HISTORIAL DO CES

           O CES foi fundado em Outubro de 1977 por dois alunos do então  denominado  Liceu Nacional de Portimão. Inicialmente, com a sigla GIAE (Grupo de Investigação Arqueológica e Espeleológica).

Em Abril de 1982, constituiu-se juridicamente e passou  a denominar-se CES Centro de Estudos Subterrâneos). Os seus estatutos foram  publicados no DR Nº121 III Série, a 28 de Maio do mesmo ano.

Sendo um grupo constituído essencialmente por adolescentes, com a continuação dos estudos ou inicio de actividade laboral, alguns acabaram por diminuir ou cessar as sua participação.

No entanto, o CES acabou por manter a sua actividade de modo regular, graças a cursos de iniciação que ia promovendo permitindo a entrada de novos membros.

Nos finais dos anos 70 e inicio de 80, existia um organismo de apoio à Juventude denominado FAOJ (Fundo de Apoio a Organismos Juvenis) que certamente os menos jovens se recordam. Foi graças a este organismo, ao apoio das Câmaras Municipais (em particular a de Lagos)  e ao CIES de Coimbra que o grupo deve o seu impulso inicial. No entanto, recebemos igualmente apoios de outras entidades, tais como Câmaras Municipais, Governo Civil de Faro e Fundação Calouste Gulbenkian.

Para além das explorações efectuadas, promovemos cursos, palestras em escolas, exposições e fomos pioneiros na realização de filmes no interior de grutas.

Na altura, demos igualmente o nosso contributo para a formação da Federação  Portuguesa de Espeleologia, embora não haja qualquer referência ao nosso grupo no seu site.

A partir dos anos 90, o grupo passa a ter muito menos actividade. E embora  nunca se  tenha extinguido, os trabalhos e saídas sofreram uma quebra acentuada.

Actualmente o CES encontra-se em fase de reestruturação e propomos-nos reactivar o grupo. 

Em Actividades Desenvolvidas, elaboramos uma lista de actividades do CES para além das explorações regulares que mantínhamos.

A ideia deste site, prende-se essencialmente com a possibilidade de dar a conhecer quem somos e o que fizemos, assim como para dar o nosso contributo no desenvolvimento da espeleologia no Algarve.