Página Inicial

"A melhoria é uma atitude e uma forma de estar"
(Declaração Synervasynerva.net 2007)
 


A avaliação interna tem vindo a preocupar os órgãos de gestão da escola, particularmente nos últimos anos. Existem registos que datam de 1999/2000, ano em que decorreu o Projeto 3.13 da IGE que, para além de analisar aspetos diversos do funcionamento da escola, se centrou, em termos de supervisão pedagógica, nas disciplinas de Matemática, Português e Físico-Química. Este projeto não ultrapassou a vigência de um ano, mas, consequentemente, surgiu na escola a necessidade de desenvolver o Projeto Qualidade XXI, na tentativa de dar continuidade ao processo de avaliação iniciado. Decorreu entre 2000 e 2004 tendo sido apoiado pelo IIE, ainda existente na altura.

No triénio 2005/2008 foram realizados dois trabalhos distintos que incidiram sobre a análise de resultados escolares dos alunos. O primeiro consistiu num trabalho longitudinal de acompanhamento dos alunos que se inscreveram no 10º ano em 2005 até à conclusão do seu ciclo de estudos em 2008.

O segundo trabalho fez o levantamento das classificações finais dos alunos por ano e por disciplina.

No ano letivo de 2008/2009 desenvolveram-se dois trabalhos de âmbitos diferentes: um, que deu continuidade à análise das classificações finais dos alunos, e o outro, resultante da reflexão efetuada em torno da elaboração do PEE, que pretendia avaliar a qualidade do trabalho colaborativo entre os docentes.

Tem-se vindo a implementar uma cultura de debate e reflexão em reuniões de grupo, fomentando a colegialidade, a partilha e a troca de experiências e saberes.

No final do ano todos os Coordenadores de Departamento, de Grupo de Recrutamento, de Direção de Turma, de Clubes e de Projetos são solicitados a apresentar um relatório crítico e descritivo à Direção, das atividades decorridas ao longo do ano letivo.

Essas conclusões são refletidas em CP e CG, que sugerem melhorias a implementar no ano seguinte, quer através de regulamentos, quer através de sugestões aos grupos de recrutamento, por intermédio dos coordenadores ou representantes.

Cabe ainda referir que, numa tentativa de implementar uma cultura de auto-avaliação, procurando aproveitar as experiências atrás referidas, e fazendo uso do orçamento privativo, a DE decidiu contratar entre 2009 e 2012, os serviços de consultoria da Fundação Manuel Leão, que, através do Programa AVES (Avaliação do Ensino Secundário), desenvolveu um trabalho de avaliação que incluiu vários vetores: análise dos resultados dos alunos, opiniões dos atores, contexto sociocultural, práticas pedagógicas e organização da escola. Por limitações orçamentais, o programa terminou em janeiro de 2012. Contudo, consideramos desejável uma futura parceria com instituições de consultoria na área da educação.