O Cotidiano

Uriel

Download dos livros gratuitos

Grupo Consciência Cristo - Revolução da Consciência

A Obra Magna

A Profecia

A Revolução da Consciência

O Auto-Conhecimento

A 1ª Tarefa Cristã: A Morte Psicológica

A Auto-Observação

Súplicas à Nossa Senhora, Mãe Divina

A Doutrina do Coração

As Dificuldades

O Cotidiano

O Anti-Cristo

A Dualidade

Os Sonhos Mudam

Experiências no Plano Astral

O Despertar

O Hermetismo

A 2ª Tarefa Cristã: O Sexo Sagrado

A Íntima Realização do Ser

A Sublimação Sexual para os Solteiros

A Transmutação Sexual para os casados, O Arcano AZF

A 3ª Tarefa Cristã: A Entrega do Ensinamento Sagrado

As Enfermidades

As Drogas

Senhores da Situação

A Transformação Interior

O Medo

Eliminando o Ego

A Intuição e o Raciocínio

Os Inimigos são Internos

A Comodidade Tentadora

Aos Revolucionários de Si Mesmos

 Convite aos irmãos

Obras Recomendadas

O COTIDIANO

 

 

Há pessoas que se justificam, defendem o ego alegando que não trabalham sobre si mesmas tendo em vista as dificuldades do dia-a-dia e etc... Pois são nestes momentos difíceis mesmo em que nos encontramos envoltos aos compromissos e mesquinharias do mundo materialista, é que devemos acirrar ainda mais nosso trabalho interior. É exatamente nestas situações, que buscamos a Força da Mãe Divina, para que nos ajude nos libertando da escravidão do materialismo, da busca pelas futilidades que nos tornam escravos das circunstâncias.

 

Notoriamente nos vemos mergulhados em compromissos sociais, financeiros, familiares, movidos única e exclusivamente pelo ego, o eu pluralizado, seja pelo apego, pelo orgulho, pela cobiça, entre outros terríveis defeitos.

Defeitos que se relacionam às pessoas, ao dinheiro, ao nosso pseudo bem-estar, à necessidade de estarmos dando satisfação à sociedade que aí se encontra perdida. Aos bens materiais e seus confortos que deliciosamente desfrutamos, sem nos darmos conta de que tudo isto são coisas do tempo, ilusórias e passageiras... A qualquer instante nos veremos em nossa real condição de não sermos nada, de não possuirmos nada. Não levaremos nada conosco após o desencarne.

O apego às pessoas nada tem a ver com o Verdadeiro Amor. Todos fazemos parte de uma grande família: a Humanidade. Não existem méritos em amarmos apenas aqueles que nos amam.

O mendigo na calçada, o bêbado nos bares, o doente nos hospitais, a prostituta nos becos, o bandido encarcerado... Estes que hoje desprezamos e maldizemos poderiam ter sido um filho ou um pai em existências anteriores, então o quê?

Aquele que se auto-observa e trabalha seriamente sobre si mesmo, com espanto irá investigar nos 49 departamentos mentais os mais terríveis defeitos, os inimigos da obra do Pai que carrega dentro. Assim sendo, jamais se colocará a julgar os semelhantes .

Atire a primeira pedra aquele que estiver livre do pecado.” Cristo Jesus