vencedores    

  

Já temos os vencedores da 1ª eliminatória do Concurso Nacional de Leitura!

 

 

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

3º ciclo

1ª Fase

 

 Alunos vencedores:

1º lugar – Maria João Flor (7ºA) – 99 %2ºlugar – Carolina Antunes (7ºA) – 94%3ºlugarCátia Sofia Mendes (7ºA) – 92%

 

 

Fase local

Concurso Nacional de Leitura - fase local-9 de Janeiro

Os alunos do 3º Ciclo da Escola EB23S José Silvestre Ribeiro irão participar na 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, que decorrerá em 9 de Janeiro de 2008. Com este concurso, pretende-se estimular nos jovens o gosto pela leitura e o contacto com os livros.
A coordenação do concurso a nível de escola estará a cargo da coordenadora da biblioteca escolar e das professoras que leccionam os 7º e 8º anos de escolaridade.
As provas de selecção deverão avaliar os conhecimentos dos concorrentes sobre as obras seleccionadas: Dentes de Rato, de Agustina Bessa Luís; Três histórias de amor, de Álvaro Magalhães e A casa das bengalas, de António Mota.
Os alunos vencedores estarão presentes na final distrital.

São cerca de 25 alunos do 3º ciclo, alunos das professoras Catarina Pio (7º ano), Anabela Afonso (8º ano) e Cecília Mendes (9º ano) que amanhã prestarão provas na biblioteca.

 

Se gostas de Lídia Jorge...és aluno do 3º ciclo ou do secundário...concorre!

Termina já a 15 de janeiro oConcurso Internacional de Literatura para os alunos do 3º ciclo e ensino Secundário:“Terminemos este Conto” – I Edição – 2007.

 

Consulta o Regulamento e o conto aqui!

 

 

A professora Maria Luís vendo o site do concurso com o Nuno Marques, O David e o Francisco Marques(9/1/2008)

 

                      O Plano Nacional de Leitura

 

O Plano Nacional de Leitura (PNL), lançado em Junho de 2006 por iniciativa de três ministérios – Educação, Cultura e Assuntos Parlamentares, constituiu uma resposta institucional à preocupação pelos níveis de literacia da população em geral, e particularmente dos jovens em idade escolar, significativamente inferiores à média europeia.

Assumiu como objectivos centrais:

• Assegurar o domínio da leitura pelos portugueses, mediante o lançamento de iniciativas visando como público-alvo o conjunto de cidadãos, embora com um enfoque prioritário na acção dirigida às crianças em contexto escolar e familiar, para permitir o desenvolvimento precoce de hábitos e competências.

• Recolher e disponibilizar informação que permita conhecer com segurança e rigor o quadro evolutivo da leitura em Portugal, identificando problemas, ou constrangimentos, apontando soluções e avaliando resultados de iniciativas e programas já em curso ou a lançar.

As orientações estratégicas do PNL estruturam-se em torno de cinco eixos centrais que se articulam, numa lógica de complementaridade:

1. Lançar novas iniciativas promotoras da leitura e da escrita, integradas na prática quotidiana de jardins-de-infância, escolas, bibliotecas, famílias e outras instituições e consolidar as já existentes.

2. Sensibilizar progressivamente os portugueses para importância da leitura, enquanto acto pessoal e social, demonstrando pela prática que o alargamento de hábitos e competências pode ser um empreendimento colectivo.

3. Disponibilizar orientações, instrumentos de apoio e formação que reforcem a eficácia da acção das famílias, dos profissionais – educadores, professores, bibliotecários, animadores – e de cidadãos que se envolvam na promoção da leitura.

4. Disponibilizar novos recursos, mediante o estabelecimento de parcerias entre instituições públicas, privadas e da sociedade civil.

5. Assegurar a realização de um conjunto articulado de estudos com enfoque em áreas essenciais de investigação, que venham a permitir avaliar com segurança e rigor a evolução dos hábitos de leitura dos portugueses, o desenvolvimento da literacia entre os diferentes grupos da população e o impacte de políticas nomeadamente as iniciativas lançadas no quadro do PNL.

A par de um conjunto específico de novos programas, desenvolvidos em contexto escolar e em bibliotecas, o PNL lançou vários tipos de iniciativas dirigidas a famílias e a organizações públicas, privadas e da sociedade civil.