Nova Teoria da Comunicação

De 1989 a 2000 o NTC desenvolveu na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo o Projeto Nova Teoria da Comunicação, que objetivava construir um novo referencial teórico para os estudos dos mass media numa era de altas tecnologias informáticas e da constituição de uma sociedade cibernética.

O Projeto, em sua existência, teve vários desdobramentos:

a) Em 1992, foram instituídos os workshops acadêmicos em que vários intelectuais sentavam-se em torno de uma mesa e discutiam livremente suas pesquisas e suas posições teóricas. Estas discussões não se resumiam a trocas de idéias e informações. Muito mais do que isso, criou-se e desenvolveu-se aqui um novo método de trabalho acadêmico, o componente principal e mais original da proposta metodológica associada à construção de uma nova teoria científica.
b) Foi criada, em 1993, uma publicação regular, o Atrator estranho, que passou a divulgar a transcrição dos workshops a professores, pesquisadores e especialistas de todo o país. Sua função não era a mesma dos livros ou publicações científicas clássicas mas a de levar rapidamente ao público interessado - através de um caderno ágil, de fácil leitura e circulação - as novas discussões e os temas da ordem do dia atuando como sobrevivência possível do trabalho intelectual na esfera pública, operando na mesma velocidade das mudanças e vencendo o descompasso que sempre distanciou a inovação tecnológica da reflexão científica.
c) Em 1994, criou-se na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo o NTC - Centro de Estudos e Pesquisas em Novas Tecnologias, Comunicação e Cultura, institucionalizando nosso grupo de pesquisa e promovendo seminários, reuniões científicas, assim como cursos de atualização e reciclagem. O NTC, além disso, passou a participar oficialmente de reuniões científicas da área, constituindo grupos de trabalho próprios (GT Sociedade Tecnológica, na Compós).
d) A partir de 1995, começaram a ser criados, à partir de nossa sugestão, NTCs em outras importantes cidades brasileiras. Inicialmente foram fundadas estruturas similares à nossa e constituídas com os mesmos propósitos em Porto Alegre, Campinas e Recife. Mais tarde formou-se NTCs em Salvador, Florianópolis, Londrina, Rio de Janeiro, Natal, Brasília, Cuiabá, Teresina.
e) Em 1997, o NTC lançou sua primeira grande obra de caráter acadêmico, o livro Pensar-Pulsar. Cultura comunicacional, tecnologias, velocidade. A editora é o próprio NTC, que constituiu a partir daí as EDIÇÕES NTC, editora voltada a fazer chegar seus produtos ao grande público de docentes, pesquisadores e interessados na comunicação e nas novas tecnologias. A Edições NTC já tem, neste ano de 1998, dois novos originais no mercado: Vivências eletrônicas: sonhadores e excluídos e Cenários do novo mundo.
f) Do ponto de vista internacional, o NTC iniciou, a partir de 1996, os workshops internacionais, realizados no mesmo esquema dos nacionais e com a publicação bilíngüe. Estiveram presentes nesses encontros pensadores internacionais de renome como Lucien Sfez, Mike Featherstone e Luis Busato.
g) O período compreendido entre setembro de 1998 e fins de 2003 desencadeou a Fase Conclusiva e Final do projeto "Nova Teoria da Comunicação", caracterizada pela produção das três obras pilares dessa proposta (1):

1) Viagem na Irrealidade da Comunicação. O Princípio da Razão Durante. Obra inicial e introdutória do Projeto, dividida em três partes teóricas (Comunicação - Tecnologias - Sistemas) e duas partes epistemo-metodológicas (Estrutura e Processos; A questão do método). [obra concluída em 1999, em estágio pós-doc do coordenador geral do Projeto na França]
2) Pelas trilhas escarpadas. Obra que parte dos pontos de chegada da obra anterior e os trabalha intensivamente, no sentido de proceder a uma investigação de profundidade e densidade nos seus "nós górdios". Esses "nós" são o estágio mais complexo, mais desenvolvido, mais sofisticado da atual Teoria da Comunicação e que, por isso mesmo, carecem de um estudo à parte [período atual: de 2000 a fins de 2001]. São eles:
(a) No que se refere ao item "Comunicação"
- A teoria lingüística de Gilles Deleuze (a partir do aprofundamento de Louis Hjelmslev);
- O logocentrismo e a gramatologia de Jacques Derrica (a questão da interpretação)
- A noção e a importância do interpretante de Charles S. Peirce
- O discurso e a imagem em Jean-François Lyotard
(b) No que se refere ao item "Tecnologias":
- Retomada da discussão das relação entre tecnologia, comunicação e o homem (Richard Rorty)
(c) No que se refere ao item "Sistemas":
- Trabalho intensivo da obra de Niklas Luhmann

(3) O Princípio da Razão Durante. Obra conclusiva em que a proposta teórica e metodológica de uma Nova Teoria da Comunicação é finalmente apresentada ao público. [Previsão da conclusão: fim de 2003].

À parte todos os desdobramentos de nosso Núcleo como instituição de pesquisa, divulgação e debate, considera-se internamente que o melhor fruto de todo esse trabalho foi a criação e o desenvolvimento de um método de trabalho científico e acadêmico inovador (autoconstituição espontânea do saber ou "O princípio da razão durante"), apropriado a esta época em que se constata um desprestígio do intelectual, uma desvalorização da pesquisa e da reflexão, um desinteresse pelo trabalho em equipe. É contra todas essas tendências que se desenvolveu e que e concluirá esta pesquisa.

(1) Em vista da necessidade de reposicionamento teórico e epistemológico, os componentes do Núcleo acharam por bem alterar a instituição suporte das pesquisas até então desenvolvidas. Dissolveu-se o núcleo anterior e criou-se, agora mais sintonizado com as metas da produção final e conclusiva da pesquisa, o FiloCom - Núcleo de Estudos Filosóficos da Comunicação, que passa a cumprir, a partir de então, as mesmas funções (institucionais, acadêmicas e investigativas) do antigo NTC. Sobre a nova composição do Núcleo, ver item Equipe de Trabalho
Comments