Cartografia Física do Concelho de Chaves     http://chavesmapas.googlepages.com/logo.jpg

Chaves Mapas beta

http://chavesmapas.googlepages.com/freguesias-concelho-chaves.jpg

Este cartograma mostra a rede hidrográfica do Concelho de Chaves, em que a linha principal de água é o rio Tâmega, tanto em extensão como em caudal, o qual é afluente do Douro; sendo de referir a presença de ribeiras do Caneiro a de Arcossó, de Outeiro Seco, das Avelelas, etc. 

O regime das linhas de água apresenta uma acentuada sazonalidade, o que evidencia a dependência da precipitação; apresentando os caudais das linhas fluviais e os aquíferos alturas mais elevadas no Inverno e mais baixas no Verão.

Também podemos observar a localização das 52 freguesias que constituem o Concelho de Chaves e a sua respectiva distribuição espacial, forma e dimensão comparativa.

 

---------------------------------------------------------


http://chavesmapas.googlepages.com/geologiaconcelhodechaves.jpg

Para ver este cartograma dinâmico em 3D

clica na seguinte imagem 

Este corte à carta geológica referente ao concelho de chaves permite-nos ver de forma sumária, que o granito de duas micas é dominante, cortado por filões pegmatíticos, granulíticos e manchas de xisto.

Quanto à evolução geral da região, a época das grandes deslocações parece ter sido precedida pela formação das superfícies de erosão encaixadas. Depois o jogo de falhas e de fossas começou a funcionar segundo direcções ortogonais ao dobramento hercínico. Na primeira fase deslocações desenvolveu-se o nível de Sanjurge, mais largo na bacia de Chaves mais estreito ao longo do Tâmega.

Em seguida deu-se novo levantamento, elevando-se logo o bloco da Padrela e o bloco do Alvão.

A depressão de Chaves, faz parte do conjunto de depressões alinhadas do desligamento tardivarisco de Verin-Penacova.

---------------------------------------------------------

 

http://chavesmapas.googlepages.com/hipsometria-concelhodechaves.jpgPara ver este cartograma em 3D

clica na seguinte imagem

http://chavesmapas.googlepages.com/declivesconcelhodechaves.jpg 

 Para ver este cartograma em 3D

clica na seguinte imagem 

A geomorfologia da região cartografada sobe a forma de mapa hipsométrico e a carta de declives é dominada pela depressão de Chaves, espécie de rasgão colossal a interromper a continuidade do planalto transmontano, limitada de leste, pelo rebordo da escarpa da serra do Brunheiro e pelos relevos que a continuam até a cota de Mairos, com altitudes que sobem a quase o milhar de metros. A vertente, orientada na direcção NE-SW é, às vezes, muito abrupta, com características de escarpa de falha. A veiga mede cerca de 17 km de comprimento e 3 km de largura. A superfície dela está apenas a 3-4m acima do leito do Tâmega na estagiem e entre 340-350m de altitude.

De ocidente, sobe-se por degraus sucessivos para o planalto de Barroso, cuja altitude ultrapassa 1000m. Destaca-se, em primeiro lugar, a plataforma de Sanjurge – Valdanta com cerca de 450-500m de altitude, da qual se passa para a plataforma (ou bacia) de Bobadela, com altitude que anda à roda de 600m.Por vertente abrupta sobe-se para o alto do Leiranco, a 1127m.

 

---------------------------------------------------------


http://chavesmapas.googlepages.com/usodossoloschaveschavesmapa.jpg


Por condicionalismos de ordem metodológica foi necessário agrupar diferentes classes.Assim, consideraram-se para o estudo descrito no presente mapa as classes que constam da legenda contida no cartograma. 

Essas classes resultaram dos seguintes agrupamentos de classes: resinosas, Formações arbóreas folhosas, Formações arbustivas, albufeiras, núcleos de povoamento,actividades extractivas, área agrícola, e linha de água principal (Rio Tâmega). 

Essa simplificação da descrição do mosaico de paisagem do concelho de Chaves prejudica a qualidade dos resultados que podem ser obtidos. De facto, esse procedimento corresponde à suposição de que existem apenas estas grandes classes de ocupação do solo. Se se pretendesse a produção de um mapa da área em estudo para a subsequente tomada de decisão sobre, por exemplo, um plano de ordenamento do território, tal mapa apenas conteria informação sobre essas grandes classes.


---------------------------------------------------------


http://chavesmapas.googlepages.com/carta-exposies-concelho-chaves-1.jpg

Como se pode verificar na carta anterior ( Carta de Exposições do Concelho de Chaves), há uma diferenciação entre as duas margens da linha de água principal (Rio Tâmega), rio este que "corta" a meio o Concelho de Chaves com a direcção nordeste-sudoeste. 

A margem esquerda apresenta um domínio de exposição a N, NW, NE e Oeste, sendo que a margem direita, com menor superfície, apresenta um domínio das exposições a S, SW, SE e Este. A ocupação agrícola mais intensa na margem direita e, onde se pode encontrar, quase exclusivamente a vinha e o olival e a produção horticula abundante na área de depósitos aluvias de terraço. Na margem esquerda há uma maior perentagem de área ocupada por pastagens. 

As condições de insolação estabelecem desde logo diferenças ao nível da humidade do solo, pois em termos de humidade concedida pela precipitação é a mesma que nas vertentes expostas a Norte, sendo a exposição um factor importante na definição de condições microclimáticas que influenciam o tipo de vegetação.

Página Inicial