a. sáxeo is a portuguese self taught sculptor born in Lisbon, Portugal, in 1954.

His first sculptures were made in pencils during primary school.

After his education as Electronic and Telecommunication Engineer, has been professionally working during the last thirty years in Lisbon and Castelo Branco, as engineer, business manager, engineering teacher and consultant.

 

Now, as full time sculptor, a. sáxeo uses mainly wax and the lost wax casting process for his artistic expression mostly based on human emotions and relations.

 

His unique casts bronze sculptures are for personal or public indoor fruition, isolated or in compositions on the office desk, inside iron niches hanging from the wall or standing on the floor.

 

a. sáxeo actually lives and works in Aldeia do Bispo PNC, Portugal, where is located his studio-foundry.

                        

                                                                                                                                   

resume



a. sáxeo (pseudónimo) é um tardio e improvável escultor autodidata, nascido em Lisboa em 1954 que, depois de trinta anos dedicado à engenharia, optou por aprofundar a sua paixão pela escultura.

 

Como principal técnica expressiva do comportamento, dos sentimentos e das relações humanas, a.sáxeo utiliza a cera e o bronze, através da fundição directa pelo processo da cera perdida.

  

As suas obras, revelam um olhar crítico e prospectivo sobre a civilização, reflectindo e contrastando as divergências entre os desenvolvimentos tecnológico e comportamental da espécie humana.

 

A sua escultura caracteriza-se, nomeadamente, pela:

  • Escala adoptada da mão humana em peças de carácter figurativo (por vezes com recurso a uma linguagem de quase banda desenhada), embora preservando o poder e a força das peças de grande dimensão;

  • Definição do enquadramento e visionamento das peças de pequena dimensão através do uso sistemático de nichos, conferindo à obra um carácter mágico-religioso (nicho como elemento espacio-temporal, onde, com uma iluminação focante, se define, isola e preserva a narrativa interpretativa);

  • Elevado dinamismo da expressão gestual (apesar da simplificação figurativa), por vezes recorrendo a uma grande complexidade técnica;

  • Acabamento delicado da superfície do metal e uma pátina que, ao invés de esconder os defeitos de fundição (presentes), antes revela a beleza da superfície do bronze, conferindo às peças uma qualidade táctil muito particular;

  • Facilidade da exposição mural da escultura (como se de uma tela se tratasse) trazendo-a de volta, de uma forma privilegiada, à intimidade do espaço interior (público ou privado) e permitindo, num neo-nomadismo globalizado, uma facilitada portabilidade;

  • Possibilidade de coreografar personalizadamente a composição em cada um dos nichos (YouSculptor), através da selecção interpretativa e combinação lúdica das peças individuais (PlayArt).

A adopção do pequeno formato (escultura bonsai), materializa o conceito de eco-escultura, reduzindo, quer os recursos incorporados na própria obra, quer os utilizados no processo da sua elaboração. O conceito de eco-escultura está também simbolicamente presente na reciclagem de conteúdos e significados situacionais, resultantes da reutilização de formas esculturais permanentes (bronze) em composições teatrais temporárias (YouSculptor).

 

A miniaturização transforma ainda uma expressão plástica que tradicionalmente foi um meio de comunicação e de doutrinação do poder (religioso, militar, financeiro, intelectual) para as populações da sua órbitra e influência, num meio de expressão privado, interpretável e fruível por individuos autónomos e espírito independente que, no percurso da sua auto-realização, interpretam, seleccionam e recriam os objectos e os significados dum mundo globalizado e em mudança.




a.sáxeo realizou as suas primeiras esculturas durante a escola primária, talhando, com canivete, cabeças e bustos em topos de lápis usados. Na adolescência experimentou diversos materiais e técnicas, nomeadamente a talha em madeira e em osso, a modelação em cera, em gesso e em resina de poliester, a assemblagem e a fundição de ligas de chumbo-estanho.

 

Em meados de 2008, depois de trinta anos de actividade profissional como engenheiro, gestor, professor e consultor, optou por aprofundar a sua dedicação à escultura.

 

a. sáxeo vive e trabalha actualmente em Aldeia do Bispo Penamacor, onde tem o seu estúdio e fundição.

c.vitae

 

 


Exposições seleccionadas   
     2000- Posto de Turismo de Cascais (individual)

                 - Inst. Politécnico de Castelo Branco (individual)

     2001- Câmara Municipal de Penamacor (individual)

                 - Auditório Mun. de Proença a Nova (individual)

     2003- Centro Cultural de Cascais 
     2
008- Zarza la Mayor, Ceclavin, Barcarrota,

                   Burguillos Cerro, Vila Viçosa, Alandroal, Penamacor,
                   Monfortinho

                - Palacio Congressos y Exposiciones,  Mérida
                -
FEHISPOR 08- Badajoz

                - Museu Municipal do Sabugal, Genes & Memes (individual)

     2009- Paço da Cultura da Guarda, Extinção de Memes  (ind.)

                - C.C. Alegro, Castelo Branco (ind.)  

                - Centro de Cultura Jaime Lobo e Silva, "Transmémicos",

                  Ericeira (ind.)

            - Sala de Exposições da Tinturaria- Covilhã

                - Sala-TallerMaría Nieves Martín- "Hermosa y Horrible"       

                  Villafranca de Los Barros (ind.)

                - Centro Cultural San Jorge- Cáceres

                - Auditório Municipal- Vendas Novas

                - FEHISPOR 09- Badajoz
               - Paços do Concelho de Penamacor, "Vazadas da Memória"  

    2010- Villafranca de los Barros, "Vive-Arte"


textos 

Início / Home

Biografia/ Biography

Galerias/ Galeries

     . compositions

     . amoas

     . quotidian

     . olmies

     . submidomination

     . wax drafts

     . niches

      . large scale

saxeovitae (blog)

Contacto/ Contact