Elaboração de material didático para Educação a Distância


Texto proposto por João José Saraiva da Fonseca



O material didático  dirige-se, simultaneamente, a professores e alunos e apresenta-se como elemento fulcral na produção, circulação e apropriação de  conhecimentos  decisivos  para  a  qualidade  do  aprendizado,  resultante  das  atividades  escolares .  Conforme  utilizado  pelos  professores ou pelos alunos, o livro didático preenche funções diferentes.

Quando  usado  pelo  aluno,  o manual  escolar  tem funções  relacionadas  com  a  aprendizagem  e  com  a  vida quotidiana e profissional. Como ferramenta de aprendizagem, o livro procura  possibilitar  a  transmissão  dos  saberes,  o  mesmo  é  dizer,  comunicar  ao  aluno  uma  série  de  informações  que  ele  deverá,  no  essencial,  reproduzir.

Contudo,  a  sua  função  vai mais  além,  abrangendo  também  a  consolidação  das  aquisições,  pela  avaliação  da  aprendizagem,  numa  perspectiva  formativa  de  diagnóstico  das  dificuldades  encontradas  e  o  encontro  de  caminhos de remediação. 


No que diz  respeito às  funções  relacionadas  com o estabelecimento de  ligações com a vida quotidiana e profissional, o manual escolar promove a  autonomia  do  aluno,  a  estruturação  do  espírito  e  a  iniciação  estética  e cultural.  Possibilita,  também,  ao  aluno  acessar  um  conjunto  de  referências básicas  de  informação  sobre  a  realidade  que  o  rodeia,  bem  como  sobre elementos  sociais  e  culturais.  Além  disso,  permite  a  integração  das aquisições,  que  pode  ser  vertical,  quando  a  conexão  dos  saberes  se  dá antes e depois de uma mesma disciplina, ou horizontal, quando se  trata da combinação  de  capacidades  e  de  competências  adquiridas  através  de
diversas disciplinas). 




Texto proposto por João José Saraiva da Fonseca



 
Para  atingir  o  cumprimento  dessas  funções,  o  livro  didático  deverá possibilitar  ao  aluno  as  condições  para  a  construção  do  conhecimento  e  a  aquisição de métodos, atitudes e hábitos de  trabalho e vida, a partir de uma proposta pedagógica que  lhe atribua um papel ativo num processo de ação-reflexão-ação.  Esse  processo  deve  promover  a  aquisição  de  novos  conhecimentos a partir da  integração entre o que é proposto para estudo e  as  suas  competências  individuais,  com  base  na  síntese,  integração  e  transferência.  Esse  processo  deve  envolver  a  resolução  de  situações-problema  significativas  e  próximas  de  situações  da  vida  profissional,  social
ou pessoal, bem como a  responsabilização do aluno na avaliação das suas  aprendizagens  e  produções e  na  interação  favorecedora  de  conflitos  sócio-cognitivos.

As  funções  do  manual  escolar  relativas  ao  professor,  estão  associadas  essencialmente  à proposta  didática,  constituindo  um  fator  de  desenvolvimento  e  inovação  pedagógica.  Para  atingir  esse  objetivo,  o  livro  didático  deve  orientar  o  docente  na  busca  de  caminhos  possíveis  para  sua  prática  pedagógica,  sugerindo  “pistas” para a exploração de percursos de planejamento, gestão  de  sala  de  aula  e  ensino/avaliação  inovadores.  Deve  também  veicular  informação  científica  indispensável  ao  seu  trabalho,  atualizada  e contextualizada  sobre  os  conteúdos  disciplinares  numa  perspectiva intradisciplinar  e  interdisciplinar.  A  utilização  do  manual  escolar  deve  ser encarada  pelo  professor  como  auxílio  ao  processo  de  ensino,  contudo  não pode  deixar  que  o  livro  didático  tenha  uma  influência  direta  no  que  se  ensina  e  como  se  ensina,  vinculando  ao  livro  didático  a  definição  da  proposta  pedagógica,  da  proposta metodológica,  da  estratégia  de  ensino  e  da determinação dos conteúdos. 
 
A  função  docente  não  pode  perder  a  sua  significação  determinante da  dinâmica  educativa,  transformando-se  em  um  simples  repassador-reprodutor  da mensagem  veiculada  no  livro  didático.  Inconscientemente  ou  não,  o  professor  não  se  pode  esconder  atrás  da  legitimidade  e  da  autoridade  do  manual  escolar,  hiper-valorizando  e  reconhecendo  a  sua  autoridade  como  instrumento  essencial  no  processo  de  ensino  aprendizagem. 



Texto proposto por João José Saraiva da Fonseca



Para conhecer mais sobre a elaboração de material didático para educação a distância, leia o texto abaixo, também de autoria de João José Saraiva da Fonseca, clique na figura abaixo.




Proponho que leiam também o texto.

RIBEIRO, A. e PROVENZANO, M .E. Anotações sobre a produção de material impresso para a
educação a distância. In  Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, ABT. Ano XXVI. No. 139.
Nov/Dez/1997. p. 35-38.

Apesar da idade as indicações que dá ainda se aplicam para a elaboração de materiais didático impressos e não só. Para ler clique no link abaixo
 
 

 

 






Texto de João José Saraiva da Fonseca

Comments