S. Jacinto‎ > ‎

Área militar

Regimento de Infantaria nº10 (RI10)

Esta Área Militar pertence ao Exercito Português e aqui encontram-se estacionadas as Tropas Aerotransportadas. O Aeródromo Municipal de Aveiro está inserido na Área Militar

Esta Área Militar pertencia à Força Aérea Portuguesa (FAP), era então chamada Base Aérea n.º 7 (BA7). A presença Militar remonta à 1.ª Grande Guerra, altura em que as tropas Francesas decidem colocar um destacamento em São Jacinto para patrulhamento da costa.
A presença de militares na península de São Jacinto iniciou-se em Abril de 1918, com a instalação precária constituída por hangares e casas de madeira e lona, neste posto naval foram colocados 8 hidroaviões com o objetivo de efetuar a vigilância de submarinos alemães que cruzavam a costa atlântica.
Os oito hidroaviões franceses desembarcaram em Leixões e chegaram a São Jacinto por terra, puxados por juntas de bois através dos areais do litoral.
Com o final da Primeira Grande Guerra Mundial, foi entregue ao Serviço de Aviação da Armada Portuguesa em 1919.
Em 1925 é criada a Escola de Aviação Naval Almirante Gago Coutinho, passando a funcionar no Centro de Aviação Naval de São Jacinto em 1933.
De salientar que quando o hangar foi construído era o maior da Península Ibérica e foi construído pelos Estaleiros Navais de S. Jacinto , a pista atual foi a primeira em Portugal a dispor de iluminação elétrica.
Em 1952 esta unidade passa para o novo ramo das Forças Armadas, a Força Aérea , passando nesta altura a ser designada por Base Aérea n.º 5 (BA5). A função principal desta unidade era a formação de pilotos.
Em 1956 passa a designar-se por Base Aérea n.º 2 (BA2).
Em 1957 passa a designar-se por Base Aérea n.º 7(BA7), assumiu ainda importância e papel de relevo durante o período pós-revolucionário, nomeadamente em 1975 na fase de contenção do poderio comunista debelado em 25 de Novembro, através da execução de voos diários de dissuasão, utilizando esquadrilhas de Aviões T-6.
A designa-se Aeródromo Manobra n.º 2 (AM2) deu-se em 1978, ficando nesta unidade uma esquadra de aeronaves FTB 337.
Com a redução de unidades base efetuada no inicio da década de 90, a Força Aérea desativa totalmente o Aeródromo de Manobra Nº2 em 1992, passando todas as suas instalações militares para o controlo da BOTP2. No sentido de rentabilizar a utilização das pistas, a Câmara Municipal de Aveiro, por intermédio do Aeroclube de Aveiro, é autorizada a utilizar as infra-estruturas aeroportuárias de São Jacinto, sem prejuízo para a atividade militar. A abertura ao tráfego civil efetuou-se formalmente a 04Set93. No âmbito do acordo com a Câmara, é montado um pequeno hangar de apoio junto às placas de estacionamento do aeródromo que nos meios civis, passa a ser conhecido como Aeródromo Municipal de Aveiro.

Regimento de Infantaria nº10 (RI10)
3810-901 São Jacinto
tel 234 331 275

Comments