Doença de Chagas

A doença de Chagas, mal de Chagas ou chaguismo, também chamada tripanossomíase americana, é uma infecção causada pelo protozoário cinetoplástida flagelado Trypanosoma cruzi, e transmitida por insetos, conhecidos no Brasil como barbeiros, ou ainda, chupança, fincão, bicudo, chupão, procotó, (da família dos Reduvideos (Reduviidae), pertencentes aos gêneros Triatoma, Rhodnius e Panstrongylus. Trypanosoma cruzi é um membro do mesmo gênero do agente infeccioso africano da doença do sono e da mesma ordem que o agente infeccioso da leishmaniose, mas as suas manifestações clínicas, distribuição geográfica, ciclo de vida e de insetos vetores são bastante diferentes.
Os sintomas da doença de Chagas podem variar durante o curso da infecção. No início dos anos, na fase aguda, os sintomas são geralmente ligeiros, não mais do que inchaço nos locais de infecção. À medida que a doença progride, durante até vinte anos, os sintomas tornam-se crônicos e graves, tais como doença cardíaca e de intestino. Se não tratada, a doença crônica é muitas vezes fatal. Os tratamentos medicamentosos atuais para o tratamento desta doença são pouco satisfatórios, com os medicamentos com significativo efeito colateral, muitas vezes, ineficazes, em especial na fase crônica da doença.
 
História


Ciclo da doença de Chagas (para aumentar a imagem bastar clicar na mesma).

A história da descoberta da doença de Chagas tem início em 1902, quando o jovem estudante da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, Carlos Chagas, foi interpelado por Miguel Couto a freqüentar o órgão de pesquisa Instituto Soroterápico, criado em 1900 pelo Barão de Pedro Afonso.
No ano de 1907, Carlos Chagas, solicitado agora por Oswaldo Cruz, segue para Estrada de Ferro Central do Brasil, em um pequeno vilarejo chamado Lassance, localizado ao norte de Minas Gerais, para controlar o surto de malária entre operários.
Em 1903, escolhera "These Inaugural", com o tema "Estudos hematológicos no impaludismo" e uma monografia, em 1906, "Prophylaxia do Impaludismo", em que já alertava a "destruição domiciliária dos culicídios alados" como medida para controlar a malária.
Descoberta em 1909 pelo médico brasileiro Carlos Chagas, a doença não foi vista como problema até à década de '60. Estudos desenvolvidos pelo Instituto Oswaldo Cruz no município de Bambuí, Minas Gerais, possibilitaram dimensionar a moléstia como problema de saúde pública. O nome de Tripanossoma cruzi ao agente causador foi dado por Chagas em homenagem ao epidemiologista Oswaldo Cruz.
Na Argentina, a doença é chamada oficialmente Mal de Chagas-Mazza, em homenagem ao médico argentino Salvador Mazza, que em 1926 começou a estudar a enfermidade e com os anos transformou-se no principal estudioso da doença naquele país.
Uma passagem do diário de Charles Darwin levou à suposição de que ele sofresse da doença de Chagas, em conseqüência da picada de um inseto, e esta seria a causa do declínio de sua saúde depois da viagem no Beagle. Testes feitos com técnicas PCR em seus restos mortais foram improfícuos.
Um dos centros de excelência da pesquisa médica em doença de Chagas é a Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, onde nos anos 50 o Dr. Fritz Köberle demonstrou que os amastigotos destroem os neurônios do sistema nervoso autônomo no intestino e no coração.

Carlos Chagas

Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas, médico e bacteriologista; brasileiro, nasceu em Oliveira, Minas Gerais no dia 9 de Julho de 1879, e faleceu no Rio de Janeiro no dia 8 de Novembro de 1934.
Ingressou na Faculdade de Medicina no Rio de Janeiro depois de concluir o curso preparatório. Dedicou-se aos serviços de profilaxia do interior.
O sucesso que obteve no combate à malária tornou-o conhecido e respeitado. Foi admitido em 1907 no Instituto Osvaldo Cruz em Manguinhos.
Foi constituído uma comissão afim de efetuar estudos sobre uma tripanossomíase endémica, constada no interior brasileiro cuja chefia designou-se Carlos Chagas.
Em 1909, Carlos Chagas conseguiu descobrir o agente causador dessa terrível doença, denominou-a “Tryphanosoma Cruzi” em homenagem a Osvaldo Cruz. Sua descoberta não ficou somente aí, foi mais além, demonstrando que tal doença era transmitida por um inseto chamado “Barbeiro” (Triatoma Megista) hoje conhecida como doença de
Chagas, numa justa homenagem ao grande bacteriologista. Em 1911 foi-lhe concedido o prêmio Schaudim, conferido por um júri internacional ao melhor trabalho sobre Protozoologia e Microbiologia.
Comissionado novamente em 1912 à chefia dos Estudos da Malária no Vale do Amazonas. Nomeado Diretor do Instituto Osvaldo Cruz. Por ocasião da gripe espanhola em 1918, Carlos Chagas demoradamente, dirigiu a Campanha de Saneamento.
Diretor Geral do Departamento Nacional de Saúde Pública, foi ainda Professor de Medicina Tropical da Universidade do Rio de Janeiro. Bibliografia: Estudos Hematoçógicos no Impaludismo; Profilaxia Anti-pulúcida. Pesquisador nato e uma dedicação completa quando realizava o seu trabalho altruísta, deu continuidade à obra de Osvaldo Cruz.



Carlos Chagas



Órgão afetado pela doença de Chagas.



Barbeiro: hospedeiro intermediário do Trypanosoma cruzi.




Comments