Quem Somos

Objetivos

  • Preservação ecológica da flora, fauna, água e belezas naturais da região;
  • Promoção do turismo sustentável;
  • Promoção e incentivo de atividades cientificas e artísticas.

Histórico

Fundada em 04 de abril de 1951, a AAI, tem como objetivo principal agir na preservação da flora, fauna, águas e belezas naturais da região do Itatiaia, cooperando, no que for cabível e possível, com a administração do Parque Nacional do Itatiaia (PNI) e demais autoridades competentes.

Os membros da AAI, na sua grande maioria profissionais – advogados, biólogos, geólogos, pedagogos, engenheiros - tém em comum a paixão pela relação harmônica entre o homem e seu ambiente. Com seus variados saberes e referências, relacionados ao PNI e regiãoo, a AAI visa a contribuir na idealização, planejamento e coordenação de projetos e estudos de interesse da região bem como no fortalecimento da sua gestão participativa. A AAI quer contribuir e sente-se preparada, motivada e desafiada a participar diretamente dos processos de planejamento e avaliação das ações necessárias.

Ações

Durante seus 58 anos de atuação no município, a AAI tem contribuído para promover o turismo e, ao mesmo tempo, impedir desmatamentos, depredações, incêndios, caça, corte de palmitos, poluição do meio ambiente e perturbação da tranqüilidade local, atuando também na divulgação da história e das belezas da região e na organização de conferências e reuniões culturais, assim como exposições artísticas.

É histórica a parceria da AAI com as administrações do Parque Nacional do Itatiaia. Resultados desta parceria são, por exemplo, a construção do Portal de entrada do PNI em 1959, a instalação da rede de eletricidade e a manutenção da estrada.

Ciente da importância de cuidar não só do patrimônio ambiental, mas também do patrimônio histórico-cultural do Núcleo Colonial Itatiaya, a AAI mantém acervo de fotos, mapas e documentos históricos. Em 2008 realizou evento comemorativo dos “100 anos do Núcleo Colonial Itatiaya”, divulgado na imprensa local.
No Conselho Consultivo do PNI, a AAI participou das discussões para sua criação, sendo membro assíduo desde sua instalação, em agosto de 2002. Em diversas ocasiões, membros da AAI têm colaborado nas Câmaras Técnicas de Pesquisa e de Montanhismo, e atualmente coordenam as Câmaras Técnicas de Acompanhamento do Estudo de Ampliação do PNI e de Gestão de Resíduos do PNI. No âmbito dessa última câmara técnica, fez as articulações necessárias e elaborou projeto para a construção de biodigestor para a sede do PNI.

A AAI tem também cadeiras nos Conselhos Municipais de Meio Ambiente e de Turismo e no Conselho da APA da Serra da Mantiqueira. 
A AAI acompanha com críticas, os estudos em curso, sobre a ampliação do PNI; sobre a revisão do seu Plano de Manejo e sobre a regularização fundiária, pois entende que estes estão sendo conduzidos de forma relativamente isolada e sem uma estratégia sistêmica clara. Por isso elaborou uma proposta para regularização fundiária baseada em pesquisa e levantamento de documentos junto a proprietários e organismos públicos e tem feito uma forte articulação com instâncias públicas e privadas na busca de uma solução para a questão fundiária.

Outras atividades realizadas: evento “Pólo de Ecoturismo de Itatiaia – Possibilidades e Caminhos Sustentáveis”; proposta para elaboração de Seminário sobre Manejo da Flora e Fauna da Área do Núcleo Colonial do Itatiaya; desenvolvimento do projeto de Educação Ambiental em parceria com a Prefeitura, AEDB, e ONGs para formação de multiplicadores no entorno do PNI; representação no Conselho Municipal de Meio Ambiente de Itatiaia; construção de Projeto Coletivo em Sustentabilidade para melhoria da qualidade de vida do entorno; e articulação com o Instituto MODFIX  para elaboração de projeto piloto para chuvas artificiais – prolongamento do período chuvoso – prevenção de incêndios.

A preocupação com esses aspectos se fundamenta no fato de que a implantação de Unidades de Conservação em uma área tem importantes implicações com a maneira como as propriedades nela contidas são administradas, assim como a sua situação fundiária, usufruto e posse. A implantação de um parque implica em desapropriação. Em razão deste fato, membros da AAI com propriedade na área descrita têm se reunido profícua e freqüentemente, para informação, consulta e proposição, buscando-se alternativas para a solução de uma situação histórica.