O termo Dedetização surgiu da substância Dicloro-Difenil-Tricloroetano – DDT, muito utilizada na Segunda 
Guerra Mundial para proteger os soldados contra insetos, porém foi banida pelos órgãos de saúde devido 
ao elevado grau de toxidade e contaminação ambiental. Mesmo assim o nome passou a representar toda e por isso que hoje, embora seja vetado o uso do DDT no país, o termo dedetização é adotado. Porém, usualmente são utilizados os termos desinsetização para o controle químico de insetos como barata, cupins e formiga ou desratização para o controle químico de ratos. Entende-se por praga, nome popular, os insetos, ácaros, ratos, pombos, entre outros animais sinantrópicos, que são aqueles que vivem próximas às habitações humanas, ou seja, que em determinado local ou momento podem causar algum dano direto ou indireto à saúde humana.  qualquer substância para o controle de pragas.

  • PULVERIZAÇÃO - É a mais antiga e a mais comum das técnicas de aplicação. Usando um pulverizador o inseticida é diluído em água (no tanque do pulverizador)e depois de fechado é feito o bombeamento através de uma alavanca manual que pressuriza o líquido, apertando-se o gatilho da lança a calda inseticida sai através de um bico dosador e pode ser aplicada nas superfícies ou nos locais de infestação. Essa técnica permite a aplicação de inseticidas líquidos, formulados em Concentrado Emulsionável, Suspensão Concentrada, Micro-encapsulado e Pó Molhável.
  • ATOMIZAÇÃO - É quando usa-se um atomizador com motor à gasolina de 2 tempos. O motor faz girar uma ventoinha que gera um turbilhão de "vento" num duto e na saída desse é liberado a calda inseticida que devido a força do "vento" vindo pelo duto "quebra" a calda inseticida em partículas finas ou seja atomizadas. A vazão é controlada com um registro com 4 níveis de abertura. Essa técnica também permite a aplicação de inseticidas líquidos, formulados em Concentrado Emulsionável, Suspensão Concentrada, Micro-encapsulado, Pó Molhável.
  • POLVILHAMENTO - Usando-se uma polvilhadeira pode-se aplicar o inseticida formulado em Pó Seco em frestas, dutos de esgoto, etc.
  • APLICAÇÃO DE GEL - Essa técnica é exclusiva da formulação de inseticida em GEL. O gel pode ser aplicado através de uma pistola aplicadora cuja regulagem é feira para que o gel saia em forma de gotas. Alguns inseticidas nessa formulação é envasado em seringas com a mesma finalidade de aplicação. Os inseticidas formulados em GEL podem são distintos ou seja existem o gel para controle de baratas e o gel para o controle de formigas. Ambos insetos devem ingerir o gel que é uma isca ou seja uma alimento que causará a morte desses, sendo que as baratas morrem individualmente e as formigas carregam o gel para os ninhos que será compartilhado com toda a colônia pois são insetos sociais.

Efeito dos inseticidas:


  • Desalojante – Provoca a saída do inseto de seu esconderijo. Essa característica vai depender do grupo químico e da molécula do principio ativo do inseticida. Geralmente os inseticidas líquidos formulados em concentrado emulsionável causam esse efeito desalojante.
  • Choque - Elimina instantaneamente o inseto. Essa característica é importante quando não se deseja que insetos saiam perambulando pelo ambiente depois da aplicação. A molécula Diclorvós ou DDVP foi muito utilizada pois tinha um efeito knock-dow muito evidente e em cerca de 1 minuto fulminava os insetos. Hoje existem outras moléculas que causam esse efeito porém são um pouco mais lentas a vantagem é que essas moléculas pertencem a grupos químicos menos tóxicos ao homem, animais domésticos e ao Meio Ambiente.
  • Residual - Garante ação inseticida por longo tempo. Essa característica vem sendo questionada e hoje não existem muitos inseticidas para uso urbano que deixem um longo tempo de residual no ambiente tratado pois, com as questões ambientais em evidência no mundo todo não é mais aceitável que um inseticida permaneça por longos períodos no ambiente como era a principal característica do grupo químico dos Organoclorados = DDT (hoje proibidos).




Aranha
São artrópodes pertencentes à ordem araneae da classe dos aracnídeos. Existem mais de quarenta mil espécies de aranhas e podem ocupar áreas com enormes populações....


Barata
Quando nos referimos a baratas, estamos falando de toda uma ordem de insetos, que possui inúmeras espécies. Apenas 1% dessas espécies tem o costume de se aproximar...


Carrapato
São artrópodes da ordem dos ácaros. São parasitas que vivem fora da vítima (ectoparasita) e se alimentam de sangue (hematófago). 
Estão distribuídos por todo o globo, tanto em zonas urbanas quanto zonas rurais, e são transmissores de diversas doenças...


Cupim
São chamados de cupins (ou térmites) mais de 2.800 espécies de insetos da ordem Isoptera, que costumam se alimentar de madeira, material derivado da celulose. São famosos como pragas agrícolas, porém apenas 10% das espécies atacam áreas de agricultura...


Dengue
Dengue é o nome da enfermidade causada pelo vírus da dengue, que possuí quatro tipos imunológicos, DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Uma vez que uma pessoa foi infectada ela cria imunidade permanente contra o tipo contraído e imunidade parcial e temporária contra o restante...


Escorpião
Os escorpiões são aracnídeos da ordem Scorpiones. São animais terrestres de hábitos noturnos que geralmente vivem discretamente. Costumam caçar e se reproduzir após o crepúsculo...


Formiga
É o grupo mais popular dentre os insetos, estão englobadas em uma única família a Formicidae que possuí 12.585 espécies descritas (setembro de 2010). Estão distribuídas em todas...


Mosquito/
Pernilongo
Os mosquitos (pernilongos ou muriçoca dependendo da região de São Paulo) são insetos membros da ordem Diptera, de insetos alados com um par de asas. São capazes de voar distancias consideráveis, o que dificulta o controle dessas pragas em regiões urbanas...


Pulga


Rato
Rato é o nome geral de todos mamíferos roedores da família Muridae. São diversas as espécies dessa família, sendo a maior existente na atualidade, com quase 650 tipos. São animais muito...


Traça
São pragas que infestam roupas, papéis, tapeçarias, estofados, livros, frutas secas, grãos, alimentos manufaturados e até mesmo produtos manufaturados. São três tipos de traças mais comuns em São Paulo, divididas em duas ordens. São elas...