GIP

O GIP (Gabinete de Inserção Profissional) de Ribeirão, cujo objectivo é o de actuar junto da população local como uma extensão do Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão, abriu ao público a 18 de Maio do corrente ano. No final de Julho, contava já com 74 utentes – agora já com 114 – que ali se dirigiam em busca de ofertas de emprego e/ou qualificação profissional.

Segundo os dados estatísticos correspondentes ao final do primeiro trimestre (até 31 de Julho), a maior parte dos utentes situa-se na faixa etária entre os 21 e os 54 anos, sendo a esmagadora maioria destes, constituída por mulheres – 45 dentro do sub-total etário de 50. Esta mão-de-obra feminina chega-nos, essencialmente, do sector têxtil e mostra vontade, devido a um conjunto de factores que inclui tanto a precariedade que afecta este ramo da economia como os altos níveis de exigência da produção tanto no que respeita à quantidade como à qualidade do trabalho prestado, de mudar radicalmente a área de actividade.

Daqui nasce o desejo de reconversão, presente nas motivações da maioria dos utentes: o nível de habilitações apresentado pela população na situação de desemprego em Ribeirão e freguesias próximas é bastante reduzido, ficando-se normalmente pelo 6º ou pelo 9º ano de escolaridade, o que facilita o encaminhamento dos utentes para os cursos de RVCC (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências), cujo objectivo é o dotar os formandos de um nível mais elevado de qualificações e torná-los mais competitivos no mercado de trabalho. Outra opção formativa que tem sido objecto de procura elevada, são os cursos EFA (Educação e Formação de Adultos) os quais, para além de dotarem o formando de um certificado que lhes confere um nível de qualificações académicas mais elevado, atribui-lhes, também, a certificação profissional numa dada área específica. Estes cursos abrangem as mais variadas profissões desde cabeleireiro a jardineiro ou cozinheiro, passando pelos cobiçados cursos de electricidade ou soldadura.

Na Casa do Povo de Ribeirão está, neste momento, a decorrer uma acção de formação de RVCC em parceria com o Centro de Novas Oportunidades da FORAVE, sendo a turma constituída na sua quase totalidade, por utentes do GIP de Ribeirão. Prevê-se que no Outono sejam constituídas mais turmas a funcionar nas instalações da Casa do Povo. A data de nova sessão de esclarecimento será brevemente anunciada.

O início deste segundo trimestre começa já a mostrar sinais de diversificação quanto aos motivos pelos quais os utentes recorrem ao GIP: assiste-se, agora, a uma crescente necessidade e tomada de consciência de produtividade na procura de emprego que se traduz na procura de apoio personalizado. Por exemplo, a procura de ajuda para elaborar um curriculum ou orientação nos procedimentos necessários a uma candidatura a emprego.

O que não deixa de surpreender é o facto de alguns utentes se mostrarem espantados pelo facto do serviço ser gratuito!

 

Cláudia de Sousa Dias



Advertisement

Comments