Raças de cavalos

                                                            Hunter

É um cavalo usado na caça varia em termos de aparência pois não tem peso, altura ou cor definida. Este tipo de cavalos foi desenvolvido pelos britânicos, mas depressa se desenvolveram cavalos para a caça em todo o mundo. Com a adaptação ao terreno, os cavalos hunter apresentavam-se com aparências cada vez mais distintas. Esses animais devem ser bem proporcionados, com peito profundo e quartos traseiros inclinados. Devem também ter resistência, coragem, velocidade e alguma habilidade para saltos. É importante que os cavalos permitam uma montada confortável e que aguentem o dia inteiro com o peso do cavaleiro, mantendo o bom ritmo de caça. Os Irlandeses são famosos pela produção deste tipo de cavalos. Apesar de não haver uma “receita” para se fazer um bom Hunter, as raças mais utilizadas são o Puro Sangue Inglês, o Cleveland Bay e o Irish Draught.

                                                            Cob

Este tipo de cavalos não deve ser confundido com raças que têm “
Cob” no nome, como o Cob Galês ou Normando. Os cavalos deste tipo são seguros, calmos e confiáveis, bons para crianças, idosos e também pessoas portadoras de deficiências. Não são rápidos, mas são fortes e atléticos. A crina dos cavalos é geralmente cortada rente para que o seu atractivo pescoço arqueado possa ser exibido. As pernas curtas e o peito amplo dão-lhe uma aparência robusta. Geralmente estes cavalos provêm da Inglaterra e da Irlanda.

Existem duas classes de exibição diferentes para os
Cobs baseadas no peso: os mais leves, capazes de carregar até 80 kgs, e os mais pesados, os que suportam mais peso, são exibidos separadamente. Existe ainda uma terceira classe, o Cob de trabalho, na qual se pede ao cavalo que execute uma série de saltos de obstáculos, ao estilo do Hunter
.

                                                            Hack


O
Hack é o cavalo de elegância suprema. Muito popular entre a nobreza do século XIX, o objectivo da criação deste cavalo era a beleza e não a rapidez. O Hack geralmente é um cavalo de sangue quente: ou Puro Sangue Inglês (PSI) ou cruzado de PSI, por vezes Anglo-Árabe, mas é mais leve, tem menos densidade óssea, e de estatura mais baixa. O Hack não deve ter falhas ao nível da conformação, presença, temperamento e treino – deve permitir uma montada confortável. Em eventos, também são avaliadas as anda duras do cavalo – passo, trote e galope – e o próprio juiz monta o cavalo para exibir o animal. Pode ser visto em qualquer cor sólida. Pela sua beleza e temperamento nobre, os Hacks ficaram conhecidos como os aristocratas do mundo equídeo.

                                                            Pónei de Pólo


Até 1919, os cavalos usados no pólo não podiam ultrapassar os 144 cm, sendo por isso póneis. Após a abolição desta regras, foi introduzido sangue do Puro Sangue Inglês, tornando os Póneis de Pólo mais altos. Assim, apesar de serem apelidados de pónei, hoje em dia, estes cavalos têm em média entre 150 e 155 cm. De facto, não são póneis, mas são cavalos de baixa estatura, raramente ultrapassando 1,60 m. Contudo, são capazes de aguentar um desporto extremamente físico, rápido e muito duro: o Pólo. Pensa-se que este desporto nasceu na Pérsia há mais de 2500 anos, mas foi apenas introduzido no Ocidente no século XIX. Hoje em dia, a Argentina é a produtora do que se considera os melhores póneis de pólo do mundo.

Um Pónei de Pólo necessita de ser rápido no campo: acelerar, abrandar e virar quase bruscamente, mas também manter o equilíbrio e a suavidade necessárias para que o cavaleiro consiga acertar na bola.

                                                            Palomino

Conhecidos pela sua cor dourada que percorre todo o corpo, os
Palominos são altamente procurados. A crina deve ser branca, creme ou prateada, os olhos são castanhos ou pretos e pode haver branco na cabeça e na parte inferior das pernas. A produção de Palominos é extremamente complexa, uma vez que no cruzamento de dois cavalos deste tipo a possibilidade de sair um Palomino é apenas de 50%. A cor surge em diversas raças, sobretudo norte-americanas – Morgan, Quarto de Milha e Saddlebred – mas também surge espontaneamente no Pónei Galês da Montanha, de origem inglesa.

Em Espanha, o tipo é conhecido como “
Isabella”, uma vez que a Rainha Isabel incentivou a criação destes cavalos durante a Idade Média. Pensa-se que o nome do tipo está relacionado com Juan de Palomino, a quem Cortés
ofereceu um cavalo com esta coloração.

Apesar de terem uma das mais belas pelagens, os
Palominos
não podem ser só belos cavalos e a conformação não deve ser negligenciada.
 
 
                                                            Pinto

Apesar de este tipo estar muito ligado à raça
Paint Horse, a diferença é a de que Pinto pode ser qualquer cavalo que apresente determinadas pelagens, enquanto que para se ser considerado Paint Horse, por vezes a linhagem sobrepõe-se à pelagem.·
O Pinto deve ter um dos seguintes padrões
:

·    Tobiano – Marcas brancas arredondadas na zona do pescoço e do peito. As marcas podem-se prolongar pelo dorso ou flancos. As cores da cabeça assemelham-se à de uma pelagem simples e deve ser escura. As patas devem ser brancas e a cauda é geralmente bicolor;

·    Overo – Marcas irregulares, umas maiores, outras mais pequenas, que se posicionam mais concentradas em algumas partes do corpo, sendo o cavalo mais escuro do que branco. As marcas brancas não devem ultrapassar o dorso. A cabeça é branca com marcas escuras. Pelo menos uma das patas deve ser escura. Estes cavalos podem apresentar olhos azuis.

·    Tovero – Combina características das pelagens anteriores.

               
O Paint Horse pode ter uma dessas pelagens, mas também pode apresentar uma cor sólida. Isto porque para ser considerado Paint, deve resultar do cruzamento entre Paint Horse e uma das seguintes raças: Puro Sangue Inglês, Quarter Horse e Paint Horse. Caso resulte destas cruzas e apresentar cor sólida, o cavalo é aceite como Paint Horse.

                                                            Puro-Sangue (lusitano)

O Puro-Sangue é a raça de cavalos mais rápida e das mais valiosas do mundo. Trata-se de uma raça misturada de equídeos diferentes, e ainda conserva o registo genealógico das primeiras raças Inglesas e Irlandesas. Foi a maior influência nas corridas de cavalos, contribuindo melhor estética, velocidade e resistência. A evolução da raça Puro-Sangue remonta o cruzamento de três cavalos garanhões orientais: o Byerly Turk, o Darley Arabian e o Godolphin Arabian. O cruzamento e a criação realizaram-se com cavalos “corredores” Ingleses tradicionais criados em estábulos militares das Ilhas Britânicas. O melhor tempo registado por um exemplar numa corrida foi alcançado em Epson, Inglaterra, onde um cavalo desta raça alcançou os 77 Km/h.

Todos os cavalos de Puro-Sangue que competem em corridas estão registados nos livros genealógicos de cavalos do seu país de nascimento. Quando os cavalos destinados a corridas cumprem um ano de idade, começam um treino que implica a aceitação do peso do jóquei. Apesar de alguns cavalos de dois anos participarem em corridas, um cavalo de Puro-Sangue está no momento de maior rendimento entre os três e os cinco anos; qualquer das formas, esta não é uma regra básica visto que existem exemplares que correm com dez anos ou mais. Existe corridas que diferem os cavalos e as éguas, mas a maioria dá para ambos os sexos. Uma égua é chamada potranca até ao seu quinto ano e imediatamente passa a ser uma égua. Um cavalo castrado de qualquer idade é um capado. Um cavalo não capado é um potro até aos cinco anos e a partir de então será simplesmente um cavalo ou um garanhão.

A característica que distingue os cavalos de Puro-Sangue é que muitas vezes são cavalos nervosos e muito sensíveis, com galope ligeiro e passos firmes. O seu comprimento abrange os 162cm e os 164cm. As cores normalmente são: castanho, cinzento ou preto.

O seu corpo é largo, esbelto e pouco proporcionado, sendo o seu perfil recto. Os rins desta raça são mais fortes do que de um cavalo normal, o que faz com que ele consiga mais potencia no galope. As extremidades posteriores são mais grandes e largas, enquanto as outras são mais delgadas, com antebraços musculosos e articulações grandes e planas. A medida do osso por debaixo dos joelhos é inferior a 20 centímetros. A sua cabeça é bastante firme, sem demasiada carne na mandíbula. As narinas são de grande tamanho, o que ajudam na oxigenação rápida. As costas desta raça normalmente são longas e muito inclinadas, o que permite passos longos com muito pouco esforço.

 

As raças de cavalos portugueses são:

 Sorraia

Garrano

Lusitano

 

Comments