TERAPIA OCUPACIONAL NO AUTISMO

A matéria-prima da Terapia Ocupacional é o dia-a-dia de pessoas que perderam a capacidade de cuidar delas mesmas, de trabalhar ou de ter lazer. O Terapeuta Ocupacional, um profissional da área de Saúde, intervém no cotidiano dessas pessoas e trabalha para que elas recuperem a autonomia e a (re)inserção social.

A Terapia Ocupacional centra-se no estudo da ocupação humana, com enfoque nas áreas de autocuidado, trabalho e lazer. O profissional dessa área compreende o processo de função e de disfunção ocupacionais para promover a saúde e a inclusão de indivíduos.

O Terapeuta Ocupacional tem por objetivo reabilitar aspectos motores, perceptivos e cognitivos por meio de atividades pré-selecionadas e analisadas para promover o restabelecimento das funções lesadas ou deficitárias nas seguintes áreas:

Motora - coordenação, força, amplitude articular, funcionalidade e destreza.

Perceptiva - integração dos diversos aspectos sensoriais (tátil, gustativo, olfativo, visual e auditivo). As alterações peculiares a cada via sensitiva envolve fatores específicos que devem ser explorados e estimulados.

Cognitiva - integração e maturação das funções percepto-motoras, enfocando a organização e interpretação adequada de todas as sensações que levam o indivíduo à independência e adaptação com o seu ambiente.
 
 
Como a T.O. se aplica ao autismo?

A terapia ocupacional pode beneficiar a pessoa autista, atendendo e desenvolvendo a qualidade de vida da pessoa como indivíduo. O objetivo é introduzir, desenvolver e manter habilidades que permitam o indivíduo participar o mais independente possível nas atividades diárias tão significativas. Desenvolver o aprendizado com as habilidades motora fina, habilidades de interação, habilidades de auto-cuidado e a socialização são os pontos alvos que devem ser atingidos.

Com os métodos da terapia ocupacional, a pessoa com autismo pode ser ajudada tanto em casa quanto na escola, ensinando-o atividades como se vestir, se alimentar, ir ao banheiro adequadamente, arrumar-se ou enfeitar-se adequadamente. E ainda desenvolver a coordenação motora fina e a coordenação visual  necessária pra se aprender a ler e fazer atividades manuais, a coordenação motora grossa para habilitar o indivíduo a andar de bicicleta ou até mesmo andar adequadamente, e as habilidades de percepção visual necessária para a escrita.

A terapia ocupacional faz parte de um esforço colaborativo de médicos e educadores, assim como dos pais e outros membros familiares. Com esse tipo de tratamento a pessoa com autismo pode se mover adequadamente na vida social com toda desenvoltura necessária nas atividades de vida diária.

Comments