Bragatela Curioso

algumas curiosidades em "A Demanda de D. Fuas Bragatela"

Gastronomia

pequeno breviário de referências gastronómicas

 

 

“... pois em bons anos à nossa mesa sempre vinham parar umas boas carnes de porco e uns toucinhos de arregalar os olhos e encher a pança.” (p.12)

 

“E, mesmo nos maus anos, tínhamos umas réstias de courato ou umas tripas manhosas, guardadas no sal de outros tempos, que deitávamos para alegrar o caldo e reconfortar as entranhas.” (p.12)

 

“E muito se confessava meu pai, para se redimir, pelas tabernas da terra, entre canadas de zurrapa e moxamadas sardinhas...” (p.12)

 

“Sucedeu uma noite ir pescar umas chouriças a casa de quem as tinha penduradas. (...) Mas, por falta de jeito ou por serem tão grandes as ganas de laçar uma chouriça, acabei por partir as telhas e cair com grande estrondo por cima das trempes e da panelada, levando comigo as varas do fumeiro e a desejada chouriçada.” (p.16)

 

“Entre bordoadas e correrias, gritos e espalhafatos, acabei por comer duas chouriças; tanta era a fome que, enquanto o bordão subia, descansavam as costas e eu dava ao dente.” (p.16)

 

“... eram presuntos e enchidos, queijos, especiarias e outros cominhos. Havia também, e a granel, sacos de trigo e outros cereais, estremoços, frutas e outros secos.” (p.25)

 

“... no fresco e na sombra, estavam guardadas arcas com carnes salgadas, talhas de azeite e tonéis de vinho adocicado que perfumavam o ar.” (p.25)

 

“Mais tarde, pela estrada, apercebendo-se da esganada vozearia que estrebuchava na minha barriga, Zafar deu-me uns figos secos para enganar a malvada” (p.26)

 

“Um aroma de carne assada assaltou-me os narizes e encheu-me a barriga.” (p.27)

 

“Estuguei o passo, (...) e qual não foi o meu espanto quando mirei o mouro moinante a roer a perna de um anho em alegre borregada com o vendeiro...” (p.27)

 

“... eu mordiscava uns presuntos e bebia um vinho muito adocicado...” (p.29)

 

“Um dia, (...) apanhou-me a alambazar-me nuns queijos de cabra curados que eram para seguir para Penedono.” p.33

 

“... depois de comer uns caldinhos, por sinal muito minguados, de galinha gorda...” (p.34)

 

“... era bem guarnecida de carnes, como se querem as galinhas e as sardinhas...” (p.35)

 

“... fiquei tão talante de comer que num ápice devorei a parte que me tocou do capão...” (p.36)

 

“Bebemos umas canadas, (...) e petiscámos uns couratos.” (p.38)

 

“Lançou os olhos pelos ganhões e malteses, (...) e pós beber uns brancos velhos dirigiu-se a meu pai.” (p.38)

 

“Para o caminho, um saco de broa e toucinho.” (p.58)

 

“Assámos uns nacos de carne com pimentos...” (p.62)

 

“... na última noite tivera a ousadia de ir entregar uma palangana de assaduras à tenda d’el-rei...” (p.63)

A Demanda de Dom Fuas Bragatela

Paulo Moreiras

Escaparate

Excertos

Ditos do Bragatela

Roteiro do Bragatela

Capas