edificios corporativos e edificio corporativo



Edificios corporativos e Edificio corporativo


Edificios corporativos e Edificio corporativo

Uma Edificio corporativo é um conjunto organizado de meios com vista a exercer uma actividade particular, que produz e oferece bens e/ou serviços, com o objetivo de atender a alguma necessidade humana. O lucro, na visão moderna das empresas privadas, é consequência do processo produtivo e o retorno esperado pelos investidores. Edificio corporativo de titularidade do Poder Público têm a finalidade de obter rentabilidade social. Um Edificio corporativo pode ser individual ou coletivo, dependendo do número de sócios que as compõem.

O Edificio corporativo é a forma como as empresas participantes (atores, empregados, pessoas em comum que se percebem como agindo em nome da empresa) faz sentido da sua empresa na interação social em curso com outras pessoas em um contexto específico para o bem da empresa. O Edificio corporativo inclui as percepções comum da realidade, formas a fazer coisas, etc, e comportamento intertravado.
Nesse processo o Edificio corporativo são de vital importância na identidade corporativa, pertence à empresa, grupo de pessoas corporativas,  acionista ou acionistas ), bem como para os outros relevantes.

Em marketing, uma identidade corporativa é a personalidade "de uma corporação que visa acordo em facilitar a realização dos objetivos do negócio da empresa. Normalmente é visivelmente manifestada por meio de logos e uso de marcas.

A identidade corporativa surge quando há uma propriedade comum de uma filosofia organizacional que se manifesta em uma cultura distinta das empresas - a personalidade da empresa.  No seu sentido mais profundo, a sensação do público sobre propriedade da filosofia da empresa



Corporativismo

Corporativismo é ação em que prevalece a defesa dos interesses ou privilégios de um setor organizado da sociedade, em detrimento do interesse público.
Corporativismo é um sistema de organização econômica, política ou social ou pensamento que vê a comunidade como um órgão baseado em solidariedade social orgânica e distinção funcional e papéis entre os indivíduos. O termo corporativismo é baseado na palavra latina " corpus ", que significa" corpo ".  O corporativismo está relacionada ao conceito sociológico do funcionalismo estrutural. Interação social das empresas é comum nos grupos de parentesco, tais como famílias, clãs e etnias. Além de seres humanos, certas espécies animais são conhecidos por apresentar forte organização corporativa social, como os pingüins.  Na ciência, as células de organismos são reconhecidos como envolvendo organização corporativa e interação.
O corporativismo é um sistema político no qual o poder legislativo é atribuído a corporações que representam grupos económicos, industriais ou profissionais. É um sistema não-democrático, pois não é o povo, ou os seus representantes, quem detêm o poder. Assim sendo, propô-se a eliminar a luta de classes mediante um modelo de colaboração entre elas. Num suposto equilíbrio, os interesses conflitantes entre capital e trabalho seriam atenuados e direcionados positivamente pelo Estado - aqui visto como uma entidade neutra. O regime que vigorou em Portugal até à revolução de 25 de Abril de 1974 mostrava fortes aspectos corporativistas. Também no Brasil, entre os anos de 1937-45, o chamado Estado Novo, sob a liderança do presidente Getúlio Vargas apelava para um modelo corporativo de Estado, sendo sua legislação trabalhista claramente inspirada na "Carta del Lavoro" de Mussolini. A palavra "corporativismo" provém da palavra latina corpus, corpo.