Pagina em actualização

Uma praia perfeita ao longo de uma baía deslumbrante. Um mar azul de suave quietude, paraíso para as crianças e para os desportos náuticos.
Desde o alto dos Miradouros do Facho e do Cruzeiro ou da Capela de Santo António, dá gosto ver a baía colorida por típicas traineiras amarelas e pelo rasto prateado dos pequenos barcos.

A baía de S. Martinho do Porto é o último vestígio de um antigo Golfo que até ao século XVI se estendia a Alfeizerão e que se abre ao Oceano através de uma barra, com cerca de 250 metros de largura, entre os morros de Santana, a Sul, e do Farol, a Norte.

A vila fundada pelos monges do Mosteiro de Alcobaça no século XIII, desce em anfiteatro desde a Capela de Santo António até ao Cais e à Praia e estende-se, cada vez mais, pela Avenida Marginal até às dunas de Salir. O seu casario antigo descobre-se subindo a Calçada D. Pedro V até ao Miradouro do Largo José Bento da Silva, ou até à Igreja Matriz do século XVIII.

Hoje o Largo Vitorino Fróis, a rua peadonal Vasco da Gama e o Jardim do Turismo, a par da Avenida Marginal, são o centro cosmopolita da vila, pelas suas esplanadas, lojas, bares e restaurantes quase todos vocacionados para os sabores do mar: a lagosta suada, a santola recheada, o lavagante, o robalo, as douradas e o linguado grelhado ou a sardinha assada.