Elogio da Ginja

tratado afectivo-gastronómico-literário

foto de Paulo Cunha

Elogio da Ginja

 

de Paulo Moreiras

com fotografias de Paulo Cunha

 

Quis a roda da fortuna que a ginja se voltasse a encontrar no meu caminho, como se de uma nova colheita se tratasse. Para ser mais exacto, esta é já a terceira edição do Elogio da Ginja, sem contar também com uma breve e profícua existência cibernética.

Passo a explicar, amável leitor, para que não se sinta enganado.

O Elogio da Ginja apareceu pela primeira vez como um pequeno opúsculo, em jeito de fanzine, em 2000, sem grandes pretensões e com distribuição entre amigos. Era apenas e tão só o meu primeiro alerta e a minha primeira defesa em prol da ginja portuguesa.

Logo aí notei, e para grande alegria minha, que as pessoas tinham uma qualquer estória relacionada com a ginja. Num ou noutro momento da sua vida a ginjinha esteve presente e fazia parte da sua memória. Como na altura andava bastante atarefado em pesquisas literárias, acabei inevitavelmente por encontrar um manancial de informações sobre a história da ginja. Sentindo que precisava de dar a conhecer esses novos dados, o Elogio da Ginja acabou por nascer outra vez, numa segunda versão, acrescentada e renovada, em edição de autor, no ano de 2001, e com o prestigiante apoio de várias instituições e de um produtor de licor de ginja. O efeito foi fantástico. A ginja revelava-se, afinal, possuidora de uma história bem alicerçada e as pessoas estavam interessadas em conhecer a sua história. O mesmo vim a notar, posteriormente, aquando da sua permanência na Internet, onde as colaborações para o Elogio da Ginja foram essenciais, algumas delas vindas do estrangeiro.

Naturalmente, continuei a coligir mais informações sobre a ginja. Ela já fazia parte da minha vida. E eis que surge novo convite para o Elogio da Ginja renascer. Novamente acrescentado e renovado e com outros olhares. Tal como a ginja, também o seu autor amadureceu e moldou o seu olhar em relação à ginja. E continua a defendê-la com muito prazer. Assim é a ginja.

Que o meu amável leitor descubra também esse prazer.

 

______________________________________________________

 

tábua de matérias

 

Tratado Primeiro — Das origens da ginja

Tratado Segundo — Da ginja no dicionário

Tratado Terceiro — Da biologia da ginja

Tratado Quarto — Da saúde da ginja

Tratado Quinto — Da ginja gingando na cozinha

Tratado Sexto — Da ginja na literatura

Tratado Sétimo — Da Lisboa da ginjinha

Tratado Oitavo — Da ginja por terras de Cister

Tratado Nono — Das ginjas no Oeste

Tratado Décimo — Da ginjinha d'Almeida

 

 

 

 

Editora:

www.quidnovi.pt

 

E-mail:

elogiodaginja@yahoo.com