Mulher no comando

" Somos casados há 9 anos e em nossas transas sempre fantasiamos muitas coisas. Acho que todo ou quase todos os casais fantasiam, mesmo sem realizá-las na prática. Nossas fantasias são em lugares exóticos, orgias, com mais um homem, mais uma mulher, etc. Mas na última transa, descobrimos algo que nunca imaginávamos. Ele sempre me comprava roupas de sex shop, calcinhas minúsculas, roupas de vinil, enfim, várias. Ele gostava de me chamar de putinha e comandava sempre a situação. Me xingava e dizia que era meu dono, me mandava vestir as várias roupas e desfilar, claro que eu adorava, mas era sempre ele que fazia isto. Foi numa destas situações que eu tive a idéia de reverter os papéis. Comprei um consolo de amarrar na cintura. Eu havia lido numa revista num consultório médico que os homens sentem maior prazer se estimulados no ânus e lembrando disso resolvi possuí-lo. Numa noite eu disse a ele que queria mudar um pouco. Ele me perguntou como e eu lhe disse que ele é que iria me obedecer. Ele topou, não sabia o que eu iria pedir e pra falar a verdade, nem eu. Pensei e falei pra ele: - Veste essas roupas. Mostrei-lhe uma calcinha fio dental, um vestidinho e um par de meias vermelhas. Ele protestou, disse que não iria fazer isto, que era ridículo. Acho que eu tinha ferido sua "macheza". Eu insisti, dizia que não tinha nada haver e que era só para brincarmos. Ele não aceitou de jeito nenhum. Mas eu estava obstinada, parei de pedir e resolvi buscar uma garrafa de vinho. Fingi que havia trocado a brincadeira. Eu derramava um pouquinho de vinho em alguma parte de meu corpo e mandava ele beber. Enchi uma taça e mandei ele virar e bebia também pra me descontrair. Matamos a garrafa e estávamos com um foguinho, ele estava mais solto e então resolvi atacar novamente. Pedi com minha boca colada no seu ouvido: - Amorzinho, eu sempre fiz o que você me pediu até hoje. Custa você fazer minhas brincadeiras? Ele fez uma expressão séria querendo desaprovar, mas não disse nada e eu então fui insistindo, até que ele topou. Ele foi pro banheiro e vestiu a calcinha, o vestidinho colante e as meias. Quando saiu do banheiro quase caí pra trás. Ele havia ficado um tesão vestido assim. Estava todo envergonhado e ameaçou tirar porque eu estava rindo. Eu o segurei e impedi. Disse que se fizesse isto eu iria ficar chateada. Ele então buscou mais uma garrafa de vinho e bebemos ela toda. Eu estava adorando, estávamos agora de fogo. Comecei então a mandar nele. Falava para ele desfilar para mim. Ele começou todo desajeitado e eu ia ensinando, até que ele pegou o jeito. Se um homem o visse desse jeito iria querer come-lo, sua bundinha é muito bonitinha. Se não fosse os ombros e os pêlos diria mesmo que era uma mulher. Eu fui avançando na brincadeira. Mandava agora ele rebolar. Eu estava sentada na beira da cama e ele rebolava na minha frente e dizia que eu era maluca. Eu mandei ele calar a boca, disse que eu era sua dona agora e que ele era meu escravo. Ou melhor, mudei de idéia, você é minha escrava e putinha! Ele riu. Estávamos de fogo. Mandei ele se abaixar e chupar minha buceta. Depois tive outra idéia. Peguei o consolo e coloquei na cintura. Ele começou a dar gargalhadas sem parar. Não sei o que deu nele, acho que era efeito do vinho. Eu não tava nem aí. Aproveitei seu fogo para brincar do meu jeito. Estava cheia de tesão e então, depois de amarrar o cacete de borracha na cintura, abracei-o, lhe beijei a boca, esfreguei o cacete entre suas pernas e depois mandei ele se deitar na cama. Amarrei-o com os braços para cima e montei cavalo nele ficando com o cacete apontado pra sua boca e fui chegando devagar e chamando-o de minha cadelinha. Ele ria meio sem graça, mas notei que estava curtindo a brincadeira. Afinal, entre marido e mulher não tem besteiras. Mandei-o chupar, ele ficou parado. Acho que estava envergonhado de tomar a iniciativa. Creio que é difícil para um homem fazer esse tipo de coisa. Então, notando isto, resolvi ajuda-lo. Coloquei o caralho em sua boca como se eu estivesse forçando, assim ele não ficaria com vergonha. Mandei ele abrir a boca e chamava ele de vadia. Ele abriu e coloquei meu pênis nela. Mandei ele chupar do jeito que eu fazia com ele. Ele no começo estava desajeitado mas eu fui ensinando como ele deveria fazer, até que conseguiu chupar como uma puta. Pra ele não ficar mais com vergonha eu dizia que estava com muito tesão e que ele era maravilhoso o melhor homem que uma mulher poderia ter e disse que o amava muito. Dizia que queria que ele fizesse tudo que eu mandasse e que seria a mulher mais feliz do mundo. Aquilo parece que acendeu ele. Ele chupava feito uma puta e depois me disse: - Só de vê-la feliz e com tesão, pra mim já é uma realização. Eu faço o que você quiser minha querida! Desamarrei-o e mandei que ficasse de quatro na cama. Ele sempre deixou eu lamber seu cu, mas nunca deixou que eu enfiasse se quer o dedo nele. Acho que sempre foi vergonha. Eu levantei o vestidinho e vi sua bundinha linda com minha calcinha fio dental. Quase morri de tesão. Dizia a ele que ele tinha uma bunda de fazer inveja a muita mulher. Pedia para ele rebolar. Ele tentava e mais uma vez tive que ensinar. Por fim estava fazendo tudo que pedia. Vocês mulheres não sabem o tesão que dá em dominar o marido, de inverter os papéis, de fazer com que eles fiquem submissos pelo menos na brincadeira. Meu marido é macho, mas ele estava me dando muito tesão daquele jeito. Era como se ele fosse, naquele momento, um ator. Me sentia poderosa, dona da situação. Mandei que ele ficasse de pé e levantasse o vestido e tirasse sua calcinha como um streep tease. Ele já havia pegado o jeito e até me surpreendia. Estava fazendo tudo pra me agradar. Eu comecei a pensar o quanto aquele homem me amava e me dava mais tesão. Depois que ele tirou mandei-o ficar de quatro novamente e enfiei minha língua em seu cú delicioso. Ele gemia. Eu lhe perguntava: - Está gostando minha putinha? Ele me respondia: - Estou adorando! Que tesão! Então eu comecei a passar meu dedo no cuzinho dele pra ver se ele reclamava e ele ficou quieto. Forcei a entrada e coloquei metade e ele continuava quieto apesar de eu ter notado uma certa aflição. Continuei e já havia colocado o dedo todo. Batia uma punheta pra ele. Então ele começou a rebolar bem discretamente. Acho que todo homem gosta de ser tocado mesmo no cu, muitos não sabem disso, mas é porque massageia a próstata levando o homem à loucura. Mandei ele rebolar pra valer, ele perdeu a vergonha e rebolava em meu dedo. Perguntei a ele se estava gostando e ele me respondeu que sim, muito timidamente. Eu disse a ele que não precisava ter vergonha e expliquei a ele o lance da próstata. Ele estava quase gozando , então tirei o dedo, não queria que ele gozasse ainda. Peguei o tubo de KY e passei no seu cu. Disse a ele que naquele dia não éramos para ter vergonha de nada e sim sentirmos muito tesão pois nos amávamos muito. Ele se soltou e perguntou o que eu iria fazer. Voltei a brincar: - Vou comer você minha putinha gostosa. Ele fez um instante de silêncio e resolveu entrar de vez na brincadeira, agora mais desinibido e disse: Se é pré te dar tesão então vem minha dona me come gostoso. Ficou com a bunda pra cima me esperando. Olhei por um instante aquela bundinha linda e encostei o cacete de borracha na portinha de seu cu. Ele cooperava comigo rebolando pra entrar mais fácil. Notava que ele estava com medo, mas estava determinado a prosseguir. Notava mais uma vez o quanto ele me amava. Quando entrou a cabeça eu parei um pouco para ele se acostumar. Depois continuei empurrando devagar e fui até a metade. Perguntei a ele se estava doendo e ele disse que poderia continuar que doeu um pouco no começo, mas que agora estava gostoso. Depois de alguns segundos consegui enfiar tudo. O caralho devia ter uns 14cm. Perguntei a ele se estava gostando e ele disse que sim. Mandei ele rebolar e ele rebolava. Chamava-o de vadia gostosa, minha putinha, de menininha assanhada, humm! Que tesão que me dava vê-lo rebolando num cacete amarrado na minha cintura. Parecia que eu tinha mesmo um pau. E a pressão que fazia na minha buceta, fez que eu gozasse várias vezes. Ele já estava solto e descontraído, gemia pedia para fodê-lo. Eu mandei que ele se deitasse sem tirar o cacete e eu fiquei em cima dele e mandava rebolar. Ficamos assim um bom tempo e depois resolvi mudar de posição. Tirei o membro de dentro e sentei-me na cama. Mandei-o ficar de pé e de costas pra mim e que viesse rebolando até o meu caralho porque eu estava afim de fuder aquele cuzinho gostoso. Ele fez direitinho, estava gostando também. É bom fazer algo diferente. Como disse, entre um casal que se ama não deve haver tabus. Ele foi se sentando e aos poucos já estava com meu cacete até o final em seu rabo. Abracei-o pela cintura e mandei-o rebolar. Eu perguntava a ele: - Está gostando de dar o rabo pra mim, minha cadelinha? Ele respondia: - Estou adorando! É muito gostoso, não sabia que era assim! E devia ser mesmo. Eu adorava dar meu cu para ele. E o homem deve sentir muito mais tesão em ser tocado no rabo do que a mulher. Porque dá contrações diretas no sistema de estímulo o homem. Eu perdi a conta dos orgasmos que tive só em comer meu marido de vestido e meias. Era algo diferente. Nem por isso ele deixaria de ser homem. Era apenas uma fantasia. Eu me deitei na cama e pedi que ele viesse por cima e montasse cavalo de frente pra mim. Ele novamente sentou enterrando tudo, agora já havia se acostumado. Eu dobrei os joelhos, ele se inclinou para frente e eu estocava para cima na sua bunda enquanto nos beijávamos. Mandei ele rebolar e adorei sentir sua bunda esfregando minhas coxas. Ele estava gostando muito. Comi meu marido de todos os jeitos, até de ladinho. Depois tirei a cinta e mandei ele me foder pra valer. Ele veio como um touro dizendo que me amava muito e disse que fez aquilo pra me dar tesão, mas acabou descobrindo um jeito de sentir muito mais tesão também. Disse que eu sou a mulher mais maravilhosa do mundo. Viu gente, como algumas brincadeiras podem aumentar o amor de um casal? Experimentem também, e sentirão vocês mesmos. E se ele ficar meio receoso, dê umas doses pra ele e vai falando com jeitinho que ele acaba aceitando. Se quiserem me perguntar algo ou trocar experiências façam contato por e-mail. love_serio@ig.com.br".

Escrito por: Vânia

Comments