A EAD: quebrando paradigmas

  Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca



EAD: quebrando paradigmas


A sociedade em que vivemos, designada como sendo do conhecimento, caracteriza-se pelo dinamismo da informação, que transita a velocidades e quantidades crescentes em redes de comunicação globais.


Esse processo foi estimulado pelo desenvolvimento das novas tecnologias da informação e comunicação que invadem o nosso quotidiano socializando e difundindo novas concepções de mundo, novas idéias, crenças, valores e modelos de comportamento.


A generalização da utilização da informação e da comunicação foi acompanhada por inovações organizacionais, comerciais, sociais e jurídicas que alteraram o nosso modo de vida. 

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

O impacto da tecnologia da informação na vida social



Perante esse processo, urge dinamizar novas posturas e individuais e coletivas que possibilitem a todos o acesso às condições mínimas para exercício consciente da cidadania.

 Qualquer profissional deve procurar permanente atualizar suas competências técnicas, tecnológicas, sociais e culturais, em respeito aos princípios éticos que regem a sua conduta.


O futuro do emprego


Será o estudo a distância ajustado ao ensinar e aprender na sociedade do conhecimento?

Sociedade do Conhecimento

 


Antes de mais coloco outra pergunta. O que é Sociedade do conhecimento?

 

Quais as suas principais características?


 

Características da Sociedade da Informação


Sociedade do conhecimento

 

Porquê um profissional deve ter a preocupação da formação ao longo de toda a vida?


 

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca


A atualização deverá na Sociedade do conhecimento constituir uma preocupação permanente.

 

Isto porque   o volume da informação publicadas nas diversas ares do conhecimento está aumentando rapidamente. Por exemplo: da informação recebida pelos alunos durante a sua escolarização, grande parte já está obsoleta no final.

           

Por outro lado assiste-se a outros desafios envolvendo:

- o aparecimento de novas descobertas cientificas;

- o incremento do desenvolvimento e utilização generalizada de novas tecnologias;

- a generalização da idéia de conhecimento enquanto base para o desenvolvimento econômico;

- o incremento da globalização;

- o aumento do nível acadêmico e informacional da população;

- a mudança do conceito de trabalho baseado na força manual para o trabalho baseado no conhecimento.

 

Quais os domínios da sua formação, a que um profissional deverá atribuir mais atenção?

 

O exercício de um profissional na Sociedade da Informação exige das instituições de formação inicial e permanente um esforço de atualização dos conteúdos científicos e da prática docente, de modo a que os seus egressos estejam em condições de prestar os melhores cuidados de saúde à população. A formação dos profissionais deverá atender às seguintes preocupações:

- centrar o atendimento no cliente, 

- trabalhar em equipes interdisciplinares;

- fomentar a aplicação das melhores práticas;

-  fomentar a utilização das tecnologias da informação e comunicação;

- trabalhar com incidência na resolução de problemas;

- fomentar atitudes pro-ativas;

- promover o conhecimento da comunidade do ponto de vista social, econômico, psicológico, cultural e do meio em que vive;

- conhecer as novas tecnologias na perspectiva do utilizador e no quadro de uma ampla reflexão sobre as suas conseqüências individuais e sociais;

- alertar para a procura permanente de formação, especialmente utilizando as novas tecnologias da informação e comunicação e incluindo a educação a distância;

- promover o trabalho cooperativo e em equipe.


Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Quem mexeu no meu queijo: a ousadia de mudar na hora certa


Quem mexeu no meu queijo: a ousadia de mudar na hora certa (2)

 

Qual a contribuição da educação a distância na formação os profissionais do século XXI?

 


O avanço das tecnologias da informação e da comunicação vem modificando profundamente o nosso modo de vida, alterando as nossas formas de conviver e trabalhar, além de introduzir novos valores, hábitos e tipos de interação social, incluindo o aparecimento de novas formas de ensinar e aprender.

 


Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Salvador Dali

Tal como Salvador Dali teremos de ter a coragem de quebrar paradigmas.

Conheçam melhor a obra, e a vida de Salvador Dali, visitando:
- site de seu museu com o seu nome
- portal na Internet que divulga as obras e ideias do autor.




O aparecimento e desenvolvimento da educação a distância, enquadra-se nesse processo de transição social e educacional.

 

A educação a distância destaca-se como uma modalidade com potencial no atendimento às crescentes necessidades de formação inicial e ao longo de toda a vida, impostas pelas permanentes mudanças sociais e tecnológicas. Além disto, ela possibilita atender a públicos alvos que pelas suas especificidades dificilmente teriam possibilidade de ser atendidos pela educação presencial.

 

A educação a distância foi encarada inicialmente como forma de superação de lacunas educacionais na qualificação profissional e aperfeiçoamento ou atualização de conhecimentos. Hoje, porém, ela está sendo utilizada como complemento da educação presencial e é vista por muitos, como uma modalidade de ensino alternativo que pode substituir parte do sistema do ensino presencial, possibilitando que independentemente da presença física dos participantes no mesmo espaço geográfico, qualquer pessoa adquira o conhecimento sobre o assunto de seu interesse.

 

Educação a distância quebrando paradigmas


 

Que papel terá a educação a distância na promoção da universalização de uma educação de qualidade?




A Declaração Universal dos o Homem ao consagrar em 1948 o direito à educação, aponta para a necessidade de garantir o desenvolvimento pleno dos indivíduos, através da igualdade de oportunidades no acesso à educação.


Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

60 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (2)


Perante as alterações sócio-culturais e tecnológicas crescentes, torna-se ainda mais relevante a intervenção da educação na formação do indivíduo e do cidadão. Entretanto os sistemas de ensino encontram dificuldades para corresponderem às exigências de universalização da educação não só ao nível da formação inicial, mas crescentemente ao longo de toda a vida e com a vida, essencial para enfrentar a obsolescência acelerada da tecnologia e do conhecimento.

 

A educação deve garantir ao indivíduo, os instrumentos para a sua inserção participativa e transformadora na sociedade em que vive e possibilita as condições de intervenção social crítica, dentro dos princípios de convivência democrática.

 

A importância na universalização da educação



Que mudanças deverão ocorrer na educação para que se promova a construção de “novos” cidadãos?


 


Para atingir estes objetivos, a escola tende a abandonar uma postura que aprimora aptidões já definidas em cada indivíduo, passando a atribuir particular relevo aos fatores ambientais e sociais presentes e envolventes da educação. Os indivíduos assumem um papel central enquanto parceiros da escola na construção de uma aprendizagem que promova o crescimento integral da sua pessoa, o desenvolvimento do seu papel crítico, exigente e consciente.


Práticas educativas inovadoras

Propomos que aprofunde seu conhecimento sobre as questões relacionadas com a prática educativa, lendo um texto disponível clicando aqui.

Para passar de um paradigma centrado no ensino, para um paradigma centrado na aprendizagem, temos de refletir sobre a mudança da instrução para o auxílio ao aprendizado. Em vez da instrução do professor ao aluno, temos de estimular a descoberta e a construção do conhecimento. Temos de ofertar ricos ambientes de aprendizagem onde o aluno livremente possa navegar e aprofundar seu conhecimento de acordo com o seu desejo e da utilidade que atribui a conhecimento.  O aluno deverá também abandonar o ensino baseado no livro, para ser orientado para modelos de trabalho baseados na pesquisa, ou seja, busca orientada do conhecimento.

 

 

Práticas educativas inovadoras (2)

Propomos que aprofunde seu conhecimento sobre as questões relacionadas com a prática educativa, lendo um texto disponível clicando aqui.


Qual a contribuição da escola nesse processo de renovação da educação?

 


A educação a distância tem ao longo dos tempos, tentado corresponder às exigências educacionais decorrentes das mudanças de ordem econômica e social. Tem ampliado a possibilidade de acesso à educação em condições igualitárias, representando uma oportunidade para todos os que encontram barreiras à educação formal ou profissional no ensino presencial, seja pela impossibilidade de se deslocar, pela distância geográfica ou pelas limitações financeiras ou temporais.

 

Proposta hipermídia de João José Saraiva da FonsecaProposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Quais as principais vantagens da utilização da educação a distância na formação de profissionais?

 

ABERTURA

Eliminação ou redução das barreiras de acesso aos cursos ou nível de estudos.

Diversificação e ampliação da oferta de cursos.

Oportunidade de formação adaptada às exigências atuais, às pessoas que não puderam freqüentar a escola tradicional.

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

FLEXIBILIDADE

 Ausência de rigidez quanto aos requisitos de espaço (onde estudar?), assistência às aulas e tempo (quando estudar?) e ritmo (em que velocidade aprender?).

Eficaz combinação de estudo e trabalho.

Permanência do aluno em seu ambiente profissional, cultural e familiar.

Formação fora do contexto da sala de aula.

 

 ECONOMIA

Redução de custos em relação aos dos sistemas presenciais de ensino, ao eliminar pequenos grupos, ao evitar gastos de locomoção de alunos, ao evitar o abandono do local de trabalho para o tempo extra de formação, ao permitir a economia em escala.

 

EFICÁCIA

  

O aluno, centro do processo de aprendizagem e sujeito ativo de sua formação vê respeitado o seu ritmo de aprender.

Formação teórico-prática, relacionada à experiência do aluno, em contato imediato com a atividade profissional, que se deseja melhorar.

Conteúdos instrucionais elaborados por especialistas e a utilização de recursos multimídia.

Comunicação bidirecional freqüente, garantindo uma aprendizagem dinâmica e inovadora.

 

 FORMAÇÃO PERMANENTE E PESSOAL

  

Atendimento às demandas e às aspirações dos diversos grupos, por intermédio de atividades formativas ou não.

Aluno ativo: desenvolvimento da iniciativa, de atitudes, interesses, valores e hábitos educativos.

Capacitação para o trabalho e superação do nível cultural de cada aluno.

 

Vantagens da Educação a Distância


 Será que a educação a distância só tem vantagens?

 



A educação a distância apesar das forças que possui, apresenta também vulnerabilidades, muitas vezes resultado de experiências de qualidade duvidosa e outras, fruto da nossa tendência natural em resistir a quebrar o paradigma da presencialidade de professores e alunos. Ela necessita de um trabalho continuado de sensibilização, de divulgação e de credibilidade.

 

Por outro lado, a aplicação das novas tecnologias da informação e comunicação levanta a questão do acesso à tecnologia e de sua utilização enquanto facilitadora do conhecimento. Ligada a este aspecto encontra-se a necessidade de um elevado investimento prévio ao lançamento de um curso a distância, ampliado quando se utilizam instrumentos tecnológicos de ponta, em constante evolução. Se não existir o cuidado de promoção de cursos com material didático cuidado e instrumentos de mediação promotores do diálogo e da interação, a educação a distância corre o risco de reforçar a exclusão lingüística, social, cultural  e tecnológica de uma parte da população já tradicionalmente afastada da educação de qualidade.

 

A educação a distância enfrenta desafios aos quais urge dar resposta. Contudo o maior desafio cabe ao aluno em aceitar participar de um curso a distância e passar pela experiência.

 

 Além destas vulnerabilidades por vezes são apontadas à educação distância outras. Apresentamos a seguir algumas das vulnerabilidades comumente apontadas à educação a distância.

 

Constituem-se em algumas vulnerabilidades da educação a distância:

 

Falta de motivação dos alunos;

Altos índices de evasão dos cursos;

Custo elevado de implantação;

Dificuldade na interação aluno-aluno, aluno-instituição que promove o curso e vice-versa;

Dependência exagerada da tecnologia;

Carência de pessoal especializado;

Resistências da estrutura tradicional do ensino;

Custos específicos da tecnologia;

Necessidade de conhecimento tecnológico por parte dos alunos;

Resistência cultural de adaptação às novas propostas comunicacionais e educacionais;

Escassez de pesquisas para desenvolvimento de pedagogia específica, e

Falta de segurança, sobretudo nas avaliações de aprendizagem.


Educação a Distância - pontos a melhorar



Mas afinal qual a diferença entre educação a distância e educação presencial?

 



Imagine que você está numa sala de aula presencial. À sua volta estão os seus colegas. Na sua frente encontra-se o professor. Você escuta o professor e por vezes interage com os seus colegas. Quando sai da sala de aula vai para casa e tem de estudar sozinho.

 

Quando se fala em educação a distância, afirma-se normalmente que não tem presentes ao seu lado os seus colegas e o professor.  Contudo essa visão não é atualmente completamente verdadeira. Você pode estar em sua casa e ter o seu professor na frente na tela do seu computador, bem como os seus colegas. Pode falar com eles, vê-los e trocar documentos. Mas mesmo que não tenha computador, você continua a ter na sua frente o professor dialogando consigo através do material didático.


 Existem cursos de educação a distância que têm, onde você pode estar com os seus colegas. A participação do aluno nesses momentos presenciais é fundamental para a construção da sua aprendizagem e para o sucesso do curso.  Os encontros presenciais cumprem várias finalidades: introdução e sistematização das unidades, socialização do trabalho realizado, debate e troca de experiências, esclarecimento de dúvidas, apresentação de sugestões e avaliação.  O aluno deverá preparar a sua participação nos encontros presenciais cuidadosamente. Levar sempre os materiais do curso. Registrar previamente as dúvidas, dificuldades e sugestões que desejar apresentar. Respeitar cuidadosamente o cronograma previsto. Participar ativamente.


 Durante o estudo você também não estará sozinho. Terá a possibilidade de contato permanente com um tutor/facilitador de aprendizagem que esclarecerá as suas dúvidas de caráter administrativo e de conteúdo. Ele também terá o cuidado de estar atento ao acompanhamento que você está fazendo do curso. Intervirá se você não estivar em dia com as atividades. Tentará conhecer os eventuais problemas que você tenha para freqüentar o curso e intervirá de modo a ultrapassá-los sempre que possível.

 

Momentos presenciais

Os Referenciais de Qualidade para a modalidade de educação superior a distância no Brasil, afirmam que:
"Não há um modelo único de educação à distância!   Os programas podem apresentar diferentes desenhos e múltiplas combinações de linguagens e recursos educacionais   e   tecnológicos.   A   natureza   do   curso   e   as   reais   condições   do cotidiano e necessidades dos estudantes são os elementos que  irão definir  a melhor   tecnologia   e  metodologia   a   ser   utilizada,   bem  como   a   definição   dos momentos   presenciais   necessários   e   obrigatórios,   previstos   em  lei,   estágios supervisionados,  práticas em  laboratórios de ensino,   trabalhos de conclusão de curso, quando for o caso, tutorias presenciais nos pólos descentralizados de apoio presencial e outras estratégias.
Apesar  da possibilidade de diferentes modos de organização,  um ponto
deve ser comum a todos aqueles que desenvolvem projetos nessa modalidade:  é
a compreensão de EDUCAÇÃO como fundamento primeiro, antes de se pensar
no modo de organização: A DISTÂNCIA."

Ou seja, na sala de aula presencial podemos dizer que o você pode estar acompanhado fisicamente. Agora pergunto. Quantas vezes você está na sala de aula e na realidade não está? Quantas vezes você deseja intervir e apresentar as suas opiniões e não consegue, porque o professor não permite e porque a sua timidez o impede? Quantas vezes o apresentar apressado dos conteúdos, para atender a um programa longo trabalhado em tempo curto, impede que você tenha a possibilidade de intervir, apresentar e debater as suas experiências e sensibilidades?

           

Na educação a distância você define o seu tempo. Intervêm quando e quantas vezes desejar. Pode apresentar as suas dúvidas e as experiências da realidade em que vive sem a limitação do tempo e sem condicionamentos de personalidade. Esta possibilidade aumenta, com a utilização das novas tecnologias da informação e da comunicação. Formam-se comunidades de aprendizagem ligadas através da rede, em que cada um é emissor e receptor da informação e constrói na interação com esses dados o seu conhecimento.

 

 A possibilidade de interação permanente na sala de aula presencial, nem sempre corresponde a qualidade das propostas pedagógicas e da educação. Se essa possibilidade não se torna efetiva, não trás benefícios acrescidos ao aluno. Na educação a distância a acontece o mesmo. As instituições que promovem cursos a distância, têm hoje ferramentas tecnológicas e reflexão teórica suficientes para estruturem cursos em que a interação constitua elemento fundamental para a aprendizagem do aluno. Contudo, não podemos esquecer que a utilização dessas ferramentas está condicionada pelo próprio aluno, as ter disponíveis, as saber operar e delas retirar uso produtivo em termos educacionais. 

 

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca


De acordo com o que temos vindo a afirmar, as diferenças entre educação presencial e educação a distância situam-se no fato de a educação presencial obrigar a um contato direto entre educador e educando em um local estabelecido, como exemplo, uma sala de aula. A partir desse encontro ocorre o processo de ensino aprendizagem. O professor é o mediador num processo partilhado de construção do conhecimento, organizando os conteúdos, as estratégias de ensino e o ambiente favorável à aprendizagem.

 

Na educação a distância, o contato entre o professor e aluno ocorre de modo indireto, através dos meios tecnológicos. A organização didática e pedagógica terá de ser planejada de modo que os alunos assumam a construção autônoma do seu processo de aprendizagem sem a presença física do professor.

 

Fazer um curso a distância tem várias peculiaridades, quando comparado com a presencialidade. À parte das diferentes realidades, há também mitos e preconceitos relativos à Educação a Distância que é preciso superar. E há potencialidades e vantagens ainda pouco exploradas na maior parte dos cursos oferecidos.

 

A diferença entre EaD e Educação Presencial


Qual a relação entre o desenvolvimento tecnológico e a evolução da educação a distância?




Para explicar essa relação remeto às origens da educação a distância.

 

A educação a distância embora hoje seja por vezes considerada como descoberta da era da Internet, isso não é bem assim. Embora a Internet seja uma ferramenta muito importante para a educação a distância nos nossos dias, existe todo um trabalho ao longo de pelo menos um século em termos de educação a distância.

 

Mas podemos encontrar referências à educação a distância na Antigüidade. São Paulo quando escrevia as suas epístolas e Platão as suas cartas, estavam utilizando os princípios do método de ensino que hoje chamamos de educação a distância.

 

Dando um pulo no tempo e não tendo por pretensão colocar algo muito sistemático e rígido podemos dizer que a educação a distância surge no século XIX na Inglaterra, Alemanha e Suécia, usando a correspondência. Estes projetos de EAD estavam associados à necessidade de enquadrar as pessoas na sociedade industrial que estava se intensificando no caso da Inglaterra e da Alemanha e de ultrapassar distâncias geográficas e condições climáticas adversas na Suécia pais do norte da Europa sujeito a condições climáticas adversas.

  

No dia 20 de março de 1728, foi publicado no jornal Gazeta de Boston (EUA), pelo professor de taquigrafia Caleb Phillips, o seguinte anúncio:

 

“Qualquer pessoa que queira estudar taquigrafia pode ter várias lições enviadas à sua casa semanalmente, e estará sendo tão bem instruído quanto uma pessoa que more em Boston."

 

Este anúncio de jornal marcou o início do estudo a distância com as características básicas ainda hoje utilizadas:

 

No caso do curso de taquigrafia do senhor Caleb, ele proponha-se a utilizar como canal de comunicação o corrieo, para veicular o curso através de material didátio impresso.


Já no século XX, com o aparecimento do rádio, os projetos de educação a distância utilizando material impresso (designados de cursos de ensino por correspondência), tiveram a oportunidade de alargar o seu público alvo e de potencializar a sua dinâmica didática e pedagógica com os recursos que esse meio de comunicação possibilita.


O rádio possibilitou que, pela primeira vez, alunos dispersos por uma ampla área geográfica debatessem as temáticas do curso com colegas e esclarecessem as suas dúvidas ao vivo com os professores.

 

A generalização do uso do telefone e a crescente eficácia dos serviços postais permitiram uma maior interação entre a instituição que promove o curso e seus alunos.

 

Entretanto, o provérbio “mais vale uma imagem que mil palavras” torna-se referência quando a educação a distância tem acesso à veiculação de cursos através da televisão. A magia da imagem e a presença visual dos intervenientes no processo de ensino e aprendizagem dão à educação a distância a possibilidade de utilizar práticas didáticas e estratégias motivacionais que disponibilizam ao aluno condições únicas para construir o seu aprendizado.


Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

A partir dos anos 90, o aparecimento das tecnologias baseadas na digitalização da informação (CD-rom, computador, Internet), possibilitaram o aparecimento de novas linguagens e a criação de novas formas de diálogo, cooperação.

 

As tecnologias de informação e de comunicação motivam novos hábitos de pensamento e de vida. Simultaneamente oportunizam novas perspectivas para o ensino e a pesquisa, bem como para a promoção e a divulgação do saber.  Elas romperam os conceitos tradicionais de tempo e de espaço. As simulações do futuro conduzem a que seja possível prever como será o mundo daqui a 20 anos. Por outro lado, a tecnologia pode nos “deslocar” para outro lugar da Terra ou planeta, sem lá estarmos fisicamente. Os alunos e professores rompem as barreiras do espaço, tempo e cultura, quando compartilham informações, experiências e sentimentos com alunos e professores de outras escolas em tempo real ou não.

 

Fita do tempo da evolução da EAD

Conheça a linha do tempo da história da EAD clicando aqui.

As novas tecnologias de informação e comunicação conduzem ao desenvolvimento diferentes formas de ler, de interpretar e de se relacionar com o mundo. Alunos e professores encaram o desafio de organizar novos esquemas de ação e de representação, desenvolver novas competências, atitudes e habilidades e pesquisar e experimentar novos processos de produzir conhecimento e de aprender.

 

Pressupostos inerentes à EAD



Neste contexto os modelos anteriores de educação distância com os seus  limitados recursos informativos e fracas possibilidades de interação, são colocados perante novos desafios e possibilidades. O amplo leque de recursos informacionais disponíveis e as possibilidades de interação instantânea com eles; as variadas formas de acompanhamento simultâneo das ações e necessidades de aprendizagem; a multiplicidade crescente de ferramentas de cooperação,  interação e  troca grupal; a formação de redes de intercâmbio de informação e saber, de formação cooperativa e de criação coletiva onde todo o saber individual é parte essencial do conhecimento coletivo, possibilitam ao aluno a distância de um conhecimento fundamentado na experiência prática e na análise teórica e crítica.

 

Apesar de todos os avanços tecnológicos na utilização dos recursos de aprendizagem, o material impresso, o rádio e a televisão ainda são os meios de comunicação essenciais nos projetos de educação a distância no mundo, por serem acessíveis à totalidade da população. Isoladamente ou em conjunto com outros meios de comunicação, o material didático impresso mantém hoje a sua presença na grande maioria dos cursos a distância. Isto porque não necessita de qualquer aparato tecnológico, a fácil portabilidade e amigabilidade, motiva que ainda hoje, apesar da evolução tecnológica, ele seja, individualmente ou em conjunto com outras tecnologias, o instrumento de mediação mais utilizado em cursos de educação a distância.

 

Contudo a tecnologia não resolve todos os desafios. Um deles é a distância a que estamos habituados. É que toda a distância gera a monotonia e a solidão. A educação a distância vai ter de encontrar recursos e estratégias para diminuir esse espaço de solidão. Por isso há necessidade de maior cuidados na preparação dos materiais didáticos. Se repetirmos as propostas dos materiais presenciais eles vão ficar reforçar muitas vezes a solidão sentida pelo aluno. Há necessidade de uma tutoria eficiente, não só para tirar dúvidas como também para atender à necessidade de interação para suprir a monotonia e a solidão.

 

Recapitulando se numa sala de aula presencial você pode apresentar as suas dúvidas ao professor que está na sua frente. Ele responde e dialoga consigo até esclarecer as suas dúvidas. A educação a distância encontrou forma de contornar a falta do professor fisicamente presente perante o aluno. Desde os primórdios da educação a distância que o aluno podia esclarecer as suas dúvidas. Primeiramente através de correio, depois pelo telefone, em direto ou em diferido pelo rádio e pela televisão. Hoje a internet abriu a possibilidade de o aluno ter acesso ao tutor, facilitador, orientador de aprendizagem.  

 

Face aos desenvolvimentos sociais e tecnológicos, o futuro da educação vislumbra-se risonho.

 

Gerações de Ensino a Distância

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Gerações da educação a distância

Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

 

Quais serão as principais preocupações das instituições que promovem educação a distância num futuro próximo?




A evolução da educação a distância encontra-se associada aos desafios de uma participação social mais efetiva por parte dos cidadãos no quadro da vida social e política, em consonância com as oportunidades proporcionadas pela evolução das tecnologias da informação e da comunicação.

 

As novas tecnologias da informação e comunicação, transformaram as formas de comunicar, trabalhar, de decidir e pensar. Aplicadas na educação a distância, elas reforçam a idéia de uma formação holística do homem, que não seja mais reduzido à condição de individuo recebendo informação que apenas absorvem  a informação, sem reagir ou dar a sua opinião.

 

A educação a distância vai constituir um amplo campo de pesquisa de novas práticas pedagógicas específicas para ensinar e aprender em ambientes crescentemente mediados pela tecnologia e para a produção de conteúdos específicos para educação a distância que facilitem esse processo.

 

Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca


 

Nesse sentido a interculturalidade terá grade relevância. Mas o que se entende por interculturalidade?



A vida do homem na Terra sempre foi marcada pela interculturalidade. A relação do homem face à interculturalidade tem mudado ao longo dos séculos. Exemplos de posturas diferenciadas do homem face à interculturalidade encontramos ao longo da expansão da Europa na África, América e Oceania, no regime nazista e nos nossos dias no conflito israelense-árabe.

A sociedade cognitiva atual transforma-se numa Paidéia global que transforma qualquer espaço e tempo em oportunidade para permanente criar e aprender cooperativamente com o outro. Numa dicotomia constante entre o global e o local, o homem tem de construir um referencial cultural complexo e permanentemente ajustável, que lhe permita relacionar-se simultaneamente com o próximo e o longínquo, seja ele humano, informacional, cultural, etc.. A construção de uma visão integrada do posicionamento do sujeito face ao global e ao local, só será possível tendo como suporte os princípios democráticos da interação, diálogo e respeito mútuo.


 Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca


A educação do novo milênio envida esforços para enraizar os seres humanos numa visão holística do mundo, integrando o global e o local, o individual e o coletivo, a identidade e a diferença na persecução de um cidadão planetário capaz de traçar e redefinir permanentemente um projeto de vida e utopia.

A utopia educativa na sociedade do conhecimento passa obrigatoriamente pelo protagonismo do combate às formas de injustiça não apenas socioeconômicas, mas também culturais ou simbólicas, num processo de co-educação coletiva e dialógica, visando uma postura reivindicativa de uma cultura de respeito e valorização da diferença e de uma política social de igualdade, numa sociedade de pessoas e não do mercado.

 

Quando falamos em educação a distância a questão intercultural aflora com particular pertinência. A educação a distância propõe-se proporcionar a todos condições de acesso a uma educação de qualidade e simultaneamente terá de corresponder às expectativas de não excluir do processo de construção do conhecimento ninguém por questões interculturais. A educação a distância serão o arauto de uma nova polis onde os cidadãos terão as habilidades, atitudes e conhecimentos necessários para atuar e interagir no âmbito de diferentes culturas, promotor da ecologia profunda, da unidade do gênero humano e da paz universal.

 

 A educação a distância pode ser o pólo de um projeto educativo focalizado nas preocupações de quem é vitima de preconceitos e descriminações multiculturais e no respeito pelo ser humano, e fundado nos princípios expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos e nos Direitos e Garantias Fundamentais da Constituição Federal Brasileira.


 

O que a EAD poderá fazer para terminar com esta situação???

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Racismo e educação

Conheça mais sobre o Estudos dos Bonecos Kenneth Clark em 1954, clicando aqui

 

Para terminar



A utilização da educação a distância enquanto prática alternativa de educação, tem sido pressionada por exigências crescentes no domínio socioeconômico de mão de obra qualificada para o mercado de trabalho, às quais corresponderam políticas educacionais visando a universalização do ensino, especialmente em áreas do conhecimento e em áreas geográficas onde a educação presencial não atende às necessidades prementes da Sociedade da Informação.

 

A educação a distância é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, no qual professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente. Apesar de não estarem juntos, de maneira presencial, eles podem estar interligados por tecnologias, tais como o livro, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax, a Internet e  eventualmente outras tecnologias.

 

EAD e material impresso


Educação a distância - ferramentas analógicas

 

Proposta de hipermídia de João José Saraiva da Fonseca

Educação a distância - ferramentas digitais


Educação a distância - realidade virtual


A tecnologia tem constituído elemento catalisador e transformador das estratégias de educar a distância, aumentando as possibilidades de interação e contato entre os alunos e entre o aluno e a instituição que promove o curso e vice versa e permitindo simultaneamente, desenvolver projetos cada vez mais adaptados às formas individuais de aprendizagem, nos quais se atribui uma progressiva autonomia ao aluno, colocando ao seu dispor um número crescente de recursos para a aprendizagem.

 

Autonomia do aluno em Educação a Distância



Essas mudanças serão forçadas em parte por novas tecnologias, em parte pelas exigências de uma sociedade baseada no conhecimento na qual o aprendizado organizado precisa de se tornar um processo vitalício e em parte por novas teorias a respeito de como aprendem os seres humanos.

 

O futuro da Educação a distância

Não podemos esquecer as palavras de dois teóricos conhecidos:

 

Mc Luham nos anos sessenta afirmou que

 

Haverá um dia e este já pode ser uma realidade, em que todos aprenderão muito mais e muito mais rapidamente em contato com o mundo exterior do que no recinto da escola

 

E por outro lado Peter Singer afirmou em 1995 referia que

as escolas e as universidades irão mudar de formar muito mais drástica do que têm mudado desde que assumiram sua presente forma há mais de 300 anos quando se reorganizaram em torno do livro impresso.

 

EAD do conceito à prática

 

Estamos terminando nossa intervenção, deixando uma recomendação:

“Trabalhe com entusiasmo. Nunca desanime. Acredite no seu sucesso. Fortaleça redes de cooperação com os seus companheiros de curso e orientadores de aprendizagem”.

 

Abraço amigo

 

BOM ESTUDO

 

João José Saraiva da Fonseca

 



Proposta hipermídia de João José Saraiva da Fonseca
Comments