A ROTA DAS TERMAS                                http://chavesmapas.googlepages.com/logo.jpg

Chaves Mapas beta

http://chavesmapas.googlepages.com/AROTADASTERMAS.png

Chaves, cidade termal e monumental fundada há cerca de 2.000 anos, pelos romanos que em homenagem à fama das suas águas a denominaram primitivamente de AD AQUAS e dada a sua expansão e fama curativa, elevaram-na a AD AQUAS FLAVIAS em honra do imperador Flávio Vespasiano, Século I d.C..
 

TERMAS DE CHAVES
As águas das Caldas de Chaves são hipertermais, das mais quentes da Europa (73º C), bicarbonatadas, sódicas, gaso-carbónicas, silicatadas e levemente fluoretadas, sendo indicadas para o tratamento das doenças do aparelho locomotor (reumatismo e doenças musculares esqueléticas) do aparelho digestivo (estômago, fígado, visicula e intestinos) e hipertensão. A época termal decorre de 1 de Abril a 30 de Novembro, prevendo-se a abertura durante todo ano para muito em breve.
Nas Termas podem ver-se diversas nascentes, as buvetes e o balneário com banhos de imersão, banhos em banheira e em piscina com hidromassagem computorizada, carbo-gasosos, sub-aquáticos, banhos de vapor à coluna e aos membros, duche tipo Vichy, duche de agulheta, duche circular e electroterapia, bem como salas para terapêuticas diversas. Nas termas há um corpo médico especializado que acompanha diáriamente os tratamentos.
Sobranceiro às termas de Chaves eleva-se o castelo, com importante torre de menagem e o núcleo mais antigo da cidade, compreendida entre as termas e as Ruas de Santo António e  do Sol.
A Rua do Bispo Idácio, a Praça de Camões, a Rua de Santa Maria, a Rua do Correio Velho, a Rua dos Gatos, a Rua da Misericórdia e a Rua Direita decorada com típicas varandas de madeira, ferro, etc., constituem o centro histórico da cidade.
Ainda do passado não deixe de ver, na Praça de Camões, a estátua de D. Afonso, I Duque de Bragança que fundou em Chaves, nas casa do Castelo, a primeira Biblioteca da Europa e o primeiro Museu de Portugal (Século XV), hoje mais ou menos no local da actual Biblioteca e Museu da Região Flaviense (Edifício da Principal). A Igreja Matriz ou de Santa Maria Maior com portal principal de raiz românica, ano 1100 - Rainha Dª Teresa. A Igreja da Misericórdia, Século XVII, em estilo  barroco, com painéis de azulejos azuis e brancos e rico altar em talha dourada. A Capela de Santa Cabeça, onde se encontra uma relíquia do mártir S. Bonifácio, protector contra a raiva.
Caminhando para lá do Largo do Arrabalde, atravessa-se o rio Tâmega e uma das mais belas pontes romanas da Península - a Ponte Romana de Trajano, construída entre 98 e 104 d.C., que teria inicialmente 18 olhais e uma extensão de 140 metros.
Prove os pastéis de Chaves (folhados com carne de vitela picada), o folar, os enchidos (alheiras, sangueiras, salpicão, etc.) e o famoso presunto de Chaves e de toda a Região do Alto Tâmega e Barroso.
A Feira dos Santos que se realiza nos dias 30 e 31 de Outubro e 1 de Novembro comemora a tradição antiga de celebrar as colheitas. Nesta feira o dia 30 é dedicado às lãs, o dia 31 aos gados e o último às produções agrícolas.
Nas aldeias de Bustelo, Curalha, Santo António de Monforte, Outeiro Seco e Vilela do Tâmega, nos arredores de Chaves, representam-se autos populares da Paixão de Cristo e outros autos de Gil Vicente, durante a Páscoa e no Verão.
 

AS TERMAS DE VIDAGO
Excelente estância termal, de lazer, repouso e cura. Um frondoso parque termal, envolvido pela frescura de arvoredos centenários e pela bela silhueta do Palace Hotel.
As piscinas, os passeios a cavalo, o jogging. O campo de Golfe com 2.450 metros de extensão e nove buracos é dos mais belos campos de Golfe de montanha da Europa. Jogável todo o ano, pelo micro-clima existente em Vidago. O Ténis e as curas termais.
As suas três fontes termais - Vidago I, Vidago II e Salus, guardam as suas virtudes terapêuticas em edifícios estilo "belle époque" ao longo de alamedas de sossego.
As suas águas são recomendadas para o tratamento de doenças do aparelho digestivo, pele e sistema nervoso. A sua composição natural é bicarbonatada, sódica, fluoretada, gasocarbónica natural.
A água da fonte Vidago I pelas propriedades isotónicas é aplicada em injecções intermusculares no tratamento de alergias (asma) e enxaquecas.
O balneário com tratamentos fisioterapêuticos, dispõe de corpo clínico próprio.
A época termal decorre de 1 de Junho a 10 de Outubro.
O Golfe pratica-se todo o ano e o Palace e outros hotéis oferecem programas especiais para a época de Inverno e Primavera.
Num passeio de Vidago a Pedras Salgadas, entre espaços repousantes e panorâmicos, siga pela EN 311 até Vila Verde, ao longo das margens da ribeira de Oura. depois volte à direita pela EM 547, para Vila do Conde.
Sucedem-se as vinhas e os pinhais. Surge a subida para Valoura e Barbadães de Baixo, cruzando os pinhais que cobrem as fraldas da serra da Padrela. Em Bornes vai ver todo o panorama do vale de Sabroso e as Termas de Pedras Salgadas.
 

TERMAS DE PEDRAS SALGADAS
Nas termas de Pedras Salgadas existem quatro nascentes termais - D. Fernando, Grande Alcalina, Penedo e Pedras Salgadas, onde se podem ver belos efeitos visuais do gás natural que borbulha nas campânulas das nascentes. Em qualquer uma delas pode provar a água. Nos edifícios das fontes do Penedo e Grande Alcalina repare nos ferros forjados e no estilo "belle époque" da construção.
O parque é todo ele sombreado por um arvoredo altivo e centenário, percorrido por alamedas floridas. Um belo lago com barcos convida-o a um passeio.
As piscinas, campos de ténis, hotéis e o edifício do velho casino. As águas que a par de Vidago e Carvalhelhos são das mais conhecidas e bebidas no País, têm características hipotermais mesossalinas gasocarbónicas, bicarbonatadas sódicas e salicatadas que revelam as sua qualidades curativas no tratamento de doenças do aparelho digestivo, diabetes e colesterol.
Próximo das Termas, seguindo pela estrada florestal que sobe de Pedras para a Padrela, a 2 Km, situa-se a igreja românica de S. Martinho, Século XII com bela talha dourada no altar-mor.
Ainda próximo das Pedras Salgadas, mas a caminho de Carvalhelhos por Vidago situa-se a ponte medieval das Romanas, sobre o rio Avelames e o Hipódromo.
Continuando pela EM 549, volte à esquerda na EM 549-1 para a aldeia do Bragado. Aqui sobre o rio Avelames veja a ponte romana de 3 arcos e os restos da calçada romana. Ainda ali as ruínas do que seria uma pousada para peregrinos a Santiago. Regresse à EM 549 e passe por Vilela, Freixeda e Capeludos de Aguiar. Perto de Vidago surge o vale da ribeira de Oura. Passar junto à conhecida fonte de Campilho, outras conhecidas águas gasocarbónicas naturais de mesa.
À saída de Vidago pela EN 2 em direcção a Chaves volte à esquerda, pela EN 311. A 1 Km vai conhecer uma curiosa praia fluvial do rio Tâmega. Até Boticas, há pinhais, vales estreitos e imponentes morros graníticos.
 

AS TERMAS DE CARVALHELHOS
As Caldas Santas de Carvalhelhos situam-se no frondoso vale do planalto do Barroso atravessado por um pequeno ribeiro em cujas margens se vêem lameiros para pastoreio do gado e manchas de arvoredo, onde predomina o carvalho, o freixo, o amieiro e a bétula (vidoeiro).
As águas de Carvalhelhos são conhecidas e aproveitadas há mais de 100 anos, sendo recomendadas no tratamento de doenças de pele, do aparelho circulatório e digestivo, dos rins e alergias pela sua composição hipossalinas, hipotermais, bicarbonatadas, sódicas, fluoretadas e silicatadas.
O Parque Termal é um recanto de frescura e tranquilidade, dotado de balneário com corpo clínico próprio, estalagem e jardins frondosos.
Nas proximidades do Parque encontra-se o Castro de Carvalhelhos, fortificação proto-histórica, 1.000 anos a.C., recuperada nos anos 50 pela Empresa das Águas de Carvalhelhos sob a orientação do Professor Doutor Santos Júnior. A defesa deste castro era assegurada por três fossos e pedras fincadas.

http://chavesmapas.googlepages.com/AROTADASTERMASMAPA.png