O PODER DA ARGUMENTAÇÃO


*´¨)
¸..´¸..*´) ¸..*¨)
(¸..´¨ (¸..` ¤ Dorothy Bluyus Rodrigues Matias - PCOP/História*
 
DE - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
 

A LENDÁRIA ROTA DA SEDA

AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO

BIOGRAFIAS

CAMPANHAS E HISTÓRIA

CURIOSIDADES SOBRE O CALENDÁRIO

DEBATENDO

EGITO ANTIGO

HISTÓRIA  

HISTÓRIA EM QUADRINHOS NA HISTÓRIA

ILUMINISMO

OS VALES FÉRTEIS

PASSADO REGISTRADO

PASSADO REGISTRADO 2

REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932

SOBRE O IRAQUE

SUGESTÃO DE LEITURA

TEMPO CRONOLÓGICO 

Questão de gênero

 

ESCREVER E CONVENCER PARA MUDAR

 

Escrever o que se pensa sobre algo, querendo convencer o leitor, exige argumentos. É preciso defender, exemplificar, justificar ou desqualificar posições. Essa é a regra geral para um bom artigo de opinião, gênero que não existiria se não fosse o jornal.

 

Nenhum gênero de texto nasce, como se diz, “sem pai nem mãe”. Todos têm suas origens marcadas por alguma área de atividade humana. No caso dos artigos de opinião, essa origem está nos jornais. O Manual de Redação da Folha de São Paulo, um dos principais jornais do país, afirma que “o jornal (...) é um órgão formador de opinião. Sua força se mede pela capacidade de intervir no debate público e, apoiado em fatos e informações exatas e comprovadas, mudar convicções e hábitos.”

 

Para entender o funcionamento do artigo de opinião, é preciso entender o funcionamento do jornal, que vive de noticiar fatos novos e importantes. As notícias, que são a razão de ser do jornal, ocupam grande parte dele e devem ser “verdadeiras”, isto é, apoiadas em informações e fatos precisos, isentos e opinião. É claro que isso é muito relativo, porque ninguém consegue dizer alguma coisa sem denunciar, de alguma forma, o que pensa sobre o que diz...

 

Como as notícias publicadas devem ser isentas de opinião sobre os fatos noticiados ela vai aparecer nos artigos. Eles são escritos por pessoas influentes na sociedade, a respeito dos debates criados pela leitura das notícias que circularam no jornal em dias anteriores. Os articulistas, por serem pessoas respeitadas, podem, com suas palavras, influenciar ou mesmo mudar convicções e hábitos dos leitores.

 

Para atingir sua finalidade, convencer os leitores da importância da opinião do articulista, os artigos de opinião são organizados como uma espécie de discussão entre pontos de vista diferentes sobre os fatos polêmicos que as notícias abordaram.

 

Eles são planejados para que a opinião do autor pareça ser a mais correta, a mais importante, enquanto as opiniões contrárias a ela são desvalorizadas.

 

Separando as notícias das opiniões, o jornal atinge duas finalidades: a notícia traz fatos apoiados em informações comprovadas e os artigos procuram mudar a opinião, as convicções e os hábitos dos leitores.

 

 

O PODER DA ARGUMENTAÇÃO

 

Em 13 de janeiro de 1898, o escritor francês Émile Zola escreve artigo para o Jornal L’Aurore, intitulado “Eu acuso!”, responsabilizando políticos e militares pela condenação injusta à prisão de um militar chamado Dreyfuss.  Zola era o escritor mais famoso da França naquele período. Seu artigo, em formato de carta aberta, mobiliza o país par a revisão do julgamento. Tempos depois. Dreyfuss é inocentado e libertado.