3 Relações Ecológicas Interespecíficas

As Relações Interespecíficas são relações entre organismos de espécies diferentes e podem ser harmônicas e desarmônicas (Figura 7).



Figura 7: Esquema da organização das relações interespecíficas. 



Relações Harmônicas



- Comensalismo


É uma relação semelhante ao inquilinismo, porém, uma das espécies é beneficiada pela simbiose, enquanto a outra não obtém nenhum benefício com a relação, embora não sofra nenhum prejuízo.

Um exemplo curioso do comensalismo é a associação do tubarão com o peixe piloto. Os peixes-piloto vivem ao redor do tubarão, alimentando-se dos restos de comida que escapam de sua boca (Figura 8).


Figura 8: Associação do tubarão com o peixe piloto.

Fonte: Canal Ciências.



- Inquilinismo


É a relação em que uma espécie “inquilina” vive sobre ou no interior de uma espécie hospedeira, sem prejudicá-la. Por exemplo, o fierasfer, um pequeno peixe que vive dentro do pepino do mar (Holoturia) (Figura 10). Para alimentar-se, o fierasfer sai do pepino do mar e depois volta. Nesse caso, o peixe encontra proteção no corpo do pepino do mar, o qual por sua vez, não recebe beneficio nem sofre desvantagem.



Figura 10: Relação do peixe com o pepino do mar, como exemplo de inquilinismo.
Fonte: Etec Brasil.



Figura 11: Exemplo de inquilinismo.
Fonte: Olha a que.


- Mutualismo


O mutualismo é um tipo de simbiose em que ambas as espécies que interagem obtêm benefícios e mantem relação de dependência.

Os liquens são um exemplo dessa interação, uma vez que representa a associação de fungos e algas que são tão dependentes funcionalmente e tão integradas morfologicamente que são considerados outro tipo de organismo (Figura 11).



Figura 11: Exemplo de inquilinismo.

Fonte: Brasil Escola.



- Protocooperação


A protocooperação ou mutualismo facultativo é uma relação entre duas espécies na quais ambas são beneficiadas, porém uma pode viver independente da outra.

Um dos exemplos mais conhecidos dessa relação é a associação entre a anêmona do mar e o paguro, um crustáceo também conhecido como ermitão (Figura 12). O paguro tem o corpo mole e costuma ocupar o interior de conchas abandonadas de gastrópodes. Sobre a concha costumam-se instar uma ou mais anêmonas do mar. Dessa união surge o benefício mútuo: a anêmona possui células urticantes, que afugentam os predadores e o paguro, ao se deslocar, possibilita a anêmona uma melhor exploração do espaço em busca de alimento (Figura 12).

Figura 12: Associação entre a anêmona do mar e o paguro.

                                                                                                                Fonte: Portal do Professor MEC.


Outro exemplo é do boi e do anum. Os bois e vacas são comumente atacados por parasitas externos (ectoparasitas), pequenos artrópodes conhecidos vulgarmente por carrapatos.  E o anum preto (Crotophaga ani) tem como refeição predileta estes pequenos parasitas.  A relação é benéfica para ambos (o boi se livra do parasita e o anum se alimenta) (Figura 13).


Figura 13: Associação do boi e do anum.

Fonte: Portal do Professor MEC.



Relações Desarmônicas



- Amensalismo


O amensalismo ou antibiose consiste numa relação em que indivíduos de uma população secretam ou expelem substâncias que inibem ou impedem o desenvolvimento de indivíduos de populações de outras espécies.

Um exemplo do amensalismo é a maré vermelha (Figura 14). Sob determinadas condições ambientais, certas algas marinhas microscópicas, do grupo dos dinoflagelados, produtores de substancias altamente toxicas, apresentam intensa proliferação, formando enormes manchas vermelhas no oceano. Por essa razão, a concentração dessas substancias toxicas aumenta, provocando grande mortalidade de animais marinhos.



Figura 14: Maré vermelha como exemplo de amensalismo.

Fonte: Munda da Educação.



- Competição Interespecífica


A competição interespecífica ocorre quando duas espécies de uma comunidade disputam os mesmos recursos no ambiente. Um exemplo dessa relação é a competição entre hienas e abutres pela carcaça de um animal (Figura 15).



Figura 15: Exemplo de competição interespecífica - hienas e abutres disputando a carcaça de um animal.

Fonte: CFB na Net.



- Parasitismo


O parasitismo é um tipo de simbiose em que uma espécie parasita associa-se a outra (espécie hospedeira), causando-lhe prejuízos. Quanto a localização no corpo do hospedeiro os parasitas podem ser classificados em ectoparasitas (externos) e endoparasitas (internos). Os exemplos de ectoparasitas são os piolhos, os carrapatos (Figura 16), o cravo de pele, o bicho-de-pé, entre outros. Exemplos de endoparasitas são o plasmódio, o tripanossomo, protozoários, vírus, entre outros.




Figura 16: Carrapatos parasitando um cachorro.

Fonte: Vivendo Ciência.


Acesse o link  Saiba Mais!!! para aprofundar o assunto sobre parasitismo. O Saiba Mais contém alguns artigos para discutirmos esse tema.



- Predação


A predação é uma relação em que um animal captura e mata um individuo de outra espécie, para alimentar-se. Todos os carnívoros são animais predadores. É o que acontece com o leão, o lobo, o tigre, a onça, que caçam veados, zebras e tantos outros animais.  O predador também pode devorar plantas, como acontece com o gafanhoto, que em bandos devoram rapidamente toda uma plantação. Nesses casos costuma-se dar ao predatismo o nome de herbivoria (Figura 17).




Figura 17: Exemplos de predação.

Fonte: Portal do Professor MEC.


Subpáginas (1): Saiba Mais!!!
Comments