APRESENTAÇÃO

Colóquio Brincar e modos de ser Criança tem como principal objetivo refletir sobre o BRINCAR como direito das crianças, como expressão do seu modo de ser e estar, e como estratégia cientificamente fundamentada de educação e de integração social. Na realidade, a importância primordial e fundamental da atividade lúdica (do brincar, do jogar, do criar) tornou-se, a partir do século XIX, um foco de atenção e de problematização científica sob diversos prismas, de tal modo que hoje não subsistem dúvidas quanto ao reconhecimento dos benefícios de uma tal atividade na dimensão motora (combate o sedentarismo, promove o relaxe e o descanso), na dimensão afetiva e emocional (resolução de conflitos, controlo de emoções, promoção da autoestima), na dimensão cognitiva (maior domínio da linguagem e capacidade comunicativa, estimula capacidades criativas, de observação, de problematização e de previsão) e na dimensão sócio-cultural (desperta para o valor das regras; promove amizade, empatia, partilha e sentimento de pertença a grupos, para além de contribuir para a interiorização de padrões básicos da cultura). Perante um quadro destes, a que acresce o facto de estarmos diante de um direito das crianças e jovens consignado na Convenção dos Direitos da Criança a que Portugal foi um dos primeiros aderentes (1990), torna-se imperativo que a escola e outras instituições viradas para o atendimentos a jovens e crianças, bem como as instâncias políticas (Ministério da Educação e Municípios), não só reconheçam todas estas e outras potencialidades das práticas lúdicas, muito em especial, as que desde há séculos vêm fazendo parte e enriquecendo um património passado de geração em geração, como também se sensibilizem e se mobilizem para apoiar iniciativas que promovam estas práticas e o seu conhecimento, nas mais diversas circunstâncias da vida das crianças e jovens (na rua, na praça, nos recreios, na sala de aula). 

O Instituto de Apoio à Criança (IAC), criado em 1983 com o objetivo fundamental do desenvolvimento integral da Criança e a Defesa dos seus Direitos, tem procurado ajudar a cumprir o “Direito de Brincar” consagrado no artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança. É convicção do IAC que a promoção deste Direito conduz a um crescimento equilibrado e feliz, já que através do Brincar a Criança atribui significados, comunica, compreende os outros, aprende a respeitar regras, inventa, constrói vezes sem fim, numa reconstrução permanente.

Neste sentido, procuramos com esta formação, despertar o interesse dos professores para a importância da atividade lúdica, dando ao mesmo tempo a conhecer investigações e iniciativas já realizadas e na medida em que elas possam ser inspiradoras para novas ações, por ventura da iniciativa dos próprios formandos.

O projecto “Coimbra a Brincar”, que pretende assinalar o Dia Internacional do Brincar (28 de Maio), é uma iniciativa da APCC - Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra, contando com mais de seis dezenas de parceiros. O IAC é parceiro deste projecto desde a sua primeira edição em 2013. Este ano, as mais de cem atividades previstas — gratuitas e para todas as idades —  decorrerão nos dias 26 e 28 de maio.

Facebook - Coimbra a Brincar

Vídeo da iniciativa em 2017