depois o fio terra e POR ÚLTIMO A TOMADA.

k)Em eletrificadores que utilizam garra de jacaré como ligação à cerca de fio, sempre manusear com cuidado.

l) NÃO INSTALAR ELETRIFICADOR DE CERCA DE QUALQUER MARCA OU MODELO SOB QUALQUER PRETEXTO EM LOCAIS ONDE NA PRESENÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS INFLAMÁVEIS, OU COM ATMOSFERAS POTENCIALMENTE EXPLOSIVAS, GASOLINA, ÓLEO DIESEL, QUEROSENE, (CILINDROS DE OXIGÊNIO PRÓXIMOS A ÓLEOS OU GRAXAS), ACETILENO, GAS DE COZINHA (GLP) OU INDUSTRIAL , BEM COMO PRÓXIMO A PRODUTOS À BASE DE NITRATO DE AMÔNIA OU OUTROS PRODUTOS QUE POSSAM GERAR GASES POR FERMENTAÇÃO OU QUE LIBEREM QUALQUER TIPO DE GÁS INFLAMÁVEL, AS CENTELHAS DE UM ELETRIFICADOR PODEM CAUSAR EXPLOSÕES.

m) NUNCA USAR O NEUTRO DA REDE COMO ATERRAMENTO DE SUA CERCA ELÉTRICA PODE CAUSAR ACIDENTES FATAIS SE FOR CONFUNDIDA ACIDENTALMENTE COM O FIO FASE.

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ċ
Elatri Ficador,
26 de jun de 2010 15:34
Comments