Plantas‎ > ‎Angiospermas‎ > ‎Phyllanthaceae‎ > ‎

Phyllanthus urinaria


Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Malpighiales
Família: Phyllantaceae
Espécie: Phyllanthus urinaria L.

Sinônimos: -

Nome(s) Popular(es): Quebra-pedra, erva-pombinha, filanto, sarandi-branco, arrebenta-pedra

Descrição:

Erva 15-70 cm, anual. Ramificação filantóide; ramos 4,5-8,5 cm, pinatiformes, angulosos, discretamente alados, levemente híspidos, oliváceos. Catafilos ca. 1 mm, triangulares, acuminados, discretamente auriculados. Estípulas ca.1,6 mm, triangulares. Pecíolo ca. 0,7 mm. Limbo foliar 10-14 × 2,8-3,8 mm, membranáceo, oblongo a oblongo-espatulado, base assimétrica, ápice arredondado, margem hispídula basalmente. Címulas unissexuais estaminadas, com 2-3 flores dispostas na porção distal dos ramos; brácteas triangulares. Flores estaminadas subsésseis; sépalas 6, elípticas a elíptico-oboval, ápice arredondado, margem erosa; disco com seis segmentos subglobosos, verruculosos; estames 3, unidos, anteras com rimas verticais. Flores pistiladas solitárias, axilares, dispostas na porção proximal dos ramos, subsésseis; sépalas 6, lanceoladas, ápice agudo a obtuso, hispídulas dorsalmente; disco pateliforme; ovário oblato, bulado-verruculoso; estiletes unidos, bífidos, patentes; estigmas subcapitados. Faixa central presente em ambas as flores. Cápsula 2,2-2,3×1,8-1,9 mm, subglobosa, superfície bulada. Sementes 1,1-1,2×0,9-1 mm, trígonas, hilo arredondado, subterminal; testa com 10-13 sulcos transversais e retorcidos revestindo a face dorsal e parte das laterais e com três cavidades de tamanhos irregulares em cada uma das faces laterais, castanho-clara, lustrosa. (SILVA & SALLES, 2007)

Observações:

Espécie facilmente reconhecida pelos frutos bulados-verrucosos, outro caracter relevante são as margens das folhas hipídulas próximas à base.

Usos:

Medicinal: Usado na medicina popular para facilitar a remoção de cálculos renais e/ou biliares como também em cistites, enfermidades crônicas da bexiga e da próstata, hidropsia, icterícia, distúrbios intestinais e diabetes. Possui propriedades antinociceptivas. As espécies de Phyllanthus são utilizadas em geral de modo indistinto na medicina popular.

"Malefícios":

Espécie comum como invasora em culturas e quintais.

Referências:

  • Santos, A.R.S.; 
  • Campos, R.O.P.; 
  • Miguel, O.G.; 
  • Cechinel Filho, V.C.; 
  • Siani, A.C.; 
  • Yunes, R.A. & 
  • Calixto, J.B. 
  • Antinociceptive properties of extracts of new species of plants of the genus Phyllanthus (Euphorbiaceae). Journal of Ethnopharmacology 72(1–2): 229–238.

    Secco, R.Cordeiro, I.Martins, E.R. 2012. Phyllanthaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB024171).

    SILVA, M.J. da; SALES, M.F. de. Phyllanthus L. (Phyllanthaceae) em Pernambuco, Brasil. Acta Bot. Bras.,  São Paulo,  v. 21,  n. 1, Mar.  2007 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062007000100008&lng=en&nrm=iso>. access on  10  Oct.  2012.  


    Detalhe das flores estaminadas

    Detalhe das flores pistiladas

    Flores estaminadas



    Frutos imaturos


    Frutos maduros

    Folhas

    Ramificação



    Hábito

    Comments