CMP‎ > ‎

Vº QCA 2014-2020

Até ao fim do mês de Novembro de 2012 a CMP vai recolher das Associações interessadas documentos com vista à instrução do processo de candidatura ao Vº QCA, sendo tudo processado da seguinte forma:

1 – Com as Associações afiliadas na CMP, esta trata directamente.

2 - Com as Associações das zonas das Federações Distritais/Regionais e filiadas nas respectivas Federações, serão estas a recolherem todos os documentos para instrução do processo, devendo sempre avisar todas as Associações com Banda, filiadas ou não, para as alertar do processo e para a necessidade de se filiarem com vista a constarem nas listas de candidaturas.

3 – Os documentos que solicitamos, de orientação da CMP, vão estar disponíveis no site da CMP para serem fotocopiados e são os seguintes:
a) – Quadro das necessidades das Associações com Banda e/ou Escola de Música, para o espaço de 2014-2020. (descarregar o ficheiro que se encontra no fim da página)
b) – Lista de Inventário dos Instrumentos e outro material existente em cada Associação, devidamente actualizado (Disponível na página Documentos).
c) – Classificação da Banda por Tipo de Banda ( Sinfónica, A, B, C, D ou E)
(Disponível na página Documentos).
d) – Questionário da CMP, devidamente preenchido em todos os ítens
(Disponível na página Documentos).

4 - Além destes, é necessário enviar ainda:
a) – Comprovativo da inscrição da Associação nas Finanças e na Segurança Social. 
b) - Comprovativo de Contabilidade Organizada
c) – Acta da Direcção ou da Assembleia Geral ( conforme os Estatutos), com aprovação do Plano e Orçamento Plurianual para 2014-2020.

Só vamos trabalhar com Associações que enviem estes documentos ou para a CMP ou para as Federações e que estas os devolvam à CMP, até ao fim do mês de Novembro de 2012.

Relembrar que o Norte (Minho) tem recebido apoios europeus, sistematicamente em todos os Quadros Comunitários de Apoio, porque tem cumprido aquilo que lhes é pedido e exigido.

Na área da Federação de Lisboa recolheu-se tudo, chegou a haver compromissos assinados pelas Autarquias sobre o financiamento a fundo não perdido, mas os novos Órgãos da Federação “meteram tudo na gaveta” e nem sequer deram uma explicação às Autarquias sobre o porquê da sua desistência.

Nos Açores, o trabalho de recolha da CMP/Federação, serviu para o aumento substancial de apoio do Governo Regional às Associações com Banda.

Na área das outras Federações, desligaram-se do processo com a CMP e o resultado foi o que se viu.

Avisem as vossa Bandas para colaborarem porque no fim de Novembro de 2012, tem de estar tudo pronto.

O Presidente da Direcção da CMP.

Outubro de 2012
Ċ
conf.musical@sapo.pt,
08/08/2011, 17:20