I guerra mundial‎ > ‎

sobre os aviões da I guerra mundial (on the planes of World War I)

Na I  guerra mundial você podia escolher um desenho.

Especificações (AEG G. IV)

Características gerais
Tripulação:3
Comprimento: 9,70 m
Distancia entre as asas:18,40
Altura:3.90
Área das asas: 67 m²
Peso vazio:2,400kg
Peso cheio:3,630kg
Velocidade máxima:166km/h
Alcance:750km
Subida até aos 1000m:5 minutos

Armamento
2 metrelhadoras 7.92mm
400kg de bombas

esse era Alemão 
Airco DH.2 foi um caça biplano britânico com hélice tratora utilizado durante a Primeira Guerra Mundial. Foi o segundo avião desenhado por Geoffrey de Havilland para a Airco, e era baseado no Airco DH.1. O DH.2 foi o primeiro caça monolugar britânico e permitiu aos pilotos do Royal Flying Corps (RFC) enfrentar os Fokker E.III alemães, re-equilibrando a luta pelo espaço aéreo.
O Airco DH-4 era um avião biplano britânico, de bombardeio diurno, utilizado na Primeira Guerra Mundial, projetado por Geoffrey de Havilland (por isso as iniciais "DH") para a empresa Airco. Foi o primeiro bombardeiro britânico com armamento defensivo. Seu primeiro vôo foi em agosto de 1916, entrando em serviço, definitivamente, em março de 1917. A maioria dos DH-4s era, na realidade, construída como bipostos de uso geral nos Estados Unidos, a serviço das forças americanas na França.Wright Radial Engine in a De Havilland DH-4B airplane (00910460 163).jpg

Utilizadores

 Alemanha
 Países Baixos
 Polónia
 Turquia

[editar]Sobreviventes

Um dos sobreviventes está preservado no Museu de Heeresgeschichtliche em Viena.

[editar]Especificações (B.I)

[editar]Características gerais

  • Tripulação: Dois, o piloto e o observador
  • Comprimento: 8.55 m
  • Envergadura: 14.30 m
  • Altura: 3.5 m
  • Área atingida: 43 m²
  • Peso: 600 kg
  • Peso de carga: 800 kg
  • Usina (eléctrica): 1 × Mercedes D.I, 75 kW.

[editar]Desempenho

  • Velocidade máxima: 100 km/h
  • Velocidade de Subida: 1 m/s
  • Albatros D.I foi um caça biplano alemão utilizado na Primeira Guerra Mundial, desenhado por Robert Thelen, R. Schubert e Gnädig.
  • Apesar de a sua carreira operacional ter sido curta, foi o primeiro dos Albatros do tipo D, que formaram grande parte dos esquadrões de combate do Império Alemão e da Áustria-Hungria durante os dois últimos anos da guerra.

    Albatros D. III foi um caça biplano alemão utilizado na Primeira Guerra Mundial.

    [editar]Fontes

    • (em inglês) Connors, John F. Albatros Fighters In Action (Aircraft No. 46). Carrollton, TX: Squadron/Signal Publications, Inc., 1981. ISBN 0-89747-115-6.
    • (em inglês) Franks, Norman, Hal Giblin and Nigel McCrery. Under the Guns of the Red Baron: Complete Record of Von Richthofen's Victories and Victims. London: Grub Street, 1998. ISBN 1-84067-145-9.
    • Albatros D.V foi um avião de caça alemão utilizado pela Luftstreitkräfte, durante a Primeira Guerra Mundial. O D.V foi o desenvolvimento final da família Albatros D.I, e o último caça Albatros em serviço operacional. Apesar de suas conhecidas deficiências e obsolescência geral, cerca de 900 aeronaves D.V e 1 612 D.Va foram construídas antes que de a produção ser interrompida no início de 1918. O D.Va continuou em serviço operacional até o final da guerra.
    • ZK-DVA2 IMG 3492-Edit.jpg
      Ansaldo A.1 Balilla, assim alcunhado em honra do heroi popular genovês com o mesmo nome, foi um caça biplano italiano utilizado durante a Primeira Guerra Mundial. Foi o único avião de caça desenvolvido neste país durante a mesma, pois a Itália utilizou principalmente caças de desenho francês durante a guerra. Era rápido, embora não muito manobrável, e foi utilizado principalmente como interceptador na defesa das cidades italianas. Foram produzidos mais de uma centena de exemplares.
      Aviatik B.I é um avião de reconhecimento alemão, de dois lugares e biplano, desenhado e construído pela empresa Automobil und Aviatik AG.
       
      Aviatik B.II foi um avião de reconhecimento construído na Alemanha e Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Era um avião biplano de configuração convencional, onde o piloto e observador estavam instalados em sequência e em cockpits abertos.
      • Comprimento: 8,96 m
      • Envergadura: 10,97 m
      • Altura: 3,17 m
      • Peso máximo de decolagem: 816,48 kg
      • Propulsão: um motor Gnome Monosoupape de 100 HP
      • Velocidade máxima: 132 km/h
      • Tripulação: dois tripulantes em tandem

      [editar]Avro 504 O/N

      • Comprimento: 8,81 m
      • Envergadura: 10,97 m
      • Altura: 3,30 m
      • Peso máximo de decolagem: 1.016 kg
      • Propulsão: um motor Armstrong Siddeley Linx IV C de 180 HP
      • Velocidade máxima: 161 km/h
      • Tripulação: dois tripulantes em tandem
      • Avro 504

        Breguet 14 foi um biplano francês, aeronave bombardeiro e de reconhecimento da Primeira Guerra Mundial. Foi construído em larga escala e com produção contínua por muitos anos após o final da guerra. Apesar de seu extenso uso, foi a primeira aeronave de produção em massa a utilizar grande quantidade de metal ao invés de madeira em sua estrutura. Isto possibilitou que ela fosse mais leve do que as de estrutura de madeira comparadas com o mesmo comprimento, tornando a aeronave mais veloz e ágil para o seu tamanho, capaz de superar muitos dos caças de sua época. Sua construção forte foi capaz de aguentar muitas avarias, de fácil comércio e boa performance. Breguet 14 é considerado uma das melhores aeronaves da Primeira Guerra.

        Este biplano iniciou a carreira no domínio militar, como aeronave de reconhecimento e bombardeamento. O protótipo, que foi posto a voar pelo seu criador, Louis Breguet, em Novembro de 1916, deu origem a uma série de cerca de 4.000 aviões de observação e 1.600 bombardeiros, iniciando o serviço no Verão de 1917. A aeronave era propulsionada por um motor Renault de 12 cilindros em V, desenvolvendo 300 cavalos. Esta potência permitia transportar 300 kg de bombas, para além de uma metralhadora sincronizada, na parte dianteira da fuselagem, e um par de metralhadoras na parte traseira, que são utilizadas pelo segundo membro da tripulação.

        Após esta função bélica, o biplano foi empregue no domínio civil. Foram exportados para todo o mundo com o propósito de serem utilizados como aviões de transporte, de cabina fechada, enquanto o piloto tinha a cabeça ao ar livre. O modelo civil 14T permitiu a Louis Breguet criar a Compagnie des Messageries Aériennes. Algumas aeronaves desmilitarizadas serão compradas pela Sociedade Latécoère, depois de o seu Presidente e Director-Geral, Pierre Latécoère decidir abrir linhas postais em África e naAmérica do Sul. Nas mãos de Jean Mormez, de Antoine de Saint-Exupéry e de muitos outros pilotos, o Breguet 14 vai assim desbravar a «Linha», ao serviço da Aéropostale.

        Breguet 14 3 vues.jpg

        Seguindo o sucesso alcançado pela França, o modelo foi também encomendado pelo Exército belga (40 aeronaves) e Serviço Aéreo americano (mais de 600 aeronaves). Cerca da metade das aeronaves belgas e americanas foram equipadas com motoresFiat A-12 devido a escassez dos originais Renault 12F. Ao final da Primeira Guerra, cerca de 5.500 Breguet 14 tinham sido produzidos.

        O modelo continuou a ser amplamente utilizado depois da guerra, equipando as Forças de ocupação francesas na Alemanha e sendo utilizado como apoio às tropas nas colônias. Uma versão especial foi desenvolvida para as condições severas encontradas nas travessias oceânicas, designado 14TOE (Théatres des Operations Extérieures). Eles prestaram serviços derrotando insurreições na Síria e Marrocos, no Vietnam e nas intervenções da França na Guerra Civil Russa. A última aeronave a serviço do Exército francês esteve em atividade até 1932. Outros exércitos utilizaram essas aeronaves inclusive a Força Aérea Brasileira (30), a China (70), a Tchecoslováquia (10), a Dinamarca, a Finlândia (38), a Grécia, o Exército Imperial Japonês, o Sião, o Uruguai (9) e a Espanha. A Força Aérea Polonesa utilizou 158 Breguet 14, cerca de 70 deles foram usados em combate na guerra polaco-soviética de 1920. No Japão, os Breguet 14 foram autorizados a construção pela Nakajima.

        O Breguet 14 polonês durante a ofensiva em Kiev

        Após a guerra, Breguet começou a dedicar-se à fabricação das versões civis. O 14T.2 Salon transportava dois passageiros em uma fuselagem especialmente modificada. Uma versão melhorada deste foi o 14Tbis fabricado para operar em terra e água (hidroavião).

        Breguet Bre.5 e seus derivados Bre.6 e Bre.12 foram modelos de aviões biplanos produzidos pela Breguet e utilizados pela França na Primeira Guerra Mundial.

        Breguet Bre.5




Comments