Emergência Médica
João Paulo Saraiva Amaral da Encarnação      

                CT1-EBZ / DUKE 79 / pmr339

                                                                                                                                                                                                                  HOME

No meu caso particular, sou socorrista  desde 1987, tendo passado a socorrista avançado em 1991, posteriormente a tripulânte de ambulância em 1993 e concluído com 16 valores a formação de técnicos de emergência pré hospitalar nivel avançado em 1998.

Passei por corporações de Bombeiros, Cruz Vermelha Portuguesa e fui estagiário de Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital de São Francisco Xavier entre 1999 e 2001. Atualmente sou tripulânte de viatura de apoio pré-hospitalar em eventos desportivos e/ou culturais.

Acredito que Portugal possa vir a possuir um eficiente sistema de emergência médica extra-hospitalar, pois muito se tem feito neste sentido. Porem Portugal parou no tempo durante a decada de 90, não tendo conseguido até então recuperado o tempo perdido pelo que muito há ainda a fazer neste sistema de emergência médica para o elevar a niveis de eficiência.

A emergência médica é uma actividade exercida no meio pré-hospitalar (fóra do hospital) também denominado meio extra-hospitalar, sendo chamada de emergência pré-hospitalar quando praticada por não médicos e emergência médica quando praticada por médicos. A emergência médica e pré-hospitalar são um serviço exercido por profissionais e voluntários com formação acreditada, capazes de perante uma situação de emergência que coloque em perigo de vida eminente, aplicar técnicas de socorro no intuito de melhor ou evitar o agravamento do estado da vitima. Por vezes confunde-se emergência pré-hospitalar com socorrismo, no entanto o socorrista dependendo do seu nivel pode ter mais competências de que um técnico de emergência pré-hospitalar, por exemplo: um socorrista avançado terá para alem das competências de um técnico de emergência pré-hospitalar a competência de improvisar equipamentos de socorro tais como talas, macas, sistemas de infusão, drenagem, etc. Os socorristas avançados existem em Portugal à largos anos, formados pela Escola de Serviço de Saúde Militar. Noutros países, bem como nos estados unidos e reino unido, os socorristas avançados são chamados de paramédicos militares.
Em Portugal a emergência médica pré-hospitalar é tuteleda e gerida pelo Instituto INEM-Nacional de Emergência Médica, no entanto este Instituto não presta ainda ao país um serviço de qualidade, não cobrindo a totalidade do território continental. O INEM apenas tutéla e coordena o sistema nacional de ambulâncias, não tendo capacidade de tutela ou coordenação sobre socorristas (First Responder´s) que não tripulam ambulâncias mas que praticam socorro no seu dia-a-dia ou em eventos.

Podemos portanto concluir que a emergência médica e paramédica em meio extra hospitalar em Portugal continental, tem ainda um longo caminho a percorrer para atingir padrões minimos de qualidade.

Em 2008 ainda não se conhece em Portugal a capacidade real de tempo médio resposta dos serviços de emergência médica extra- hospitalar, estimando-se no entanto que nas grandes cidades seja de cerca de 20minutos (Tarde de mais para salvar uma vitima de paragem cardio-respiratória). 

Veja aqui os meus comentários á ante-proposta de Decreto Lei sobre a desfibrilhação automática externa.