EFD - Social‎ > ‎

EFD-Social: Começa a Locura

eSocial - desfocado - situação 22/01/2014

Enquanto o eSocial continua navegando sem ADE, recentemente a RFB instituiu INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB nº 1353, de 30 de abril de 2013 (posteriormente denominada ECF) com vigência a partir de 01/01/2014, através do Ato Declaratório Executivo Cofis nº 98, de 20 de dezembro de 2013.

eSocial - Cronograma - Notícias CISPED 2013


Agenda

Dia 21 de Novembro de 2013

9h00

Sessão de Abertura

9h15

Boas-vindas - Jorge Campos – Diretor Executivo e Coordenador do SPED BRASIL

9h30

Boas-vindas - Edmundo Oliveira - Diretor de Relações Institucionais BRASSCOM

9h45

Abertura – Henrique Santana – Gerente Nacional – FGTS / Caixa Econômica Federal

10h00

eSOCIAL: uma nova era entre empregados, empregadores e governo – José Alberto Maia – Coordenador do Projeto eSOCIAL – MTE e Daniel Belmiro Fontes – Coordenador de Sistemas de Fiscalização – RFB

11h30

Intervalo para café

12h00

eSOCIAL: transparência fiscal e obrigatoriedade – Daniel Belmiro Fontes – Coordenador de Sistemas de Fiscalização – RFB

13h00

Intervalo para Almoço (livre)

14h30

eSOCIAL – Obrigatoriedade para todas as Empresas, Inclusive Simples Nacional e Empregador Pessoa Física – Dra. Tânia Gurgel – Advogada, Contadora, palestrante, com mais 30 anos de experiência na área de tributos.

15h10

A Terceira Geração da NF-e - O quê há de novo por vir? – Álvaro Bahia – SEFAZ – BA

15h50

Estratégia da RFB para a fiscalização no ambiente SPED – Iágaro Jung Martins – Coordenador Geral de Fiscalização da RFB

16h30

Intervalo para café

17h00

eSOCIAL mudança pela cultura, processos e sistemas – Mauro Negruni – Sócio-fundador e Diretor de Serviços da Decision IT.

17h40

Painel de Debates

18h00

Encerramento

 
CISPED 2013

A Lua de Mel era tão fantástico e deslumbrante que se esqueceram o fantástico decreto presidencial 7979/2013, EFD IRPJ e e-ECF - todos a vigorar em 2014!!!


22 de novembro 2013 - JoseAdriano.com.br

Postado por José Adriano em 22 novembro 2013 às 8:00

O início da obrigatoriedade da utilização do eSocial será conforme o seguinte cronograma:


I – A transmissão dos eventos iniciais e tabelas deverá ocorrer:

a) até 30/04/2014 para produtor rural pessoa física e segurado especial;

b) até 30/06/2014 para as empresas tributadas pelo Lucro Real;

c) até 30/11/2014 para as empresas tributadas pelo Lucro Presumido, Entidades Imunes e Isentas e optantes pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - Simples Nacional, Micro Empreendedor Individual (MEI), contribuinte individual equiparado à empresa e outros equiparados a empresa ou a empregador; e

d) até 31/01/2015 para os órgãos da administração direta da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, bem como suas autarquias e fundações.

II – A transmissão dos eventos não periódicos deverá ocorrer imediatamente após a inclusão dos eventos iniciais no eSocial, conforme cronograma definido no inciso I

III – A transmissão dos eventos mensais de folha de pagamento e de apuração de tributos e encargos trabalhistas deverá ocorrer:

a) a partir da competência maio de 2014 para os obrigados relacionados na alínea “a” do inciso I deste artigo;

b) a partir da competência julho de 2014 para os obrigados relacionados na alínea “b” do inciso I deste artigo;

c) a partir da competência novembro de 2014 para os obrigados relacionados na alínea “c” do inciso I deste artigo; e

d) a partir da competência janeiro de 2015 para os obrigados relacionados na alínea “d” do inciso I deste artigo.

Parágrafo único. A transmissão das informações por meio do eSocial substituirá a prestação das informações por meio da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social – GFIP, a partir das seguintes competências:

I – a partir de maio de 2014, para os obrigados relacionados na alínea “a” do inciso I deste artigo; e

II – a partir de novembro de 2014, para os obrigados relacionados na alínea “b” do inciso I deste artigo; e

III - a partir de janeiro de 2015, para os obrigados relacionados na alínea “c” e “d” do inciso I deste artigo.

AGUARDEMOS A PUBLICAÇÃO EFETIVA DO ATO NORMATIVO


29 de agosto 2013 - JoseAdriano.com.br 

eSocial - Cobertura via Twitter da 1a. Conferência eSocial Thomson Reuters - Realizada em 29/08/2013

Prezados, seguem abaixo algumas informações importantes colhidas na 1a. Conferência eSocial Thomson Reuters - Realizada em 29/08/2013 e publicadas em tempo real no meu twitter.

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Jul/14: inicio real e dispensa da SEFIP para Lucro Real e penalidade automática pelo não cumprimento.

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Mai/14: obrigatoriedade da folha e dispensa do Manad para Lucro Real, sem penalidade pelo não cumprimento

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: 30/Abr/14: Limite para empresas do Lucro Real realizar cadastramento inicial e transmissão dos eventos

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Mar/14: Continuidade do ambiente de testes para cadastramento dos trabalhadores

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Nov/13: Disponibilização para as empresas do ambiente de testes

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Out/13: Disponibilização de manual dos XMLs e web services

 

#ConferênciaeSocial Cronograma: Set/13: qualificação dos cadastros


06 de junho 2013 - JoseAdriano.com.br 

Comentário de Stephan 
Excluir comentário

Boa tarde,

vi apenas os tópicos do questionário, que tratam apenas da grandeza do projeto da EFD Social, diferente do Brasil do Brasil, ou melhor projetado para um Brasil do Obama ou do Brasil da UE.

Para atender as informações necessários, tais escritórios precisam mais computadores com "catadores de informações", e certamente em muitos casos necessitam aumentar o espaço fisco, e assim vem a pergunta quem paga esta conta???

Apresentei os campos necessários para atualização considerados obrigatórios - conforme o Registro S-2100- devendo ser disponibilizado o meu sistema com estes eventos a partir do 10/06/2013.

Dois escritórios cada um com aproximadamente 500 registros de empregados ativos - uma média bastante realistico para interior - deverão completar estes dados, por acharem bastante interessante estes informações, portanto humanamente será impossível de completaram tais informações até final do ano por não terem acesso e disponibilidade a estes informações com o nível de detalhe exigido.

Pois bem, a tarefa seria esta, se não conseguir as informações para os ativos, para as próximos admissões possivelmente grande parte solicitada será disponibilizada.

Vou postar um comentário que postei em outra discussão hoje:

Excelente matéria - referenciando o segundo momento - o melhor o dia "D", o"day after":

O dia "B" antecederá fatalmente antes do dia "D". O dia "B" corresponde a um buraco negro que os projetistas da EFD SOCIAL não tiveram capacidade de assimilar:

O dia "B" é o exato dia- do Brasil do Brasil - diferentemente do Brasil do Obama, da Merkel, etc:

Basta analisar o leiaute do registro S-2100, percebemos a grandeza do nosso brasil - onde até Jorge Campos respondeu um post recomendando de desconsiderar tal documento..

Pois bem, o S-2100 é documento publicado.

Veremos um fato típico brasileiro: O empregador acha seu empregado passa no escritório informa o nome, data nascimento e alguns dados adicionais, entrega a CTPS informa o salário e se foi.

O contador pergunta: Endereço, telefone, Endereço, ASO, etc.

Resposta do empresário: Vocé ajeita ai, endereço, telefone vc informa da contabilidade - e pronto.

Assim encontramos centenas de empregados "ajeitados" no mesmo endereço do escritório de contabilidade.

O primeiro passo seria a "carga inicial" - será belo com estes dados perfeitos.

O BRASIL DO BRASIL É ASSIM!!


31 de maio 2013 - JoseAdriano.com.br 

SPED - EFD Social - e-Social - Status e Layout provisório

Com a implantação prevista para janeiro de 2014, o e-Social eliminará uma série de obrigações acessórias, como Gfip, GPS, Dirf, Caged, Rais e outras.

 

Conforme já amplamente noticiado, o Governo Federal está implementando um grande projeto de unificação das informações relativas ao trabalhador, com a participação do Ministério do Trabalho e Emprego, Caixa Econômica Federal, Instituto Nacional do Seguro Social e Secretaria da Receita Federal do Brasil.

Esse projeto propiciará aos Órgão de Governo, juntamente com os empregadores e empregados, acesso às informações hoje espalhadas em diversas entidades.

Com a implantação prevista para janeiro de 2014, o e-Social eliminará uma série de obrigações acessórias, como Gfip, GPS, Dirf, Caged, Rais e outras.

Esse esforço tem a participação, além das Entidades Governamentais, de Entidades representativas da Sociedade, e de empresas Piloto, conforme apresentado em http://www1.receita.fazenda.gov.br/sobre-o-projeto/parceiros.htm

Em janeiro deste ano, o coordenador da RFB, Daniel Belmiro, ministrou uma palestra no Fórum Trabalhista 2013, promovido pelo TI Rio em conjunto com o Sescon-RJ. Belmiro apresentou o SPED Social, o qual recentemente passou a ser chamado e-Social. Para assistir a palestra, clique aqui.


Temos a promessa da RFB em receber o leiaute definitivo, em XML, juntamente com o Manual de procedimentos, tão logo fiquem prontos.

Além disso, o Serpro deverá disponibilizar-nos um ambiente de pré-produção em época propícia para realização de testes.

Fiquem atentos.


05 de Junho 2012 - IOB fatura o leioute da EFD SOCIAL

Respostas a este tópico

Permalink Respondida por J. Pezzini em 5 junho 2012 at 11:09

Poxa mas que sacanagem!
Como que a IOB tem o leiaute se ele nem foi divulgado "oficialmente" ainda?

Permalink Respondida por Jorge Campos em 5 junho 2012 at 12:15

Pessoal,

Na realidade o IOB foi comprado pela FOLHAMATIC, e ela participa das discussões porque tem cliente na EFD SOCIAL.

O principal item do novo leiaute eles não vão falar, que é a gestão de contratos com terceiros.

abraços

Permalink Respondida por R. Garcia em 5 junho 2012 at 12:51

isso q perguntei para o Sr. Jorge..rs

J.Pezzini disse:

Poxa mas que sacanagem!
Como que a IOB tem o leiaute se ele nem foi divulgado "oficialmente" ainda?

Permalink Respondida por Jorge Campos em 5 junho 2012 at 14:31

Ricardo,

Tem outro detalhe....eles podem comentar o leiaute, mas, a regra do grupo é de proibição da divulgação do leiaute antes da publicação do diário oficial. Até porque o leiaute ainda não foi totalmente fechado.

abraços 

Permalink Respondida por Jorge Campos em 5 junho 2012 at 14:38

Ricardo,

No anúncio divulgado no site eles não colocam esta questão do leiaute, da forma como está colocado no emailmarketing, Tenho certeza de que eles não vão fornecer o leiaute. 

Por outro lado, acho importante que outras pessoas divulguem os impactos do nosso cenário, porque existe uma árdua tarefa a ser atendida, dentre ela é mostrar a importância ao RH.

abraços

9h - MÓDULO I – Projeto EFD social – nova folha de pagamento digital

O projeto EFD-SOCIAL
- Objetivo
Dimensão do projeto e perspectiva
Implantação
Gestão e confiabilidade
Riscos e inconvenientes

Fabio Rodrigues, Advogado, Especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário
IOB Folhamatic


Jorge Campos disse:

Ricardo,

Tem outro detalhe....eles podem comentar o leiaute, mas, a regra do grupo é de proibição da divulgação do leiaute antes da publicação do diário oficial. Até porque o leiaute ainda não foi totalmente fechado.

abraços

PermaliRespondida por Stephan Gerbautz em 5 junho 2012 at 16:18r
Pois bem, a TI conciente deverá cruzar os braços ate que a RFB nos presenteia com leioute?

Considerando que muitos ainda não estão gerando EFD Contribuições, EFD SOCIAL será assunto de pós-papai-noel.

Pesquisem em outro forum sobre FOLHAMATIC...



Junho 2012 - Primeiros questionamentos abrem novos horizontes

EFD SOCIAL - O QUE VEM ANTES DO LEIAUTE

Tenho recebido vários questionamentos sobre o leiaute da EFD SOCIAL, mas, conforme a apresentação oficial do fisco a expectativa é que ele seja publicado até setembro/2012.

Na minha opinião existem outras questões muito mais graves e preocupantes, a serem tratadas, antes de se pensar no leiaute. Refiro a algumas questões de interpretação da legislação ou de processos internos nas empresas.

Como exemplo, gostaria de apresentar a solução de consulta abaixo, publicada hoje, e que traduz exatamente o que estou comentando.

SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 94, DE 5 DE ABRIL DE 2012


Assunto: Imposto sobre a Renda de Pessoa Física - IRPF
REEMBOLSO DE QUILOMETRAGEM
A verba percebida pelo empregado a título de reembolso de quilometragem rodada pelo uso de veículo próprio, constitui rendimento tributável na fonte e na Declaração de Ajuste Anual.
Dispositivos Legais: Arts. 111, II, e 176 do Código Tributário Nacional (Lei nº 5.172, de 25.10.1966); art. 3º, § 4º, da Lei nº 7.713, de 22.12.1988; art. 43, I, X e XVI, do Decreto nº 3.000, de
26.03.1999 (republicado em 17.06.1999); e Parecer Normativo CSTnº 864, de 1971.
EDUARDO NEWMAN DE MATTERA GOMES
Chefe

Logicamente, que ao ser tratado como rendimento a sua repercussão afeta não só o IRRF, mas, o INSS folha também.

"EMENTA. 1. REEMBOLSO. QUILOMETRAGEM. NATUREZA.

Considerando que os documentos apresentados às fls. 29/31, consoante ressaltado pelo Regional, demonstram que a Reclamada conferia, habitualmente, ao Reclamante taxa de reembolso por quilometro rodado, independentemente de qualquer despesa realizada ou comprovada, a referida parcela ora em discussão possui natureza salarial por caracterizar "plus" na remuneração do Autor. Deste modo, entende-se que a parcela paga ao Reclamante ajusta-se perfeitamente ao disposto no § 1º do artigo 457 da CLT, o qual discrimina as parcelas que integram o salário do empregado.



DIFERENÇA NOS REPOUSOS SEMANAIS REMUNERADOS SOBRE COMISSÕES.

A verba "bonificação", por visar a premiar o empregado como retribuição e incentivo à produção, possui natureza salarial. Deste modo, deve tal bonificação repercutir na remuneração do repouso semanal remunerado. Revista conhecida, mas a que se nega provimento"
(RR. nº 105302, TST, Rel. Juíza Convocada Eneida Melo, DJ de 07/12/00, p. 760) .

Atualmente, estas e outras situações não são identificadas pelo fisco, a partir da EFD SOCIAL, a informação será enviada mensalmente, e o fisco terá toda a base da ECD X EFD SOCIAL, para todas as análises possíveis.

Em função destas questões e identificando este gap de conhecimento, criamos a rede 360, justamente para trazer alguns especialistas no assunto em palestras e treinamentos. Uma destas especialistas é a Dra Tânia Gurgel que discorre sobre a questão Contratos com terceiros na EFD SOCIAL. 

A pergunta sobre o procedimento atual dado ao reembolso de quilometragem, é:

  1. Como corrigir o processo?, e
  2. O que fazer com o legado?

Respostas a este tópico

Permalink Respondida por Júlio da Silva Costa ontem

Fica evidente que para obtenção de sucesso na implantação de todo e qualquer projeto SPED é condição sine qua non a participação de todos os departamentos envolvidos, inclusive o jurídico em alguns casos.

Permalink Respondida por Stephan Gerbautz
Excluir
Perfeitamente, sem leioute e guia prático que tem a exata correspondencia a funcionalidade não passa de uma conversa.

Quem desenvolve SPED tem que se resumir em registrar fatos - diferentemente que ocorre quando se confronta com devolução de vendas quando - conforme guia - tem que fazer "ajeita" nos valores fiscais que é crime tributário, somente pode se cancelar um documento fiscal antes da efetiva saida.

Foram levantados apenas duas questões, que certamente darão mais folegos aos srs. Consultores pois todos registros tem seu fundamento em registros contábeis.

Se tal kilometragem reptesentará um registro na EFD Contribuições será registrado conforme manda o figurinho e sem ti-ti-ti como ocorreu recentemente pelo bloco "P". Antes mais nada precisamos o leioute - e sem ele qualquer palestra terá pouca força ilustrativa. Enquanto isso não ocorre estarei aguardando.

Paulo Roberto Assis Alves disse:

Não entendi, que relação tem questões interpretativas da legislação com o Layout? O Layout deve ser igual ao EFD Contribuições e os demais, ou seja, se a empresa definiir uma transação como isenta de Pis, basta vincular os códigos para isso, senão vincula a transação aos códigos tributados. O EFD Social é a mesma coisa. Não vejo nenhuma relação no desenvolvimento do Layout. Desculpe meus caros, mas o EFD Social pode muito bem apresentar o Layout. A interpretação é responsabilidade dos contadores. E teremos a flexibilidade e a responsabilidade ao vincularmos os EVENTOS da Folha com os códigos que o layout exigirá. A discussão é muito importante sim, mas para revisarmos os conceitos e as interpretações de cada empresa. E um assunto mais conceitual e de procedimentos internos do que TÉCNICO a nível de layout. Não quero dizer com isso que não devemos aproveitar a oferta feita pelo Jorge sobre treinamentos neste canal. A exemplo disso: Reembolso de Quilometragem é verba salarioal somente se não tiver relação com as atividades desenvolvidas pelo funcionário, se o uso do veículo é para atividades da empresa não é considerado salario. Mas essas questões não tem relação com o desenvolvimento técnico do sistema EFD.

Permalink Respondida por LUIZ AGOSTINHO DA SILVA JÚNIOR 4 horas atrás

Concordo Plenamento com esses acontecimentos , estamos se transformando Funcionários dos Fiscos. Sem muitas vezes os Orgão superiores tomar uma atitude de praste totalmente decidida do que a classe contábil pensa.

como nosso colega mesmo fala, a cada dia estamos distante de estar do lado do nosso cliente, pois mal se moderniza alguma coisa mal se torno velho pois o conhecimentos sabemos que nunca se perde mais algunas as vezes não servi pelo motivo do avanço sem ter uma clara resposta da lesgislação, como se todos tivesse o mesmo pensamento e a mesma interpretação, porém temos que pensar não somente no avanço das informações e tecnologias mais sim no bem estar com regras presentes para depois pensar em regras futuras. No entanto existem ainda Clientes com pensamento Obsoletos e isso é difícil para nos Profissionais.

Permalink Respondida por Stephan Gerbautz 1 segundo atrás
Excluir

Boa tarde,

levando a discussão com base de elementos consistentes, deveríamos basear-nos nos eventos que são base para elaboração da folha de pagamento, SEFIP, RAIS etc. Pois certamente ninguém estará se aventurando sem um sistema de folha de pagamento integrado a todos eventos da previdencia, IRRF, etc.

A tabela é apenas um exemplo pois deveria acrescentar outros colunas como incidência Salario Família, Contribuição Sindical, etc. etc.

Se a EFD Social venha a substituir todas a folhas de pagamentos do pais consequentemente o guia desta EFD Social tratará as informações a este nível - caso contrário será outra conta de fada.

Já que os CRC'S e CFC'S recentemente se recolheram perante as questões do SPED - eis a questão onde eles deveriam tomar frente e direcionar o projeto para um patamar viável e sustentável. 

Se cada um venha levantar isoladamente um questão, nos TI estaremos literalmente "vendidos".

Pergunto que dia o guia da EFD SOCIAL será publicado?

Apesar de que não tem nada concreto, uma coisa é clara e inmutável e certa: Quem gera o arquivo da EFD SOCIAL será o sistema da folha de pagamento. Ponto final.

Se o programinho que está lá na contabilidade não faz - é simples: compra um que faz! Com um detalhe: se fizer a substituição, terá que ser até outubro pra fazer as devidas integrações e por ai nos percebemos que este ano - nas melhores hipóteses - apenas acertaremos a EFD CONTRIBUIÇÕES, pois, pois estamos em junho e não tem o PVA 2.1!!!

TABELA DE INCIDÊNCIA DO IR FONTE, INSS E FGTS

RENDIMENTOSIR/FONTEINSSFGTS
ABONO DE FÉRIAS COM MAIS 1/3SIMNÃONÃO
ADICIONAL DE INSALUBRIDADESIMSIMSIM
ADICIONAL DE PERICULOSIDADESIMSIMSIM
ADICIONAL DE TRANSFERÊNCIASIMSIMSIM
ADICIONAL DE FUNÇÃOSIMSIMSIM
AJUDA DE CUSTONÃO1NÃO2NÃO2
ALIMENTAÇÃONÃOSIMSIM
ALIMENTAÇÃO - PATNÃONÃONÃO
AUXÍLIO ENFERMIDADE (PRIMEIROS 15 DIAS)SIMSIMSIM
COMPLEMENTAÇÃO SALARIAL (DESDE QUE EXTENSIVO A TODOS OS EMPREGADOS)SIMNÃONÃO
BENEFÍCIO PAGO PELA PREVIDÊNCIA OFICIAL DA UNIÃO DOS ESTADOS, DO DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOSNÃONÃONÃO
BENEFÍCIO PAGO POR ENTIDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADANÃONÃONÃO
AVISO PRÉVIO INDENIZADONÃONÃOSIM
AVISO PRÉVIO TRABALHADOSIMSIMSIM
BOLSA DE ESTUDOSIMSIMSIM
BOLSA DE ESTUDO PAGA A ESTAGIÁRIOSIMNÃONÃO
COMISSÕESSIMSIMSIM
DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO (1º PARCELA)NÃONÃOSIM
DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO (2º PARCELA)SIMSIMSIM
DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO NA RESCISÃOSIMSIMSIM
DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO (PARCELA REFERENTE AO AVISO PRÉVIO)SIMNÃOSIM
DIÁRIAS PARA VIAGENS ATÉ 50% DO SALÁRIONÃONÃONÃO
DIÁRIAS PARA VIAGENS COM VALOR SUPERIOR A 50% DO SALÁRIO (INCIDÊNCIA SOBRE O TOTAL)SIMSIMSIM
FÉRIAS NORMAIS COM MAIS 1/3SIMSIMSIM
FÉRIAS INDENIZADAS COM MAIS 1/3 (PROPORCIONAIS, EM DOBRO E SIMPLES)SIMNÃONÃO
FÉRIAS EM DOBRO (PARCELA REFERENTE À DOBRA)SIMNÃONÃO
GORJETAS (M QUALQUER HIPÓTESE)SIMSIMSIM
GRATIFICAÇÃOSIMSIMSIM
HABITAÇÃOSIMSIMSIM
HORAS EXTRASSIMSIMSIM
INDENIZAÇÃO POR TEMPO DE SERVIÇONÃONÃONÃO
INDENIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO (ENUNCIADO 148 TST)NÃONÃONÃO
INDENIZAÇÃO ADICIONAL (DISPENSA POR ENFERMIDADE DE 30 DIAS ANTES DA CORREÇÃO SALARIAL)NÃONÃONÃO
INDENIZAÇÃO POR RESCISÃO ANTECIPADA DO CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO (ART. 479 DA CLT)NÃONÃONÃO
LICENÇA-PATERNIDADESIMSIMSIM
PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS (LEI 10.101/2000)SIMNÃONÃO
PRÊMIOS3SIMSIMSIM
PRÓ-LABORE DE DIRETORES EMPREGADOSSIMSIMSIM
PRÓ-LABORE DE DIRETORES PROPRIETÁRIOS (SÓCIOS, ACIONISTAS OU TITULARES)SIMSIMNÃO
QUEBRA DE CAIXASIMSIMSIM
REEMBOLSO DE QUILOMETRAGEMSIMSIMSIM
SALÁRIOS/SALDOS DE SALÁRIOSSIMSIMSIM
SALÁRIO-FAMÍLIANÃONÃONÃO
SALÁRIO MATERNIDADESIMSIMSIM
VALE-TRANSPORTENÃONÃONÃO
UNIFORMES E VESTIMENTAS DE TRABALHONÃONÃONÃO

.


Comments